História Acaso ou destino? - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor, Bangtan Boys, Bts, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Romance, Yaoi
Visualizações 1.597
Palavras 1.827
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Lá vamos nós com mais um capítulo!

Esse é maior, não disse que era? NÃO SOU DE MENTIR GALERA DSHUDHAD

ATÉ LÁ EMBAIXO!

ENJOY <3

Capítulo 3 - Capítulo 2 - Meeting and discovering each other


Fanfic / Fanfiction Acaso ou destino? - Capítulo 3 - Capítulo 2 - Meeting and discovering each other

— Olha, nada de bagunça ok?! Se comportem pelo amor de Deus. Se eu ficar sabendo que vocês foram mal-educados vão ficar de castigo. – Jimin dizia enquanto pegava os presentes no carro e entregava um a cada filho. – Yoongi, você é o mais velho, então toma conta das suas irmãs ok?!

— Aish, appa, eu quero aproveitar a festa e não ficar vigiando elas. – O menino acabou formando um bico enquanto falava.

— Eu sei, filho, só... se comportem, ok? – Ele beijou as crianças uma última vez antes de se dirigir à entrada do salão de festas.

Era aniversário de um coleguinha da escola de seus filhos e Jimin os deixaria ali e voltaria para buscá-los mais tarde.

— Por favor, sejam comportadinhos, ok?! Deem orgulho pro appa. – Jimin ouviu uma voz conhecida e logo se deparou com Jungkook ao seu lado com os filhos. – Ah, olá Park!

— Olá, Jungkook. Se for me chamar de Park volto a te chamar de Jeon. – Park deu um sorrisinho ao que Jungkook lhe pareceu envergonhado.

— Ah, desculpe, Jimin. – Disse ele sorrindo também.

Logo a mãe do aniversariante apareceu para recepcioná-los e tão rápido quanto um piscar de olhos as crianças saíram correndo pelo salão.

— Senhor Park e senhor Jeon, gostariam de ficar? – A mulher perguntou simpática. – Algumas mães estão aqui também.

Jungkook e Jimin fizeram a mesma expressão desgostosa e negaram prontamente.

— Oh, eu tenho um compromisso agora, desculpe. – Jungkook foi o primeiro a responder.

— Pois é, eu também tenho. Obrigado mesmo assim. –Jimin agradeceu enquanto sorria.

Ambos saíram em direção a seus carros apressadamente.

— Até parece. Aquelas mães não largam do meu pé, não consigo ficar nem um minuto no mesmo espaço que elas. – Park comentou.

— E não é? Parece que nunca viram um pai solteiro antes, parecem abutres. – Jungkook disse ao que recebeu uma concordância de Jimin. – Ei, se seu compromisso, assim como o meu, for falso... gostaria de ir numa cafeteria aqui perto? Eu ia passar o tempo lá, já que faz tempo que não saio sem as crianças.

Jimin notou que Jungkook colocou a mão na nuca enquanto falava, e que parecia estar em dúvida se devia ou não chamá-lo. Não pôde deixar de achar graça no jeito tímido do outro.

— Eu adoraria. Afinal, iria somente ficar vendo TV até dar a hora de buscá-los. – Respondeu sorrindo verdadeiramente, ato que fez seus olhos quase se fecharem completamente.

Jungkook sentiu um formigamento em seu peito ao notar o quão adorável era o outro enquanto sorria. Sacudiu a cabeça espantando tais pensamentos estranhos.

— Então siga o meu carro, Jimin. Não é muito longe.

Entraram cada um em seu carro e logo estavam na cafeteria. Após se acomodarem e fazerem seus pedidos se viram sem ter o que falar.

— Então, Jungkook, me conte sobre sua vida, como se tornou pai solteiro e essas coisas. – Jimin disse querendo quebrar o silêncio e recebeu uma risada contida do outro homem. – Aish, não sou bom em puxar assunto, só falei o que veio em minha mente.

— Tudo bem, só foi bem direto, não é? – Jungkook o fitou ainda risonho, deixando Jimin cada vez mais envergonhado. – Hm, por onde eu começo?

“Acho que sempre fui alguém comum, sabe? Tive uma infância e adolescência comuns. E foi com mais ou menos vinte e um anos que conheci Sook, a mãe dos meus filhos. Eu me apaixonei no mesmo instante que coloquei meus olhos nela. Bizarro, né? Mas não confunda, era somente paixão, não evoluiu para um amor de verdade. Nem tivemos tempo para isso, na verdade. Eu e um amigo tínhamos marcado uma viagem para Las Vegas, para comemorarmos que nosso curso de fotografia chegaria ao fim e tínhamos conseguido juntar dinheiro suficiente para abrir nosso próprio estúdio. Sook foi com a gente, e quando chegamos lá, ela jogou a bomba em mim. Estou grávida, ela disse. E depois simplesmente falou que não queria o filho, e que ia tirar. Eu era jovem também, mas como eu poderia deixá-la tirar aquele bebê? Era meu filho afinal, não conseguiria, entende?! Então a convenci a levar a gravidez adiante, e bem, eu bebi demais em uma noite e acabamos nos casando, comigo estando completamente bêbado. Ei, não me olhe assim, eu não sabia nem o meu nome naquela noite. Até hoje não sei o porque de Sook ter deixado aquilo acontecer. Quer dizer, ela não tinha bebido, afinal, estava grávida e simplesmente nos deixou fazer essa loucura. Ah, e meu amigo, que devia ser uma mente sã e me impedir de fazer essa loucura, acabou se casando também, acredita? E o pior, com um completo desconhecido. Bom, pelo menos ele e o marido dele pediram a anulação no dia seguinte. Comigo não foi assim, já que formaríamos uma família, então acabei levando adiante aquele casamento, achei que poderíamos dar certo. Mas realmente não foi isso que aconteceu. Assim que os gêmeos nasceram, Sook foi embora. Disse que era demais para ela e que não queria gastar a juventude dela cuidando de crianças. Só recebi notícias dela novamente quando ela me mandou os papéis do divórcio para assinar, acho que ela se casou de novo com um ricaço na França. Foi o que ouvi, pelo menos. Bem, eu sou fotógrafo, eu e esse meu amigo abrimos nosso próprio estúdio aqui em Seul, e estamos bem nesse ramo. Venho cuidando dos meus bebês desde então. Sabe, não é fácil? Quer dizer, é claro que você sabe, que besteira a minha.”

Jungkook sorria ao ver as expressões de Jimin, que foram de espanto, reprovação, indignação, e então algo como admiração. Ou podia ser só coisa de sua cabeça mesmo.

— Aish, sério, não acredito que sua ex-esposa foi tão maldita assim. Desculpe, mas que bela vaca ela foi. Mas também, tinha que beber tanto a ponto de se casar?! – Jimin fitava o outro indignado enquanto falava.

— Já te expliquei, não me olhe assim. – Jungkook ria de Jimin. – Não precisa se desculpar, ela foi mesmo uma vaca, como você disse. Mas agora, me conte a sua história.

Eles então receberam os pedidos, logo provando cada um o seu café.

— Minha história está longe de ser animada como a sua, mas vamos lá. – Jimin começou.

“Eu tinha uma amiga desde a infância, sabe? Éramos vizinhos e sempre fomos muito próximos. Quando eu acabei a escola, essa minha amiga, Hyorin era o nome dela, se declarou pra mim. Eu nunca a tinha visto com outros olhos a não ser como uma melhor amiga, mas eu nunca tinha realmente me apaixonado, então eu dei a ela uma chance. Certamente foi a melhor coisa que fiz na minha vida, pois dela vieram meus filhos. Namoramos por três anos até ela me dizer que estava grávida, nos casamos e eu tinha 22 anos quando Yoongi nasceu. Também fui pai bem novo, e logo depois ela ficou grávida das gêmeas. Ah, eu me formei em dança e nessa mesma época o grupo de dança ao qual eu pertencia foi convidado a fazer uma apresentação, adivinha onde? Em Las Vegas, olha só que coincidência. E sabe, eu tive que comentar isso porque um dos meus amigos do grupo, que aliás é meu amigo até hoje, acabou saindo para beber com outros e também acabou se casando com um completo desconhecido. Eu zombo dele até hoje por isso, e antes que você fale, eu não saí com eles portanto não estava lá para impedi-lo. Foi só um comentário mesmo. Bom, a gravidez da Hyorin era de risco. Tomamos o maior cuidado durante toda a gravidez mas no parto ela não resistiu, e acabou falecendo. Não me olhe com esse olhar de pena, estou bem, foi há muito tempo. Felizmente minhas filhas nasceram bem e saudáveis. Foi muito difícil no começo, eu tive que parar de viajar com o grupo, pois tinha três filhos para cuidar. Então eu e esse meu amigo que falei antes, abrimos uma academia de dança, na qual somos professores e as vezes fazemos nós mesmos, algumas apresentações.  É isso.”

Jungkook queria chorar, sério, ele estava se segurando para não ser uma menininha naquele momento. Não chegou a pensar que Jimin poderia ser viúvo. Achou sua história muito triste, afinal ele perdeu alguém realmente importante para ele, a mãe de seus filhos, e não foi porque ela fugiu por aí.

— Sinto muito, Jimin, nem sei o que dizer. – Jeon se manifestou ainda sem jeito.

— Já disse pra não me olhar assim, como eu disse, foi há muito tempo. – Jimin disse bebericando o seu café.

— Desculpe, só fiquei um pouco comovido. – Respirou fundo ao responder. – Só fiquei com uma dúvida, você disse que não a amava no começo, chegou a amá-la então?

— Claro. – Jimin sorriu e Jungkook notou que ele falava a verdade. – Bom, se você falar com os meus amigos mais próximos, eles provavelmente dirão que estou mentindo. Mas o caso é que eles não entendem que existem várias formas de amor. Eu a amei muito sim, porém nunca teve “aquela” paixão, entende?! Para ser sincero nunca fui apaixonado por ela, mas ela sabia disso e sabia que eu a amava do meu jeito, e isso era o suficiente para nós.

Jungkook pensou um pouco e entendeu o que ele dizia, ele a amava como um amigo, não era um amor apaixonado. Achou graça em algo que passou pela sua mente e acabou rindo um pouco.

— Do que está rindo?! – Jimin perguntou um pouco incomodado.

— Oh, me desculpe, não estou rindo de você ou coisa assim. Entendi o que você disse, só estava pensando uma coisa que acabei achando graça. – Respondeu olhando o homem a sua frente, que tinha uma expressão curiosa. – Eu nunca amei alguém, porém já me apaixonei muitas vezes. Já você, amou, porém não se apaixonou. Irônico, não é?

— Hm, pensando assim, realmente. – Jimin o fitou um pouco pensativo. – Bem, apesar de não querer nada disso agora, só tenho vinte e oito anos, quem sabe o que me espera, não é? E a você também.

— Oh, você é meu hyung. Eu tenho vinte e seis. – Jeon disse surpreso – Mas você tem razão, ainda somos muito novos, quem sabe o que pode vir pela frente, não é mesmo?

Jimin estava surpreso ao perceber que Jungkook era mais novo do que si, mas fazendo as contas se encaixava. Afinal, suas gêmeas e os gêmeos do outro estavam na mesma turma, o que significa que eles tinham, provavelmente, cinco anos. Yoongi é um ano mais velho, e tem seis. Realmente, foram pais muito novos.

— Muito bem, donsaeng. Espero que tenhamos sorte para o que nos aguarda, então. – Jimin sorriu ao dizer.

Jungkook acabou acompanhando o sorriso do outro, fazendo com que Jimin achasse muito fofo o sorriso que lhe lembrava um coelhinho.

Ambos não viram, mas a atendente que os fitava estava tirando fotos do momento em que sorriam um pro outro enquanto se olhavam. Na cabeça dela, eram muito fofos e não via a hora de mostrar para as amigas o casal de caras muito bonitos que tinha atendido.


Notas Finais


Acabou por hojeeeee!

Nesse capítulos vocês puderam conhecer a história dos Jikook antes de se conhecerem, gostaram? Espero que sim!

Até o próximo capítulo! Obrigada a quem leu!

AAA Jikook não é um casal muito fofo? Gente adoro esses dois <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...