História Acasos - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Akitoki Houjou, Inuyasha, Kaede, Kagome Higurashi, Kikyou, Miroku, Personagens Originais, Rin, Sango, Sesshoumaru
Tags Drama, Família, Inuyasha, Kagomehig19
Visualizações 59
Palavras 1.178
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Poesias, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oie, vamos para mais um capítulo com fortes emoções.
Boa leitura 😊

Capítulo 20 - Não é Tão Fácil Quanto Parece


Capítulo 20 - Não é Tão Fácil Quanto Parece


Alguns dias se passaram e Kikyou tentou conversar com Inuyasha algumas vezes na esperança de conseguir ver o filho, porém ele estava irredutível. A mulher não vou outra alternativa a não ser fazer o que tinha em mente caso não conseguisse se aproximar amistosamente, por isso contratou um investigador particular para descobrir algumas coisas sobre a rotina do filho.

Pouco mais de uma semana depois, em uma tarde de quinta feira, Kikyou estava decidida, não esperaria a boa vontade de Inuyasha, estava a caminho de seu apartamento e veria Inu bem ou por mal.

"Eu só quero ver como ele está... conhecê-lo pelo menos um pouco." -pensou enquanto apertava o volante de seu carro. "Filho..." - olhou de relance para a fotografia no banco do carona e sorriu.

(...)

No apartamento do pai, Inu estava na sala na companhia de Kagome, pois quinta é um dos dias de sua aula, a professora tinha um livro em mãose ditava alguns problemas para o garoto resolver, o mesmo prestava atenção ouvindo atenciosamente as palavras da professora.

- Deixa eu ver... agora que tirei a média e a variância, só está faltando o desvio padrão... - o menino falava enquanto escrevia.

- Que é igual a... - Kagome falou.

- A raiz quadrada da variância? - olhou para a professora que sorriu.

- Exatamente, pra quem tinha pavor de estatística você aprendeu bem rápido. - disse enquanto fechava o livro.

- Keh, isso não foi nem um pouco dificil para mim. - ergueu o rosto convencido.

- Finalmente está criando juízo, garoto. - Kaede apareceu com um telefone sem fio na mão. - Desculpe interromper a aula, mas tem alguém procurando você, Inu.

- Quem? - perguntou curioso.

- Ela disse que é amiga do Inuyasha, são sócios na empresa.

- E o que ela quer comigo? - perguntou confuso.

- Disse que tem algo importante pra lhe contar. Não faço ideia do que seja mas ela está subindo. - Kaede colocou o telefone no suporte da parede.

- Bom, acho que por hoje chega. - Kagome falou e referindo a aula. - já está no meu horário, é melhor eu ir pra casa.

- Mas já? - Inu reclamou. - porque vai tão cedo? Não pode ficar mais um pouco.

Kagome sorriu sem graça. - bem, é que eu... - sua fala foi interrompida por batidas na porta, Kaede foi atender.

- Com licença, eu gostaria de falar com Inuyasha se ele estiver. - disse Kikyou com um sorriso.

- Ele ainda não chegou, mas você não disse que havia falado com ele antes de vir aqui porque precisava falar com o filho dele? - Kaede perguntou e nesse momento Inu e Kagome apareceram.

- Ah, bem... Realmente eu vim aqui ver o Inu, mas gostaria de falar com os dois. - Kikyou sorriu para o menino mas ficou séria ao encarar Kagome.

"Quem será ela? Será a madrasta dele?"

- Eh... Eu já vou indo. - Kagome disse sem graça. - a gente se vê semana que vem, Inu. - beijou a festa do garoto.

- Poxa, Kagome. - cruzou os braços emburrado. - até semana que vem então...

"Deve ser uma das professoras dele" - pensou Kikyou que já estava sabendo que o filho não frequentava a escola, mas sim assistia aulas em casa. "Mas ele parece gostar muito dela"

- Tchau, Kagome, até terça feira. - Kaede se despediu.

- Tchau senhora Kaede. - Kagome sorriu. - Com licença. - se referiu a Kikyou que estava na porta e a mesma deu passagem a ela.

- Então, moça, quem é você e o que você é para o papai? -Inu perguntou desconfiado, nunca tinha visto aquela mulher mas ela falava como se conhecesse Inuyasha a muito tempo, não estava gostando daquilo.

- Então o Inuyasha nunca falou de mim para você? - perguntou um tanto chateada.

- Como assim, quem é você? - Kaede perguntou antes que Inu falasse alguma coisa.

- Eu queria fazer isto de outra forma mas não tive escolha. Seu pai não colaborou. - colocou a mão nos ombros do menino. - Inu... Eu me chamo Kikyou e... - hesitou por um momento e o abraçou.

- E o que? - perguntou completamente confuso.

- Sou sua mãe! - disse o abraçando com mais força.

- O QUE? - Kaede e Inu disseram ao mesmo tempo.

(...)

Mais uma vez Inuyasha teve um dia estressante no trabalho, estava voltando pra casa mais cedo novamente e estava exausto, como se não bastasse seus afazeres na empresa, ainda tinha Kikyou que insistia em ver o filho. Inuyasha sabia que cedo ou tarde ela conseguiria conhecê-lo, afinal era a mãe biológica dele, porém o prateado ainda não estava preparado para isso, conhecia bem se filho e tinha uma ideia da reação que Inu teria ao conhecer a mãe.

(...)

- Faz tanto tempo que eu queria ver você, filho, eu tenho tantas coisas pra dizer e... - Kikyou foi interrompida pele menino que se afastou de seu abraço de maneira repentina.

- ME SOLTA. - empurrou a mulher e se afastou dando alguns passos pra trás.

- Calma, Inu. - Kaede pediu.

- Filho...

- NÃO ME CHAME ASSIM! - olhou para Kikyou com uma expressão de raiva enquanto apertava os punhos. - O que você está pensando? Como pode aparecer assim do nada e agir como se nada demais estivesse acontecendo? - seus olhos dourados se encheram de lágrimas e o garoto os apertou com força fazendo algumas escorrerem por se rosto.

- Inu... Eu entendo que esteja bravo, mas pelo menos me escute. - Kikyou pediu da maneira mais calma que pôde.

- Escutar o que? Eu passei a minha vida inteira querendo saber sobre você... o papai nunca me contou nada... você nunca deu sinal de vida e agora quer que eu escute você? - seu rosto já se encontrava enxarcado pelas lágrimas.

- Você tem todo direito de estar chateado, mas... por favor... pelo menos me deixe explicar o que aconteceu. - os olhos de Kikyou também ficaram marejados, Kaede cruzou os braços e olhou para a mulher de maneira reprovadora.

- Escute, em primeiro lugar você não devia ter feito isso desta maneira, olha como você deixou o garoto! - a governanta disse revoltada. - Acho melhor você ir embora e outro dia, com mais calma e na presença de Inuyasha vocês discutem esse assunto.

- NÃO! - Inu protestou. - Se está aqui eu quero saber agora. O que aconteceu? Aonde você esteve todo esse tempo? Porque veio me procurar só agora?

Kikyou soltou um longo suspiro antes de abrir a boca para falar. - Eu... - sua fala foi interrompida por alguém que abriu a porta bruscamente, este alguém era Inuyasha.

- Ela nos abandonou! - seus olhos dourados encaravam diretamente os olhos castanhos da mulher, Inu não podia acreditar no que ouvia e as palavras de seu pai soaram muito duras para ele.


Continua...


Notas Finais


É isso, até o próximo 😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...