História Acasos do Amor - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias A Madrasta
Tags Abraça-me, Cersar Evora, Tekil, Victoria Ruffo
Visualizações 7
Palavras 1.390
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Mistério, Policial, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


De volta aqui, beijos e boa leitura!

Capítulo 10 - Um pai, um Rivero!


Ela sorriu mostrando ele com o pai ficando mais enciumado.

FREDERICO - Olá, rapaz, o que faz aqui?- ele disse rude e Inês apertou o braço dele.

CARLOS - Eu vim pedir a sua filha em namoro, senhor Frederico. Eu gosto dela e quero namorar Maria...- ele sorriu estendendo a mão para Frederico.

Inês viu o rosto dele pegar fogo e ele bufou...

FREDERICO -  A minha filha não vai namorar ninguém, ela não tem idade para estar por aí procurando namorado e muito me admira que você tenha coragem de vir até aqui para me dizer uma coisa dessa! Você sabe quem eu sou, garoto?- ele se esticou como se fosse um pavão, era do jeito dele.

A voz de Frederico demonstrava exatamente a raiva que estava sentindo por ver aquele rapaz estar se achando capaz de namorar a sua linda e delicada princesa. Maria era tudo que ele mais amava no mundo, a pessoa mais importante da vida dele. Frederico não ia permitir que ela fizesse qualquer coisa como namorar por aí sem o consentimento dele.

Paralisou sua vontade de meter soco na cara daquele rapaz, tinha o senso protetor de pai que não ia permitir que ele simplesmente pensasse que a filha já tinha se tornado uma moça e em breve seria uma mulher. Isso era mais que um soco na cara dele.

CARLOS- Eu não tenho medo do senhor, pode ter certeza disso. Eu quero mesmo namorar Maria do Carmo e quero fazer isso do jeito correto que é falando com o Senhor para que autoriza o nosso namoro!

Quando Frederico eu ia falar de novo Maria do Carmo interrompeu olhando séria para o pai dando a mão ao namorado.

MARIA- Papai, por favor, não seja grosseiro com Carlos Manuel, ele está falando tudo direito com o senhor, por favor, não se comporte como se fosse um homem das cavernas! Isso não está bom e nem é bonito!

Frederico bufou porque a filha estava certa, mas ele não queria ouvir dela que parecia um homem das cavernas mesmo que ele parecesse com o modo como estava se comportando.

FREDERICO- Não fale desse jeito comigo, minha filha e vamos entrar porque você não vai namorar ninguém nem hoje nem amanhã nem daqui a 10 anos!

MARIA - Pai, não seja grosseiro, convidei Carlos Manuel para ele jantar com a gente, eu não vou deixar que ele vai embora só porque você está tendo um ataque de ciúmes de mim.- foi direta com o pai.

Frederico fechou a cara no mesmo momento, Inês começou a rir porque ela adorou o modo como Maria se comportou e todos entraram em casa com Frederico numa má vontade e mau humor terrível.

Maria deu atenção a Carlos Manuel, as horas passaram, a janta foi servida e quando se sentaram à mesa, Maria logo questionou porque queria saber exatamente o que estava acontecendo ali.

MARIA- A senhora vai ser a esposa do meu pai agora? Estão casados?

Ela perguntou com um lindo sorriso olhando para Inês porque sabia que o pai não estava a fim de conversar com ela e por isso se direcionou aquela linda mulher que ela adorava desde a primeira vez que tinha visto.

INÊS - Eu e seu pai estamos nos acertando, Maria e por enquanto ainda não somos casados mas...

FREDERICO- Inês é minha mulher agora e só não estamos casados no papel, mas vamos resolver isso assim que eu puder ir a capital, minha filha, porque eu não vou ficar com a minha mulher solta por aí.

Foi o que ele disse sem deixar nem ela ter tempo de questionar o que ele estava falando naquele momento. Frederico era um homem ciumento, não ia permitir que depois de estar com Inês de modo tão intenso de repente alguém pudesse estar entre eles. Era um homem vivido demais para deixar passar uma chance de ser feliz como aquela que estava vivendo.

INÊS- Eu quero que isso seja uma coisa boa para você, Maria, porque seu pai me disse que você é a pessoa mais importante da vida dele, eu quero que continue sendo assim.

Maria abriu um lindo sorriso de cumplicidade olhando para ele porque o pai também era a pessoa mais importante da vida dela e depois de virar o rosto dele com aquele sorriso todo cheio de amor, ela foi logo dizendo para implicar com Frederico.

MARIA- Graças a Deus o senhor atendeu as minhas preces porque não aguentava mais ficar sozinha aqui com meu pai e ele é um chato sozinho comigo e agora você pode me ajudar, Inês. Acredito que se meu pai estiver bastante ocupado, ele não vai ficar me vigiando e nem vai ficar falando por aí coisas que não deve, nem ficar naquela droga de boteco bebendo aquela cachaça fedorenta dele.

Todos que estavam na mesa começaram a rir porque o que ela tinha falado era realmente verdade e ele não conseguiu se conter e acabou rindo. O jantar terminou entre sorrisos e alegrias e Maria do Carmo foi namorar na varanda enquanto Frederico ficou na sala sentado com Inês conversando.

Inês segurou a mão dele com carinho e depois trocar um vários beijos de amor enquanto ela se deixava beijar por ele e o beijava também com toda intensidade de seu coração. Maria entrou na sala e começou a rir vendo os dois se beijando e eles pararam. Frederico pediu que ela se sentasse para conversarem sobre o que tinha acontecido mais cedo.

FREDERICO- Por que você não me disse que estava namorando esse rapaz?- Ele foi sincero com ela dando a mão a Inês que colocou sua cabeça no peito de Frederico e ficou esperando para ver como Maria e a reagir aquela conversa.

MARIA- Eu não estava namorando ele, papai, por isso eu não falei nada com você. Não tinha o que dizer estava apenas interessada nele, mas ele nunca tinha demonstrado que tinha interesse em mim e aí a gente se beijou essa semana e eu quis ficar com ele.

Frederico sentiu como se tomasse um soco no estômago, ele amava aquela filha e ver que já sabia o que queria, que era decidida e cheia de amor por alguém, fazia tudo mudar, ele não sabia muito bem se para melhor, mas era assustador.

FREDERICO- E desde quando que você sai por aí beijando meninos? Eu já te disse que você é uma menina ainda, você não tinha que beijar ninguém além do seu pai!

Inês começou a rir e Maria também porque aqui o que ele estava falando era puro ciúme. Era até bonito ver que ficava tao afetado com aquelas questões.

FREDERICO- Um pai é capaz até de passar com o cavalo perto de um cabra desse e dar uma coiçada nele. Dar uma patada dessas que são sem querer porque o animal é arisco!- ele disse de um jeito que parecia planejar sua vingança contra Carlos Manuel.

MARIA- Papai, que horror, não diz uma coisa dessas!!!- ela disse rindo e horrorizada ao mesmo tempo.

INÊS- Frederico, por favor, sua filha já é uma moça, não faz esse tipo de coisa você está parecendo um velho porque não está sabendo lidar com seu ciúme para Maria. Eu acho você um homem tão moderno e inteligente.

Inês interferiu porque sabia que ele ia gostar que ficasse amiga da filha e naquela casa faltava uma presença feminina que fosse o equilíbrio entre a relação que ele tinha com a filha e o modo como ele podia conduzir as coisas.

Frederico a olhou nos olhos com intensão e depois disse de modo direto, não era homem de rodeios.

FREDERICO- Precisa prestar atenção que eu não quero saber desse rapaz com ousadia com você, minha filha! Você é menina e vai continuar menina, eu não quero que ele toque em você como mulher!!!

MARIA- Papai, eu não sou menina... - disse num arranque de revelação para aquele pai que tinha o coração na boca ao terminar de ouvir a frase que ela estava proferindo.

Inês viu a expressão de Frederico ficar vermelha como a de um dinossauro. 

FREDERICO- O que você disse, Maria do Carmo? O que você disse? Você não é mais menina?

O ar faltou e ele pensou que ia ter um troço quando ficou de pé olhando a filha ali em sua frente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...