História Acasos do Destino - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Luna Valente, Miguel, Monica, Simón
Visualizações 30
Palavras 1.643
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Mistério, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura!
Leiam as notas finais

Capítulo 7 - Cap.7


Eu me recomponho
   - Chega de falar Luna, deixa a Karol terminar- eu digo e desvio o olhar de Karol. Isso é normal,  crinças falam coisas assim mesmo. Ta tudo normal.
   - É serio pai,  eu gostei dela, vocês tão soltei..-ela fala e eu a corto,preocupado com a próxima já. Luna está estremamente corada enquanto  anota na sua prancheta. Ela não tem reação. E sua vergolha me faz rir.
   - Chega de perguntas Luna, depois conversamos- eu digo mudando minha expressão para sério. 
   - Ah pai, você ta sendo muito...- eu a corto denovo.
   - Chega Luna!- eu falo firme e ela abaixa a cabeça.
    Eu sou estou constrangido mas quem deve tá pior é Karol, ela parece um pimentão de tão vermelha e vejo Luna se segurando pra não rir.
    - Bom,é eu...volto a noite para..é  dar Alta pra Luna se tudo corre bem-  E ela praticamente corre até a porta escondendo o rosto com o cabelo, e eu tambem me seguro pra não rir. Tinha que ser Luna, pra faze-la passar por isso. 
-Papai, acho que ela ia explodir- Luna fala rindo
Me viro pra ela com minha expressão de bravo.
-Luna Bálsamo, isso não tem graça. Você não pode ficar falando essas coisas, as pessoas ficam constrangidas.
-Mas, só a Tia Karol que ficou assim, a minha professora, deu risada e disse que tinha namorado-eu arregalei os olhos, o que Luna estava fazendo? - a enfermeira de hoje de manhã, disse que você é bonito, e ela gostou de você- ela continuou dizendo eu fiquei mais abismado ainda, isso estava saindo de controle. Minha filha estava mesmo tentando me arrumar uma namorada. 
       Tá okay, ela só é uma criança e eu sabia seus motivos pra fazer isso. Preciso agir com calma.
-Luna, filha você não pode fazer isso, me escuta por favor, assim você vai acabar magoando o papai- eu digo e sei q peguei no seu ponto fraco
- não papai, eu so quero sua felicidade- ela diz
- eu sei meu amor, mas por favor, deixa que o papai cuida disso, ta bom?- eu digo e enfim ela parece ter cedido, o menina difícil, espero que seja assim quando o assunto for namorados também.
- deixa que eu cuido da minha felicidade e da sua também- eu digo e ela concorda
- ta bom papai, mas eu quero palpitar, se eu não gostar da moça você vai me ouvir né? não faz igual o pai da Paula que deu pra ela uma maldastra - ela diz
    Beijo sua testa e ela me abraça.
- Sua felicidade em primeiro lugar, minha Luna. Sempre, prometo.
- Te amo papai- ela diz
- Te amo meu anjo- eu digo a apertando mais em meus braços. Luna era minha vida, parecia mais meu Sol, pois tudo girava em torno dela, sua felicidade sempre seria o mais importante pra mim.

Já era noite e eu confiscava Luna "comendo" enquanto trabalhava pelo tablet em coisas que deixei atrasar nesse tempo. Veja a porta se abrir e Luna entrar com sua prancheta, ela me olha e seu semblante cansado me preocupa, ela parece exausta.
- Eu vim aqui da a alta da Luna e dar as orientações
- Ebaaaa- Luna comemora com um grande sorriso
- Claros- eu me levanto desligando o tablet e indo para perto
- A Luna vai ter acompanhamento de uma nutricionista. Eu já conversei com a daqui do hospital, e a consulta ta marcada para sexta.
- Eu não vou comer brócolis- Luna diz com cara de enburrada
- Luna - Karol se aproxima dela e senta na beira da cama - você vai poder comer o que quiser,  só vai comer do jeito certo, e  qued saber eu também odiava verduras e esaaa coisas, mas depois que eu aprendi um tempero especial, comecei a amar- Luna diz e e seu jeito e falar me encantencanta, ela sabia atiçar a curiosidade

-e o que é? - ela pergunta

- ah, é segredo, vou fazer pra você, se gostar eu revelo 
- ah não vale, eu quero saber - ela diz, e  eu abafo a risada,
-Calma mocinha. Então sua alta ta assinada, você já pode voltar pra casa princesa- Karol diz e ela comemora
- ebbaa, tô com saudades da minhas bonecas- ela diz
-tenho certeza que elas tão com muita saudade de você também-Karol diz- Será que eu posso ganhar um abraço? - karol pergunta e braço abertos a Luna a envolve em uma abraço.
    Karol se despede e sai do quarto. Sua reação depois do abraço de Karol, foi muito estranho. Ela só pegou sua prancheta disse "tô indo" e saiu sem dizer nada, batendo a porta.
- Filha, se troca enquanto o papai vai falar com a Tia Karol- eu digo e saiu atrás de Luna a encontrando no corredor já longe.
- Luna espera - Eu digo e ela se vira, corro até ela.
---------
Eu andava pelo corredor atônica, sem saber o que pensar, aquilo pareceu tão real, era um sentimento que eu nunca tinha tido antes me consumindo.Quando Matteo correu até mim, meu primeiro impulso foi abraça-lo
- Ka, o que houve? Porque você tá assim?- ele pergunta e eu não sei se posso contar. E a filha dele. Ele pode achar que estou louca.
- Eu briguei com meus pais, nada demais- eu minto. Matteo não podia saber disso.
- Oh Ka, sinto muito- ele diz, com olha de pena
- Eu preciso pegar bolsa, pra ir embora, depois nos falamos mais Matteo- eu falo
- Seu turno acabou? Se quiser te levo pra casa? Eu e a Luna já estamos saindo mesmo- ela diz
- não precisar se encomodar Matteo- eu digo
- não é encomodo e eu não aceito não como resposta- ele diz com um sorriso e eu sabia que não ia ter como escapar
- ta bom-eu digo
- vou pegar Luna, te vejo la em fora?
Eu assinto e ele se vira indo em direção ao quarto de volta. Eu tenho que tirar essa loucura da cabeça.
Pego minha bolsa e tiro o jaleco, saindo do consultorio e indo pro elevador.Já la fora depois e 2 minutos vejo Luna correndo pra mim.
- você sabe que não pode correr Luna- Matteo a repreede e para um pouco com a Euforia
- Papai disse que você vai com a gente- ela diz olhando pra mim
- Em vai me dar uma carona até em casa princesa- eu explico- ela te contou que nós éramos amigos quando você era bem pequenininha?- eu pergunto
-perai, deixa eu pensar- ela coloca a dedinho no queixo e fica olhando pra cima
-Tudo pronto, podem entrar-Matteo diz cortando nosso pequeno papo.
   Luna entra senta atrás e matteo abre a porta da frente pra mim, rodeia o carro e senta no banco do motorista e da partida.
   - Papai, você não me contou que você já conhecia a Tia Ka- ouvimos a voz de Luna e damos risada
   - você não me deu tempo- Matteo diz
   - ótimo, podem contar.
Contamos toda a história, tirando as partes triste e o que me deixou pensando por muito tempo, foi na parte que matteo a contou que eu a amamentei
- Então você é quase minha mãe né? - ela pergunta, eu não sabia como responde, pois depois disse eu não falei mais nada,além do endereço de casa
- Ela Dormiu- Matteo diz fazendo eu olhar pra trás e ver Luna dormindo serena no banco e tras
- precisa recuperar as energias- eu digo
- nem me fale, o dia todo, ligada no 220- matteo diz e eu dou risada
Ele estaciona em frente da mansão e vira pra mim.
- Ka, eu sei como deve ser difícil pra você olhar pra Luna, por causa da sua filha
-ele diz e eu assinto
- realmente é- eu digo
- a Luna gostou de você, muito- ele diz e uma lagrima  pelo meu rosto e antes que eu consiga limpar ele o faz
- Eu também gostei dela, e se você permitir, quero estar presente na vida dela - digo
- Claros, ela ia adorar ter outra tia para mimar ela- Matteo diz e rimos
- Sua casa é muito bonita- ele diz, observando a mansão
- e mesmo, mas muito grande, quero um lugar só meu- digo, olhando a também, um lugar tão bonito, cheio de ódio e tristeza
- Então você está procurando uma casa?- matteo pergunta interessado
-não,na verdade um apartamento, não muito grande- eu digo, revelando meus planos
-Eu posso te ajudar com isso- ele diz e eu presto atenção - A construtora acabou de inaugurar um prédio com vários apartamentos, muitos ja forma vendidos, mas sobrou um, e acredito que seja perfeito pra você.
-posso dar um olhada?- pergunto animada
-claros, e o bom e que fica perto do hospital- eu digo
- isso parece perfeito matteo- eu digo com um sorriso
    Matteo abre a carteira e tira de la um cartão de visita. Eu o olho com o slogan da empresa Bálsamo e o viro.
    - Esse é meu número e telefone, me liga e nós marcamos de ver- ele diz e eu levanto uma das sobrancelhas
    - você?, não deveria ser um dos corretores? - Eu pergunto
    - você, é cliente vip, merece tratamento especial- ele diz e da uma piscadela, eu fiquei corada? Tenho certeza que fiquei? Nos estavam flertando?
    - Bom eu vou entrar- eu digo tateando o carro pra abrir e quando o abro dou graças a Deus.
    - Boa noite Ka- ele diz acenando
    - Boa noite - Eu respondo
E ele da partida no carro. Indo embora.
Pelo jeito eu a Matteo nos veriamos muito ainda.
- Aquele era o Matteo, Ka? - ouço a voz e me viro para olhar. E vejo Ambar e Nina  com sorruzinbos 
   


Notas Finais


Estou estudando muito pro vestibular. Então vai demorar pra postar
Mas nao é muito
Obrigada a todos que comentam e acompanham.
Mil beijos, até o próximo ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...