História Acasos do Destino - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Afrodite, Annabeth Chase, Apollo, Ares, Artemis, Atena, Bianca di Angelo, Calipso, Charles "Charlie" Beckendorf, Chris Rodriguez, Clarisse La Rue, Connor Stoll, Dionísio, Frank Zhang, Frederick Chase, Grover Underwood, Hades, Hazel Levesque, Hefesto, Hera (Juno), Hermes, Jason Grace, Katie Gardner, Leo Valdez, Luke Castellan, Malcolm, Miranda Gardiner, Nico di Angelo, Octavian, Percy Jackson, Piper Mclean, Poseidon, Rachel Elizabeth Dare, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Sally Jackson, Silena Beauregard, Thalia Grace, Travis Stoll, Will Solace, Zeus, Zoë Nightshade
Tags Caleo, Jasiper, Percabeth, Solangelo, Thaluke
Visualizações 1.257
Palavras 1.160
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bem, como eu disse aqui está o capítulo.
Espero que gostem
Boa leitura!!

Capítulo 3 - Capítulo 3


Lucy POV

Acordei cedo hoje, afinal estava voltando para NY. Provavelmente eu chegaria na hora do almoço no colégio, mas meu pai já tinha conversado com a escola sobre isso.

Falando em meu pai, ele acabou me dando a missão de apresentar NY para Justin - que é basicamente um garoto que eu não sei nada e que é filho de uma amiga da minha mãe. Mas tudo bem. Super normal, não é?

Ah, o que eu estou dizendo. Não é como se minha vida fosse normal, de qualquer forma. Se fosse, eu estaria em um avião em direção de NY ao invés de um jatinho particular do meu tio, com a desculpa esfarrapada que eu ficaria mais segura assim.

Acabo deixando um suspiro escapar de meus lábios enquanto olhava pela janela do avião. Eu apenas queria... Não sei o que eu queria, apenas estava me sentindo entediada, já que não estava com muito sono.

Viro o rosto e percebo que Justin está batucando os dedos sobre o banco da poltrona, parecendo um pouco nervoso

- O que foi? – pergunto franzindo as sobrancelhas.

Justin piscou os olhos duas vezes, parecendo um pouco confuso. Seus olhos se forçaram em mim e ele pareceu constrangido.

- Estou ansioso, eu acho. Quer dizer,  nunca morei sozinho e não  conheço ninguém em  NY. – diz brincando com os próprios dedos em um ato claro de nervosismo.

- Não se preocupe tanto com isso. Sei que deve ser difícil ir morar em um lugar onde você não conhece nada. – digo em tom compreensivo. – Mas, saiba, que não está sozinho. Pode contar comigo, apenas não abra a boca sobre a minha família que ficará tudo bem. – brinco fazendo ele rir.

- Eu sei. Minha mãe falou algo sobre vocês não gostarem da fama que seus pais têm. – comenta agora com um sorriso mínimo.

Sorrio de volta.

- Só não gosto de chamar a atenção. Acho que a vida é minha, por isso odeio as pessoas tentando saber tudo sobre ela. – digo sincera.

- Também não gosto, por isso convenci minha mãe a me mudar. Odeio como não tenho privacidade para fazer nada. – diz com um suspiro o que faz sorrir pra ele.

Acabo percebendo que nossas histórias tinham muitas coisas parecidas, principalmente sobre os holofotes que nossos pais traziam pra gente. No entanto, também tínhamos muitas coisas diferentes.

Pelo o que ele me disse, sua família era basicamente sua mãe. Ele não tinha quase amigos em Londres e sua vida se resumia em estudar e tentar fugir dos repórteres, o que era quase o oposto de mim. Quer dizer, também tinha os repórteres atrás de toda a minha família, mas eu sempre tive muitas pessoas ao meu lado. Meus primos, meus pais, meus tios, meu irmão... Todos sempre me apoiando. Acho que Justin não sabia o que era ter uma família grande.

Ainda sim, ele era simpático e gentil. Justin não se achava melhor que os outros ou mais importante por causa da fama, na verdade, isso apenas parecia deixá-lo mais humilde, o que eu achei muito legal. E, claro, eu não era cega. Justin era muito bonito, principalmente como seus olhos castanhos pareciam meio avermelhados conforme a luz. Ele me trazia uma sensação boa.

Quando o jatinho pousou, ele estava dormindo na poltrona com um biquinho nos lábios. Acabei sorrindo com a visão, já que era tão fofa a expressão em seu rosto. Acaricio seus cabelos e chamo seu nome baixinho.

- Justin, acorda. – murmuro perto dele. – Já chegamos.

Aos poucos, ele abre os olhos. Por um momento ele apenas parece confuso, depois ele fica meio vermelho e eu me dou conta que meus dedos ainda estão em seus cabelos.

- Desculpa. – digo constrangida.

- Não tem problema. – responde de imediato. – É bom.

Sorrio um pouquinho, sentindo minhas bochechas corarem de vergonha.

O que estava acontecendo comigo?

- Meu irmão diz a mesma coisa. – digo tentando deixar a vergonha de lado.

Ele apenas assente.

- Bem, pronto para conhecer NY?

***

Ao chegarmos no colégio, ainda não tinha batido o sinal para o almoço, por isso deu tempo de eu mostrar o colégio para Justin. Ele pareceu muito curioso com tudo e eu prometi a ele que depois explicava melhor sobre tudo, já que depois de um tempo o sinal tocou.

Justin me acompanhou até o refeitório e tenho que admitir que ele era bem legal. Seu jeito meio descontraído e ao mesmo tempo doce era um tanto fofo, além que ele parecia despertar alguma coisa em mim.

Deixo isso de lado ao ver que meus amigos estavam sentados na mesa de sempre. Jason estava virado de costas pra mim, por isso me aproximei devagar e colei minha boca ao seu ouvido.

- Oi priminho. – sussurro.

Demora apenas dois segundos para ele ter uma reação. Primeiro se arrepia, depois vira o rosto e arregala os olhos.

- Lucy! – exclama daquele jeito entusiasmado dele que é raro.

Ele se levanta e me puxa para seus braços, fazendo-me rir alto quando ele me gira pelo refeitório. Escondo meu rosto em seus pescoço.

- Também senti sua falta. – digo rindo.

Jason me solta e logo tem outra pessoa me abraçando, que reconheço pelo cheiro por ser meu irmão. Percy me segura forte em seus braços e em seguida me tira do chão, afundando o rosto em meu pescoço.

- Podia ter me avisado que estava voltando. Teria ido te buscar. – sussurra. – Senti sua falta.

- Também senti, maninho. – digo de volta com um sorriso. Ele se separa um pouco de mim. –, e não disse nada porque era surpresa.

Separo-me por completo de meu irmão e deixo um beijo em sua bochecha, fazendo o mesmo sorrir pra mim. Aceno para todo mundo e abraço algumas outras, até que paro de frente para meu primo e faço uma cara de brava.

- Não ganho um abraço, não? – pergunto em tom falsamente magoado.

Nico apenas revira os olhos e se levanta, abraçando-me com força em seguida.

- Você faz falta. – diz baixinho antes de se soltar de mim e se sentar de novo.

Sorrio com isso e começo a observar as pessoas na mesa. Vejo que tem uma garota evitando olhar pra mim, como se estivesse constrangida por causa de alguma coisa. Olho para os outros e percebo que Jason está olhando de canto para essa mesma garota, seu rosto meio vermelho.

Oh, aquilo era sério?

Encaro Percy e percebo ele balançar a cabeça devagar, como se dissesse que ele estava a fim dela. Posso quase ouvir suas palavras em minha cabeça quando ele sorri de lado.

"Ele está corando!"

Nego com a cabeça.

- Então, Jay, meu amado primo, como foi seu dia? – digo enfatizando as palavras.

Jason me encara com o rosto vermelho e revira os olhos, parecendo entender que eu já saquei as coisas.

- Bem, quem é o garoto com você? – pergunta mudando de assunto.

Posso quase ver que ele está prestes a fazer um biquinho manhoso. Controlo-me para não rir.

- Bem, pessoal, esse é o Justin. Meu novo amigo vindo de Londres. – digo apresentando o garoto ao meu lado.

Troco olhares com meus primos e todos parecem entender o que eu quis dizer com isso. 


Notas Finais


Bem, é isso.
Não tenho previsões para os próximos capítulos, então até qualquer dia.
Prometo tentar não demorar.
Beijos da Autora!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...