História Acasos por acaso - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Doce Vingança (I Spit on Your Grave)
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Romance, Suspense
Visualizações 15
Palavras 793
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Suspense
Avisos: Estupro, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura, seres humaninho.

Capítulo 6 - Sustos


      Guilherme desvia o carro a tempo de acontecer uma tragédia. Meu coração esta a mil por hora, muitas coisas em um só  dia, muitos sustos, medos. Ele para o carro e respira ofegante.


     – Você está bem? - Ele pergunta me olhando de cima a baixo. 

    – Sim... Estou. - Falo ofegante. 

    

     Ele retorna a ligar o carro, começa a dirigir. Ainda estou me recuperando do susto. Se eu não tivesse avisado... Ele para em frente a um hospital. 


      – Por que estamos no hospital? - Pergunto confusa.

     – Para ver oque aconteceu com o seu tornozelo, isso não pode continuar assim. - Ele fala abrindo a porta e me ajudando a descer. 

     – Já falei que estou bem. Só está perdendo seu tempo. - Falo revirando os olhos. Eu tento andar sozinha, mas caio, Guilherme me segura antes que eu caísse.

    – Como se você fosse uma perda de tempo! - Ele fala olhando em meus olhos.

   

  

     Entramos no hospital e fomos até a recepção. A recepcionista informa que teremos que aguardar alguns minutos, pois o doutor deu uma pausa e chega daqui 5 minutos. 

    Sentamos no banco, o silêncio tomou conta de nós.


    – Você vai se sair bem como Bella, tenho certeza. Leva jeito para o papel. - Ele diz quebrando o gelo.

    – Obrigada, mas não acho. - Falo sorrindo.

   – Conheci uma garota muito especial nesses últimos dias, acho que acabei me apaixonando por ela. - Guilherme fala receoso.

   – Sério?! - Pergunto animada.

   – Sim. - Ele fala em um meio sorriso.

   – Qual é o nome dela? - Pergunto curiosa.

    – Você não a conhece. - ele responde sorrindo. – Além do mais, ela gosta de outra pessoa.

 

 

 

   Fomos interrompidos pelo painel chamando meu nome, entro na sala de raio-x. O Dr. Paul, não disse nada por incrível que pareça. Só torci o pé.

     

[ ... ]



    – Obrigada! - falo após ele me ajudar a entrar novamente no banco.

    – Bom onde nós paramos? - Ele pergunta ligando o carro. 

    – Na parte do outra pessoa. - Respondo colocando o sinto de segurança.

   – Sim, então... Esse homem... Eles vivem juntos e parece que ela gosta dele. Mas para mim, só a amizade dela basta. - Ele diz parando no sinal vermelho e olhando para mim. Eu também o olhava. 

   – Talvez você esteja se enganando, talvez ela só fique com ele porque estão fazendo algo juntos. - Respondo, veio na minha cabeça e eu falei. 

   


     Chegamos na minha casa. 


    – Entregue sã e salva! - Ele diz rindo, eu dou risada também. 

   – Obrigada. - Eu abro a porta do carro e ele rapidamente sai e me ajuda a andar ate a porta. 

    – Tem certeza que está bem? - Ele pergunta. – Amanhã é o primeiro dia de filmagem e...

   – Sim, amanhã estarei bem melhor. - Falo olhando em seus olhos e sorrindo.  

 


    Ele ainda está me segurando, ele me puxa até eu ficar praticamente colada nele. Eu olho para porta, meu rosto esta vermelho, parecendo um tomate. Ele vira meu rosto fazendo eu olhar para ele, eu olho. 


    – Guilherme... - Eu falo ainda o olhando. 

    – Shiiiiii. - Ele diz colocando o dedo indicador em meus lábios.

  


      Ele abaixa um pouco a cabeça e finalmente me beija, foi um beijo doce, com paixão, mas também contia perigo, dor... Achei melhor esquecer tudo e aproveitar esse momento. 

     Fomos interrompidos por Manu que abre a porta, fazendo nossas bocas se separarem. Ela faz um som de reprodução e fala:


    – Pode deixar ela comigo. Obrigada! - Manu diz friamente me ajudando a entrar.

    – Tchau Laura, te vejo amanhã. - Ele diz se afastando e sorrindo.

    – Tchau, ate ama... - Antes que eu pudesse completar Manuela fecha a porta na cara dele. 

   – Qual é o seu problema? - Eu pergunto erguendo uma sombrancelha.

  – Qual é o meu problema?! Você que sumiu o dia inteiro! Não atentendeu o celular! E ainda chega 1:30 da manhã, com um cara que você acabou de conhecer! E você ainda pergunta qual é o meu problema?! - A voz de Manuela estava bem alterada, eu sento no sofá e ela continua em pé.

   – Você não é a minha irmã e muito menos a minha mãe, para ficar me dando ordens! Eu saio e chego a hora que eu quiser. - Falo me alterando também.

   – Tem razão, não sou! Mas eu sou a sua amiga e me preocupo com você. Laura, eu passei o dia inteiro procurando por você, te ligando, te mandando mensagem e você chega 1:30 com um estranho e o tornozelo machucado! - Ela diz colocando a mão na cabeça e andando de um lado pro outro.

   – Quer saber, eu não vou ficar discutindo contigo, eu vou dormir, porque amanhã começam as filmagens. - Falo irritada.


   Suzana me ajuda a ir ate meu quarto e lá eu tomo banho e deito.


[ ... ]

  


Notas Finais


Meu coração, não acredito que ele a beijou. Eles mal se conhecemmmm.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...