História Acceptance. - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Taehyung (V), Personagens Originais
Tags Bangtan, Bts, Tae, Taehyung
Visualizações 146
Palavras 2.148
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Saga
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


BOM DIA, BOA TARDE E BOA NOITE.

como eu estou MUITO MUITO FELIZ, pois hoje saiu JINTRO mds vão logo dar view!

Hoje tem atualização desse couple Taevy e com direito a capa nova! O que acharam dela?


NOTA FINAIS LEIAM!

Capítulo 13 - De novo.


POV TAE

 

Agora entendo a ansiedade que os hyungs ficavam quando estavam voltando para casa, ter um tempo, poder dormir abraçadinho.

- Fiquei sabendo de um restaurante ótimo que elas vão sempre. Podíamos tentar fechar lá e irmos todos, que tal?

- Ah, acho que sei qual é, Mari falou bem da comida de lá.

De repente fico atento ao assunto, restaurante? Não seria possível que eles estivessem falando sobre o mesmo que eu estou pensando, onde tem um dono muito atirado.

- Qual o tipo da comida, hyung? – Pergunto sorrindo, Namjoon me encara.

- Taiwanesa acho. Algo assim.

- Deveriam mesmo ir lá. Tomás é bem simpático.

Meu sorriso maldoso deve estar bem obvio já que de repente até Hobi e Yoongi hyung estão me olhando atentos.

- Tomás? – A sobrancelha de Yoongi está levantada.

- É, o dono do lugar, ele adora as meninas, as chama pelo nome, beija a mão, é lindo de ver.

- E como você sabe de tudo isso?

- Eu fui lá com a noona Evy.

Sei que esse assunto poderia me causar problemas, mas nesse momento eles estão me ignorando, só querem saber do tal Tomás. Claro que conto com detalhes a minha experiência adorável no local, e como Evelyn parecia sorrir mais que uma criança que recebeu seu presente de natal e aniversário.

- Então elas vão todos os dias, e são bem atendidas. – O tom de Nam hyung é bem obvio.

- Atendidas docemente. Ele sabe até o prato predileto delas.

- Hum, Camila nem gosta de pessoas tocando nela.

- Tomás parece ser uma exceção.

Não queria nada demais, só que todos os meus hyungs aparecessem lá e o tal Tomás visse que ele está encrencado.

- Mas não arranjem briga, sim? Ele é bem forte, acho que malha, tem mais músculos que o nosso Gukkie.

Meu capetinha interior sorri satisfeito quando todos eles parecem estar digitando algo. Que comece a minha vingança.

- Deveríamos ir sem elas.

- Sim, conhecer o local apenas.

- Sejin, hyung, temos tempo para uma parada?

Começo a rir abertamente, entrego o endereço do local, vamos todos conhecer o Tomás.

Quando chegamos somos bem atendidos, vejo de longe o gigante musculoso, nos sentamos todos juntos e fazemos os pedidos, o cara não se aproxima de nossa mesa, ué, ele não é bem atencioso? Acho que me reconhece, pois finalmente se aproxima.

- Vejo que gostou da comida. – Sorrio falsamente. – A Evy não veio hoje?

- Ah, não, ela ia sair com as amigas.

- As meninas? Faz alguns dias que não aparecem, diga a elas que estamos esperando o retorno e temos um prato novo sim?

E ele sai andando, nem sequer se tocou que os outros seis estavam ali, eles me encaram e se encaram.

- Quem quer tirar uma foto?

 

                POV EVY

As meninas me chamaram para almoçar no restaurante da Mari hoje, chego lá e as vejo de longe, meu celular vibra. Um tweet dos meninos, sorrio abrindo a foto, e congelo no meio do caminho.

- Eles foram lá? Como? – Joa fica dando zoom na foto.

- Taehyung deve ter levado eles.

- Meu Deus, espero que ele tenha ficado quieto.

- Acho que não.

- Por que?

- Você não leu a legenda? “Tomás é tão simpático.”

- Estamos ferradas. – Começamos a rir.

Eu tenho certeza que isso tem dedo, mão, tudo de Taehyung, e como prova recebo uma foto dele, no fundo é possível ver Tomás.

“Seu amigo perguntou de vocês, tão atencioso.”

- Fodeu. – Mostro a foto para elas.

- Bom, Namjoon com ciúmes sempre acaba em bom sexo.

- Yoongi não é legal bravo.

- Hobi é venenoso, melhor nem ver ele hoje.

E agora, quatro mulheres adultas estão tensas sem saber o que fazer com os namorados e noivos que parecem bem enciumados. Digo quatro porque eu acho que já resolvi esse assunto, se bem que Taehyung é meio influenciável, será que ele e os meninos ficaram falando sobre nosso jantar? Deus me ajude, ele bravo é fofo, mas é tão difícil falar com ele quando ele está sendo sarcástico o tempo todo.

Durante todo o almoço conversamos e acabamos voltando para o mesmo assunto, estamos rindo de como somos ridículas, eram apenas almoços em um lugar que gostamos, bem ligávamos para os braços fortes do dono do local, digo. Meu Deus, estamos ferradas.

 

Quando chego em casa já são cinco da tarde, passamos fazer algumas compras e depois em uma sorveteria, era necessário um dia entre meninas, me sinto tão aliviada, entro em casa cantarolando.

Tem alguém na porta, claramente acho que é Taehyung, mas me arrependo de abri-la assim que encontro o embuste parado ali.

- Olá. – Está fedendo bebida, as coisas começam a voltar.

- Vá embora.

- Quero falar com você. – Força a porta e eu a solto, corro para dentro procurando algo. – Vamos somente conversar, Evy. Venha aqui.

Tropeça pelo ambiente, começo a tremer, preciso me defender, preciso me defender.

- Achei você. Sabe, minha namorada diz que tenho falado muito sobre você.

- Problema seu. – O tremor em minha voz faz ele sorrir.

- Ela quer me deixar, diz que sou agressivo quando bebo. Mas eu acho que você andou falando com ela?

Ele só pode estar brincando, eu nem mesmo cheguei perto dela, como poderia falar algo para ela?

- Andou se metendo em minha vida? – Ele empurra o sofá, tropeço e quase caio.

- Vá embora, eu nunca falei com ela. Vou chamar a polícia!

- Está tentando destruir minha vida? – Está mudando, posso ver seus olhos ficando escuros. – Quer se meter comigo, Evelyn?

Acuada ele me encara, o soco ao lado do meu rosto faz a parede de Drywall ecoar.  A respiração acelerada, a tontura, fecho os olhos, é um pesadelo, vou acordar, vou acordar.

 

POV TAE

 

Não espero muito para ir até ela, estou ansioso e bem feliz, ver ela e beija-la, gosto de ser um namorado, por muito tempo fiquei pensando se seria um bom namorado, e se minha namorada gostaria de como sou, posso pensar muito as vezes, mas sinceramente fico animado com tudo isso, Evy parece me amar exatamente como sou, mas tenho ciência que algumas coisas devem ser mudadas, minha forma impulsiva, e meu jeito mimado, as vezes são demais da conta.

Sorrindo feito um bobo eu toco a campainha diversas vezes, ela vai me xingar quando abrir a porta, então vou beijar ela enquanto ela fala, gosto disso, de surpreender ela, e depois correr enquanto ela tenta me acertar.

- Ah, oi. – Todo meu bom humor se esvai, ela estava chorando?

- Tudo bem? Aconteceu alguma coisa?

- Não, estou bem. Entre.

Passo pela porta e ela me leva direto para cima, estranho, esse horário ela costuma trabalhar, sigo ela em silêncio, suas mãos estão tremendo, e seu corpo parece querer cair.

- Noona, você está me assustando.

Quando toco em seu ombro ela se encolhe, vira-se para mim e tenta sorrir.

- Desculpe, assustei você com a campainha?

- Que? – Tão avoada, procuro pelo quarto, será que ela ficou doente? – Não, eu estou bem, Taehyung, já disse. – Ok, talvez seja somente mau humor, me sento na cama e fico em silêncio.

Ela anda de um lado para o outro, troca de roupa, fica de pijama, some e volta, parece estar tentando não me encarar. Será que quer terminar comigo? O DH hyung voltou para a jogada? Tantos dias assim, eu não deveria ter deixado ela sozinha, bom, não é como se eu pudesse forçar ela ficar comigo.

- Noona, você está me assustando.

Levanto e ando até ela, a abraço por trás, quero tentar, não quero que ela diga adeus sem eu tentar mostrar que quero ficar. Mas assim que a abraço seu corpo fica congelado, suas mãos prender as minhas e ela me empurra gritando, os olhos vidrados.

- NÃO ME TOQUE, VOCÊ NÃO PODE ME TOCAR QUANDO QUER!

Fico assustado com o grito, ela fica até rouca, me afasto com as mãos levantadas, não sei o que está acontecendo, mas é sério.

- Noona, desculpe, sim? Não quis tocar em você.

- Taehyung? Me ajude.

Corro antes que ela caia, ela já é pequena, mas agora parece ainda menor, chora em silêncio, mas é possível sentir seu corpo balançando, não sei o que fazer, me sento no chão e puxo ela para o meu colo, beijo sua testa e começo a cantar para ela. Aos poucos ela se acalma, se deita e me olha.

- Desculpe, machuquei você?

- Você é tão pequena, iria me machucar como?

- Idiota. – Ela ri e me bate de leve.

- O que houve? – Ela desvia o olhar.

- Eu... bom, nada.

- Evelyn.

- Eu quase fui assaltada ontem.

- Que? Como assim?

Me sento e começo a olhar o corpo todo dela, não vejo machucados, um arranhão no braço, mas tudo parece bem.

- Foi até a polícia?

- Fui, está tudo bem, bom achei que estava, pelo jeito esperei você chegar para surtar. Desculpe, sim?

- Devia ter me ligado, ter me contado, meu Deus, noona.

- Só fique comigo aqui, sim. Vai passar.

Não é preciso ela me pedir isso, claro que não sairei do lado dela hoje, enquanto ela dorme fico acordado olhando para ela, aliso seu rosto, tão fofa, nem posso imaginar passando por isso sozinha. Merda, esse mundo não está seguro mesmo.

Pego no sono e acordo abraçado a ela, parece um bonequinho de pelúcia, está imóvel e as mãos seguram o meu braço, não quero me mexer para não acorda-la.

- Eu já estou acordada, só não quero sair daqui. – Rio beijo, mordo sua bochecha.

- Eu também não, então vamos fingir que estamos dormindo.

- Concordo com isso. – Minha barriga traidora ronca de fome. Ela começa a gargalhar, me sinto melhor assim, não quero ver ela como ontem. – Acho melhor alimentar o monstro.

Nos levantamos, e mesmo com meus surtos de mimo, ela sai da cama, a sigo arrastando o pé. Ela prepara um café da manhã típico, quase rasgo o rosto sorrindo, não havia percebido que estava com fome e ter comida caseira é um paraíso.

- Não coma até o final da oração. – Ela para me olhando, eu com a colher próximo a boca. – Estou brincando, vamos comer.

- Noona, que malvada. – Falo enquanto mastigo. - Hum, que delícia.

- Isso, fique bem pançudinho, só meu.

- Então você tem um plano. Não se preocupe, irei comer até meu rosto ficar redondinho, obrigado, ahjumma.

- Taehyung. – Ela me avisa.

- Ah, desculpe. Você tem um bom ouvido para sua idade.

- KIM TAEHYUNG!

Começa a gargalhar, e eu fico sorrindo e enchendo a boca de comida. Um bom começo de dia ao meu ver.

 

Estou em casa para a reunião mensal, precisamos fazer uma sempre, para saber se algum membro tem alguma reclamação, ou algum problema, não é nenhuma obrigação, mas todos nós gostamos muito. Pedimos pizza, jogamos um pouco e depois começamos a reunião, como sempre as únicas reclamações são sobre necessidade de ensaios e etc, todos nós somos muito exigentes quanto ao nosso trabalho, depois de tudo resolvido os mais velhos partem para a casa das meninas, ficamos eu, Jimin e Jungkook jogando e conversando.

- Queria sair também. – Jimin reclama puxando meu mangá.

- Saia, ligue para o Taemin. – Pego de volta, Jungkook me chama avisando que é minha vez.

- Queria sair com vocês, Jungkook é quase impossível agora, me ajude a convencê-lo.

Olho para trás olhando Jungkook ignorar seu hyung e começar a ler o mangá, Jimin não deixa barato e faz cocegas na gigante criança, que logo depois ataca de volta.

- Você me parece meio sensível demais hoje.

- Só quero ter vida! – Jimin se senta fazendo bico e cruzando os braços.

- Aigo, tudo bem, vamos fazer algo amanhã, sim?

- Eu te amo, já disse isso?

- Podemos fazer algumas fotos com a Evy. Uma sessão particular dos maknaes.

- Fotos? Estou dentro. – Jungkook agora para de nos ignorar. – Será que ela me deixa usar aquela câmera maneira dela?

- Seu interesseiro! – Jogo um travesseiro nele.

Logo começamos uma guerra de travesseiros, depois de toda zona eu mando uma mensagem para ela perguntando se ela teria um tempo, ela logo confirma e nos convida para irmos em um local que ela estará fotografando externamente, pego o endereço e volto para avisar os meninos, realmente preciso de um tempo com eles.

- Não vá dar com a língua nos dentes. – Aviso Jimin que sorri maroto. – Park Jimin.

- Ok, ok. Eu vou ficar quieto, mas você sabe que é impossível não perceber vocês dois.

- Isso deixa comigo. Mantenha a boca de pato fechada.

Recebo uma travesseirada na cabeça, e lá vamos nós para outra guerra, Jungkook entra correndo, joga os salgadinhos no chão e entra me atacando. Crianças...


Notas Finais


Primeiro: VIEW EM 'Epiphany'

Segundo: minha felicidade é tanta, mas tanta, que olha quem eu lancei a sinopse e topico ' LOST STARS '

https://www.spiritfanfiction.com/historia/lost-stars-13926425

Terceiro e ultimo: VIEW NA JINTRO PORRAAA!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...