1. Spirit Fanfics >
  2. Aceite meus sentimentos. >
  3. Capítulo Único.

História Aceite meus sentimentos. - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, oi. Tô aqui de volta nessa one shot (em vez de escrever as fanfics pendentes), tá foda, mas é isso aí.
Esse é o primeiro hentai que eu escrevo e eu tô bem insegura :p achei bem ruinzinho, mas a prática que leva a perfeição, certo?
Eu espero que gostem.

Capítulo 1 - Capítulo Único.


Fanfic / Fanfiction Aceite meus sentimentos. - Capítulo 1 - Capítulo Único.

Lucy estava sentada em frente à escrivaninha do seu quarto com um lápis na mão e uma folha em branco abaixo de si. Ela se encontrava extremamente corada, pois o que iria fazer não era algo de seu feitio. 

Estava sem ideia alguma do que colocar naquele papel, mas então lembrou do motivo de estar ali escrevendo.

*Flashback

- Ohayo, Lu-chan! - Levy se senta ao lado de Lucy em uma das mesas da guilda. - O que está olhando? - Levy vira seu rosto para a mesma direção que Lucy e então entende. - Ah... ele de novo? - Lucy suspira e vira seu rosto que se encontrava com uma expressão melancólica.

- Ai, Levy-chan... não sei como aquele bobo infantil consegue fazer isso comigo. E também não sei o porquê de ainda mantenho alguma esperança de que ele olhe para mim. Ele gosta da Lisanna. Está tão claro com o água. - Lucy vira seu rosto novamente para onde Natsu se encontrava conversando alegremente com a Lisanna.

- Não pense assim, Lu-chan. Talvez seja só amizade. - Lucy nega com a cabeça. - Se você não ficasse tanto tempo reparando na relação que ele possui com Lisanna perceberia o que há entre vocês. Estão sempre grudados e eu não vejo Natsu tão feliz como quando está com você com ninguém. Nem mesmo com Lisanna. - A garota se vira corada e com um brilho de esperança em seus olhos.

- A-acha mesmo isso, Levy-chan?! - Lucy se demonstrava um pouco eufórica.

- Com toda certeza, Lu-chan! - Levy faz um joinha fazendo Lucy rir. - Mas vamos logo mudar de assunto, pois o seu amado vem aí. - Ela sussurra a última parte sabendo que teria risco de Natsu ouvir, afinal, a audição do Dragon Slayer era impecável.

~♡~

Depois do que Levy disse, Lucy realmente acreditou na possibilidade de seus sentimentos serem aceitos e retribuídos, então não tardou a ir escrever uma carta, uma carta onde estariam escritos todos os seus sentimentos.

De repente a inspiração surge e Lucy começa a escrever. Caprichava em cada palavra, queria que saísse perfeito. Enquanto ia colocando seus sentimentos por escrito, em sua cabeça passava flashes de Natsu. Os motivos pelo qual havia se apaixonado. Seu sorriso, seu companheirismo, como ele demonstrava sua amizade por todos da guilda e principalmente por ele estar ali por ela, sempre a ajudando.
Com isso, logo concluiu a carta. A carta que possuia escrito seus sentimentos mais profundos. Ela a colocou em um envelope com o nome de Natsu e a lacrou assim colocando dentro de sua gaveta. Estava decidida. Correspondida ou não, amanhã entregaria isso ao rosado.

Como já estava tarde, Lucy se deita ansiando o dia seguinte.

[...]

Eram cerca de 5 da manhã quando a loira acorda. Não conseguiu dormir direito a noite toda devido a ansiedade. Isso estava corroendo ela. Assim que vê o horário, resolve se levantar e tomar um banho.

Assim que termina estranha Natsu não ter aparecido por lá hoje. Mas assim seria melhor.

Ela pega a carta em sua gaveta, dando-lhe um beijo e a apertando sobre seu peito. Saiu de casa nervosa e seu rosto já se encontrava totalmente vermelho, poderia até causar inveja aos cabelos de Erza.

Quando chega à guilda vê Natsu e Happy em frente ao quadro de missões juntamente com Lisanna. Assim que Natsu sente o cheiro de Lucy se vira sorrindo. O sorriso mais belo de todos para Lucy. Ele vem correndo em sua direção.

- Oe, Luce! Hoje iremos fazer uma missão com a Lisanna. Tudo bem para você? - Lucy se encontrava meio sem jeito, não sabia como dizer que não iria a essa missão, e dependendo do efeito de sua carta, em mais nenhuma. Foi então que isso finalmente passou por sua cabeça. Se Natsu viesse a ler aquilo, provavelmente não conseguiria mais fazer missões ao seu lado. Então de última hora, fraquejou e colocou a carta atrás de seu corpo. Seus olhos lacrimejaram por esconder o que tanto lhe custou a deixar a covardia de lado e finalmente revelar.

- Ah... hoje eu não vou, Natsu. Não me sinto muito bem, e-então vou para casa. - Sai jogando a carta em uma lixeira ali perto.

Natsu não estava entendendo nada, estava prestes a correr para ir atrás dela quando seus olhos passam de relance pelo lixeiro ali e vê seu nome.

- Pra mim? Huh... - Natsu então pega a carta dentro do lixo e começa a ler.

[...]

- Ahhhh! Como eu posso ter pensado em fazer isso? Era tão óbvio que não iria conseguir. Só me causou constrangimento e eu quase chorar na frente dele. - Lucy agora estava em sua cama e chorava sem parar. Se sentia péssima, tanto por desistir de sua declaração o que foi um tanto quanto difícil para ela resolver fazer, quanto por Natsu estar indo fazendo uma missão com Lisanna. Se sentia péssima por estar não conseguir se sentir bem por Lisanna nesse momento, pois ela aparentava gostar tanto do rosado, e mesmo não sendo tão próximas, elas ainda eram amigas.
Pensando assim ela logo dormiu em meio aos seus soluços.

[...]

Quando acorda percebe que já estava de noite. Havia dormido tanto assim? Se levanta e se assusta ao ver Natsu parado ao seu lado na cama com uma expressão séria. Logo seu olhar desce para suas mãos e vê sua carta. Começa a suar frio e fica totalmente vermelha.

- N-Natsu... o que você... o que você está fazendo com isso? Não era pra... Ahhh!! Não era pra você ver isso. - Lucy começa a chorar.

- Então o que tem aqui é mentira? - Natsu finalmente se pronuncia. Lucy percebendo que não havia mais o que fazer levanta a cabeça e em um sussurro diz:

- N-não, Natsu... não é... - Logo abaixa a cabeça novamente e esconde seu rosto entre suas mãos. Natsu não se movia, não fazia absolutamente nada, o que fez qualquer esperança de ser retribuída desaparecer. Logo ela começa a chorar, chorava alto e aos soluços. - D-desculpa... eu não pude evitar me apaixonar por você... agora eis me aqui, estragando a nossa amizade. - Lucy se sente sendo envolvida por braços fortes e levanta seu rosto vendo Natsu sorrir como bobo.

- Você não sabe o quanto eu sonhei com isso. Em saber que você gosta de mim como gosto de você. - Nesse momento Lucy fica totalmente surpresa, o garoto a qual ela amou tanto tempo em segredo estava ali dizendo que também gostava dela.

- V-Você gosta de mim? - Pergunta em um fio de voz.

- Não, Lucy. - Ele diz sério. - Eu amo você. - O coração de Lucy parecia uma fanfarra. Batia extremamente forte. Logo sente o abraço ser quebrado e por algum tempo se sentiu vazia. - Levante a cabeça. - Lucy lentamente atende ao pedido e assim que olha para ele, o vê ajoelhado a sua frente com uma rosa em mãos. - Lucy Heartfilia, aceite meus sentimentos. Aceite-os e seja minha namorada. - Naquele momento Lucy já não fazia questão de esconder seu sorriso. Então vocifera em alto e bom som um "sim" pulando sobre o rosado.

Natsu segura o rosto de Lucy e fica a encarando e seu olhar desce para seus lábios. Como se esperasse o consentimento de Lucy ele olha em seus olhos e a vê assentir, então, ele toma seus lábios. Quando se tocam um choque percorre seus corpos. Lucy coloca seus braços em volta do pescoço de Natsu e o mesmo tira suas mãos do rosto de sua amada e coloca elas em sua cintura. Depois de um tempo assim, se separam por falta de ar e ficam se encarando. Natsu sorri e logo volta a beijar Lucy. Dessa vez ele decide ser mais ousado e pede passagem com a língua que logo a garota concede. Suas línguas lutavam por espaço na boca do outro. Novamente a maldito ar começa a fazer falta e eles se separam. Natsu começa a beijar o seu pescoço e passar a língua por toda a extensão. Lucy por sua vez joga a cabeça para trás para que ele tivesse total proveito de seu pescoço. Natsu deita Lucy em sua cama e fica por cima. Mas logo para ao notar o que estava fazendo.

- Vamos continuar... eu quero. - Ela diz baixo e corada. O garoto sorri de canto e logo tira sua blusa. Lucy vendo seu abdômen se sente tentada a lhe tocar e assim faz. Começa a deslizar sua unha por toda sua barriga e quando chega no cós de seu short Natsu suspira e segura suas mãos prendendo-as acima de sua cabeça. Sua atenção volta para o pescoço da loira e começa a beija-lo e marcar toda aquela pele alva. 

Com a ajuda de Lucy tira a blusa dela e logo após sua saia ficando deixando-a apenas com suas roupas íntimas. Com um pouco de dificuldade, Natsu desabotoa o sutiã de Lucy que automaticamente cobre seus seios. Natsu a olha com desaprovação e segura suas mãos.

- Eu quero ver.

- M-mas, Natsu... é muito vergonhoso... - Ela sussurra.

- Eles são lindos. - O garoto começa a massagea-los fazendo Lucy soltar pequenos gemidos. - Tão macios. - Ele se encontrava fixado. Tanto almeijou toca-los, e agora ali estava ele, fazendo. Levou sua boca ao seio direito fazendo Lucy gemer alto. Aquilo fez com que Natsu ficasse cada vez mais excitado. Enquanto chupava um dos seios, levou sua mão ao outro massageando-o. Começou a passar sua língua em movimentos circulares por seu mamilo e logo trocou de lado fazendo o mesmo movimento que fazia antes e ao mesmo tempo ouvia os tímidos gemidos de Lucy. Quando parou, encarou Lucy que estava ofegando e vermelha. Aquilo era uma visão maravilhosa para o rosado. Ele então a beija e logo e retribuído. Sua mão vai descendo lentamente pela barriga da garota até chega em sua calcinha e por cima do tecido começa a esfregar seu ponto de prazer. Ele percebe que ela estava totalmente molhada e sorri malicioso.
- Está assim por mim, Luce? - Sussurra rouco em seu ouvido. A loira por si apenas cora mais e suspira pelos movimentos acima do pano. Com um movimento rápido Natsu adentra sua calcinha e começa a movimentar seus dedos por cima do clitóris de Lucy. Os gemidos sôfregos de Lucy faziam ele ficar cada vez mais animado. Logo ele adentra ela com um dedo e escuta-a gemer alto. Ele acelera os movimentos com o dedo e logo sente ele sendo contraído tirando de dentro e ouvindo um murmúrio de insatisfação da loira.
- Quero que quando goze, goze no meu pau, não em meus dedos. - O sorriso malicioso a fazia se questionar desde quando Natsu era assim. 

Ela estava excitada e molhada, necessitava tê-lo dentro de si.

- Natsu... - Solta em um gemido. - Por favor...

- Diga, Luce. O que você quer?

- Eu te quero, Natsu! Quero você dentro de mim! Me faça sua! - Aquilo fez os olhos de Natsu brilharem em luxúria.

- Assim será, princesa. - Logo ele retira a última peça de roupa de Lucy que o impedia de chegar onde queria e retira o que restava de sua roupa. Ele se posiciona na entrada de Lucy. - Tem certeza?

- Nunca estive tão certa de algo. - Com o consentimento da loira, Natsu logo começa a adentra-la, mas ao ouvir um gemido de dor vindo dela logo para.

- Você está bem? - Seus transmitiam preocupação o que fez Lucy sorrir um pouco.

- Estou... só... continua... - Natsu se aproxima de Lucy e a beija continuando a entrar. Logo lágrimas começam a descer pelo rosto da loira e Natsu para quando estava todo lá dentro.
Lucy sentia uma dor aguda, a dor de sua virgindade perdida, mas não teria, nem queria voltar atrás.

Natsu limpou as lágrimas de sua amada e ficou um tempo parado dando selinhos nela. Logo ela movimentou os quadris como claro aviso de que ele deveria continuar, então ele foi. Começou com estocadas lentas mas conforme foi ouvindo a garota gemer de prazer acelerou os movimentos. Eles gemiam alto e por todo quarto era possível ouvir os som de suas intimidades se chocando.

Natsu sentiu seu membro começar a ser apertado e percebeu que Lucy iria gozar.
O membro de Natsu começava a latejar, sinal de que estava chegando ao seu limite.

- N-Natsu... e-eu vou...

- E-eu sei. Goza pra mim, Luce. - Após ele dizer isso sente seu pau ser apertado sendo seguido por um alto gemido de Lucy. Ele dá mais algumas estocadas e então se despeja dentro de Lucy. Natsu sai de dentro dela e se deita ao seu lado puxando-a para deitar sobre seu peito. Eles estavam ofegantes e extasiados. Natsu beija o topo da cabeça de Lucy e após um tempo em silêncio, Lucy resolve se pronunciar.

- Não deveria ter ido à uma missão com Happy e Lisanna?

- Está com ciúmes? - Ele ri de Lucy que fica corada. - Eu ia sim, respondendo sua pergunta, mas a minha companheira merecia uma reposta e isso era mais importante, então o Bickslow foi em meu lugar. Já até que fiz meio que um papel de cupido. - Lucy o encara confuso. - Ah, Lisanna gosta dele e ele gosta dela. - Lucy fica corada e abaixa a cabeça.

- Me sinto uma idiota. - Sussurra. - Eu achei que você e a Lisanna tinham algo. - Natsu ri novamente. - Não ria! Vocês ficavam tanto tempo juntos que não tinha como não pensar nisso. Na verdade, acho que metade da guilda pensam isso. - Ela faz um bico emburrado que Natsu desmancha em um beijo.

- Fica calma, Luce. O tempo que eu ficava com a Lisanna, era só ela me ajudando a entender o que eu sentia por você. - Ele vê o rosto emburrado dela se tornar surpreso.

- Me sinto tão idiota. - Natsu beija o pescoço dela.

- Talvez, mas uma idiota muito gostosa. - Recebe um tapa em seu ombro.

- Desde quando você é tão pervertido, Dragneel? - Ele sorri de canto.

- Isso é graças a você. - Pega a mão dela levando até seu membro que já estava ereto novamente. - Está vendo o que faz comigo? Isso dói. - Lucy estava extremamente envergonhada e Natsu com uma falsa cara de tristeza. O rosto envergonhado da loira muda para um sorriso sapeca surpreendendo o rosado.

- Segunda rodada?

- Segunda rodada.

~♡~

"Querido, Natsu

Sei que parece muito estranho receber isso de alguém que você provavelmente não considera mais que uma companheira de equipe, mas não quero mais manter isso preso a 7 chaves em meu coração.

Tenho percebido que todo esse tempo que ficamos juntos fez despertar algo a mais do que um sentimento de companheirismo quanto a você e quando menos percebi, já estava te amando. Ansiando o momento que te veria entrando pela janela da minha casa e que eu brigaria com você, desejando embarcar em muitas furadas e aventuras com você. O seu sorriso já se tornou o motivo de minha alegria, principalmente quando é direcionado a mim. 

Quando estou perto de ti, meu coração faz festa, começa a bater como um tambor.

Guardar o que tenho sentido a tanto tempo, só tem me causado desconforto, por isso decidi que libertaria tudo o que sinto. 

Já não consigo te ver como um simples companheiro bobão, se tornaste o dono do meu coração. Não importa o que escolha fazer, seja me retribuir ou continuar como apenas meu companheiro de equipe, meu coração sempre hei de pertencer-te. Faça o que quiser com ele. 


Com carinho, ℒ. ℋ. "




Notas Finais


Espero que tenham gostado. Quando tava revisando pensei novamente sobre como horrível isso está, mas aí vai. Uma hora eu faço alguma fanfic decente.
O que não faltam são ideias de long fics, short fics, one shots... mas assim vai.
Comentem, favoritem, bebam água e bom dia, boa tarde e boa noite.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...