1. Spirit Fanfics >
  2. Acertos. (Gruvia) >
  3. Primeira vez.

História Acertos. (Gruvia) - Capítulo 1


Escrita por: marilopez

Notas do Autor


Bom dia amorecos ❤️

Estou pensando em fazer mais um capítulo, apenas mais um.
Me digam se gostaram.

Capítulo 1 - Primeira vez.


Fanfic / Fanfiction Acertos. (Gruvia) - Capítulo 1 - Primeira vez.

A guilda estava como sempre animada, do segundo andar, Makarov observava seus magos, mais uma determinada cena chamava atenção. O mestre já estava cansado de ver a maga das águas correr atrás de Gray e o mesmo desprezar a garota. Isso o incomodava a algum tempo, achava que depois de tudo, o mago de gelo ficaria com a moça, mais não foi bem assim que tudo se decorreu, Gray se fechou mais para a azulada.

- Vou dar um jeito nisso. – O velho franziu o cenho. – Esse garoto tem que se decidir. - Suspirou. – Gray e Juvia! – A voz do mestre espalhou pela guilda, chamando a atenção de todos, principalmente do casal. – Venham até minha sala. – Cruzou os braços. – Agora. - Todos ficaram observando o velho, até ele sumir de vista.

- Juvia fez algo de errado? – A maga estava assustada, o mestre não tinha esse abito.

- Creio que não. – Lucy tentou acalmar a amiga.

- Só vamos saber se formos lá. - Gray se levantou e caminhou para o segundo andar, Juvia o seguiu em silêncio. Ficaram parados em frete a porta da sala, ate Juvia bater e ambos receberam a resposta do mestre que poderiam entrar.

- Sentem-se. – O velho ordenou aos jovens, que o mais rápido atenderam. – Vocês devem estar se perguntando o por que dessa convocação. – Viu ambos balançarem a cabeça em positivo. - Tenho uma missão para vocês. – Estendeu o papel, Gray o pegou primeiro.

- Vocês? – O moreno encarou o mais velho. – Só eu e ela? Por que eu não posso fazer essa missão com o meu grupo? – O mestre suspirou, o garoto só podia ser desprovido de inteligência. Já a maga, que estava feliz, teve uma mudança drástica em sua feição.

- Me diga Gray. – Makarov estava a ponto de tacar o rapaz pela janela. – Alguém do seu grupo tem magia de água como Juvia?

- Bom. – Gray pensou. – Lucy tem Aquarius. – Disse convicto.

- E a Aquarius tem mais poder que juvia? A maga das águas? – O velho encarou mortalmente o moreno. – Eu acho que não.

- Mestre. – Juvia se manifestou pela primeira vez. - Gray-sama não quer fazer essa missão com Juvia. – Tentou sorrir. – Deixe ele fazer com Lucy. – Nesse momento o coração de Gray apertou, havia pegado pesado.

- Juvia não é nada...

- Já chega. – O mestre cortou o mago. – Essa missão é de vocês, ela precisa de um mago de gelo e outro de água. Então acho melhor vocês irem para terminar isso logo.

- Mais Mestre...

- Não tem mais Gray. – O mestre suspirou. -Agora vão. – Gray se levantou com uma carranca horrível e saiu da sala, Juvia acenou para o mestre e seguiu o moreno.

- Arrume suas coisas e me encontre na estação em uma hora. – Desceu as escadas. – Vamos fazer isso rápido. – Juvia apenas balançou a cabeça e Gray sumiu da sua visão. A jovem se aproximou do balcão, com uma expressão triste.

- O que aconteceu Juvia? – Mira veio até a garota, preocupada.

- Mestre ordenou que Juvia e Gray-sama fossem em uma missão juntos.

- E você não está feliz? – Mira estava confusa, sabia que a maga mataria por isso.

- Juvia está. – Forçou um sorriso. – Mais Gray-sama não está, preferia ir com Lucy.

- Gray é assim mesmo. – Mira já não sabia mais o que dizer. – Acho melhor você ir arrumar suas coisas. – Juvia concordou, deixando a guilda.

[...]

A estação estava movimentada, era trem saindo, trem chegando, um aglomerado de pessoas. Gray buscava com o olhar a garota dos cabelos azuis, queria pedir desculpas pelo comportamento de horas atrás.

- Gray-sama. – A maga deu um tapinha em seu ombro. – Podemos ir.

- Claro. – Gray sentiu um frio na barriga, não sabia como pediria desculpas. – Quer que eu leve sua bolsa?

- Não, obrigada. – Forçou um sorriso. – Esta leve, não estou levando muita coisa, já que pretendemos voltar amanhã. – Mirou seus passos a entrada do trem, Gray foi atrás, se sentaram de frente um para o outro e o trem partiu. A azulada tinha sua visão direcionada a paisagem da janela. Aquele silêncio estáva incomodando o mago de gelo, ela nunca era calada.

- Juvia. – Gray suspirou. – Me desculpe por mais cedo, eu não queria te...

- Não tem problema Gray-sama. – A maga não o encarou. – Essa vai ser nossa última missão juntos. – Sorriu brevemente. – Você não vai mais precisar se separar do seu grupo.

- Juvia não é isso. - Gray passou a mão pelos cabelos escuros. – Eu tenho medo de não te proteger e te perder.

- Engraçado. – Seu tom de voz saiu um tanto debochado, fazendo Gray estranhar. – Então a Lucy você protegeria? Juvia sabe se defender sozinha.

- Juvia. – Gray não a reconhecia. – Você entendeu errado.

- Gray-sama. – Puxou uma lufa de ar. – Só vamos terminar a missão e voltamos para casa. – Gray se sentiu derrotado e o silêncio voltou a pairar o local, que assim ficou ate chegar ao destino dos magos. Ambos desceram e foram caminhando em busca de uma pequena cidade próxima a estação, onde seria a missão.

Juvia não dizia absolutamente nada, estava perdida em seu próprio mundo, mesmo com tudo que ambos passaram, Gray nunca a amaria, estava cansada de alimentar esperanças em algo que nunca iria acontecer.

Gray com o canto dos olhos, mirava a mulher, a situação estava desconfortável e para piorar, Juvia não expressava carinho nenhum por ele. Tinha cometido uma puta merda.

[...]

A missão havia sido um sucesso, Makarov tinha toda razão, juntos aquilo seria fácil. Como agradecimento, a dona de uma hospedagem, ofereceu um quarto ao casal, já que era tarde para voltar a estação. Juvia não queria aceitar, mais Gray pelo contrário, aceitou de bom grato, queria ficar mais um tempo sozinho com a azulada. Pegou a chave do quarto e subiu com Juvia, abriu a porta e viu que havia apenas uma cama de casal.

- Posso dormir no chão. – Gray se manifestou adentrando o quarto.

- Não precisa. – A maga fechou a porta atrás de si.

- Tem certeza? – Gray sentou na cama.

- Juvia tem certeza. – Em seus lábios havia um pequeno sorriso, mais isso não era o bastante, Gray achava que ela pularia de alegria, que não o deixaria em paz com suas loucuras e desejos.

- Notei que hoje quando fomos usar nossas magias juntos. – A encarou. – Não nos conectamos como das outras vezes. – Se levantou e foi até azulada, segurou seus braços. – Juvia me perdoa.

- Gray-sama. – Juvia se soltou das mãos do homem. – Juvia não tem nada que perdoar. – Sorriu. – Desculpa Juvia, por não ter ajudado na missão, estava com um mal estar.

- Juvia, você ajudou muito. – Gray passou a mão pelo rosto.

- Juvia vai tomar um banho. – A maga pegou sua bolsa e adentrou o banheiro que havia no quarto. Gray se jogou na cama.

- Que diabos você está fazendo comigo Juvia.

[...]

Depois de um tempo, a maga saiu do banheiro, trajando um vestido azul claro, de alcinha, que ia um pouco a cima dos joelhos, com decote chamativo. Gray quase teve um ataque em ve-la assim.

- Gray-sama está incomodando? – Juvia inclinou um pouco a cabeça. – Juvia pode trocar.

- Não! - Gray tossiu para disfarçar, seu desespero. – Não precisa, agora eu vou tomar um banho. – Passou pela maga e se sentiu perdido com aquele perfume, estava definitivamente ferrado.

[...]

O mago voltou ao quarto apenas com uma bermuda, seus olhos buscaram a maga que estava na sacada admirando o céu estrelado, se aproximou devagar, encantado com a silhueta a sua frente, sabia que Juvia era dona de um corpo perfeito, mais com esse vestido, estava uma verdadeira beldade.

- Juvia. – Gray esboçou um sorriso ao ver a maga dar um pulinho de susto, agora ele sabia o quanto ela estava perdida em seus pensamentos.

- Gray-sama quase mata Juvia do coração. – Se apoiou na grade de proteção, se virando para o moreno

- Juvia. – Se aproximou mais. – Eu preciso esclarecer as coisas. – Ambos se encaravam. – Eu não achei ruim de fazer esse trabalho com você. – Levou a mão ao rosto da garota. – Você é a pessoa mais importante para mim nesse mundo e eu não suportaria te perder de novo. – Continuou o carinho na bochecha do azulada. – Eu queria ser mais forte, para te proteger e você não precisar nunca mais passar por dor e sofrimento.

- Mais por que Gray-sama afasta Juvia? – Seus olhos marejavam. – Juvia achou que depois de tudo, Gray-sama aceitaria o amor de Juvia. – Lágrimas desceram pelo rosto angelical. – Juvia está cansada de Gray-sama não a ama-lá.

- Mais eu te amo. – A abraçou, o corpo da maga travou, não sabia o que estava acontecendo, seria sua imaginação? Talvez. – Eu tento te afastar, porque não me sinto ser o homem certo para você. – Soltou a garota e a encarou. – Eu te amo Juvia. – A beijou, a maga sentiu seu coração falhar uma batida, seu Gray estava a beijando, um beijo com desejo. As mãos do mago apertava a cintura fina e a puxava para seu corpo, queria senti-la. Sessaram o beijo, com a falta de ar. – Venha comigo. – O moreno segurou aquela delicada e pequena mão, começou a puxá-la de volta para o quarto, com delicadeza a deitou na cama, os cabelos azuis ficaram espalhados pelo lençol branco. – Me desculpa por tudo. - Beijou o pescoço da jovem. – Eu sou o maior idiota desse mundo. – Levou a mão a coxa da jovem que suspirou.

- Gray-sama não é idiota. – Juvia esboçou um sorriso, aquele sorriso que Gray tanto buscou durante o dia todo. – Juvia o ama desde o dia que nos vimos pela primeira vez.

- Juvia quer ser minha? – Gray a encarou com um semblante sério. – Ser apenas minha.

- Gray-sama vai ser apenas de Juvia? – Suas bochechas ficaram coradas.

- Vou ser apenas seu. – Sorriu. – Só seu Juvia.

- Então faça Juvia sua. – Gray não esperou duas vezes e capturou os lábios da jovem, suas mãos passaram a apertar firme a coxa da azulada, Juvia gemeu entre o beijo. Gray foi subindo o tecido do vestido, já estava delirando de desejo. Aquela pele macia.

- Posso tirar esse vestido? – A maga balançou a cabeça em positivo. O moreno o retirou com calma e depois parou para admirar o corpo abaixo de si, levou a mão a cicatriz que havia na barriga da azulada.

- Gray-sama. – Juvia percebeu que o mago tinha perdido o sorriso quando viu a marca. – Concentre em Juvia.

- Desculpa. – Sorriu. – Você é linda. – Deslizou a mão da barriga até os fartos seios, os apertou, fazendo a mulher gemer. – Que delícia de gemido. – Mordeu o próprio lábio, Juvia era a visão do paraíso. Desceu a boca até um dos bicos rosados, lambeu, em resposta mais um gemido, mordeu, outro gemido, chupou, além do gemido manhoso, sentiu seus cabelos serem puxados. Gray não sabia quando começou a amar aquela mulher, mais ela seria a única em sua vida.

- Gray-sama. – Juvia gemia o nome do amado toda manhosa, deixando o mago de gelo louco, que desceu a mão até a calcinha de renda, assim que adentrou Juvia fechou as pernas, fazendo o jovem se erguer para encará-la.

- Juvia você é virgem? – Gray estava assustado.

- Gray-sama é o primeiro homem a tocar em Juvia assim. – Virou rosto para o lado. – Isso é ruim Gray-sama?

- É claro que não. – Virou o rosto da azulada novamente. – Isso só te torna ainda mais especial. – Sorriu. – Só quero saber se você tem certeza que quer isso, quer perder algo tão precioso comigo, um cara todo errado.

- É o que Juvia mais quer. – Retribuiu o sorriso. – Juvia quer isso com Gray-sama.

- Então hoje, vai ser a noite mais especial da sua vida. – Voltou a beijá-la, com calma, fazendo a maga das águas relaxar, ele queria que nada desse errado, Juvia merecia o melhor desse mundo. Afastou para retirar a calcinha da garota, notando certo nervosismo em seu rosto. Ficou com o rosto entre as pernas da mesma. – Relaxa, você vai gostar disso. – Passou a língua nos lábios. – Prometo. – Desceu sua boca direto a intimidade, passou a chupar o clitóris, fazendo Juvia arquear as costa e gemer. Aquilo deixou Gray mais excitado, seu membro já estava apertado dentro daquela bermuda.

- Gray-sama!

- Está gostando? – Sua voz saiu um pouco abafada, tinha que trabalhar bem naquela região, que estava completamente úmida. A resposta da jovem veio em um orgasmo, que o moreno engoliu sem pensar duas vezes. – Seu gosto é delicioso. – Juvia tinha sua respiração descompassada, com a boca entre aberta, era a visão erótica mais linda vista pelo mago, que retirou rapidamente sua bermuda, dando liberdade a seu membro, regido, que exigia muito adentrar aquela vagina. Juvia o olhou um pouco envergonhada, mais ela o queria, mais que tudo, o amava e sabia que Gray não a machucaria. – Olha se você achar que está te machucando, me diga por favor. – Começou a se ajeitar entre as pernas da jovem. – Vai doer um pouco. – Começou a penetrá-la devagar, Juvia sentiu um incomodo em seu ventre, seus olhos lagrimejavam, cravou as unhas nas costas largas do moreno e gemeu alto, um gemido misturado com dor. Gray a penetrou por completo, beijando o pescoço da azulada. – Tão apertada. – Lambeu a pele pálida, não se movimentava, estava esperando um sinal, que não demorou muito, Juvia começou a se remexer. – Promete que se eu te machucar, vai me avisar?

- Juvia promete Gray-sama. – Por dentro a maga estava um turbilhão de felicidade, era definitivamente do seu amado.

- Essa é minha Juvia. – Começou os movimentos devagar, com toda calma, mesmo desejando foder com força, queria fazer a primeira vez de Juvia algo especial. E mal sabia ele, que a maga estava mais que feliz, nunca imaginou que um dia seu desejo mais oculto se realizaria, com Gray. Seu corpo era dele, pertencia apenas a ele e a cada estocada, seu corpo sentia que não precisaria de mais nada. – Você é deliciosa, linda. – Apertou um dos seios e a beijou, fazendo os gemidos de Juvia sair entre aquele beijo apaixonado. A única coisa que atrapalhava era a falta de ar, mais era tudo perfeito, o som dos corpos se chocando ecoava pelo quarto, os gemidos não ficavam atrás e nenhum dos dois se importava que os outros presentes nesta hospedagem escutassem. A prioridade era se amarem, matar a vontade um do outro, o desejo oculto, se saciar.

- Juvia ama Gray-sama. – Atingiu seu segundo orgasmo, Gray não parou até se derramar dentro da jovem.

- Eu também te amo Juvia. – Caiu do lado da azulada, deu um beijo na cabeça da mesma. – Vamos tomar um banho. – A maga concordou, lá se amaram novamente, era perfeito. Depois se jogaram sobre a cama, Gray puxou Juvia para seu peito a abraçou firme. – Tenho que agradecer o velho. – Sorriu. – Achei que perderia você para sempre.

- Gray-sama nunca vai perder Juvia. – Fez carinho no peito do homem. – Juvia o ama e agradece muito, foi incrível. – Adormeceu.

- Eu te amo Juvia.


Notas Finais


Desculpem os erros amorecos 🙏

Digam o que acharam ♥️

Beijooo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...