1. Spirit Fanfics >
  2. Acidente - Nosh >
  3. Prólogo

História Acidente - Nosh - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oii, voltei, passou rápido, neh?
Espero que gostem, porque eu estou adorando, boa leitura.

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Acidente - Nosh - Capítulo 1 - Prólogo

Noah

31 de março; Domingo; Toronto; 08:20;

Acordo com a luz forte do sol batendo em meu rosto, não me incomodo, gosto dessa sensação, é como se o dia estivesse com um humor parecido com o meu. Me espreguiço na cama e escuto meu celular começar a tocar, pego o aparelho e percebo que é Bailey.

- Oi, amor.

- Noah, não me chama assim, por favor.

- O que aconteceu?

- Não vou enrolar, eu quero terminar, não dá mais, eu juro que tentei, mas como você sabe, sou bissexual, e acontece que estou gostando de uma garota, não tenho mais sentimento algum por você, não me procura mais, tchau.

Ele desliga me deixando atordoado, lágrimas começam a escorrer pelo meu rosto, sempre pensei ser insuficiente, sempre cogitei o fato de um dia ser trocado, e agora isso aconteceu. Pego o celular novamente, ainda chorando. Ligo para Krystian.

- Puta que pariu, eu tava dormindo, fala, peste.

- O Bailey terminou comigo.

- Merda, tá, eu vou ser sincero, foi um namoro de um mês e seus pais nem sabiam, daqui algumas semanas você supera e vai ficar tudo bem.

- Eu não vou sofrer por aquele babaca, não quero derramar mais nenhuma lágrima por ele...

- E você tá certo, quer que eu vá aí na sua casa? Noite de jogos? É seu aniversário, podemos fazer algo, inclusive, parabéns.

- Eu tô cagando pro meu aniversário, mal consigo usar as redes sociais de tantas mensagens de parabéns, fãs podem ser bem estressantes.

- Você parece bem demais pra quem me ligou chorando, tem certeza que tá legal?

- Para de agir como se fosse minha mãe.

- Eu sou seu melhor amigo, eu me preocupo com você, idiota.

- Que seja, não quero ficar aqui sozinho, hoje de noite nós vamos em um clube aqui perto, passo aí na sua casa as 19:00.

- Que clube? Tá preparado pra sofrer com ataque de fãs malucas? Porque sempre tem.

- Eu não sou famoso nesse nível, acho que ainda posso me divertir um pouco.

- Modo drama queen: Ativado... Foda-se, vamos.

- Passo aí, tchau.

- Tchau, não faz merda.

Levanto, vou até o banheiro e lavo o rosto. Estou com uma cara péssima.

Krystian está certo, foi um namoro curto e eu não devo me importar, logo vai parar de doer. Desço as escadas, encontro meus pais na cozinha.

- Bom dia.

- Bom dia, filho. Feliz aniversário! - Minha mãe vem até mim e me abraça.

- Feliz aniversário, filhão!

- Obrigado, não sou o maior fã de aniversários desde que fiquei famoso, mas obrigado mesmo assim. - Me sento ao lado do meu pai, na frente de minha mãe.

- Você está com uma cara estranha, tá tudo bem? - Penso se devo contar. Ela é minha mãe, vai entender, certo?

- Mãe, pai... Vocês disseram que me amam várias vezes... Algo poderia mudar isso?

- Amor de pai e mãe não muda, não importa o que aconteça, sempre estaremos do seu lado. - As palavras do homem sentado ao meu lado me trazem um sentimento de alívio e confiança.

- E-Eu estava namorando escondido e essa pessoa terminou comigo...

- Ah Noah, isso acontece, óbvio que seria mais fácil ter nos contado, mas tá tudo bem, você vai superar, eu e seu pai vamos te ajudar a esquecer essa garota.

- Estamos aqui, filho.

- É essa a questão, não era uma garota. - Recebo um olhar confuso dos dois. - Era um garoto, e-eu gosto de garotos. - Forço um sorriso enquanto uma lágrima escorre pelo meu rosto, mas logo o sorriso fraco que eu tinha se desmancha. Minha mãe começa a chorar e consigo ver raiva nos olhos do meu pai.

- Você o que?! Eu não vou tolerar isso! - O homem bravo se levanta da cadeira e fica ao lado de minha mãe, que continua chorando.

- Eu te amava, Noah, eu te construí uma carreira, e agora você me diz isso?!

- Mãe! Eu sempre fui assim, não escolhi, acha que se pudesse, eu teria escolhido que as pessoas tenham nojo de mim? Que eu não possa namorar sem receber hate? Eu nem ao menos posso me assumir publicamente!

- Cala a boca, garoto! Você é realmente a vergonha dessa família, não deveria carregar o sobrenome "Urrea", não deve nem morar aqui.

- Vocês vão...

- Arruma suas malas, Noah, você vai achar algum lugar com aquele seu amigo viadinho.

- Você dobra a língua pra falar do Krystian! - Grito com minha mãe, levanto e subo as escadas correndo, entro no meu quarto, fecho a porta, pego meu celular, chorando, ligo para Sina.

- O-Oi...

- Noah? Tá tudo bem?

- Meus pais me colocaram pra fora de casa... Eu posso ficar aí com você?

- Claro que pode, mas por que eles fizeram isso?

- Obrigado, é temporário. E bom... Eu saí do armário, é, eu sou gay, eles não aceitaram isso muito bem... Caralho, eles disseram que me amavam... - Sina fica em silêncio por um tempo. - Sina? Tá aí?

- É-É... Noah, eu não sei como te dizer isso, mas não pode ficar aqui, desculpa, não me procura mais... - Ela desliga, me deixando confuso.

Jogo o celular em cima da cama e me sento no chão.

- Porra! Ela também disse que me amava... - Aperto meus joelhos. - Por que é tão difícil aceitar o diferente? - Começo a chorar mais ainda.

Quebra de tempo

Josh

31 de março; domingo; Toronto; 18:32;

- Vai sair, Josh? - Estou prestes a passar pela porta, quando vejo minha mãe parada no corredor.

- O-Oi mãe... É, eu vou, mas juro que volto logo, só vou em um clube aqui perto.

- Com quem você vai?

- Com a Heyoon, relaxa.

- Tudo bem. - Ela se aproxima de mim e começa a arrumar minha roupa. - Se cuida, dá autógrafo pra todo mundo que pedir, não bebe, não faz nada imprudente... Você precisa manter sua imagem, tira fotos lindas com a Heyoon e posta todas. Mamãe te ama. - A mulher com um olhar preocupado me dá um beijo na testa.

- Também te amo, tchau. - Saio pela porta e vejo Heyoon no portão me esperando. - Desculpa, minha mãe me prendeu ali.

- Tá tudo bem, se eu tivésse um filho gato desse, também cuidaria. - Ela me dá um selinho. - Vamos?

- Vamos. - Entro no carro, Heyoon faz o mesmo e logo está no banco ao lado do meu.

Noah

Krystian abre a porta e entra no carro.

- Chegou no horário, isso é novidade... - Ele olha para meu rosto.

- Perdeu alguma coisa?

- Não, mas você parece ter perdido qualquer emoção. - Krystian olha para trás e percebe que todas as minhas malas estão ali. - Ei, ei, o que aconteceu?

- Meus pais me chutaram de casa porque sou a "vergonha da família", agora não tenho para onde ir.

- Claro que tem, meus pais te aceitariam numa boa, eles sabem o quanto eu sofri quando saí do armário e entendem, fica tranquilo... Mas você tá bem?

- Óbvio, por que ser humilhado pelos seus pais por algo que não escolheu, ver que sua melhor amiga é homofobica e ter levado um fora, tudo no mesmo dia, afetaria alguém?

- Desculpa, é claro que não tá bem, se quiser, podemos ir para a minha casa, aí você já se instala lá e tudo.

- Tá de sacanagem? Não vou deixar isso estragar minha noite. - Krystian me olha ainda desconfiado, mas aceita.

Quebra de tempo

- Caralho, eu sou um merda, todo mundo me chutou hoje. - Falo enquanto olho para Krystian. Estamos sentados em um sofá, eu bebendo e falando, ele apenas me escuta. - E pra ajudar, eu já perdi as contas de quantas pessoas vieram falar comigo.

- Óbvio que vieram, você é um cantor famosinho, as pessoas gostam de você, e não, Noah, você não é um merda. - Viro mais um copo de cerveja. - Para de beber, cacete! Podem tirar foto, e você é o pior bêbado pra aturar! - Krystian tira o copo da minha mão e coloca na bandeja de um garçom que passava.

- Quem diria, o beauchamp tá aqui também...

- Noah Urrea, pelo amor do resto de dignidade que tu tem, não vai fazer barraco.

- Até que ele é bonitinho, né?

- Que?! Você odeia ele quando não tá bêbado. Os fandons de vocês vivem brigando e tudo.

- E isso me impede de achar ele gostoso? Fatos não podem ser negados. - Krystian suspira e quase consigo ver ciúmes no olhar dele.

- Foda-se, eu não sei mas o que faço contigo.

- Pode me comer depois, vou ficar na sua casa mesmo. Agora, se me dá licença... - Me levanto e vou em direção ao garoto loiro sentado em uma mesa sozinho.

Krystian

Noah sempre foi o tipo de bêbado com fogo no cu, sempre quer transar com todo mundo, mas dessa vez ele está passando dos limites... Nunca chegamos a ficar, mas toda vez que ele está nesse estado, propõe isso, e acaba me deixando maluco.

Vou ficar aqui sentado vendo ele fazer merda, se eu for lá, vai ser pior.

Josh

Vejo Noah Urrea se aproximando de mim, notei que ele estava aqui, mas por que está vindo falar comigo?

- E aí, Beauchamp? - Ele se senta ao meu lado, posso sentir o hálito de álcool, está bêbado.

- Então Noah Urrea enche a cara nos domingos?

- Ah qual é? Não podemos esquecer essa briguinha idiota apenas por hoje? - Sinto ele chegando mais perto.

- Eu não curto pau e tenho namorada, beleza? E não é uma "briguinha idiota", você sabe que temos motivos e-

Noah me beija, caralho, que beijo, tento resistir, mas é impossível, o gosto dele se misturando com o meu, se tornando um só, suas mãos percorrendo por todo meu corpo...

- Que porra é essa aqui, Joshua? - Me assusto e solto Noah, Heyoon está parada na minha frente com as bebidas que foi buscar para nós.

- Me desculpa, caralho, eu posso explicar! - Todos estão nos olhando. - Podemos conversar lá fora?

- Lá fora o cacete! Eu não tenho nada pra conversar com você, acabou, Josh. - Ela joga as duas bebidas, uma em mim e outra em Noah, o cheiro forte invadindo meu nariz, sinto minhas roupas ficando molhadas, uma tosse repentina, o garoto levantando e indo até seu amigo... Caralho, como vou explicar pra minha mãe?!

Noah

- E-Eu terminei o namoro dele, você viu, Krys? - Começo a rir.

- Você acabou de fazer uma merda gigantesca! O Beauchamp também não se segura né! - Krystian pega meu braço e me leva até o carro, sinto ele me colocar no banco de trás deitado, logo o carro está em movimento. - Tem noção do que acabou de fazer? Alguém com certeza gravou, amanhã vocês dois vão estar recebendo hate e perdendo seguidores. Caralho, Urrea, o que eu faço com você?!

- Me fode, eu sei que é exatamente isso que você quer. - Falo e posso até imaginar a cara que Krystian está fazendo agora.

- Você tá bêbado, e bêbados não sabem de nada, então cala a porra da boca!

- Ah sério que vamos passar por isso? Pensa que eu não sei? Você fica com ciúmes quando eu falo de algum garoto, você fica me olhando enquanto finjo estar dormindo, você sempre olha pro meu corpo e depois tenta disfarçar, sempre-

Krystian

- Caralho, cala a boca, Urrea! Você não sabe de nada! Só fala merda, só faz merda! Cala... A boca... - Começo a chorar, olho para trás e percebo que ele já está dormindo. Bato no volante. - Porra!

Raiva me invade. Noah não sabe o que está falando, é verdade sim que sinto tesão por ele, mas o vejo apenas como meu amigo. Caralho, como eu odeio esse garoto bêbado. Ele não costuma beber, quase detesta bebida, mas quando está triste bebe o quanto pode.

Estaciono o carro na garagem da minha casa, coloco todas as malas de Noah no meu quarto, quando estou indo buscar ele, meu pai me para.

- De quem são essas malas todas?

- Noah pode ficar aqui? Os pais dele o botaram pra fora quando descobriram...

- Claro que pode, vou avisar sua mãe.

- Obrigado. - Meu pai sobe as escadas e vou até o carro. - Mesmo depois de você ser um babaca, eu te ajudo, eu sou trouxa mesmo. - Acordo Noah e o levo até meu quarto. - Tem shampoo, condicionador, sabonete e tudo no banheiro.

- Eu acho que trouxe os meus... Ah é muita mala.

- Que saco, deixa que eu acho pra você.

- Krys? - Olho para ele. - O que aconteceu? Você parece bravo comigo, fiz algo errado no clube? Não consigo lembrar, e por que eu tô sujo assim?

- Pera, você já esqueceu?!

- Sim...

- Esquece, amanhã te conto, vai tomar banho. - Noah vai até o banheiro.

Josh

- Yoon! Amor! Espera!

- Espera o caralho! A partir de hoje finge que eu não existo!

- Olha só, me desculpa, mas eu acho que talvez possa gostar de garotos também.

- Não brinca?!

- Quer dizer que você é preconceituosa?

- Não, Josh! Eu só não aceito ter sido traída! Foda-se se foi um garoto ou uma garota! Mas você tava lá enfiando a língua na boca de outra pessoa! - Heyoon sai do carro. - Só não me procura mais... - Vejo uma lágrima escorrer pelo seu rosto. Ela entra dentro da casa...

- Merda! Tudo por culpa daquele desgraçado! Ele me paga.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, comentem aí.
E se tiverem oportunidade, fiquem em casa, vocês não estão de férias, é sério, se cuidem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...