1. Spirit Fanfics >
  2. Acolhida pelas trevas >
  3. Primeiro dia

História Acolhida pelas trevas - Capítulo 18


Escrita por:


Capítulo 18 - Primeiro dia


Fanfic / Fanfiction Acolhida pelas trevas - Capítulo 18 - Primeiro dia

Acordar na Sonserina não foi tão estranho quanto Hermione pensou que seria. Ela também não teve problemas para dormir, levando em conta suas preocupações e desconfianças em relação aos seus colegas de casa — Mas apenas por precaução, havia dormido segurando a varinha embaixo do travesseiro.

Hermione deu uma rápida olhada pelo quarto, Tracey já não estava à vista, Lily terminava de se arrumar enquanto Astória espreguiçava-se ainda afundada nas cobertas, Flora era a única dormindo pesadamente.

—  Bom dia — Hermione desejou educadamente para as colegas

—  Bom dia — Astória respondeu simpática

—  Estou pronta — Lily exclamou para ninguém em particular e deu uma voltinha em frente ao espelho no canto do quarto ( objeto que Hermione não tinha notado na noite anterior) e então sorriu para as outras bruxas — Eu realmente fico espetacular nessa saia!

—  É uma saia comum — Astória respondeu sonolenta —  Idêntica a todas as outras saias que toda garota usa nesse castelo!

Hermione concordou mentalmente com o comentário de Astória; A saia evasê xadrez era o uniforme de todas as casas, mudando apenas a cor para representar a casa da bruxa que a usaria. Nesse caso, a saia era verde escura com linhas prateadas. 

—  O problema é que nem todas ficam bem nesse tipo de saia — Lily respondeu com um sorriso afiado —  Bobinha. 

Astória olhou de relance para Hermione, que apenas deu de ombros, Lily aproveitou do silencio para deixar o quarto a fim de ir para o salão principal tomar café.

—  Não sei como ela e minha irmã não são amigas — Astória comentou com Hermione — Aquele foi um comentário típico de Daphne.

Hermione concordou com a outra. Aquele comentário de Lily lembrou muito o que Daphne havia lhe dito na noite anterior sobre nem todos ficarem bem de verde e prata. Ela ficou curiosa sobre porque as duas não era amigas, mas preferiu não insistir naquele assunto.

A Black levantou-se, pegando o seu uniforme e alguns produtos de higiene, Astória a imitou rapidamente e juntas seguiram para o banheiro. As poucas sonserinas que estavam ali não se importaram com a presença de Hermione, mas mesmo assim Hermione arrumou-se de modo rápido e atenta a toda movimentação ao seu redor.

Quando retornaram para o quarto, Hermione deu uma rápida olhada no espelho. Ela ainda não tinha se acostumado com seu cabelo tão escuro e liso, e estranhou um pouco se vê usando a saia verde em vez da vermelha e a gravata da Sonserina presa no seu pescoço no lugar da Grifinória. 

—  Vamos? — Astória chamou da porta

Hermione assentiu pegando sua mochila, e afagando atrás da orelha de Bichento, antes de caminhar rumo a Greengrass. Porém, antes de sair, Hermione lançou uma rápida olhada na direção da cama de Flora. A garota não tinha se mexido nem um centímetro, estava profundamente adormecida, e lembrava um pouco Gina; A Weasley nunca levantava por vontade própria, talvez só depois do meio dia, e Hermione tomava pra si a tarefa de tirar a Weasley da cama. Ela deveria acordar a Carrow? Aquilo não era amigável demais com alguém quem mal conhecia? Flora acharia aquele gesto grifinório demais? Ela decidiu arriscar. Aproximou de Flora e cutucou algumas vezes até vê a mesma abrir os olhos zangada.

—  Você vai se atrasar se não levantar — Hermione avisou obrigando a parecer desinteressada e voltou para porta seguindo Astória para o salão principal

—  Você é corajosa — Astória comentou quando se sentaram na mesa da Sonserina — Flora tem a fama de azarar quem a acorda.. melhor, ela tema  fama de azarar qualquer um que fale com ela sem sua permissão.

—  Estava apenas pensando que não quero que minha casa perca pontos apenas por um atraso bobo — Hermione respondeu indiferente

—  Você chamou a Sonserina de sua casa — Astória exclamou alegre — Uau, pensei que iria ficar algum tempo em negação. Eu iria entender, sabe. Você esteve cinco anos na casa dos leões e agora mudou.. 

—  Não vou dizer que me sinto em casa, ou que gosto dessa mudança, isso não seria verdade, mas não a muito o que fazer. A Sonserina é minha casa agora, me resta apenas aceitar isso.

—  Não só você — Astória gesticulou para os  colegas de casa e depois para os demais bruxos no salão —   Todos tem que aceitar isso.

Um pouco incomodada com os olhares vindos de todos no salão, Hermione focou sua atenção no café da manhã. Astória mudou o rumo da conversa para as aulas que teriam durante o dia, reclamando sobre sua primeira aula ser com Binns, Hermione vez ou outra concordava com o monologo da Greengrass. Poucos minutos depois, Hermione viu Harry entrar no salão. O moreno estava com uma cara sonolenta, o cabelo revirado, uniforme meio amarrotado, e se arrastava em direção à mesa vermelha e dourada. Como se soubesse que Hermione o encarava, ele encontrou o olhar dela, e ambos sorriram tristemente. Normalmente, ambos iriam ao salão juntos, se sentariam lado a lado e tomariam seu café enquanto conversavam banalidades.

—  Seu amigo parece que caiu da cama — Astória comentou seguindo o olhar de Hermione e dando uma pequena risada — E esqueceu de pentear o cabelo.

—  Ele penteou — Hermione respondeu voltando a atenção para seu café

—  Sério? — Astória exclamou olhando de Harry para Hermione com uma cara engraçada de descrença

Hermione não respondeu, pois nesse momento Draco, seguido por Daphne e Pansy, e logo atrás Theo e Blás, entraram no salão. A mesa da Sonserina ficou silenciosa, quase como se todos estivessem prendendo a respiração à medida que o Malfoy se aproximava da mesa, olhares indo dele para Hermione, a Black ergueu o queixo orgulhosamente esperando pela discussão que o Malfoy puxaria sobre sua presença. Porém, surpreendendo a todos, Draco passou direto por Hermione e sentou-se o mais afastado possível, seguido pelas duas garotas nada contente, Theo lançou um rápido piscar de olho para Hermione assim que passou na frente dela e Blás lhe deu um sorriso em cumprimento seguido os demais amigos. Então todos na mesa voltaram a conversar —  e a respirar.

O correio trouxe o profeta, que Hermione ignorou assim que viu que a matéria principal era sobre si, e uma carta sem remetente. Ela guardou a carta nas vestes, ciente de quem lhe enviou, e terminou o café.

—  Já vou para a aula — Hermione avisou a Astória

—  Certo, te vejo depois — A Greengrass respondeu

Hermione caminhou para o mais longe do salão, e dos olhares que pareciam nunca lhe deixar, e procurou um lugar para sentar. Ela checou se não havia ninguém ao redor então pegou a carta de Sirius.

Hermione,

Espero que tenha corrido tudo bem durante a seleção, assim como sua primeira noite na Sonserina. Suas colegas de quarto são legais? As cobras estão lhe dando trabalho? Fique ciente que estou à disposição de ir até Hogwatrs assustar qualquer um que venha a lhe incomodar.  Depois que você, Harry e os outros partiram, o Largo Grimmauld ficou solitário e silencioso — duas coisas que detesto.

Lembre-se que mesmo estando entre cobras, você é uma leoa. Use sua coragem, menina, e ficara tudo bem.

Sinta-se livre para me escrever sempre que quiser,

Com carinho

Sirius

Hermione abriu um pequeno sorriso ao terminar de ler. A preocupação e o afeto de Sirius lhe aquecia por dentro, e lhe divertia também ao imaginá-lo assustando seus colegas em sua forma animaga. Guardou a carta, fazendo uma anotação mental de responder mais tarde, então seguiu para a primeira aula.

Depois que Snape finalmente conseguiu o tão desejado cargo em DCAT, Horácio Slughorn assumiu poções. Como de costume, Hermione sentou-se na frente e enquanto retirava seu material da bolsa, o lugar vago ao seu lado foi preenchido.

—Oi –Flora cumprimentou

— Oi –Hermione respondeu surpresa pela presença da outra

—  Não espere um agradecimento — Flora avisou referindo-se ao gesto de Hermione de acorda-la

—  Nem passou pela minha cabeça — Hermione respondeu no mesmo tom petulante que a outra garota

Flora sorriu de lado, focando sua atenção em pegar seu próprio material, Hermione deu uma rápida olhada pela sala vendo seus amigos já sentados a algumas carteiras de distancia, Rony e Harry sinalizaram para Flora e Hermione apenas deu de ombros. 

— Olá, olá, olá -Horácio Slughorn cumprimentou entrando na sala – Eu, como já devem saber, sou o novo professor de poções..

A porta fora aberta de modo brusco, fazendo um barulhão, e a atenção de todos voltou-se para a garota parada na entrada. Tracey Davis encolheu-se, com as bochechas incrivelmente vermelhas, e caminhou rapidamente para o único espaço vago  ao lado de Hermione e Flora.

—  Como eu ia dizendo — Horácio continuou lançando um sorriso gentil para Tracey — Sou o novo professor de poções. 

Então fez um pequeno discurso sobre as maravilhas que as poções podem causar, sobre seus usos através do século e sobre as extensas pesquisas para chegarem até ali, tudo com um sorriso gigante, como se estivesse ganhado um autografo do próprio Merlin; Hermione o achou um senhor adorável.

—  Agora vejamos se conseguem reconhecer essas quatro poções que eu preparei — O professor indicou os quatro caldeirões e se aproximou do primeiro — Alguém pode me dizer qual é esta aqui?

— Muito bem, muito bem! – elogiou o professor, feliz. – Agora – continuou, apontando para o próximo caldeirão — Essa outra é bem conhecida... e também apareceu em alguns folhetos do Ministério ultimamente... Quem sabe...?

A mão de Hermione foi novamente a mais rápida.

— É a Poção Polissuco, senhor.

— Excelente, excelente! Agora, esta outra aqui... sim, minha cara? – interrompeu-se Slughorn, parecendo ligeiramente tonto ao ver a mão de Hermione perfurar mais uma vez o ar.

— É Amortentia!

— De fato. Parece quase tolice perguntar – comentou o professor muito impressionado – mas presumo que você saiba que efeito produz, não?

— É a poção de amor mais poderosa do mundo! – disse a garota.

— Certo! E você a reconheceu, presumo, pelo brilho perolado?

— E o vapor subindo em espirais características – respondeu Hermione animada –E dizem que tem um cheiro diferente para cada um de nós, de acordo com o que nos atrai.

—  Muito bem, senhorita...

—  Hermione. Hermione Black.

O professor pareceu surpreso, lançando um olhar avaliativo, antes de abrir o seu maior sorriso.

—  Senhorita Black — O professor exclamou cordialmente em reconhecimento —  Lembro bem que todos os Black eram ótimos em poções. Regulus Black, por exemplo, era um dos meus melhores alunos. Entretanto, seu irmão Sirius.. ele tinha certa dificuldade.

Hermione podia sentir o olhar da turma caindo sobre si, todos cochichando enquanto o professor continuava a divagar sobre os Black passados, até que ele finalmente se interrompeu e cortou as conversas paralelas.

—  De toda forma: Vinte pontos para a Sonserina. —  O professor anunciou dando uma piscadinha para Hermione

—  E não é que tem vantagem e ter você na nossa casa? — Flora comentou dando uma batidinha no ombro de Hermione e completou com certa zombaria —  Irritante sabe-tudo.

...

—  Aquela é sua nova amiga? — Gina questionou

Hermione olhou para trás, vendo Flora indo encontrar a irmã gêmea e então as duas sumindo entre os outros alunos, depois voltou sua atenção para Gina.

—  Eu não chamaria de amiga — Hermione respondeu — Ela é minha colega de quarto.

Hermione apoiou-se na parede de pedra, ao lado de uma das janelas que davam para o pátio interno, enquanto Gina ficava a sua frente.

A Black tinha o horário livre, mas sabia que Gina teria uma aula em menos de vinte minutos, por isso sabia que não podia aproveitar muito da companhia da ruiva.  

—  Rony disse que sentaram juntas em poções.

—  Não só em poções. E é melhor do que sentar sozinha — Hermione respondeu —  Os demais sonserinos me desprezam e os grifinórios parecem ter medo de se aproximar.

Mesmo tendo sentado ao lado de Flora todas as aulas do período da manhã, junto com Tracey, as três não trocaram mais que meia dúzia de palavras. E depois que a ultima aula terminou, Tracey sumiu ao pisar fora da sala e Flora foi ao encontro da irmã se despedindo com um “ A gente se fala depois” como se tivessem conversado muito durante a manhã.

—  E eles estão — Gina respondeu —  Eles tem medo de que você tenha a genética ruim dos Black. Aquela parte sonserina, cruel e tão Bellatrix!

—  Não fale o nome dela — Hermione pediu estremecendo

—  Ela não é você-sabe-quem.

—  Mas esse nome parece tão assombrado quanto o dele — Hermione respondeu olhando em volta apenas para vê o corredor completamente vazio — Até agora ninguém começou a questionar sobre minha mãe, e eu não quero que ouçam o nome de Bellatrix numa conversa minha, não é difícil junta um mais um e vê que dá dois.

—  Você esta paranoica — Gina comentou

—  Eu estou na Sonserina — Hermione respondeu —  Parece que tenho que sempre olhar sobre o ombro!

—  Por falar em Sonserina — Gina apontou para a algo além da janela — Como vai esse sonserino?

Hermione espiou para onde Gina apontava; Draco cruzava o pátio na companhia de Pansy e os dois brutamontes Crabbe e Goyle, indo na direção oposta da de Hermione, com a expressão de superioridade e atraindo a atenção de todas as garotas ao longo do trajeto.

—  Ele esta agindo como se eu não existisse — Hermione respondeu e narrou o que houve ontem quando chegou ao salão das cobras

—  Ele achou mesmo que podia mudar uma decisão do chapéu seletor? — Gina questionou incrédula

—  Eu acho que não. Acho que ele só não queria dar o braço a torcer — Hermione respondeu — É um garoto mimado, Ginny. 

—  Mimado ou não, ele é sexy — Gina murmurou observando Draco sumir de vista

—  Gina!

—  O que? Não sou cega, Mione — Gina se defendeu — Nem eu e nem as outras garotas desse castelo.

—  Mereço — Hermione resmungou e decidiu mudar o rumo da conversa — E como estão as coisas na Grifinória?

—  Nada de novo.  Exceto que a sua cama foi ocupada por Natália McDonald. Ela é querida, quieta, e tem um estoque de doces gigantes. Você devia ter visto.

—  Não vá comer todos os doces dela — Hermione pediu

—  Eu? Jamais — Gina exclamou rindo

Uma dupla de sonserinos passou pelas duas, lançando olhares pouco amigáveis, e Hermione respondeu apenas com um olhar tão ruim quanto os dos dois.

—  Eu não vejo a hora desses olhares pararem — Hermione lamentou

—  Eu não vejo isso acontecendo tão cedo — Gina comentou

—  Não ajudou — Hermione respondeu

—  Droga, eu tenho que ir — Gina exclamou ouvindo o sinal e começou a se afastar de modo atrapalhado — Falo com você depois. Ah, converse com Rony e Harry, meu irmão esta choramingando por não ter conseguido falar com você o dia todo! 

Hermione assentiu, abrindo um sorriso ao ver a ruiva correr para a aula quase atropelando quem estava no seu caminho, tomando o rumo oposto da Weasley, Hermione caminhou para a biblioteca.

Cumprimentou a bibliotecária silenciosamente, ganhando um sorriso gentil em resposta, e procurou um livro qualquer para passar o tempo. A biblioteca de Hogwatrs era a maior que Hermione já tinha visto, e olha que ela visitava muitas bibliotecas no mundo trouxa, com todos os tipos de livros para todos os tipos de pesquisa.

—  Black — O cumprimentou vindo do outro lado do corredor tirou Hermione da sua procura por uma leitura

—  Zabini — Hermione respondeu o cumprimento em tom baixo para não distrair os outros alunos ali presente

Zabini devolveu o livro em suas mãos para a prateleira e se aproximou mais, com os olhos fixos em Hermione e uma expressão de pura curiosidade. Com toda a casualidade, Blás encostou-se na bancada ao lado de Hermione, os olhos de águia fixos nela como um predador.

—  Posso ajudar? — Hermione questionou ficando nervosa com o silencio e aquele olhar vindo do sonserino

— Presumo que já tenha notado que Draco não conseguiu lhe tirar da Sonserina.

—  Não sei por que alguém achou que ele teria tal poder para isso — Hermione respondeu sincera

—  Ninguém achou isso, mas Draco quis tentar do mesmo modo — Blás respondeu — Sua presença realmente o incomoda.

—  Nem imagino o porque.

O sorriso que recebeu em troca lhe tirou o fôlego. Hermione tinha certeza que o sonserino sabia do efeito que causava quando sorria daquele modo. Antes que ela pudesse reclamar daquele sorriso, ou talvez até falar algo que o fizesse sorrir assim de novo, Zabini se desencostou e ajeitou as vestes.

—  Eu tenho que ir. Foi muito bom conversar com você, Black — Blás sorriu de modo mais reservado — Vejo você por ai.

—  Pode acreditar que sim — Hermione respondeu com petulância e isso sim arrancou um daqueles sorrisos de Blás

—  Black, Black..  Estou apostando em você — Zabini murmurou enigmático

—  Como assim? — Hermione questionou 

 Porém, para seu total descontentamento, Blásio Zabini seguiu para fora da biblioteca sem responder. Ela ficou olhando por um tempo para a porta, estranhando aquela rápida e duvidosa conversa, se questionando se todo sonserino era estranho ou ela que não estava acostumada a interagi com alunos da casa verde e prata.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...