História Acompanhante de Luxo - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Luna Valente, Matteo, Matteo Balsano
Visualizações 30
Palavras 1.824
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


No capítulo tem hot Emitteo não gosto do casal mais e necessário
Boa leitura

Capítulo 3 - Capítulo 3


Mexeu no cabelo, ficou nervosa, e tudo indica que quer fugir! Te peguei! Luna, para com isso, vai viver, eu quero seu bem, quero que seja feliz!

-Daniel, me dá um tempo certo? Preciso de paz na minha mente e estou morrendo de fome - abro a porta e saio pelo corredor, ele me encara incrédulo deduzindo que vou fugir - Vou te provar que consigo muito bem ter uma vida plena e sexual ativa mesmo estando nesse cargo!- sua risada me faz semicerrar os olhos e sair de perto para que não vire a mão na sua cara.

Daniel tem razão e isso posso negar quanto tempo eu não transava Aliás, quanto tempo eu não me perguntava isso? Havia me desligado do mundo, da minha família e amigos, sem contar que não via Emilia havia mais de um mês, ela costumava ser minha melhor amiga quando eu habitava no planeta terra, e ultimamente estávamos distantes uma da outra. Na mesma hora que essa loira vem em minha mente, tiro meu celular do bolso e disco para seu número.

-Emília? - eu dei esse apelido para ela e sempre exigia que fosssua.  única que a chamasse de tal maneira.

-Não me diga! Luna Valente? Eu não posso acreditar nisso, é você mesma? Como está ai dentro do caixão?-Irônica como sempre.

-Digamos que confortável, olha que bom, temos sinal de celular - sorrio e me sento na primeira mesa que encontro.

-Ah sim! Como sempre... Achei que realmente tinha morrido... Não responde minhas mensagens, não visualiza meus recados, não me liga e poxa... Nem curtiu a nossa foto que postei no Facebook- de tudo que ela me disse, a foto no Facebook com certeza era a mais grave, ela era viciada em redes sociais de uma maneira extrema, lembro-me das vezes que me ligava para pedir, ou até mesmo

implorar curtidas!

-Emília, mil desculpas, eu sei que tenho andado distante e abandonado nossa amizade, mas, minha vida está uma bagunça e eu nem sei mais o que é vida na verdade, eu preciso desse cargo, eu luto por ele todos os dias da minha vida! Resolvi te ligar porque no sábado não estou de plantão e vou desmarcar todos meus compromissos para que possamos ir ao Nick's bar e beber feito duas adultas loucas e sem compromisso - com certeza esse era nosso bar favorito, foi lá que eu fiquei com um CDF de informática na época da faculdade, apesar de ser muito certinho, ele era um gato. Beijar ele trouxe o espanto para Emilia, como sempre!

-Certo, por algum motivo o hospital liga e, Adeus Emilia!

-Vou desligar meu celular, tablete, computador, rastreador e qualquer outra coisa- ela ri alto- e ai?

-Ah se for assim, sim!-ela realmente se anima dessa vez, minha amiga tem o cargo dos sonhos... Ela é organizadora de eventos, pense em uma mulher forte e decidida? Os homens caem de amores por ela, uma mulher de um metro e setenta com sessenta e oito quilos, olhos castanhos claros e um cabelo dacor loiro dourado, cintura fina e as pernas bem torneadas.

-Está livre né? - pergunto lembrando que sábado é dia de evento.

-Claro né! O papo está bom, só que o dever me chama e eu vou ter que desligar, minha limusine chegou com acompanhante para a festa da SAI, sabe como é né? Homens, festas e muito dinheiro e glamour - o alarme de emergência interrompe a piadinha que eu iria fazer e sem pensar desligo o celular para correr até o local.

É você sabe viver Emilia! Quando olho que a alerta é amarela, ou seja, o paciente está em um risco médio, apontam os socorristas com um homem baleado em uma maca, saio de um menino com virose para socorrer um homem que perde muito sangue e necessita mais do que nunca da minha ajuda.

*Matteo*

Poderia ter meu carro e meu dinheiro, ser até que bem de vida, mas, a partir do momento que entro na limusine da Emilia meu coração dispara. Champanhe á vontade isso sem falar no tamanho conforto que tinha ali. Assim que Emilia sai, vejo que ela estava no celular, saio da limusine e com meu jeito galã provocador pisco para ela, rapidamente ela coloca o celular dentro de sua bolsa, está com um vestido vinho caído nos ombros, um colar de pérolas que caía perfeitamente em seus seios de salto e uma echarpe da mesma cor do vestido, essa mulher é maravilhosa. Mesmo com o vestido perfeito, ela fica bem melhor sem ele, suada e em uma cama gritando por meu nome loucamente.

-Sempre linda! - tento ser ao menos cortês.

-Sempre com esse xaveco de conquistador barato... Estamos quase que atrasados e isso não é bom!- sorrio e me curvo diante dela fazendo um teatro banal e uma reverência sem motivos, ela sorri.

Meu trabalho era algo que muitos invejavam, eu adorava demais esse emprego, eventos, festas e comer bem e nem pagar nada por isso.

Assim que chegamos tento me enturmar o máximo possível com todos da alta classe, sorrio sempre que vejo alguém, permaneço o tempo todo abraçado em sua cintura, em geral eu era apresentado como seu namorado que estava na Itália para estudos.

Elas sempre inventavam algo e eu tentava representar o máximo possível.

As amigas de Emilia eram fúteis e sem noção, elas só falavam de cabelo, maquiagem... Maquiagem e cabelo... Eu me perdia em tantos “assuntos interessantes”. Mas confesso que era melhor que ficar com os playboyzinhos que gastavam a grana que nem era deles e só falavam de como conseguir uma mulher atrás da outra.Eu amava esse assunto, mas não com aqueles caras e não naquele local.

Como sempre, ao ouvir...

-Matteo vamos? Assenti depressa, era isso que eu amava escutar quando estava nesse tipo de evento e ainda mais com a Emilia, onde certamente teria prazer e muita grana.

-Sim, claro!-sorrio torto agradecendo as forças divinas por isso.

A limusine estacionou na frente da casa dela e Emilia dispensou o motorista. Mais que depressa, abro a porta para ela e como uma princesa Emilia sai da limusine, com certeza ela enlouquecia qualquer cara.

Entramos em sua casa e como de costume fomos direto para seu quarto, não temos nem um tipo de cerimonias quanto a isso. O local é muito bem decorado, tem uma cama de madeira king size no meiodo quarto, um guarda roupa de madeira, sua penteadeira com mais de mil cores de maquiagens e perfumes para todos os lados, um carpete vermelho que combinava com a cortina vinho e um quadro que pegava sua parede inteira, uma foto onde ela está deitada em seu sofá com um sorriso maravilhoso e seu melhor vestido.

-Quero você só para mim - ela fala manhosa e fecha a porta do quarto sem demora, me aproximo caindo em seu jogo.

-Ah é? Então estamos kits baby... Quero você todinha para mim! - me aproximo dela e coloco minhas mãos em sua cintura a puxando para um beijo que apesar de começar delicado se torna cada vez mais intenso e cheio de urgência, e de certa forma perigosa, ela não fica para trás, entrelaça os dedos em meus cabelos me puxando mais para si, a abraço mais forte e colo seu corpo no meu dando ainda mais intensidade a aquele beijo e nossas caricias, a encosto na parede e Emilia levanta o pescoço para me dar acesso livre ao local, beijo e mordisco lentamente sua orelha a fazendo suspirar e gemer baixinho.

Suas mãos descem de modo ágil até a minha gravata e afrouxa o nó e assim que estava completamente desfeito puxa as duas partes da gravata intensificando um novo beijo, nossas línguas queriam aquilo mais que nós mesmos, elas se entrelaçam e fazem com que meu corpo queime e meu membro já comece se animar.

Agilmente minha mão tateia seu corpo a procura do zíper de seu vestido e assim que o encontro desço sem me desconcentrar de sua boca, levemente desço a alça de seu vestido e o deixo cair a deixando apenas de lingerie e salto, sem querer perder o "nosso jogo", ela me encosta na parede e praticamente estoura os botões de minha camisa, me livrando daquele pano que impede nosso contato mais intenso, o joga longe, em seguida ela corre as mãos por meu peitoral e desce para a minha calça a retirando e fazendo o mesmo que a camisa, com pressa e vontade, selvagem diria, assim que estou sem minha calça ela desce minha calça e mais que depressa agarra meu membro já ereto e o abocanha fazendo massagem enquanto sua boca se apossa dele, deito minha cabeça para trás para gemer enquanto por cima vejo a cena de uma loira ajoelhada com meu membro dentro de sua boca,pego seus cabelos para que a ajudasse com isso e a guiava.

-Oh meu Deus... Isso Emilia, isso! - Parece que ela vai me engolir, não para de sugar, com força e determinação, vendo que isso não irá "acabar" bem, a retiro e ela sai de bom grado, estouro mais um de seus sutiãs e rasgo mais uma de suas calcinhas ainda de pé e encostado na parede, eu nunca fui delicado em nosso sexo, sempre rasgo a sua lingerie. Ajoelho-me e dou o troco, agarro sua intimidade lambendo sem dó nem piedade puxando seu clitóris com os dentes e passeando por toda a extremidade de sua intimidade, Emilia geme baixinho...

Aproveitando, começo a chupar mais ainda e enfio dois dedos deslizando para dentro dela com seu sulco de excitação, sinto suas pernas bambas e sorrio contra sua pele sensível por causar tal efeito, volto a lamber mais ainda e solto os dedos, beijando sua intimidade e me levanto a conduzindo para a cama.

Ajoelho na cama, coloco a camisinha que havia pegado no criado mudo, onde sempre havia uma camisinha reserva para nossas relações, e me coloquei entre suas pernas. Deito em cima dela e Emilia coloca as pernas em minha cintura, desse modo terei livre acesso, deslizo meu membro com

toda a força, pois sei que ela ama isso, mordisco seus seios e faço investidas fortes, nossos corpos se chocam selvagemente e Emilia me unha enquanto eu me aproveito de sua boca sem pudor algum.

-Assim, Matteo... Assim!

-Ah isso... Você é uma delícia Emilia!-sussurro em seu ouvido;

Sei que cheguei ao ponto máximo de minha excitação percebo que não estou sozinho, aumento ainda

mais a pressão, fico ofegante e suado junto com ela, seus cabelos grudam em meu corpo e ela vira os olhos segurando meus ombros de maneira que chega a doer, sinto uma explosão de orgasmo e Emilia grita anunciando o dela me afundo em seu corpo assim que sinto meu corpo pulsar, ponderando a ideia de que não vou aguentar.

Estou extasiado de desejo, ela sorri entredentes e sussurra em meu ouvido.

-Hoje você foi excepcional e como recompensa... Pagarei trinta e cinco mil dólares - sorrio para ela

e selo nossos lábios...

Acho que não queria mais nada, apenas continuar nisso!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...