História Acompanhante de Luxo - Capítulo 110


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camrem, Lauren G!p, Ltops
Visualizações 1.265
Palavras 723
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Opa
Boa leitura
Qualquer erro perdoem e me avisem nos comentários!

Capítulo 110 - Capítulo 110



-droga. -praguejei comigo mesma. -estou indo, Amanda. -desliguei e olhei para o taxista.

Ligação off


-para o Mount Sinai Hospital, por favor. O mais rápido que puder. -o taxista virou a esquerda na rua seguinte e subiu em disparada aproveitando os semáforos abertos, só podia ser um sinal. O que diabos Lauren fazia há essa hora no Central Park? Ela não devia estar no trabalho? -Deus, por favor, que nada sério tenha acontecido com ela -orei baixinho. O carro parou.

-chegamos, senhora. -paguei o taxista, peguei minha bolsa e desci, corri para dentro passando pelas portas automáticas e parei na recepção. 

-preciso saber para onde Lauren Michelle Jauregui foi levada, em que ala do hospital ele se encontra. 

-senhora, eu só posso passar informações para os familiares. 

-sou a mulher dela, droga! -gritei -agora me diga.

-ala de traumatologia, senhora Jauregui, no quarto andar à direita.. -nem esperei ela terminar de falar e fui para o elevador, entrei e apertei o botão. Meu coração estava saindo pela boca, assim que as portas abriram eu saí como uma louca para a segunda recepção da ala de traumatologia do hospital. E ao chegar lá encontrei toda a família Jauregui, Michael segurava Clara em seus braços, e ela chorava descontroladamente. Amanda e Alice estavam com ambas com as mãos no rosto. 

-Amanda. -falei, e ela levantou e correu para me abraçar.

-ela levou um tiro. -ela falou ainda me abraçando e soluçando. 

-como? -eu entrei em estado de choque.

-nós não sabemos, só recebemos a ligação de que ela foi encontrado boiando dentro do lago no Central Park, e ao chegarmos aqui o médico falou que ela levou um tiro. -Amanda falou e eu senti o mundo começar a rodar. Não era hora para um desmaio, droga.

-Amanda! Ela está grávida. -escutei a voz do Sr Jauregui e duas grandes mãos segurarem meus braços. -não desmaie. -suplicou

-eu não vou. Eu só... estou em choque. Como ela levou o tiro? Quem atirou nela? Por quê? -comecei a perguntar em desespero, choque, confusão..

-não sabemos ainda criança. -Michael falou enquanto me levava até uma das poltronas da sala de espera. -estamos esperando respostas

Minutos, horas, para mim, anos se passaram e nada do médico aparecer. Levantei pra tomar água quando um médico em seu jaleco passou por mim, ou era um residente. Agarrei em seu braço. 

-quero notícias sobre Lauren Jauregui. -falei com ele.

-senhora, eu não sou o médico dela. -ele respondeu. 

-já pensou que não fazer o que uma grávida pede, pode fazer nascer uma coisa bem feia nos seus olhos? -olhei para o médico ou residente, seja lá o que ele era.

-vou buscar informações e já volto.

-obrigada. -tomei minha água e fiquei ali mesmo olhando enquanto o médico andava pelo corredor e parava outro médico. Andei até eles. -alguma notícia? -perguntei. 

-sim esse é o médico dela, Dr. Navarro. -o médico mais novo sorriu e sumiu rapidamente. 

-Muito prazer, Dr. Navarro. -era um homem com cerca de 50 anos, cabelos levemente grisalhos e usava uma roupa azul. -necessito de notícias sobre o minha noiva.

-Senhora, se acalme, isso pode ser prejudicial ao seu bebê. 

-eu estou calma, ou talvez seja o choque, e a qualquer momento eu vá cair em um pranto de choro, mas enquanto isso não acontece, eu quero agora notícias dela. -fiz minha melhor cara para que ele tivesse pena de mim. -pense no meu bebê, e no estresse que estou tendo sem saber notícias dela. Lauren é a outra mãe do meu bebê. 

-tudo bem, acalme-se e vamos para a sala de espera, assim posso conversar com toda a família ao mesmo tempo. -ele segurou meu braço e nos juntamos a família Jauregui na sala de espera.

-e então doutor. Como ela está? -Michael e Clara perguntaram ao mesmo tempo. 

-a cirurgia para retirada da bala foi um sucesso, mas ela chegou com um caso sério de hipotermia e durante a cirurgia ela entrou em coma. Os órgãos aparentemente estão bem, nenhum deles foram afetados e ela se recuperará bem. Tirando a cicatriz que ela terá, assim que acordar do coma ela estará novinha em folha.

-graças a Deus! -Clara falou e abraçou Michael, Amanda e Alice se abraçaram, eles estavam tão felizes juntos que se esqueceram de mim. Até então parecia que não havia caído à ficha de que ela foi baleada e estava entre a vida e a morte.


Notas Finais


É..
Até amanhã ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...