História Acompanhante de Luxo - Capítulo 70


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camrem, Lauren G!p, Ltops
Visualizações 1.724
Palavras 752
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Opa galerinha, quem está aí? Topa 1/5?
Boa leitura
Qualquer erro perdoem e me avisem nos comentários!

Capítulo 70 - Capítulo 70



Point of view Camila Cabello

Eu estava incrivelmente chateada. Cheguei em casa, joguei minha bolsa sobre o sofá e caí sobre ele. Lauren jogou na minha cara que eu era uma prostituta, que o bebê poderia ser de outro, tudo bem que havíamos começado de forma errada, mas duvidar que o bebê era dela, quando tudo o que mais fazíamos era transar sem camisinha? Avá!

Passava das 20h quando meu celular vibrou sobre a mesinha de centro da sala. Era o Alex.


Ligação on

-oi? -atendi sem muita empolgação

-gata, se prepare. Acabamos de fechar um contrato de U$ 50 mil dólares para a campanha dos perfumes da Carolina Herrera. Precisam de você no máximo até sexta-feira em Milão, para gravarem um comercial. 

-está falando sério, Alex? -eu não podia crer

-nunca falei tão sério, Camila -sem conseguir deixar essa notícia fantástica me animar, suspirei

-tenho que lhe contar algo, Alex. -digo baixo

-sim, minha pequena de um milhão de dólares, conte-me. 

-tem que ser pessoalmente. Posso ir à agência amanhã após a aula? -perguntei. 

-sim, claro. Estarei aguardando você. Preciso desligar, boa noite. -e desligou.

Ligação off


Me forcei a pensar no que ele falou.. quando dei por mim, havia começado a dar pulinhos pela sala, meu Deus, era U$ 50 mil dólares, caramba! Como assim? Eu virei da noite para o dia a mais requisitada? E tudo por causa do bendito comercial. Meu celular vibrou novamente, era uma mensagem


Alex: AH, ESQUECI-ME DE AVISAR! AMANHÃ ÀS 17H, NO INTERVALO DO CSI PASSARÁ O COMERCIAL QUE VOCÊ ESTRELOU COM O TOM. NÃO PERCA!


Ah! Ele acha mesmo que vou perder? Nunca! Fui dando pulinhos para o quarto e comecei a tirar a roupa para tomar um bom banho e relaxar. Mesmo em meio a uma tempestade dessa, não podia mesmo não ficar feliz por essa notícia.

A manhã de terça-feira chegou com tudo, despertador apitando às 6h30 da manhã, barulho na rua, gritaria. 

-oh, inferno! -levantei e fui até a janela. Lá fora, dois homens trabalhavam com uma espécie de perfurador no chão que fazia um barulho terrível. Andei até o banheiro e tomei uma ducha rápida, me vesti com o uniforme do colégio e peguei um casaco, o inverno em Nova Iorque também chegou com tudo, enfiei no pé as minhas meias para me aquecer e pus minhas botas. Amo essas botas, me deixam aquecida por serem feitas de couro e camurça. Não combinavam em nada com o meu uniforme da escola, mas mesmo assim decidi usar, passei creme no rosto, pois o frio castiga minha pele. Fui à cozinha e comi meu cereal com leite, coloquei as luvas, o casaco e o cachecol, joguei a mochila nas costas e saí de casa rumo ao colégio, tenho que ir à diretoria explicar minha situação, e pedir que não me expulsem, cheguei à escola, passei pelos portões e avistei Amanda com Alice.

-bom dia, meninas. -falei sorrindo. 

-bom dia, mamis. - Amanda falou e joguei um olhar de “não comece” para ela.

-vocês já vão para a sala?

-sim. Você não vem? -respondeu Alice

-preciso ir à diretoria. -fiz careta

-por quê? -questionou

-problemas com minha mãe, então já viu. 

-entendo. Levo sua mochila e assim guardo sua cadeira. -disse sorrindo. 

-obrigada. -entreguei minha mochila para ela e as vi irem para a sala. Fui em direção à sala da diretoria, que Deus me abençoasse, e a diretora abrisse uma exceção, fiz o sinal da cruz e bati na porta. 

-entre. -a voz da diretora Robert veio alta. Era uma senhora de mais ou menos 60 anos e cabelos grisalhos. Assim que entrei ela disse -o que deseja, Cabello?

-preciso conversar com a senhora. -falei enquanto me aproximava. 

-tudo bem, mas seja breve, pois sua aula começa em 15 minutos. 

-estou com um problema, e gostaria de pedir um conselho, além de pedir para não me expulsar da escola.

-diga, que problema tem?

-estou grávida, senhora Robert -ela me olhou com os olhos espantados. 

-Deus! Você é uma das nossas melhores alunas e... conhece as regras. 

-eu sei, senhora Robert, mas vim pedir que por favor, não me expulse da escola. 

-de quantos meses está? -perguntou. 

-quatro. -respondi rapidamente. 

-mas não se vê barriga alguma em você.

-exatamente, mais um motivo para que não me expulse. A médica que me atendeu disse que estou com quatro meses, mas que por ser magrinha, não teria uma barriga tão grande. E por isso eu poderia esconder, apenas dizer que engordei. 

-não é assim que funciona, e você sabe das políticas da escola. É uma aluna bolsista e entrou aqui com 11 anos.


Notas Finais


Poxa diretora, deixa.. vai 🙏🏻
Nunca te pedi nada kkkkk

Camilinha bombando? Carolina Herrera?! Uaaau, foda.. merece todo esse sucesso mesmo, neném ❤️
Volto logo 🤙🏻


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...