História Acompanhante (Hosie) - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Alaric Saltzman, Elizabeth "Lizzie" Saltzman, Hope Mikaelson, Josette "Jo" Laughlin-Saltzman, Josette "Josie" Saltzman, Mary Louise, Nora Hildegard
Tags Hope Mikaelson, Hosie, Jolaric, Josie Saltzman, Legacies, Lizzie Saltzman, Pefanie
Visualizações 154
Palavras 3.551
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente eu vou deixar nas notas finais links de algumas fanfics hosie que sao mt boas, sabe essa fic aq é adaptação e está tendo mt retorno de vcs leitoras de hosie. Então acho justo divulgar fanfics próprias de hosie e que sejam boas. Quando essa história for finalizada vou postar um capítulo só de sinopses e indicações

Capítulo 6 - Hope vs Rafael


Fanfic / Fanfiction Acompanhante (Hosie) - Capítulo 6 - Hope vs Rafael

- Quer que eu durma no chão hoje? – Josie perguntou ao sair do banheiro de seu quarto.

- Não há necessidade – Hope estava deitada. Desde a conversa de tarde Josie se manteve distante. – Ainda está chateada pelo que falei mais cedo? – Josie continuou passando hidratante pelas pernas. – Josie? – Hope tocou seu ombro.

- Não estou Hope – Josie falou irritada.

- O que houve?

- Eu passei minha infância inteira sendo caçoada por pessoas como você...

- Como eu?

- É... popular, bonita, cheia de amigos ‘descolados’ – Josie fez aspas com os dedos.

- Mas que história é essa? – Hope estava confusa.

- Senso de humor inigualável? Sério? – Os olhos de Josie começavam a se encher de água – É uma nova forma de me chamar de esquisita? Que droga – ela passou as mãos pelo rosto e caminhou rápido até porta, mas Hope a impediu de sair.

- Nenhuma das palavras foram ofensas ou mentiras, eu fui verdadeira – Hope falou olhando nos olhos vermelhos de Josie. – Suas piadas são péssimas, mas eu ainda assim rio. Você é desastrada e de ontem para hoje foram umas vinte tentativas de que você não tropeçasse e caísse, mas estranhamente isso pra mim é uma qualidade em você, porque você precisa de mim, mas ao mesmo tempo é independente. Ainda acha que eu estava mentindo? – Hope soltou a porta e Josie deu um passo em sua direção.

- Não – seu olhar foi de encontro a boca de Hope. A ruiva percebeu o olhar da morena e se inclinou um pouco. Josie não esperou mais para beijar Hope aprofundando o beijo sem nenhum pudor. A morena prensou o corpo da morena na porta. Josie sentiu suas pernas fraquejarem.

“Que pegada” – pensou quando as mãos de Hope apertaram sua cintura. Hope deu impulso para que Josie rodeasse suas pernas em sua cintura e foi com a morena para a cama. – “Oh céus...Se a boca dela for tão boa la em baixo como é aqui em cima pagarei três mil dólares sem reclamar” – Josie sentiu suas costas tocarem a superfície macia do colchão. Hope enfiou suas mãos por baixo da blusa do pijama de Josie, enquanto as mãos da morena estavam entrelaçadas em seus cabelos avermelhados.

“Eu finalmente vou poder aperta essa bunda” – Hope nem sabia de onde havia vindo esse pensamento, mas desceu as mãos até a bunda de Josie e apertou.

- Ahh – Josie arfou. Logo ela trocou de posição, ficando por cima. Hope gostava de comandar, mas adorou o fato de Josie ter ficado por cima sentada na sua cintura. – Três mil? – Josie perguntou separando os beijos por um momento.

- Shiiii – Hope não queria falar sobre aquilo. Até porque ela não estava fazendo por conta do trabalho e sim porque queria. Ela desceu os beijos para o pescoço da morena que estava sentada em seu colo. Josie puxou o blusão de Hope, a deixando apenas com uma calcinha. Hope logo resolveu puxar a blusa de Josie, a mesma também estava sem sutiã.

- Espera – Josie falou ofegante. Hope pediu mentalmente pra ela não voltar atrás – Eu nunca fiz... – Hope se sentiu aliviada.

- Há uma primeira vez pra tudo – Hope falou distribuindo o queixo de Josie.

- Eu não sei o que fazer. – Josie estava de olhos fechados por conta dos carinhos de Hope.

- Não precisa se preocupar. Você pode me tocar onde quiser. – as mãos tremulas e inseguras de Josie desceram dos ombros de Hope e tocaram os seus seios. A morena não conseguiu impedir o gemido baixo que saiu – Isso, não sinta medo de me tocar. – Hope apertou a bunda de Josie.

“Céus posso ficar fazendo isso o dia inteiro” – pensou olhando para a bunda da morena. Josie deu um rebolado lento. Hope desceu os beijos pelo busto da mais nova que apertava os seios dela sem pudores agora. A boca de Hope chegou aos seios, médios e despidos de Josie. Quando a boca quente e úmida da morena tocou os seios túmidos da morena, a mesma não conseguiu segurar o gemido rouco que saiu da sua boca. As mãos de Josie foram para os cabelos da ruivos ditando o os movimentos. Hope sugou fortemente o bico do seio esquerdo, o que fez a morena rebolar mais lentamente no seu colo. Josie nunca havia se entregado tão rápido a alguém, mas ela confiava em Hope, de uma maneira estranha. Sua calcinha transbordava por conta de sua excitação. Ela não agüentava mais e começou a roçar o sexo na coxa de Hope.

- Ohhh Hope – Josie gemeu quando a mão de Hope a tocou por cima da calcinha. Hope trocou a posição novamente, ficando por cima. Ela queria sentir o gosto de Josie em sua boca, mas antes de descer seus beijos para a parte desejada, ela subiu novamente e beijou os lábios da morena. Era um beijo apaixonado e cheio de intimidade, mesmo ambas tendo se conhecido só a dois dias.

Depois de mais alguns beijos, Hope foi descendo pelo corpo magro, e quando chegou em sua barriga, enfiou a língua dentro do umbigo de Josie o que fez a mais nova se contorcer. As mãos de Josie empurraram levemente a cabeça de Hope para baixo e a ruiva foi tirando lentamente a calcinha da outra, ficando de frente com o sexo rosado e molhado de Josie, não era completamente depilado, mas os seus pelos eram curtos e muito bem aparados. Hope passou o nariz pela intimidade de Josie e fez com a morena gemesse com isso. As mãos de Josie faziam carinho nos cabelos de Hope, o que deixava a ruiva ainda surpresa, mesmo sentindo que Josie queria que Hope fosse mais rápida, ela era sutil e carinhosa. Hope pequenos beijos na parte interna das coxas de Josie e no fim deu um beijo nas dobras da morena. Hope abriu os grandes lábios dela, aplicou alguns beijos castos ali, fazendo com que a mais nova arqueasse suas costas da cama. A ruiva começou a passar a língua, fazia círculos e sugava levemente o nervo da mais nova. Josie estava afogada em gemidos e nenhuma das duas se deram conta de onde estavam e que deveriam serem mais cautelosas. Josie estava na borda, iria gozar, mas não era isso que Hope queria, não agora pelo menos. Mesmo adorando ficar ali, sentindo o gosto de Josie, não queria que a morena gozasse ainda.

- Hope! – Josie reclamou quando a ruiva deitou em seu corpo, depois de tirar sua calcinha.

- Já teve orgasmos múltiplos? – Hope perguntou no ouvido de Josie após rebolar fazendo suas intimidades roçarem. As unhas da mais nova cravaram em suas costas e um gemido rouco saiu de sua boca.

- Não... – Josie havia gozado poucas vezes, Rafael sempre gozava antes dela começar a se divertir.

- Hoje eu vou te da o sonho de muitas mulheres – Hope aumentou a velocidade dos rebolados, deixando a morena louca. Josie gemia no ouvido de Hope o que deixava a ruiva no céu. Os sons dos gemidos de Josie eram quase um coro de anjos para seus ouvidos.

- Ohhhhhh Hopee! – em muito tempo alguém estava dando prazer a Josie. Suas unhas corriam pelas costas suadas de Hope, subindo e descendo junto com o corpo da ruiva. Pelos gemidos mais altos Hope sabia que a Saltzman estava perto, mas ela também estava e não poderia gozar agora. Foi parando os movimentos e Josie apertou as unhas nas costas da ruiva como forma de puni-la pela espera.

- Calma – Hope sorriu ofegante e deu um selinho nos lábios de Josie. Seus dedos ainda faziam o trabalho de masturbação, só que lentos. – Você vai gozar e em muitas posições – Hope se sentou e puxou a mais nova para se sentar entre suas pernas só que de costas – abre as pernas. – Josie tomada pelo desejo obedeceu. Uma das mãos de Hope foi para o seio de Josie e a outra desceu até o seu sexo, a estimulando novamente, fazendo círculos com o dedo médio. – Está bom assim. – Josie gemia manhosamente.

- Sim... – falou arrastado. – Mas...eu quero...mais rápido... – falou com dificuldade a morena.

- Vou deixar você escolher – Hope falava de maneira sensual no ouvido dela. – Você quer gozar assim, esfregando sua bunda maravilhosa em mim ou quer quicar nos meus dedos.

Josie sentiu seu corpo ter um leve espasmo, Hope era pervertidamente perfeita.

- Você é tão safada que tem a audácia de escolher as duas – A morena pensou em contestar, mas antes que pudesse, Hope completou - Otima escolha amor – falou sem perceber a última palavra, que não passou despercebida por Josie. A ruiva introduziu dois dedos na intimidade de Jo. O vai e vem hora era rápido, hora era mais lento, ela queria ver a morena explodir em seus dedos sem pudores e com certeza faria isso, Josie era uma mulher totalmente diferente na cama. Era selvagem e audaciosa, ela adorava isso, estava completamente louca com Josie. A queria em todas as posições e por mais de uma noite. Eram pensamentos involuntários, mas eles provinham de dentro de Hope, ela já não os podia controlar.

- Ahhh... Hope.... ahhhhh....Hope...Hope....Hope.... – Josie gemia o nome dela seguidas vezes. O corpo de Josie começou a tremer e a mais nova achou que fosse morrer, fazia tanto tempo que não tinha um orgasmo que havia esquecido como era bom estar presta a enfartar, enquanto alguém lhe penetrava. Um gemido agudo saiu da sua boca, Hope virou seu rosto tentando abafar com sua boca o gemido. Continuou os movimentos para prolongar ainda mais. Josie sentia seu corpo ficar mole, mas Hope não fazia menção em parar. A ruiva a virou de frente a fez sentar em seu colo. Josie apoiou o rosto na curva do pescoço de Hope.

- Você vai sentar nos meus dedos? – A ruiva fazia um vai e vem com os dedos dentro de Josie enquanto ainda a estimulava com o dedão.

- Aham – foi tudo que ela conseguiu responder. A mão livre de Hope segurou a cintura da latina e logo Josie começou a subir e descer com o restante da suas forças, a cada vez que seu corpo descia os dedos de Hope iam mais fundo. Alguns minutos mantendo aquela velocidade Josie iria gozar novamente, mas agora ela mordia o pescoço de Hope para conter seus gemidos. – isso... – gemeu baixinho. Um tapa forte e estalado, na sua nádega esquerda, trouxe uma dor prazerosa para Josie, a incentivamente a subir e descer mais rápido nos dedos de Hope. Seu ventre começou a se contrair, ela iria gozar pela segunda vez, no mesmo dia e em menos de meia hora. – Eu vou...vou...go...- Josie nem conseguiu terminar a frase seu corpo tremia fortemente por conta do orgasmo violento que tivera. Hope continuou com os movimentos e viu a morena revirar os olhos enquanto falava coisas sem sentido, a única coisa que ela conseguiu entender foi seu nome sendo dito algumas vezes.

Hope segurava as costas da outra protetoramente, fazendo o corpo das duas ficarem praticamente colados. Ela não queria soltar Josie, não queria quebrar o contato entre elas. Suas mãos fazia carinhos nas costas da mais nova, sua boca distribuía beijos castos pelo pescoço suado.

- Você está bem? – Hope retirou alguns fios de cabelos grudados da testa da morena, que tinha as bochechas coradas e os olhos pequenos.

- Sim... – respondeu aérea – Muito...sim – Hope sorriu, vendo que ela ainda estava se recuperando.

- Foi maravilhoso – Hope beijou sutilmente os lábios de Josie.

- Foi – Josie finalmente havia se recuperado.

Josie mesmo destruída pela noite de sexo, porque as duas continuaram até quase o sol nascer, se levantou em protesto. Hope já não estava mais na cama e agora a ficha começava a cair.

- Eu transei com Hope – ela falou saltando da cama – Puta que pariu, eu transei com a Hope – ela andou até closet e viu as marcas da noite anterior em seu corpo. – Caralho, e agora? – correu até o celular e discou o número de Mary Louise – Eu transei com a Hope – ela falou assim que a loira atendeu.

- Até quem fim tirou as teias – Mary Louise comemorou. Ela sabia que Josie havia transado porque Lizzie gravou os gemidos e mandou para ela. Foram quase quarenta minutos de gemidos altos de Josie, ela não falaria nada porque sabia que a amiga estava pirando

- Não Mary Louise, você não entende, a gente transou e não foi uma vez... espera será que são três mil por transa ou por noite? – Josie se sentia nervosa, se fosse por transa nunca teria dinheiro para pagar.

- Foram tantas assim?

- Transamos até de manhã – Josie falava nervosa. Ela havia tomado banho antes de dormir por isso só se vestiu. – Mary Louise eu gozei mais ontem a noite, do que no meu namoro com Rafael. – Mary Louise deu uma risadinha.

- Os dedos dela são poderosos. Você tinha bebido?

- Não. Ela chegou falando que realmente me achava engraçada e que não estava caçoando de mim, ela tem uma boca sexy, o cheiro dela é tão bom, quando deu por mim, já estava nua na cama tendo três orgasmos de uma vez.

- Você teve orgasmos múltiplos, que inveja de você – Mary Louise falou.

- E agora Mary Louise?

- E agora o que? – Mary Louise ainda não havia entendido

- Como vou olhar pra cara dela?

- Ué como você olhou ontem antes dela te comer de todas as formas. – Mary Louise não podia deixar passar a oportunidade.

- E como eu faço com o dinheiro? Entrego pra ela? Coloco na mala dela? – Josie estava nervosa.

- Converse com ela antes – Mary Louise havia conversado com Penelope sobre Hope, após descobrir de Josie que as duas se conheciam muito bem e tinham um relacionamento próximo em Nova York e as suas suspeitas foram se tornando conclusões quando Penelope contou sobre Hope não agir daquela maneira com ninguém.

- Eu...eu.. vou ir tira o dinheiro no caixa do mercado, quer ir comigo? – Josie falou desanimada.

- Ta, nos encontramos na sua porta – o supermercado ficava a duas quadras dali e não era longe.

Hope acordou mais cedo para preparar o café de Josie. Mesmo tendo uns quinze minutos de uma luta interna sobre não fazer aquilo ela queria. Josie havia sido diferente, então ela tinha que agir diferente. Com a ajuda de Milton terminou de preparar as torradas e os ovos mexidos.

- Que cheiro bom. – Dana passou pela porta da cozinha

- Hope está fazendo um café da manhã romântico para Josie. – Milton respondeu sorrindo

- Josie acabou de sair correndo pela porta – Dana apontou para porta. Hope foi até a janela e viu a latina saindo com Mary Louise.

“Acho que ela não leu meu bilhete” – Por dentro ficou decepcionada, mas não demonstrou.

- Sinto muito – Milton deu um tapinha no ombro esquerdo de Hope.

- Tudo bem. – Ela respondeu de maneira simples – Já tomou café Dana?

- Não – Dana sorriu.

- Quer se juntar a nós? – A mulher se aproximou e Hope puxou a cadeira para ela. – Vamos comer Milton. – Hope chamou o homem que se sentou.

- Me surpreende Josie poder correr – Milton falou e Hope gargalhou com aquilo, ela realmente estava se afeiçoando ao rapaz.

Os três terminaram o café da manhã. Hope se propôs para lavar a louça. Dana a ajudou, enquanto Milton estava terminando de cortar a grama da parte de trás da casa. Lizzie e os pais saíram cedo para resolver sobre a ornamentação e outras coisas. Pela janela da cozinha Hope viu Josie chegando, só que dessa vez com Rafael, ela desceu do carro dele. Ambos riam de alguma coisa. Dana percebeu que ela estava olhando para os dois.

- É estranho ver eles dois sorrindo desse jeito. Josie não consegue nem ficar no mesmo ambiente que ele por cinco minutos, bom é o que ela demonstra quando estamos todos reunidos. – Dana falou.

- De repente ambos tenham crescido e superado o passado – Hope secou as mãos no pano de prato e ficou de frente para Dana.

- Você ficaria bem com a pessoa que te traiu? – Dana ergue a sobrancelha.

- Eu sinceramente não sei, talvez eu seja educada com a pessoa – Hope ficou pensativa – Mas ter a mesma confiança e intimidade de antes, com certeza não acontece.

- Vocês britânicos são tão, diferentes – Dana falou sorrindo

- Não é questão de naturalidade e sim de caráter e educação. – Hope cruzou os braços.

- Você já traiu alguém Hope? – Dana estava jogando em campos perigosos, mas mesmo assim não perderia para sua prima. Hope percebeu a indireta da mulher.

- Não, nunca trai – Era a mais pura verdade. Hope nunca teve um relacionamento serio, por tanto logo nunca traiu ninguém.

- Dizem que todos tem seu preço – Dana sorriu diabolicamente. Hope encarou a mulher de cima a baixo.

- Desculpe não estou disposta a pagar o seu preço – O sorriso da mulher morreu na hora e no mesmo instante Josie e Rafael entraram na cozinha ainda rindo. Sendo que o riso teve fim quando viram as duas ali.

- O que estão fazendo? – Rafael perguntou

- Terminando de tomar café – Dana respondeu.

- Eu estou faminta, o que tem? – Josie entrou no meio das duas.

- Acabou – Hope respondeu. Ela não estava nada feliz com tudo aquilo que estava acontecendo.

- Eu também estou com fome – Rafael falou

- Senta ai que eu vou fazer torradas com ovos mexidos pra gente – Dana olhava aquilo se divertindo.

“Josie é tão idiota que eu nem preciso dá em cima de Hope pra que ela largue dela” – Dana pensou.

- Seu café da manhã preferido – Dana pontuou.

- Eu vou ajudar Milton a cortar a grama. – Hope saiu da cozinha. – Quer ajuda? – Hope perguntou assim que pisou na grama.

- Seria uma honra – ele falou divertido. Hope logo pegou o cortador e foi passando, pelos locais que o mato estava alto – Ainda tenho que puxar a fiação. A festa vai acontecer aqui – era um local bem espaçoso.

- Eu te ajudo, não tenho nada para fazer mesmo até a hora do jantar.

Os dois ficaram cortando a grama e arrumando tudo, tamparam a piscina, mas ainda faltava colocar as cadeiras e as mesas no local. O jantar de noivado também aconteceria ali. O pessoal da ornamentação começou a chegar, mas Hope e Milton ainda estavam colocando as mesas. Os dois pareciam se divertir.

- Você precisa conhecer minha amiga Veronica, ela é louca – Hope falou terminando de colocar a ultima mesa.

- Podemos marcar algo, estou indo para Nova York depois da minha lua de mel para poder tentar abrir uma loja lá.

- Acho que posso te ajudar com isso. Como já falei eu tenho um shopping. – o homem assentiu sorrindo – Eu posso negociar uma sala com você.

- Seria ótimo, mas não vamos falar de negocio que minha noiva chegou e ela vai me matar – Milton fez uma careta engraçada e Hope assentiu sorrindo.

- Vocês ainda estão ai? – Lizzie saiu de casa. Ela já estava vestida. – Daqui a pouco os convidados chegam e vocês ainda nem se vestiram. Vão que eu fico de olho no pessoal. – Os dois pararam o que estavam fazendo e entraram, Milton antes de entrar deu um beijo na noiva.

- Josie é mandona assim também?

- Hope vai se vestir, já está quase na hora – Josie estava descendo a escada colocando os brincos. Hope ficou um tempo admirando a beleza da morena.

- Esquece, já tive minha resposta. – Milton falou rindo e subiu correndo as escadas.

- Já estou indo – Hope estava suada e Josie pode notar a sua blusa cinza colada no corpo e os flashes da noite passada vieram a sua mente.

- Eu deixei o... – ela não pode terminar a frase porque Hope já havia subido as escadas e chegado ao quarto.

“Fiquei muito tempo reparando nela que até esqueci de avisar do dinheiro. Nota mental: Avisar do dinheiro na sua mala.” – Josie saiu para encontrar a irmã.

- Não isso é ali. – Lizzie falou.

- Calma estressadinha – Josie abraçou a irmã.

- Eles parecem que não escutam. – Josie estranhou a irritação da irmã – O que tanto ria com Rafael? – Lizzie perguntou curiosa.

- Como assim?

- Quando passei pela sala mais cedo vocês estavam cheios de risinhos e conversas.

- Decidimos ser amigos – Josie sorriu.

- Ihhh – Lizzie negou com a cabeça – Isso não vai da certo.

- Como assim? – Josie falou sem entender.

- Você está com a Hope e fica de risinho pra todo canto com seu ex. Jojo Jojo, não sei como conseguiu a Hope, mas aconselho a não trocar ela pelo babaca do Rafael.

“Como vou trocar alguém que nem é meu” – Josie pensou um pouco decepcionada. Ela havia adorado a noite anterior, mas Hope era profissional, nem em um milhão de anos aceitaria sair com ela ou teria um relacionamento.

- Para de falar besteira, só queremos nos tornar amigos.

- Depois não diz que não te avisei e não vai ficar chorando pelos cantos no meu casamento não. Quero todo mundo lindo e maravilhoso nas fotos... Não, essa lâmpada não pode ficar ai – Lizzie saiu em direção ao homem que pendurava as lâmpadas, só faltava aquilo para o local ficar pronto.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...