História Aconteceu no Outono. - Capítulo 42


Escrita por:

Postado
Categorias Criminal Minds
Personagens David "Dave" Rossi, Dr. Spencer Reid, Emily Prentiss, Jennifer "JJ" Jareau, Penelope Garcia, Personagens Originais
Tags Drama, Romance, Suspence
Visualizações 46
Palavras 3.124
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Festa, Lírica, Literatura Feminina, Luta, Mistério, Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


No Teu Rosto
No teu rosto
competem mil madrugadas

Nos teus lábios
a raiz do sangue
procura suas pétalas

A tua beleza
é essa luta de sombras
é o sobressalto da luz
num tremor de água
é a boca da paixão
mordendo o meu sossego

Mia Couto, in 'Raiz de Orvalho'

Capítulo 42 - Ela disse SIM! (parte 2)


Fanfic / Fanfiction Aconteceu no Outono. - Capítulo 42 - Ela disse SIM! (parte 2)

Capítulo 42  Ela disse SIM! (parte 2)

                                                                                                “Largo tudo

                                                                                                 Se a gente se casar domingo

                                                                                                 Na praia, no sol, no mar

                                                                                                 Ou num navio a navegar

                                                                                                 Num avião a decolar

                                                                                                  Indo sem data pra voltar

                                                                                                  Toda de branco no altar

                                                                                                  Quem vai sorrir?

                                                                                                   Quem vai chorar?

                                                                                                   Ave Maria, sei que há

                                                                                                  Uma história pra sonhar

                                                                                                   Pra sonhar..” (Marcelo Jeneci-)

 

O tempo passou demasiadamente rápido para Spencer e Emily desde naquela amanhã em que ele pediu a mão dela em casamento, três dias depois eles conseguiram a guarda provisória da pequena Anne, que seria definitivamente filha deles após seis meses, que seria dali um mês.

E no momento presente Spencer estava se arrumando para casar com a mulher que fazia seus dias serem repleto de felicidade, junto com a doce Anne, que aceitou Emily sem nenhuma dificuldade, ao serem apresentadas ela perguntou ao Spencer se ela era sua mãe, Emily respondeu com doçura e dizendo a pequena, que a fitava com os olhos negros tão semelhantes ao seus.

— Eu quero muito ser a sua mamãe Anne e você quer ser minha filha?

A menina olhou para Emily por alguns segundos em seguida com a voz doce declarou.

— Eu quero sim, você “mamely”?

Ali nascia uma nova mãe com a filha mais linda que uma mãe poderia sonhar, e naquele momento com a assistente social Srta. Longly, a Sra. Hoddes observando a cena,todos tinham lágrimas nos olhos, pois presenciavam o nascimento de uma linda família e uma vida que prometia ser feliz para a doce Anne, que nasceu perdendo, mas a vida que por diversas vezes nos presenteia, acabava de presentear  a linda menina, 

Neste momento Spencer era tirado dos seus pensamentos pela voz de Derek que lhe dizia.

— Acho melhor você tomar uma dose do whisky do Rossi, você está muito nervoso Prety boy”

Ele retrucou negando.

— Eu não estou nervoso Morgan, só ansioso para ver Emily e Anne que ontem não dormiram em casa.

Rossi ria ao tentar acalma-lo, com Luke, Matt e Derek, fazendo gracejos  

— Não se preocupe Reid, isso é normal, Emily e a doce Anne estão na casa da JJ, junto com sua mãe e um batalhão de madrinhas, com certeza s enfeitando-se para o homem da vida delas, você!

Derek Morgan não facilitava as coisas ao dizer.

— Relaxa “Prety boy”, vai treinando para esperar mulheres se aprontando pelo resto da sua vida!

— Elas sempre demoram muito, por mais simples que seja o evento, e se for uma noiva, é quase uma eternidade até ficarem prontas.

Sorrindo Matt Simmons tentou de verdade acalmar Spencer.

— Não ligue para ele Spencer, pode ter certeza que a espera sempre vale a pena.

Não muito longe uma noiva estava quase maluca com sua pequena turma de madrinhas e a sogra Diane Reid, que estava muito feliz com a escolha de Spencer, que ainda haviam lhe dado uma neta linda e doce, em torno de uma Emily totalmente nervosa, elas falavam todas ao mesmo tempo, Penélope lhe trouxe algo emprestado para lhe dar sorte, um broche bem delicado em forma de borboleta, Tara trouxe brincos de pedra azul, JJ lhe presenteou  com um lindo conjunto de lingerie vermelho, como símbolo de paixão, Savannah foi responsável pelo lindo buquê de pequenas flores de cores suave, a mãe de Emily não esqueceu de trazer o véu de renda que foi usado por três noivas da família Prentiss, que ela com certeza guardaria para Anne, Emily estava totalmente emocionada  ao ouvir JJ falar.

— Toda noiva precisa de algo emprestado, algo azul, algo novo, e alguma coisa antiga para lhe dar sorte no dia mais especial da sua vida, acho que você tem tudo Emily, sem falar do noivo maravilhoso que com toda certeza deve estar nervoso lhe esperando no altar.

Com as lágrimas teimando em cair pela face Emily estava pensando em dizer algo quando sentiu sua visão escurecer seu pensamento antes de desmaiar foi: acho que hoje ainda não comi nada, o cheiro do café da JJ, a tinha deixado enjoada, em minutos foi socorrida pelas amigas madrinhas, que ajudaram Emily sentar-se na cama, seu rosto estava pálido como cera, Penélope dizia que foi de emoção, enquanto as outras mulheres colocando um copo de água nas mãos de Emily perguntavam rindo felizes JJ, quis saber.

— De quanto tempo você está grávida Emily?

Ainda um pouco zonza Emily tentou fazer as contas, mas com tantos acontecimentos não conseguiu e respondeu.

— Eu ainda não sei, talvez dois meses e pouco! — Não tenho certeza não fiz o exame.

A alegria se multiplicou por mil, todas davam os parabéns, e faziam piadas do quanto Spencer tinha caprichado, neste instante trazida pela babá dos filhos da JJ, Anne entrou no quarto vestida como daminha e ignorando as tias com quem já se dava muito bem,correu direto para os braços de Emily dizendo em tom de queixa.

Mamely” olhe meu vestido! — Henry disse que eu também sou a noiva, não gosto dele dizer assim.

Todas davam gargalhadas enquanto Emily abraçando a filha disse.

— Não se preocupe querida, você ainda não é noiva, e Henry é o pajem e você minha daminha de honra, e está linda neste vestido, eu te amo!

 — O papai vai adorar lhe ver assim.

—Eu te amo Mamely e papai Spene também!

Poucos mais de quarenta minutos depois, Emily era entregue pelo pai, ao homem que seria o seu amor para o resto da vida, o jardim da mansão de Rossi estava fabulosamente decorado, com lanternas de cores variadas, e muitas flores, o caminho até o altar era um tapete de rosas vermelhas e folhas amareladas, com velas dando um toque harmonioso e romântico, um quarteto de violonistas tocou a marcha nupcial enquanto Emily com lindo vestido de noiva na cor rosa chá e um véu de renda francesa lhe cobrindo parcialmente o rosto sorria olhando direto para o altar procurando o rosto de Spencer, que estava ao lado mãe seu olhar era de pura ternura para a mulher que lhe logo seria sua esposa e caminhava em sua direção.

A cerimônia foi emocionante Rossi se preparou para ser o ministro com direito de realizar o casamento daqueles que eram seus melhores amigos no caso do Spencer o filho que ele gostaria de ter.

Foi com a voz totalmente embargada pela felicidade que os noivos pronunciaram seus votos de maneira tradicional.

— Eu te aceito Emily Prentiss, como minha esposa, na saúde, na doença, na riqueza, na pobreza, na alegria e na tristeza, com você sorrindo, ou chorando, ou me fazendo sorrir, por todos os dias da minha, te prometo ser fiel, te amar, te respeitar em todos dias da minha vida até que a morte nos separe.

Emily repetiu aos votos acrescentando.

— Eu te aceito Spencer Reid, como meu esposo na saúde, na doença. Prometo te amar, te respeitar e aguentar com amor o seu jeito as vezes desligado, atrapalhado, mas sempre afetuoso e gentil, não precisa mudar nada, pois você é o homem que escolhi para ser o amor da minha vida e pai dos nossos filhos.

A pequena Anne e o Henry se aproximaram, entregando as alianças, que Spencer tremia ao colocar no dedo de Emily, lhe prometendo amor eterno, e Emily fez o mesmo, em seguida ouviram a voz de Rossi dizer.

— Com o poder que o Estado me conferiu Spencer Reid e Emily Prentiss, eu os declaro marido e mulher e rindo emocionado completou.

— Reid, já pode beijar a noiva.

Um pouco atrapalhado pela emoção, ele a tomou nos braços e a beijou docemente, enquanto eram ovacionados por palmas e gritos dos convidados, em seguida pegando Anne no colo disse.

— Você é a princesa do papai, eu te amo filha e amo a mamãe “Mamely”

Os três fizeram o caminho de volta para fora da capela lindamente decorada no imenso jardim da mansão de David Rossi, debaixo de uma espetacular chuva de arroz.

A festa sem dúvida foi em grande estilo, um palco com música ao vivo, uma pista de dança, um buffet maravilhoso, Spencer e Emily dançaram a valsa tocada num piano, e a música escolhida por Emily foi a soma de todos os bilhetes que ele tinha espalhado no caminho de pétalas de rosas ao lhe pedir em casamento.

 

“Eu sei que vou te amar

Por toda a minha vida eu vou te amar

Em cada despedida eu vou te amar

Desesperadamente

Eu sei que vou te amar

E cada verso meu será pra te dizer

Que eu sei que vou te amar

Por toda a minha vida

Eu Sei que vou chorar

A cada ausência tua eu vou chorar,

Mas cada volta tua há de apagar

O que essa ausência tua me causou

Eu sei que vou sofrer

A eterna desventura de viver a espera

De viver ao lado teu

Por Toda a minha vida.

(Tom Jobim)

Após a valsa dos noivos a pista de dança logo ficou lotada de casais, alguns quase que recém assumidos como Tara Lewis e o belo Agente da Interpol, Patrick Morris, que lutou incansavelmente para conquistar o coração da linda morena de olhar enigmático, mas de um sorriso docemente encantador, Rebbeca Parker que para surpresa de Emily tinha conquistado o coração de ninguém menos que o bonito Richard Preston Johnson, que ao não receber o telefonema de Emily para confirmar um encontro, entendeu que o havia acontecido entre eles havia ficado no passado, Luke Alvez se entendia cada vez melhor com Penélope Garcia, que perdia o ar cada vez que ouvia o som da voz dele, contudo relutava em admitir.

 Os amigos de Spencer da Happy Child, também estavam presentes no casamento, com exceção de Ruby que estava viajando para Suécia com Oliver que tinha sido indicado ao Prémio Nobel da Paz, pois como jornalista teve seu trabalho reconhecido como um ativista incansável pela paz entre os povos, ele  Ruby  haviam casado numa capela rústica, repleta de flores do campo, tendo como padrinhos um casal de jardineiros que trabalhavam no hotel onde eles estavam passando a pré e depois lua de mel em Lexington.

Robert Cooper que tinha seguido o conselho de Ruby e levou Milla para um fim de semana em Cheaseapeck, agora abraçavam o recém-casados, com Milla feliz ao extremo mostrando o enorme anel de brilhante para Spencer que ria ao dizer.

— Parabéns Srta. Milla, finalmente conseguiu laçar o nosso pobre amigo, mister simpatia, sedução e generosidade, mais conhecido como Sr. Robert Cooper.

O dois beijaram-se ouvindo os gritos e provocações de Peter Grenn e Kelly Evans, Amanda e o marido, Emily sentia-se encantada com os amigos de Spencer, agora seus também. 

A festa estava no auge quando Spencer e Emily decidiram ir embora, antes ela jogou o buquê que caiu suavemente nas mãos de Tara Lewis, a alegria foi geral, a equipe da BAU, tentavam cantar, “Com quem será...com quem será... Enquanto Morris a beijava levemente e falava baixinho no seu ouvido.

— Quer casar comigo dra. Tara Lewis?

Neste  momento os felizes recém casados, despediam-se de Daine Reid, e da filha Anne, que sem entender direito queria ir junto com a “Mamely” e o “papai Spene”, que lhe explicavam que logo estariam de volta, para ela se comportar e cuidar com carinho da “Vovó Di”, a menina logo se animou, pois adorava a avó, enquanto eles estivessem viajando JJ, Penélope e Tara, se revessariam no cuidado com as duas.

Abraçando e beijando Emily e Spencer, Diane estava muito emocionada, ao dizer ao filho e a nora.

— Cuidem-se bem, façam um ao outro feliz e Spencer tome cuidado durante a viagem, não deixe Emily se esforçar muito.

Spencer ficou surpreso ao ouvir a recomendação final da mãe, e olhando para Emily que não disfarçou a alegria perguntou.

— Eu vou ser pai de novo meu amor?

Emily estava na dúvida ao responder pois não tinha feito nenhum exame, no entanto JJ, tratou de esclarecer, rindo de felicidade pelo casal.

— Pode ter certeza que vai, pois só mulheres grávidas enjoam do meu café!

E Penélope completou falando no melhor estilo Spencer Reid”, mil palavras por segundo sem respirar.

 — Ela também teve um pequeno desmaio, acho que isso fecha a questão meus queridos, sem dúvida hoje é o dia mais felizes de todos os dias, eu até deixei o Alvez me beijar!! Acho que já bebi demais, preciso encontrar o bonitão novato, quero dizer o Luke, aí meu Deus como estou confusa, é muita coisa para esse meu coraçãozinho não sei se vou aguentar!!

Todos riram com a alegria de Garcia e nem um pouco surpresos com a declaração dela.

Spencer não se aguentando e felicidade beijou Emily e logo perguntou se ela estava sentindo alguma coisa, se seria prudente eles viajarem. 

Com os olhos rasos d’agua Emily o beijou de leve nos lábios e sorrindo declarou.

— Eu não estou doente meu amor, e a única coisa que estou sentindo é felicidade e muita, nem sei dizer quanta.

Ele passou a mão na barriga dela dizendo.

— Não sei se aguento tanta felicidade minha querida.

Neste minuto ela lembrou-se que não sabia para onde iriam viajar em lua de mel e quis saber.

— Spen, para aonde nós vamos? — Não sei se estou levando roupa adequada para o lugar.

Spencer demostrou verdadeira surpresa ao dizer.

— Na verdade eu não sei meu amor, os responsáveis por essa maravilhosa cerimônia não me deixaram escolher, acreditei que você foi quem escolheu.

Antes que eles tentassem desvendar esse pequeno enigma, a doce Anne os entregou um pacote lindamente embrulhado com um papel floral e um envelope endereçado ao Sr. & Sra. Reid, com uma observação: “Abrir no carro.”

JJ, foi rápida ao não deixar que eles fizessem perguntas e disse.

— Vocês precisam correr pro aeroporto ou então vão perder o voo.

Depois de muitos abraços e beijos de despedidas, eles dois entraram no carro que os levariam até o aeroporto, no melhor estilo recém-casados escrito na traseira do carro, assim como flores de papel colocados nos vidros, latas amarradas ao para-choque fazendo barulho e os convidados emocionados acenando um até breve e votos de muitas felicidades.

Assim que o carro deixou para trás os convidados que ainda teriam uma noite quase inteira para aproveitar a festa, Spencer e Emily olhavam com expectativa para o pacote que com certeza continha mais que passagens áreas, ele desfez o laço dourado com cuidado, deparou-se primeiro com um envelope com os dizeres.

“Aos recém-casados Sr. & Sra. Reid.”

Junto com as passagens para Toscana e um bilhete escrito a mão.

 “Emily e Spencer esperamos que aproveitem a viagem, não garantimos que vai ter sol, mas com certeza vocês aquecerão um ao outro, alguém disse que na Toscana ou em qualquer outro lugar do mundo os dias e a noites são sempre de sol, para aqueles que se amam. Nossos votos de muitas felicidades e muitos filhos. Com todo nosso amor. Sr. & Sra. Sanders. PS: Estamos esperando nosso primeiro filho ou filha.”

Spencer e Emily transbordavam de felicidade,ele a beijou docemente em seguida terminou de abrir o pacote deparando-se com um livro que estava escrito na capa.

   

 “Aconteceu no Outono. Um livro da premiada escritora: Ruby Collins Sanders.”

 

Eles riam enquanto faziam suposições e a principal delas era: será que a tal escritora existia mesmo?

Spencer um pouco pensativo deixou por breves instantes sua mente voltar até aquele dia de outono no parque, em que ele estava se sentindo totalmente perdido e encontrou a sua doce e linda Anne, lhe pedindo ajuda para encontrar sua mãe, a imagem da moça de cabelos castanhos claros e cachecol vermelho esvoaçando ao toque da brisa fria, não lhe parecia muito nítida, no entanto ele sorriu ao abraçar Emily e dizer.

— Eu não tenho certeza se ela existe, mas não tenho dúvida que amo você Emily Prentiss Reid, assim como amo a Anne e nosso filho que você carrega na sua linda barriga.

Eles beijavam-se enquanto o avião cruzava o Oceano Atlântico e oito horas depois, felizes como crianças em noite de Natal, Spencer tomava sua linda noiva no colo e entrava na suíte presidencial do belo hotel na Toscana, que antes havia sido um castelo medieval, perfeito para uma lua de mel, o quarto de paredes altas, construído de pedra, tinha uma ante-sala lindíssima com belas poltronas em estilo romano, mesas de canto de madeira rústica com um belo vaso de flores, e luminárias modelo lanternas antigas,um quarto gigantesco com uma enorme cama com dossel e um belíssimo cortinado de tule, uma linda lareira, além de uma mesa para refeições, onde se encontrava um balde de gelo com champanhe, uma bela cesta de frutas da região,  duas rosas vermelhas e votos de felicidades ao lindo casal de recém casados.

Ao bater a porta com um dos pés eles olhando um para o outro se perguntaram juntos.

— E agora?

Com certeza a resposta não poderia ser outra.

Beijavam-se ao dizer.

—Enfim sós!

Pouco tempo depois Spencer com Emily no colo abriu o champanhe e foi cuidadoso ao falar.

— Apenas um gole Sra. Reid, pois você está grávida.

Ela ria encantadoramente ao dizer.

— Concordo com você Sr. Reid, mas não atravessei o oceano apenas para vim aqui tomar champanhe com meu lindo marido, com certeza posso fazer outras coisas bem mais interessantes.

Spencer ria com mais malícia do que doçura ao perguntar.

— O que exatamente minha bela esposa pensa em fazer neste lugar tão lindo com seu marido?

Passando a língua na orelha dele, ela murmurou.

— Tem certeza que não sabe mesmo amore mio?

Devolvendo o carinho só que invadindo um pouco mais a língua dentro do ouvido dela, ele sussurrou com muita malícia.

— Acho que tenho algumas ideias! “la mia bellissima moglie.”

Emily ria dele falando minha bela esposa em italiano, enquanto lhe buscava a boca sugando a língua,Spencer respondeu com o mesmo desejo, não tiveram presa em fazer amor, pois ele adorava fazer Emily tremer de desejo com suas preliminares,cada dia mais atrevidas e criativas... Emily como sempre deixava-se levar pelo toque das mãos grandes e macias de Spencer que sempre lhe proporcionavam um prazer indescritível.

 

Apesar de para eles não fazer a menor diferença a Toscana amanhecia com um belíssimo sol e céu fabulosamente azul. Assim outra locutora anunciava em italiano com certeza em homenagem a eles, e falava alegremente.

 

“—Bom dia meus queridos ouvintes, bem-vindos a Toscana, o dia amanheceu ensolarado e um céu espetacularmente azul, aproveitem o dia para passeios no campo, ou simplesmente desfrutar do seu amor.

 

"-Buon giorno miei cari ascoltatori, benvenuti in Toscana, il giorno è spuntato il sole e un cielo blu spettacolare, godetevi la giornata per le passeggiate in campagna, o semplicemente godetevi il vostro amore.

 

A trilha sonora desta linda história de amor espero que cada um escolha a sua, no idioma que desejar, pois a linguagem do amor é universal...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...