História Across the ocean - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Afrodite, Annabeth Chase, Apollo, Atena, Charles "Charlie" Beckendorf, Connor Stoll, Frederick Chase, Grover Underwood, Luke Castellan, Nico di Angelo, Percy Jackson, Poseidon, Rachel Elizabeth Dare, Sally Jackson, Silena Beauregard, Thalia Grace, Travis Stoll, Zeus
Tags Annabeth Chase, Percabeth, Romance
Visualizações 277
Palavras 1.580
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura!
Fantasminhas, se pronunciem 😉

Capítulo 19 - A aliança inesperada


Fanfic / Fanfiction Across the ocean - Capítulo 19 - A aliança inesperada

Pov: Annabeth

Poderia ser mais de meio-dia lá fora que não poderíamos saber de dentro da escura cela na qual estava trancada junto com minha mais nova amiga, Thalia Grace. Os olhos penetrantes eletricamente azuis de Thalia encaravam o nada à nossa frente, estava tão escuro que eu mal podia ver minhas próprias mãos que tentavam desfazer incansavelmente um nó em meu cabelo. Minha companheira de cela estava calada desde nossa conversa sobre criar uma aliança para derrubar Luke e salvar Nico Di Ângelo. Ainda não tinha certeza se podia mesmo confiar nos dois, mas por enquanto aquela era minha melhor chance de escapar daquele lugar. Um dos capangas de Luke nos trouxe um pouco de comida, pelo o que parecia, nada mais eram do que restos do almoço da tripulação.

Nenhuma de nós quis provar a comida, talvez por acharmos que nela poderia haver traços de veneno ou mesmo por acharmos nojenta a situação em que o frango foi-nos entregue. Por um segundo desejei poder estar com meu pirata favorito, mesmo sabendo que nossa história era relativamente complicada, eu não deixava de pensar no quanto poderia ser interessante escrever aquela "história de amor", mesmo com um provável final infeliz, valia à pena falar sobre ela para outras pessoas, mesmo que fosse apenas para que soubessem que uma condessa real meio-sague pode se apaixonar pelo capitão dos piratas inimigos de seu reino. Valia mesmo contá-la para outras pessoas, não queria que aquele quase romance fosse esquecido para sempre.

Era estranho pensar em Perseu agora como meu ideal de "príncipe encantado", mas depois dos momentos que tivemos, eu não podia mais definí-lo de outro modo que não esse. Meu príncipe encantado era um pirata que partira meu coração, muito interessante.

–Só conseguiremos sair desse lugar quando paramos em seu reino. -disse Thalia tirando-me de meus pensamentos.

–O quê? -perguntei, não estava prestando muita atenção no que ela dizera.

–Estou dizendo que só poderemos sair desde navio quando Luke vier pegar você, para o casamento. -ela explicou.

–Tem certeza? Não posso ficar aqui por muito tempo, eu não tenho certeza se Perseu irá mesmo receber meu recado, eu temo por ele. -falei sentindo meu coração pesar um pouco, pensar nele estava se tornando cada vez mais difícil, mesmo que em alguns momentos ainda conseguia dar sorrisos verdadeiros ao lembrar dos beijos que um dia demos.

–Olha, sei que seu amigo está com problemas, mas nesse momento não poderemos salvar todo mundo agora, tem que ser um de cada vez. -ela explicou com cuidado. - Nesse momento, temos que tirar Nico de sua cela, depois, junto dele, sairemos daqui. É nossa melhor opção, Annabeth.

–Eu sei disso, mas não me deixa nem um pouco mais aliviada. -falei me levantando um pouco, precisava esticar minhas pernas. Ouvi um barulho estranho, parecia um grande porão sendo aberto, alguém estava vindo nos visitar.

–Annabeth Chase! -chamou-me uma voz masculina autoritária, estranhamente abafada que chegava parecer-me forçada. -Annabeth Chase! -chamou-me depois de não obter resposta.

–Estou aqui. -apresentei-me, mesmo sem não conseguir ver quem chamava por mim.

–Vossa alteza deseja ver-lhe nesse momento. -disse abrindo o portão da cela. Sua espada, presa na cintura, lançou um leve lampejo de luz dentro da cela, pude notar que Thalia estava com uma enorme corrente no pé, por isso continuava presa junto comigo, não podia se movimentar. O guarda pegou-me pelo braço e arrastou-me para fora daquele como escuro. Assim que meus olhos encontraram a claridade uma pontada forte em minha cabeça me fez recuar, a luz começou a incomodar meus olhos.

–O príncipe disse o que deseja comigo? -perguntei ao homem.

–Não, estou apenas seguindo minhas ordens. -ele disse.

–Claro que está. -resmunguei.

–Devia agradecer por ainda estar viva, o príncipe não costuma ser muito piedoso. -disse-me o guarda. Tentei olhá-lo melhor, mas um enorme lenço cobria parte de seu rosto, podia ver apenas os olhos negros e uma mecha dos cabelos também pretos. Ao perceber meu olhar, ele tirou o lenço do rosto. Estranhamente, ele pareceu-me conhecido.

–Eu conheço você... -falei com a testa franzida.

É claro que conhece, Condessa. -ele disse. -Fui eu quem a trouxe para cá.

–Nico? -falei meio em tom de dúvida.

–Exato, agora precisamos correr, temo que libertar Thalia.

–Por que não fez isto antes?

–Ela está presa pelas correntes, eu só consegui achar a chave para abrir a cela, ainda não posso tirá-la de lá, a menos se encontrarmos minha espada ou a chave de suas correntes. -ele explicou-me rapidamente a medida que avançávamos pelo corredor.

–Por que me tirou de lá? -indaguei.

–Duas cabeças pensam melhor que um, filha de Atena. -ele disse-me sorrindo.

–Sabe ao menos o que fazer? -perguntei, ele parecia legal, mas ainda não conseguia confiar totalmente nele. Nico era um garoto mais ou menos da minha altura, parecia ser só um pouco mais novo que eu, tinha a pele muito pálida contrastando com os cabelos muito pretos assim como seus olhos. Era um pouco forte, mas não musculoso. Algo nele me lembrava a morte, devia ser por influência de saber quem era seu pai.

–Esperava que você me dissesse. -ele disse-me sorrindo com o canto dos lábios. -Mas seja rápida, Luke não está no navio, mas os homens dele estão, não será fácil.

Pov: Percy.

–O que raios você estava pensando quando tomou o comando do navio? -perguntei para Rachel.

–Estava apenas fazendo o que achava melhor, Percy. -a ruiva explicou-se para mim, estava muito bem arrumada, em seus cabelos vermelhos estavam formados cachos, além de agora vestir roupas que eu havia trazido para Annabeth.

–Por que está vestida assim?

–Apenas achei que merecia me produzir hoje, é um dia especial?

–Para quem? -perguntei confuso.

–Para mim. -ela disse.

–Desculpe-me, mas não entendo o que está dizendo. -na verdade, cada palavra saída de sua boca parecia-me ter sido carregada em uma boa dosa de loucura.

–Percy, você não vê que agora as coisas só tendem a ficar melhores? -ela disse animada, permaneci em silêncio. -Ora, Annabeth deixou o navio, o que significa que não estamos mais sendo perseguidos pelas tropas do Príncipe. -ela disse como se fosse a coisa mais simples do mundo.

–Não tenha tanta certeza disso, ainda iremos atrás de Annabeth. -eu lhe disse.

–Esta é uma decisão estúpida, até mesmo para você. Será que não vê que estamos melhor sem ela? -perguntou ela em tom alterado.

–Não! Eu não estou melhor sem ela! -falei com raiva.

–O que ela fez com você? -perguntou-me descrente. -O enfeitiçou por acaso? Ela só lhe trás problemas, e você ainda por cima está disposto a arriscar tudo por causa dela! Vai levar todos deste navio para às portas da morte! -ela gritou enfurecida. -Qual o seu problema?

–Eu amo. -falei simplesmente, fazendo-a se calar por um segundo.

–Mas ela não ama você. -disse ela friamente, mesmo que nada pudesse contestar sua alegação, eu não conseguia acreditar.

–Você não tem certeza. Não tem provas.

–Ela deixou o navio, deixou você, antes mesmo que pudesse acordar. Se ela ao menos se importasse com você não teria, no mínimo, dito adeus? Quer prova melhor do que essa? -perguntou a ruiva indignada.

–Ela deve ter tido seus motivos. -falei, mas dessa vez sem muita propriedade, para meu azar, Rachel percebeu isso.

–Nem mesmo você acredita nela... -ela disse com um sorriso sarcástico no rosto. -Veja o que está fazendo consigo mesmo, Percy. Você é o capitão dos piratas, não pode deixar-se levar por um sentimento falho como este, Annabeth vai se casar com Luke, ela voltou para o lado dele.

–Como sabe disso? -perguntei.

–Pergunte aos homens, eles foram à ilha hoje, devem ter ouvido a mesma coisa... O príncipe já marcou a data, você a perdeu.

–Não se meta em minha vida, Rachel.

–Estou apenas alertando você, nesse exato momento, ela deve estar nos braços de seu príncipe encantado. -ela provocou.

Pov: Annabeth

Nico tinha derrubado dois dos homens de Luke com apenas um vaso que achara no meio do caminho, eu tinha cuidado de um dos guardas antes de entrarmos, anos tendo aulas de defesa no reino tinham de me ajudar em alguma coisa.

–Estamos ficando sem tempo. -Nico disse. -Logo os primeiros guardas que derrubei irão despertar.

–Você não está facilitando as coisas. -falei, estava vasculhando uma porção de chaves para ver qual delas abriria as correntes que prendiam Thalia.

–Pensei que eu iria resgatar você. -ela disse para Nico um pouco irritada, ele deu um sorriso fraco.

–Você está no mar, seus poderes são fracos, eu podia sair com mais facilidade.

–Poderes? -perguntei curiosa.

–Sim, filha de Zeus, digamos que eu possa fazer algum estrago com raios. -ela disse divertida.

–Mas no mar não pode fazer isso, é território de nosso tio, ela é mais fraca aqui. Explicou-me Nico.

–Da mesma forma que Perseu seria fraco no céu. -comparei.

–Exato. -disse Thalia.

–O que faremos agora? -perguntou Nico para mim.

–Acho que temos de sair do navio, se eles nos pegarem depois do que fizemos estaremos ferrados. -falei.

–Só tem um problema... -falou Nico.

–Lá vem... -disse Thalia.

–O quê é?

–O navio já partiu, estamos ancorados em um lugar novo, não sei onde. Eles podem ser hostis. -ele explicou.

–Não temos tempo para pensar em uma possível festa de recepção, temos que correr. Luke está fora do navio, mas deve voltar logo.

–Tem razão. -disse Nico, assim que consegui achar a chave certa.

–Precisamos sair daqui o quanto antes-disse Thalia, então disparamos os três para a saída



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...