1. Spirit Fanfics >
  2. Actually I Always Loved You (Imagine Kim Taehyung-BTS) >
  3. Na verdade eu sempre amei você...

História Actually I Always Loved You (Imagine Kim Taehyung-BTS) - Capítulo 52


Escrita por:


Notas do Autor


O título do capítulo parece familiar? Sim finalmente o capítulo tão esperados por vocês. Tudo após 50 capítulos e 300 favorito, e eu nem acredito que chegamos a essa marca. Abrigada a todos de verdade! E AGORAAAAA...

Fiquem com o capítulo amores!💜

Capítulo 52 - Na verdade eu sempre amei você...


Eu estava estática ao assistir o carro com as luzes brilhantes sumir da minha vista ao virar o quarteirão.


Mia-S/N me diz o aconteceu aqui?!!-ela puxou meu braço fazendo eu acordar para a realidade.


-eu não…-não conseguia dizer nada.-o Jungkook...


Mia-O Jungkook?-me incentivou a continuar.


-ele não quis aceitar o fim do namoro....e o Tae...-parei de falar piscando duas vezes.


Mia-tá, no caminho você me explica, agora você precisa levar a gente na delegacia.-assenti, mas como eu não vim de carro, peguei o de Taehyung, aproveitando que a chave ainda estava conectada e que depois eu provavelmente vou ter que levá-lo pra casa.


(...)


Estava na delegacia, mais precisamente sentada em uma cadeira de espera enquanto uma moça que parecia ter a minha idade ou um pouco mais velha, cuidava dos meus ferimentos no braço.


Após nós nos identificarmos, o policial pediu para que eu e Mia explicássemos o que tinha acontecido. Eu fui primeiro pois estava muito nervosa e Mia foi depois, está lá até agora. Após dizer o que acorreu, me disseram para esperar pois cuidariam dos meus machucados. Assim como fizeram com Taehyung. Jungkook tinha alguns ferimentos mais sérios, então decidiram levá-lo para o hospital para tratá-lo melhor. 


A moça finalmente terminou o curativo, então a agradeci e me afundei completamente em meus pensamentos.

Eu não conseguia pensar em nada produtivo além da provável discussão que eu teria com Taehyung, mesmo me sentindo culpada pelo o que aconteceu eu estava com raiva dele por brigar com Jeon.


Sai desse meu transe quando ouvi a porta ao meu lado se abrir, era Mia saindo da sala junto de mais um guarda. Logo tomei minha atenção a eles para saber o que iria acontecer depois.


(...)-bom, ouvi as duas e conclui que não passou de mais uma briga entre jovens e eles já estão dispensados.-depois de tanta ansiedade, pude respirar em paz sabendo que não aconteceria nada com os dois. Mesmo que agora eu tivesse um profundo ódio de Jungkook, eu tinha empatia com sua irmã Mia.-pode ir para o Hospital, o seu irmão será liberado logo após ser medicado.-ela assentiu e o delegado foi dar a ordem para que Taehyung e Jungkook fossem soltos.


Mia-S/N eu te peço mil desculpas pelo Jungkook!-ela parecia bem chateada. No caminho eu contei sobre Jungkook e tudo que eu havia passado com ele.-eu não fazia a menor ideia que ele era abusivo assim.-respirou profundamente.


-a culpa não é sua Mia.-tentei confortá-la. 


Mia-eu te asseguro que ele não vai mais te encher a paciência e logo depois daqui, eu vou falar com meus pais para ele começar a fazer terapia.-fiquei surpresa com a frase final, mesmo gostando muito. O que Jeon tinha não era normal.-eu que tanto luto pelos direitos das mulheres, tenho um irmão que acha que você é propriedade dele.-revirou os olhos.


-Mia eu já disse que a culpa não foi sua.-segurei em suas mãos e sorri. A última coisa que eu queria era que ela se culpasse pelo erro do irmão.


Mia-eu vou indo agora, se cuida por favor e... não deixe de ter uma boa conversa com o nervosinho alí.-apontou para Taehyung, que estava sendo solto por uma policial agora.-tchau amiga.-me abraçou e acenou como despedida.


(...)-ele não pode ir sozinho para casa…-segurou as algemas que estava antes nele e as guardou.


-eu assumo a responsabilidade de levá-lo.-sorri fraco para a moça.


(...)-okay, já peguei seus dados antes então já podem ir.-assenti e fiz uma pequena reverência. Estava forçando o sorriso o máximo que pude até ela sair da minha vista.


-vamos.-olhei para o mesmo séria. Ele estava com o rosto bem vermelho e curativos cobriam parte dele. Ele então sem dizer nada, foi até o carro, não perguntou com eu o trouxe ou nada do tipo. Apenas entrou se sentou e virou o corpo para a janela, se mantendo nesta posição o caminho inteiro de volta para sua casa.


Quando finalmente chegamos, estacionei o carro na frente da sua casa, descemos e eu entrei junto dele em sua casa. Ele se sentou em uma ponta do sofá e eu em outra. Tudo isso sem dizer nada um para o outro. Ficamos assim por mais 3 minutos, até que resolvi me manifestar.


-o que você tinha na cabeça pra brigar com ele daquele jeito?-disse sem olhar para ele. Ouço ele rir soprado então olha para ti.


Tae-e o que você tinha na cabeça pra ir visitar Jeon Jungkook?-sorriu com deboche.


-eu perguntei primeiro.-ditei séria.


Tae-Olha S/N, eu realmente estou cansado de sempre te proteger e no final você apenas me descartar.-mudou seu tom de voz, agora ele parecia bem mais sério. 


-e eu estou cansada de você achar que eu não posso me defender sozinha. Eu não faço a menor de ideia de como você sabia onde eu estava e me preocupa saber, parece que tá me perseguindo.-levantei revoltada.


Tae-e se eu não tivesse chegado, o que ia acontecer?-rebateu e se levantou.


-eu ia cuidar de tudo sozinha!-disse segura.


Tae-a sim, eu vi como você estava cuidando de tudo-debochou e eu fiquei quieta, mas quase explodindo de raiva.-qual é S/N, não vai me falar mesmo o que foi fazer na casa daquele otário?-disse mais calmo


-e por acaso isso te importa?-gritei por perder completamente a minha paciência. Se eu pelo menos pudesse dizer que o motivo daquilo tudo era porque ele ficou com outra garota na festa, me deixando na Friendzone.


Tae-é S/N isso me importa sim.-ficou sério novamente.


-ele não parava de encher meu saco e eu precisava dar um fim nisso, ou eu nunca teria paz.


Tae-e porque não falou comigo? Eu teria te ajudado, aliás sou eu que estou te ajudando todo esse tempo.


-porque eu precisava fazer tudo sozinha…


Tae-por que?-alterou a voz novamente. Eu estava ficando nervosa novamente e a vontade de soltar tudo que está preso dentro de mim, só crescia.-desde o dia da festa você está estranha comigo, mantendo distância. Por que está agindo assim?-fez uma pergunta atrás da outra enquanto andava em minha direção e eu dava passos sutis para trás.


-ficar perto de você também está me fazendo mal. Você não consegue enxergar isso?-perguntei com o olhos marejados. 


Tae-pronto, arrumou mais essa.-riu e meu coração se quebrou completamente.-por que não para de dar essas desculpas e conta logo o que aconteceu?-cruzou os braços.


-o caralho…-fechei os olhos tentando manter a calma.-eu mal durmo a noite por conta desses pensamentos, é fácil para você superar alguém quando tem mais dezenas aos seus pés.


Tae-você está fugindo de pergunta. Tem como falar o por que diabos você não quer minha ajuda ou minha companhia?-arqueou a sobrancelha. Fiquei quieta contendo a maior parte das minhas lágrimas.-eu não sou bom o bastante para ter sua amizade ou não f…-o cortei.


-por que Kim Taehyung, eu gosto de você! Na verdade eu sempre te amei.-o interrompi e ele me olhou surpreso. Sentia um grande alívio por finalmente ter colocado aquilo pra fora.-por isso não posso ficar perto de você. Não posso superar um sentimento não correspondido ao seu lado, eu fui até Jungkook para dizer que tudo havia acabado, eu preciso ficar em paz!-tentei enxugar minhas lágrimas na manga da minha blusa, mas falhei miseravelmente pois outras vinham em seguida. Ele não falou nada e continuava com a cara de surpresa.-por favor me entenda, eu te amo, mas não posso superar esse sentimento com você no meu pé.-funguei procurando ar.-me desculpa, mas eu não pude conter esse sentimento.-fechei os olhos por um segundo tentando me recompor e quando eu o abro, Taehyung estava se aproximando de mim.-que foi…?-ele me olhava sério.-para com isso por favor.-me virei para sair dali, mas sou impedida pelo maior que me puxou pela cintura. E logo após juntar nossos corpos, levou sua mão a minha bochecha e colou nossos lábios num beijo. Tomei um susto com o ato do maior, mas eu estava tão carente naquele momento, que não pensei duas vezes antes de retribuir ao beijo. 

Minhas lágrimas continuaram a rolar por minha bochecha e com isso senti seu gosto salgado em minha boca. Mas após alguns segundos, cai na real e me distanciei do mesmo.-o que você pensa que está fazendo?


Tae-princesa, você podia ter me dito logo que gostava de mim.-se aproximou de mim novamente e começou a fazer um leve carinha em minha bochecha, também limpando minhas lágrimas. Tombei a cabeça para o lado confusa. Eu estava esperando todas, menos essa resposta.-não entendeu?-sorriu.-estou dizendo que eu também te amo bobinha.-arregalei os olhos, meu coração começou a bater mais rápido do que nunca e eu pensei que teria um infarto naquela hora. Eu ouvi bem? Kim Taehyung disse que também me ama?


-seu idiota, babaca…-falei enquanto dava vários tapas no mesmo, enquanto chorava cada vez mais.- tu acha que eu tenho cara de trouxa?


Tae-ai sua louca! Eu disse que também gosto de você, por que tu tá me batendo?-tentou se proteger de mim com seu braço. Sim, eu estava irritada com ele, como ele ousa brincar com meus sentimentos assim?


-você nunca mais fala comigo.-falei séria e quando ia sair ele me puxa novamente, mas dessa vez para um abraço. Tentei sair dali me debatendo, mas ele não sei nem brecha. Desisti disso ainda chorando e ele me abraçou mais forte.


Tae-eu espera uma declaração dessa a muito tempo, não estraga o momento por favor.-disse baixo.


-por que tá fazendo isso?-disse cabisbaixa, ainda sem retribuir o abraço.


Tae-tu é surda ou o que?-parou para olhar pra mim, me olhava indignado.


-eu fui treinada para não cair na lábia de garotos como você.-quando ele desfez o abraço, olhei ele de cima a baixo com os braços cruzados. 


Tae-mas tu acabou de falar que tá gostando de mim.-cruzou os braços me imitando. Eu podia ficar mais brava, mas achei aquilo a coisa mais fofa do mundo. O que o amor tá fazendo comigo?


-para...isso é vergonhoso.-ri, mas tampei o rosto com minhas mãos para ele não ver.


Tae-você sorriu!-fez eu tirar as mãos de meu rosto, então abaixei minha cabeça para esconder minha expressão.-ei, quer que eu fale de novo?-disse levando meu queixo de leve.-eu te amo…sou perdidamente apaixonado por você S/N.-sorriu e me deu um selinho rápido. Como eu ainda estou viva? Isso tá bom demais pra ser verdade.


-você não precisa fazer isso Tae…-ele pareceu confuso.-não precisa dizer que gosta de mim por pena.-sorri fraco.


Tae-por que acha que eu faria isso?


-na festa...eu lembro quando você ficou com aquela garota, eu te conheço bem apesar de não parecer.-me distanciei dele logo após falar.


Tae-ei, olha pra mim.-veio até onde eu estava, sentando ao meu lado e segurou minhas duas mãos.-eu não fiquei com a garota na festa, porque no mesmo momento que eu aceitei ficar com ela eu já notei a minha burrada, eu ia me declarar para você quando…-desviou o olhar, mas eu já tinha entendido bem. Quando eu ia ficar com aquele garoto vestido de coringa…


-acho que é mais fácil aceitar uma decepção amorosa do que acreditar que meu sentimento por você é recíproco…-"brinquei".


Tae-faz um esforcinho por mim…-me pegou e fez com que eu me sentasse em seu colo com minhas pernas uma em cada lado do seu corpo.-por nós.-segurou em minha cintura. Quando fui perceber, eu já estava perdida na imensidão dos seus olhos e a milímetros de distância de seu rosto. Assim como os seus, desviei meus olhos para outro ponto, sua boca. Elas até roçavam entre si, mas eu ainda não fazia próximo movimento.-não me torture assim amor…-riu soprado.


-estou apenas tendo certeza que isso não é um sonho…-sorri sem mostrar os dentes.


Tae-posso te ajudar nisso se quiser.-disse com um sorriso ladino e ri com sua insinuação. E em menos de segundos nossos lábios estavam colados novamente. Um beijo apaixonada era o que descrevia aquele ato da melhor forma. Meu corpo buscava cada vez mais o dele, eu queria tudo, corpo e alma da pessoa que eu tanto amava e desejava a tempos. Não demorou muito para deixarmos o simples "selar" e partir para o beijo de verdade. Era como nos sonhos, como todas as vezes que eu pensei que seria. Era ainda melhor, pois era real, eu o tinha finalmente. Mas apenas alguns segundos depois eu pude notar que aquilo não me remetia apenas a sonhos e sim a uma lembrança real. 


Parei o beijo com grande dificuldade, pois o mesmo não queria.


Tae-amor…-resmungou manhoso em negação. Eu juro que se não fosse essa minha lembrança que prevalecia em grande parte da minha mente, tinha caído durinha no chão agora.


-Tae...era você no armário do zelador?





Notas Finais


UHUUUUUU FINALMENTE!!! Kkkkkkkkk
Até pra mim é um alívio finalmente postar esse capítulo.


Espero que tenham gostado e até o próximo capítulo!💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...