História Adaptação - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Ino Yamanaka, Kakashi Hatake, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Cinema, Romance, Sakura, Sasuke, Sasusaku
Visualizações 248
Palavras 2.098
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Ficção, Hentai, LGBT, Literatura Feminina, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Capítulo I na área!
Espero que curtam!
Obrigadaaaaaaaaaaa pelos comentários e favoritos!
Um beijo em cada uma de vcs!

Capítulo 2 - Cena I


Fanfic / Fanfiction Adaptação - Capítulo 2 - Cena I

“Se é verdade que o bom vinho não necessita de rótulo, não é menos certo que uma boa peça dispensa epílogo”, já dizia Shakespeare. Se interpretarmos o mestre das peças para os dias atuais, diríamos que uma boa atriz dispensa um diretor, pois ela é capaz de se por em qualquer direção. Não é uma tarefa fácil ser a principal em um filme, mas as candidatas a seguir foram capazes de comandar a tela como Shakespeare comandava uma peça. Para a categoria de melhor atriz em filme dramático temos Matsuri Tawaga, Um Sonho mais que Impossível; Mei Terumi, O Quarto de Chojuro; Hanabi Hyuuga, Eu, Mito; Haku Momochi, A Forma do Gelo; Sakura Haruno, Lady Hawk – A Hora de Voar.

E o Oscar vai para...”

— Sakura!

“— Oh, meu deus! Nem acredito nisso, estou chocada. Quando era menina, e assistia a aquelas novelas com atrizes como Guren, Kushina Uzumaki, dentre outras, pensava sempre: Que atuação péssima! Quando crescer, vou me tornar uma atriz melhor e mostrarei o que é a arte de atuar de verdade. E agora estou aqui, com esse premio em minhas mãos, mal acreditando que eu consegui. Gostaria de agradecer a minha...”

— Sakura!

“— E ao meu lindo namorado, Tobirama, que me deram apoio a chegar até aqui. Te amo, amor. Também gostaria de agradecer a...”

— Sakura!

“—...meus fãs, por sempre acreditarem em mim. Eu amo os memes criados comigo! Enfim, obrigada por tudo! E nos vemos novamente ano que...”

— Acorda, demônio! – antes que pudesse concluir meu lindo discurso, sou acordada com um vento frio sobre os meus pés; me encolho, sem a mínima vontade de abrir os olhos ou sair daquele sonho tão real...

...Mas é claro que seria impossível, pois uma vez que você é acordada no meio de um sonho, é difícil voltar para ele. Principalmente se uma loira raivosa insiste em chamar o seu nome a cada um segundo.

— Que porra, Ino. Me deixa! – resmunguei, chutando a mão de defunto dela encostando em minha perna.

— Você está atrasada! – ela grita em meu ouvido, me fazendo odiá-la por ser esse tipo de pessoa que acorda os outros aos berros. Não existe tipinho pior!

— Me deixa! - resmungo, pegando o edredom novamente e me cobrindo. Talvez, com sorte, conseguiria retomar o sonho na parte em que Tobirama Senju me beija e...

— Sakura, você tem uma audição com o Kakashi, esqueceu? Acorda! – ouço a voz de gralha de Ino novamente, mas dessa vez não volto a dormir.

Aos poucos, meu cérebro conecta com o que ela acabou de me dizer.

Reunião com Kakashi. Filme novo. Icha Icha Paradise. Franquia. Dinheiro. Fama. Oscar. Tobirama Senju. Sexo quente. ATRASADA!

Pulo da cama como um gato ao ver um pepino, e saio correndo em direção ao banheiro. Tiro o pijama e já entro no box, tomando o banho mais rápido de minha vida – vinte minutos, apenas -, e, quando saio vestida com o roupão e uma toalha na cabeça, Ino já está me esperando com minhas roupas estendidas em seus braços. Porque além de ser minha agente / empresária / iniamiga, ela também é minha personal stylish.

— Anda, testuda. – ela taca as roupas em minha cabeça, e eu quis mata-la por isso, mas a ignoro e já vou me vestindo.

Trinta minutos depois estamos deixando meu prédio, indo em direção ao prédio da Pierrot, onde minha audição aconteceria. Peguei o celular para checar minhas redes sociais, uma forma de me distrair do estado de nervosismo que toda audição me dava ao ver as fofocas de meus prezados colegas de trabalho.

Já fazia oito anos que trabalhava como atriz, e oito anos em que estava na mesma série – A Cereja do Bolo -, que me lançara para o mundo da fama, e me rendera o titulo de atriz mais rentável em série de TV da atualidade. Eu era a atriz principal, Cherry, lógico, e já tinha ganhado três Emmy com minha ilustre participação. No entanto, fora a série, eu tinha participado de apenas quatro filmes, e todos eles foram um flop total, e, inevitavelmente, uma mancha para minha imagem.

Labaredas de Fogo, A Vida de Sra. Tonton, Vila da Folha e o último, e pior de todos, A Ninja Mortal. Eram filmes grandes, que tiveram expectativas do publico, mas que, no fim das contas, foram considerados uma bosta colossal. Não por culpa minha, óbvio, mas porque o roteiro, a direção, a produção, tudo era ruim. E agora eu tinha uma nova chance de me lançar, com a adaptação do livro de Jiraiya Sparks – que era um PUTA escritor conceituado -, e tinha certeza que seria um grande sucesso.

Minha carreira dependia desse filme. A Cereja do Bolo estava em sua última temporada, e se eu não arrumasse um filme logo, provavelmente iria virar uma Hinata Hyuuga da vida, e eu não queria isso – inclusive já peguei o ex-namorado dela, o que não podia significar coisa boa.

— Você viu? Naruto foi visto com aquela cantora, Shion. – Por falar no diabo, Ino me mostra a foto do meu ex, o ator da franquia de filmes sobre super heróis, e o loiro mais babaca e cabeça oca do mundo.  

Dou uma olhadela na notícia, vendo a foto do dito cujo com uma mulher com os cabelos estilo Daenerys Targaryen e uma cara sem graça, andando de mãos dadas na rua. Naruto era o verdadeiro womanizer da indústria, portanto, ele aparecendo com uma mulher na rua não era novidade alguma.  

— Bom para ele. – respondi, torcendo o nariz e voltando a olhar para o meu próprio celular. — E essa Shion é mais sem graça que picolé de chuchu. – não consegui evitar comentar, o que fez Ino me olhar com aquele sorriso felino que só ela tinha.

— Hm... Tá com ciuminhos, é? – revirei os olhos, mostrando o dedo do meio para ela em seguida.

— Naruto não é lá grandes coisas. Prefiro o Gaara.  

Gaara fazia meu melhor amigo na série, e nós vivíamos uma amizade colorida interessante na vida real – principalmente porque ele era um ruivo de-li-ci-o-so. Naruto para mim era passado, morto e enterrado bem no fundo da minha mente. Ele não me interessava mais.

— Não sei não... Prefiro loiros. – ela rebateu, por fim, e nós ficamos em silêncio.

Cerca de dez minutos depois, o prédio da Pierrot Studios se erguia em todo seu esplendor e riqueza a nossa frente. Ino e eu saímos, e, antes que eu pudesse colocar um pé lá dentro, ouvi o som de um clique. Era um daqueles malditos paparazzi, que todo famoso odeia e ama ao mesmo tempo – odeia porque eles são muito chatos, e amam porque é graças a eles que nossa fama continua.

Fiz a minha melhor cara de “não estou vendo”, jogando os cabelos um pouco para o lado e sorrindo distraída.

— Sakura Haruno. – ouvi Ino falando com a recepcionista do prédio, e logo ela estava nos guiando para o elevador.

Teríamos que ir até o vigésimo quinto andar, onde as audições estavam acontecendo. Novamente, uma onda de nervosismo me atingiu, embora por fora eu fosse a mascara de tranquilidade e paz – as aulas de atuação servem para alguma coisa, afinal.

Quando enfim chegamos ao andar, ergui a cabeça e saí rebolando, com Ino fazendo igual ao meu lado. A sala estava vazia, com exceção de um secretário, que nos mandou um sorriso e um “bom dia” ao entrarmos.

— Sakura Haruno. – Ino foi até o secretário, como era de praxe, enquanto eu checava minhas unhas pintadas de amarelo gema de ovo.

— Está atrasada. – o secretário teve a ousadia de apontar, ainda com aquele sorriso falso no rosto seboso dele.

— Uma atriz nunca se atrasa, nem se adianta, ela chega exatamente quando pretende chegar. – ela rebateu, com aquele ar de superioridade que apenas Ino Yamanaka possuía. Eu quase ri ao ver a cara de incrédulo do secretário; aliás, eu já tinha ouvido aquela frase em algum lugar...

— Ela já será chamada. Aceitam um café? Biscoitos? Um suco? – ele ofereceu, e eu fiz que sim.

— Um croissant de chocolate. E um frappuccino. – pedi, já sabendo que o coitado provavelmente teria que sair correndo, atravessar a avenida e ir até o Starcocks do outro lado para realizar meu pedido.

E ele faria isso, porque, afinal, eu era Sakura Haruno.

A sobrancelha bem feita dele remexeu, mas o sorriso permaneceu intacto.

— Claro.

Eu e Ino ficamos lá no lobby, esperando que eu fosse chamada. A ansiedade bateu em mim novamente, fazendo com que eu sentisse como se meu estomago estivesse sendo apertado dentro de mim. Por fora, contudo, balançava a perna ao som da música ambiente e fingia que nada importava.

Dez minutos depois, uma mulher morena colocou a cabeça para fora e nos encarou.

— Sakura? Pode vir.

Assenti, dando meu melhor sorriso, e já indo em direção a sala. Antes de entrar, ouvi Ino.

— Arrasa com eles, vaca!

 

[...]

Cena I – Plano I - Tomada I

Icha Icha Paradise

BASEADO NO LIVRO: ICHA ICHA PARADISE

Escrito por: Jiraya Sparks & Tenten Mitsashi

 

PRIMEIRO RASCUNHO

Junho, 2017

 

OS PERSONAGENS

 

KIKI – Inteligente. Sarcástica. Pavio curto. Muito bonita. Não vem de uma família rica, portanto tem que trabalhar para ter tudo o que tem. Vive com um Kotari. Solteira. Atualmente trabalha como aeromoça do jatinho particular de Takai.

TAKAI – Rico. Inteligente. Arrogante. Muito bonito. Nunca teve que trabalhar para nada em sua vida, e era herdeiro de uma empresa multinacional. Solteiro. Mulherengo. Tem uma passado turbulento com sua família.

KOTARI – Melhor amiga de Kiki. Vive junto a ela e é secretária em uma empresa.

 

ATO I

CASA DE KIKI. ESTAVA CHOVENDO AO LADO DE FORA. KIKI ACORDA COM MAU HUMOR. VAI AO BANHEIRO, TOMA BANHO, ESCOVA OS DENTES, E COMEÇA A SE ARRUMAR. VESTE O UNIFORME DE AEROMOÇA. VAI ATÉ A SALA E ENCONTRA COM KOTARI.

 

KOTARI

Bom dia, bela adormecida.

 

KIKI

(Andando até a máquina de café) Não enche.

 

KOTARI

(Mexendo no celular) Pelo visto alguém acordou com o pé esquerdo.

KIKI

(Toma um gole de café e queima a língua) Droga!

KOTARI

(Olha para Kiki) Vai viajar hoje?

KIKI

(Suspirando e revirando os olhos) Sim. O Sr. Riquinho vai para Bahamas tomar um sol.

KOTARI

(Sorri sarcasticamente) Uau, que chato ir para Bahamas em plena segunda. Que trabalho sem noção.

KIKI

(Bufa e toma o restante do café.) Se você tivesse que ir a Bahamas com o demônio teria mais diversão do que eu com meu chefe.

KOTARI

Ah, não vai ser tão ruim assim.

KIKI

(Dá de ombros e pega seus sapatos) Tenho que ir.

KOTARI ACENA PARA ELA E DESEJA BOA VIAGEM. KIKI SAÍ DO APARTAMENTO ANTIGO E VAI EM DIREÇÃO A RUA. TOMA UM TÁXI E SEGUE EM DIREÇÃO AO AEROPORTO.

Termino de ler o roteiro do filme, e o fecho encarando a banca. Nela estavam Kakashi Hatake, um famoso diretor em Konohawood, que inclusive sempre dirigia as adaptações de Jiraiya; Tenten Mitsashi, a roteirista do filme; Shizune Katou, a representante da Pierrot Studios.

— Muito bom, Sakura! Excelente! – Kakashi diz, tirando aquele enorme peso de minhas costas.

— Obrigada. – agradeço, sabendo que dali para frente, pouco ficaria em meu caminho até conseguir o papel.

— Bem, nós sabíamos que você seria perfeita para o papel. – Shizune comenta, e os demais acenam com a cabeça, concordando. Me sinto lisonjeada. — Vimos a sua série, A Cereja do Bolo, e sua personagem combina bastante com a Kiki de Icha Icha.

— Além do mais, você já é conhecida, o que é excelente para um filme dessa proporção. – Kakashi acrescenta.

— Sendo sinceros, nós sequer fizemos outra audição, de tão certos estávamos de que você seria perfeita. – Tenten sorriu, e eu quis sair daquela sala dando mil piruetas e gritando “Sou foda”, mas me contive em um sorriso tranquilo.

Uma coisa que aprendi naquele ramo era que:

1- Você nunca, jamais, neveeeer!, poderia demonstrar que não era capaz, ou que estava insegura;

2- Você também não pode se mostrar muito ávida aquilo, como uma desesperada. Principalmente porque eles poderiam muito bem diminuir o seu cachê baseado nisso.

Não era nada fácil essa vida de atriz.

— Quando começam as gravações? – pergunto, certa de que aquele papel seria meu.

— Bem, mês que vem começaremos. Porém...

E é aí, nesse porém, que as bases tremem.

— ...Gostaríamos que você fizesse uma audição com o ator cotado para fazer o Takai.  

Assenti, sabendo que era comum algo daquele tipo acontecer, afinal, o sucesso do filme estava todo na química entre o casal, já que era um romance erótico.

— O ator é Sasuke Uchiha. Conhece? – Shizune perguntou, e foi como se eu tivesse levado um murro na cara.

Porque eu conhecia sim, Sasuke Uchiha.

Bem até demais.

Merda!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...