1. Spirit Fanfics >
  2. Addicted - Markson >
  3. Ele é melhor que você? - Capítulo Um

História Addicted - Markson - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Ele é melhor que você? - Capítulo Um


Ele é melhor que você? - Capítulo Um


 Mark Tuan, um garoto irritadinho e quieto o tempo todo. O garoto mora na China, mudou se para lá quando tinha 2 anos, seus pais se separaram e sua mãe havia ido embora. 


Seu pai cuidou do garoto desde pequeno, e Mark não queria nem ao menos saber de sua mãe, tinha um enorme ódio sobre ela, querendo nunca lembrar do que ela havia feito. 


Mark tem 17 anos, recentemente entrando no segundo ano do colegial. 


(Irei falar os dias só em alguns capítulos, depois irei parar)


5 de dezembro de 2018


O dia estava um pouco frio e úmido, talvez um ótimo dia para se levantar e gritar bom dia. Ou não. 

Mark, que acordou com a luz batendo forte no seu rosto, se levantou e escovou seus dentes, lá fora mesmo. Seu pai estava varrendo o chão e lavando algumas roupas. 


— Bom dia, pai - Soou Mark, fazendo seu pai lhe responder com um sorriso


Por alguns instantes, Mark parou, confuso por ver suas cuecas no ralo, molhadas e agora sujas. 


— Pai - Chamou


— Sim? - Ele responde 


— Por que você jogou minhas cuecas no ralo de novo? 


— Não é possível...— Ele diz, pensativo — Quando fui jogar a água fora, o par de cuecas devem ter caído 


Furioso, Mark jogou a cueca de lado, irritado pelo tal ato do pai. 


— Hey! Por que está jogando as cuecas fora? — Perguntou, sem resposta — Que desperdício! - Ele se agachou e pegou as cuecas

— Use elas você mesmo! - Mark responde, se levantando furiosos e saindo de sua frente. 


Após se arrumar e pegar seus materiais, Mark disse tchau para seu pai e seguiu até lá fora, encontrando seu melhor amigo; Kim Taehyung. 


Era o último dia de aula do segundo colegial, mas ele não estava tão animado quanto deveria, não ligava para férias ou volta as aulas. 


— Hey, você me ligou ontem a noite, mas desligou antes de eu atender - Disse o garoto, sorrindo para Mark — O que queria? - Perguntou

— Minha mãe vai se casar - Mark responde, suspirando de leve 

— Peraí, você tem mãe? - Seus olhos aumentaram e ele ficou confuso e curisoao

— É claro imbecil, você acha que meu pai é uma minhoca, que pode dar a luz sozinho? - Mark brincou, fazendo o amigo rir 

— Não brinque comigo, estou falando sério! — Ainda gargalhava, tentando respirar — Eu te conheço desde criança, mas nunca vi sua mãe - assentiu

— Até parece — Mark respondeu — Minha mãe passou a semana aqui em casa, não lembra? 

— Ela é sua mãe? Ela parece ser mais nova do que meu sobrinho? — Disse, rindo— Sério! Meu sobrinho acabou de nascer e já tem um monte de rugas na testa! 

— Todos os bebês são assim! -Mark diz, dando um tapa leve em sua cabeça. 


                             —⭐️


Chegamos a Jackson Wang, forte, musculoso, bonito, alto e talvez pequeno, olhos pretos ou talvez fossem castanhos, um pouco nervosinho e rico; talvez bilionário. 


Sua mãe morreu a algum tempo atrás, sobrando apenas ele e seu pai, morando naquela grande mansão, silenciosa e obscura. 


Jackson estava sentado no sofá, com os braços cruzados e o cenho franzido, tentando segurar sua imensa raiva. Seu pai havia se casado com uma mulher, é isso lhe irritava muito, até por sua mãe ter morrido cedo demais. 


— Sr Jackson, o banquete está reservado! — Uma voz fina e bonita, como de um anjo soou — O Senhor irá no casamento? - Perguntou 

— Eu disse que ia? - Jackson Respondeu, sendo grosso

— O seu pai disse que é uma ordem, não pode desobedecê-lo - A voz do homem aumentou, um pouco furioso

— Diz a ele, para não me amarrarem! - Disse, sarcástico 

— Por que está agindo assim? Sua mãe faleceu a um tempo atrás, seu pai tem 40 anos, não achou que ele ficasse solteiro para sempre? - Disse, incrédulo 

— Aquilo que aconteceu com minha mãe...Eu vou odiá-lo para sempre. - respondeu, ainda furioso 

— Jackson! não diga isso! Se teu pai te houve, você está morto! — Disse baixo, olhando em volta — Sobre sua mãe, foi apenas um acidente, até o médico provou isso - admitiu 

— Tudo bem, não diga mais nada, eu tenho meus próprios pensamentos. - Respondeu, tentando controlar sua raiva 

— Então eu venho buscar o senhor amanhã! - Por fim ele disse, saindo da sala e seguindo para outro canto da casa. 


                           —⭐️


Jackson precisava conversar, não queria ir no casamento e sua cabeça estava a milhão. Jennie foi chamada, sua namorada. Eles marcaram de se encontrar em um restaurante ou uma lojinha qualquer, apenas para conversar. 

Talvez ela fosse a única que entendesse o chinês agora. 


— Porque ficou tão bronzeado? - Perguntou a garota, entrando pela porta 

— Recentemente, eu tenho nadado bastante - Respondeu, com um sorriso de lado


Jennie fingia, mas sabia sobre o que se tratava esse “encontro” ou talvez não. 


— Meu pai vai se casar amanhã - Assumiu, respirando fundo 

— Tão rápido? Você vai ao casamento? - Perguntou a garota 

— Acha que eu deveria ir? - Jackson pergunta, curioso

— óbvio! Porque não? - Ela responde 

— Eu realmente não quero vê-los — Choramingou — Quando minha mãe estava viva, eles já estavam juntos. Alguém como meu pai, não pode de divorciar e casar-se um tempo depois - Finalizou, coçando as mãos 

— Talvez você esteja pensando demais...- Disse a garota, também pensativa. 


                          —⭐️— 


Já estavam todos reunidos na mesa; Seu pai, ele e a sua nova madrasta. Não prestava atenção nos dois ou nela própria, apenas comia e tentava não erguer seu rosto. 


— Jackson, porque não está dizendo nada hoje? - Disse o homem, com a voz grossa 

— Você mesmo diz que quando estamos comendo, não possamos falar? - Respondeu

— Fale! Você está autorizado está noite! - Disse, aumentando o tom de voz 

— Sim comandante, não tenho nada a relatar! - Jackson se levantou, fazendo uma mesura, com as mãos sobre a testa. Sua madrasta ria, um pouco baixo. 


“Meu Deus, o que aconteceu com o gosto do meu pai” (digo em meu pensamento)


— Me desculpe - Sobrepõe a mulher, passando um guardanapo na boca, ainda segurando o riso — Jack, coma mais um pouco! - Diz, colocando um pouco da comida que estava na mesa, no meu prato. 

— Traga seu filho amanhã - Seu pai disse, mudando de assunto e fazendo Jackson parar por alguns segundos

— Jack, tenho um filho da sua idade, acho que vocês vão se dar bem - Ela disse, sorrindo

— Ele vem, eu saio - Respondeu, irritado 

— Então sai, SAI AGORA! - Gritou o pai, irritado. 

— Jackson! Meu filho não quer vir morar comigo, ele prefere ficar com o pai. - A mulher diz, tentando impedir que o garoto saísse da mesa

— Ele vindo ou não, eu saio de qualquer maneira. - Respondeu, jogando o guardanapo na mesa e saindo.  


                         —⭐️— 


As férias já estavam quase no fim, e Mark apenas só tinha dormido o mês inteiro. As vezes saía para comprar os remédios de sua vó, passando algumas vezes no mini restaurante de sua tia. Sim claro, não é tia de verdade, mas ele sempre a chamou assim. 

 Mark caminhava de volta para casa, sendo encurralado por um carro preto e brilhante, impedindo que seguisse adiante. Era sua mãe, com roupas brancas e colares de ouro. 


— Mark! - Gritou a mulher, fazendo o americano parar 

— Eu te liguei um monte de vezes, por que não atendeu? - Perguntou a mulher, saindo do carro e indo em sua direção —Se não vai me responder, pelo menos entra no carro - Disse, fazendo Mark segui-la até o carro grande e robusto

— Mark, estava pensando que a sua escola atual não seja tão boa — Começou, já sentados no banco — Eu entrei em contato com uma escola particular, você pode ficar lá por 2 anos. - Ela termina de dizer

— Eu não vou - Respondeu, secamente 

— Mark, eu sei que você me odeia, mas precisa pensar no seu futuro! — A mulher diz, abaixando a cabeça e limpando um pouco as lágrimas que caíam suavemente — O filho do meu marido frequenta uma escola particular, você não é menos importante que ele! — Disse, abaixando a cabeça novamente, dramatizando tudo. 

— Eu sei, não fui uma boa mãe, mas quero recompensar você, por favor, me de essa chance, eu te amo. - Insistiu, segurando ele pelo braço 

— Eu te dei uma chance, não me incomode mais! - Disse, tentando sair, mas sendo impedido 

— Mark...por favor.. - Lágrimas escorriam, muito mais do que antes 

— Não fale mais da família desse homem na minha frente, nunca mais! - Disse, finalmente saindo do carro 

— Mark!  Mark! - Ela grita, chorando ao me ver ele indo embora. 


                          —⭐️


— Você quer se transferir? - Perguntou a moça, olhando diretamente para Jackson 

— A minha escola atual é muito longe de onde eu moro, não é bom para mim. - assumiu

— Meu marido conhece algumas escolas. - Respondeu, olhando seu celular brevemente 

— Bem, então vamos fazer isso logo. - Pediu, sorrindo 

— Mas, temos que garantir que você não vá para qualquer escola. - Respondeu a mulher, o olhando novamente 

— Qualquer escola pra mim tá bom, eu só preciso ter aulas. - Respondeu e saiu, vendo a mulher concordar com a cabeça e se despedir dele. 


                                —⭐️


O celular tocava alto, ecoando pela casa inteira, fazendo Mark acordar um pouco assustado. Sonolento, Mark pegou o celular, atendendo. 


Ligação On:


Mark: Sim? 


Taehyung: Cara, ainda está dormindo? Hoje é o primeiro dia de aula, lembra?


Taehyung: Venha logo! 


Ligação Off:


7:19 


Já havia chegado na escola, sem perceber que a professora já dava aula, entrando do mesmo jeito. Andou até seu assento, sentando-se e recebendo alguns olhares. 


— Bom dia alunos! Eu sou a professora Merida - A professora chamou a atenção, anotando algo na lousa. 

— Você perdeu uma grande oportunidade! - diz tae, cochichando 

— Que oportunidade? - Perguntou, se virando para ele 

— Olhe! — Olhou para frente e viu a professora, ainda anotando algo — Droga, por que ela se parece com minha mãe? - Perguntou, fazendo Tae soltar uma risada 

— Se eu fosse você, eu pediria desculpas. - ele diz e Mark se deita, novamente

— Esse é meu número de telefone. Eu nunca passei ele para nenhum dos meus alunos, pois bem, esse é o privilégio de vocês - ela diz e todos aplaudem. 


[...]


“Parece a minha madrasta” Disse Jackson, em seus pensamentos. 


— Olá a todos, meu nome é Wang Chuang. - o garoto tímido diz e todos aplaudem

— Próximo! - a professora diz e um garoto de cabelos pretos levanta

— Eu sou de bangkook, meu nome é Jungkook - todos aplaudem e ele se senta no lugar novamente. 


[...]


Depois da apresentação dos novos alunos, a professora se direcionou até Mark, com papéis em mãos. 


— Esses cartões estão com os nomes dos estudantes. Por favor, faça uma lista de acordo com seus assentos. - Ela diz e Mark concordo com a cabeça, se retirando em seguida. 


Ao anotar os nomes, Mark percebeu algo estranho. O nome de um garoto estava escrito bem mal feito, ele não conseguia entender e fazia até um pouco de esforço. 


— Jacá? - Diz, tentando descobrir  o

— Jeque? - continuou, tentando ler

— Ninguém tem esse nome. - Desistiu, chamando a atenção de Tae. 

— Hey! Como se lê essa palavra? - deu a folha para ele, tentando ler em seguida. 

— Isso...não estou entendendo nada..- Tae tentar ler, mas o garoto ao seu lado, jungkook, pega de sua mão. 

— Tem o número do assento, vá até lá e pergunte. - ele diz, não tendo sucesso em sua busca. 


[...]


Mini pov: Taehyung


— Você se chama Jungkook? - Pergunto

— Aham..- Ele responde, um pouco seco

— Seu nome é estranho..- Digo, rindo um pouco

— Qual é a graça? - Perguntou o coreano, se irritando


Ele vê a lista de Mark, lendo meu nome. 


— Taehyung? — ele pergunta e eu concordo — Seu nome é mais estranho do que o meu. - ele diz e eu fico bravo, parando de respondê-lo.  


[...]


Mark, seguiu reto, indo até a mesa da pessoa que havia escrito “muito bem”. 


— Estou fazendo a lista, qual é seu nome? - Perguntou ao cara forte 

— Jackson - ele responde 

— Se você é humano, escreva como um. - Respondeu, brutalmente e voltando ao seu acento.


[...]



No meio da aula, Jackson observava de longe Mark, e as vezes desviava o olhar, olhando pela sala inteira. Um garoto estava entregando algumas listas, com coisas escritas. Jackson, de longe, reparou que a letra do americano era linda, e estava até com um pouco de inveja. 


— Hey, você escreveu isso? - Pergunto, aproximando dele 

— Tem algum problema? Se não, não me perturbe - Disse, continuando a escrever 

— Eu sei como resolver esse problema. - Jackson tenta o ajudar com a matemática, mas ele o interrompe, dizendo que já sabia.  


Jackson voltou ao seu acento, um pouco confuso e curioso por ser tratado desta forma. Todos respeitavam ele, por ele ser rico e bonito, nunca sendo desrespeitado. 


O sinal tocou e Mark saiu, fazendo Mark se levantar e pegar o caderno do americano, sem que ninguém visse. 


[...]


— Mark Tuan, venha aqui. — uma professora aparece na porta, lhe chamando — Eu não sei se você tem algum problema comigo ou com o trabalho, mas tem que dizer. Não precisa fazer uma brincadeira dessa. — Disse a profesora, após Mark se aproximar dela — Eu tinha uma boa impressão de você, mas hoje, você me decepcionou. Tente explicar isso! - Ela disse, gritando de raiva, jogando um caderno em Mark. 


Confuso, o garoto se agachou, pegando o caderno e o folheando, percebendo que faltava uma página, parecia ter  sido rasgada. 


— Eu dou aulas a muitos anos, já vi muitas brincadeiras bestas, reescreva novamente, e como uma carta de auto-critica. - Disse ela

— Mas professora, eu realmente escrevi, não sei quem rasgou. - Respondeu, confuso

— Então acha que eu rasguei? - ela pergunta 

— Não, não quis dizer isso. 

— Você não vai participar da próxima aula. — ela diz, aumentando seu tom — Reflita aqui fora até entender o que fez! — Gritou, irritada — Não pense que eu sou um alvo fácil! 


                             —⭐️


— E sua madrasta? Ouvi que ela tem um filho - Diz Bambam, amigo de Jackson 

— Eu não quero conhecer ele. - Responde, bruscamente 

— Não tem medo de ele ser melhor que você? - Yugyeom pergunta 

—  ELE NÃO É - grito e ele se assusta, logo Bambam já tenta acalmar. 

— Tá bom, vamos comer. 


“Continua...”












Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...