1. Spirit Fanfics >
  2. Addicted - Markson >
  3. Psicopata - Capítulo Dezesseis

História Addicted - Markson - Capítulo 16


Escrita por:


Notas do Autor


Olaaaa!
Eu sei, não me matem, finalmente voltei. Bom, essa cap é pequeno, então não liguem se ele acabar rápido demais. O capítulo 17 saíram ainda hoje, fiquem à espera!
(Lembrando, a fic vai ficar +18, por conta das relações dos dois juntos, fiquem ligados)

Capítulo 16 - Psicopata - Capítulo Dezesseis


Psicopata - Capítulo Dezesseis

Mark parecia estar deitado em algo, não se movia e tinha algemas em suas mãos. Seus olhos estavam tampados, só conseguia ouvir. O lugar estava silencioso e ele tentava ouvir algo, mas não havia nem som dos pássaros. Passos lentos vieram até ele, subindo em cima do garoto. Ele não se movia, parecia ter medo e frustração. 

 Finalmente, sua máscara foi tirada, revelando o rosto de Jackson. 


— O que está fazendo? - Mark pergunta, um pouco irritado

— O que acha que eu estou fazendo? — Jackson diz — Você quer me deixar? Quer abandonar toda nossa relação? — Mark não responde, tentando se remexer — Vou manter você em cativeiro aqui, você não vai embora, mesmo se quiser - Jackson diz, batendo os dedos nos lábios do garoto. Mark não conseguiu responder, não havia palavras para pronunciar o que havia ouvido. Jackson, o beijou. Mark tentou empurra-ló, cessando o beijo do garoto. 

— Querido, eu já sei que meus sentimento por você não é normal — Jackson diz, ofegante — É por isso que você não está surpreso por eu ter te beijado

— Jackson, você está louco? - Mark diz, gritando alto

— Não me insulte — Disse o garoto, colocando a mão na boca de Mark — Ouça primeiro o que tenho para dizer,

depois você pode me insultar — disse o garoto, passando as mãos pela cabeça — Eu nunca fui uma imagem glamurosa em seu coração, mas hoje, sei que vou acabar com o pouco que restava — Jackson soa — Escute, nunca te vi como um amigo. Se eu te tratei bem, foi porque gosto de você — disse o garoto, passando as mãos suaves pelo corpo de Mark — Se eu dormi na mesma cama que você, foi porque eu queria te foder — disse Jackson, levando um tapa de Mark — O que? Você acha que eu sou um canalha, não é? Acha que eu sou pervertido, não é? — Mark não lhe responde — A culpa é sua, por me fazer ter pensamentos sujos por você e me seduziu de propósito, não foi? — Jackson diz, pondo a mão no pescoço do garoto — Mark, sobre o que eu disse hoje, não me arrependo de nada — Suspira — Você quer me insultar agora? — Jackson pergunta 

— Eu não vou te insultar - Mark lhe responde 

— Perdeu as esperanças? - Jackson diz, indignado 

— Jackson, vai pagar por tudo o que disse! - Mark grita, irritado

— Não me importo — Suspira o musculoso, cambaleado a cabeça para trás — Se eu puder ver você todos os dias, eu posso aguentar as consequências

— Tá bom, então me escute — disse Mark — Na verdade, eu estava vindo me desculpar com você — Mark diz, fazendo Jackson ficar intacto — ontem a noite conversei com meu pai, ele não se importa com a sua identidade, e me convenceu a te chamar de volta para casa — disse o garoto, irritado — Mais hoje de manhã, eu fui sequestrado e amarrado — disse Mark, aumentando o tom de voz — E um psicopata me humilhou verbalmente — Mark grita, ainda mais irritado — Me solte! 

— É verdade o que está dizendo? - perguntou o chinês 

— SIM! - grita Mark 

— É mentira, não vou ser enganado - Jackson diz, soltando uma risada maniaca, se levantando e pegando o celular do garoto, ligando para seu pai. 


Chamada On:


“Tio” - a voz de Jackson soa na chamada 

“Jackson? Por que não tem vindo recentemente?” - Pergunta o homem 

“Tio, o Mark te contou tudo?  - perguntou Jackson 

“ Sim, ele é imaturo, eu fiz ele ir até você. Ele já saiu daqui” - disse o homem

“Tio, eu vou dar uma olhada, vou desligar - Jackson diz, desligando o celular e voltando a atenção ao garoto 


Chamada off: 


— Me solta! - Gritou o garoto

— Você vai correr se eu te soltar? - Perguntou o chinês, colocando o celular na mesa 

— Não se preocupe, não vou correr - disse Mark


Jackson se aproximou e desarmou as algemas, fazendo o garoto se levantar e tirar as cordas que estavam amarradas em seu tornozelo. Ele se levantou e tentou bater no garoto, mas foi jogado de volta na cama. 

— Querido, você está cansado? - Jackson pergunta, pressionando o corpo do garoto 

— Diga, quem você quer foder? - Mark diz, empurrando o garoto

— Um marido que não quiera foder sua esposa não é um bom marido — disse o homem

— Seu! - Mark diz, pronto para dar outro soco no chinês, se levantando e indo embora 

— Onde você vai? - Pergunta Jackson, pressionando ele contra a parede 

— Não é da sua conta — diz o garoto, irritado

— Você gosta de mim? - Jackson diz

— Não - Mark responde, secamente 

— Então ficará preso aqui até se apaixonar por mim - Jackson grita, ainda o pressionado 

— Jackson! - Mark grita, irritado,

Soltando se do garoto e indo embora. 


[...]


Já era de noite e o pai de Jackson havia convidado Mark para um jantar. A mesa estava cheia, com comidas que te dariam água na boca. Uma ceia incrível, podemos dizer. 


— Mark, tome um pouco deste - disse o pai de Jackson, pegando algo na mesa e colocando no prato de Mark. Após isso, Jackson retirou o petisco do prato do garoto, colocando no dele

— há muitos no prato, por que pegou o do Mark? - perguntou o pai

— Ele não pode comer isso, se não vai dar diarreia nele - afirma o garoto, arrancando um sorriso no Mark 

— Olhe para eles, eles não poderiam se dar melhor — disse a mulher, animada — Eu não tive tempo para peregrinar em qual mês Jackson nasceu. Vocês são da mesma idade, mas devem ser de meses diferentes — Os meninos ouviam, escutando as palavras da mulher — O Mark é de maio, Jack, e você? - pergunta ela

— Ele é de maio também - assume o pai

— Que dia de maio? - pergunta Jackson, curioso 

— 1 de Maio, e você? - respondeu Mark

— Eu também, que horas? - disse Jackson, frustrado

— Eu... - Mark iria dizer, mas foi interrompido pelo pai de Jackson 

— Você não é do dia 6 de maio? - questiona o pai

— Jack quer ser o irmão mais velho, mas no final das contas o Mark que é — disse a mulher, gargalhando — Olha como estão bem, estou tão feliz — a mulher pensa, tendo uma ideia — Vocês podem morar aqui, assim será melhor pra eu cuidar de vocês, não? - propõe a mulher, fazendo Mark largar imediatamente seus talheres 

— Não vou morar aqui - ele diz, com a face seria 

— Eu voltei para o nosso apartamento no centro, tudo já está certo, não se preocupe conosco - disse o garoto, com um sorriso de canto

— Ah, está bom dessa forma então - disse a mulher, fazendo todos voltarem a comer.


“Continua...”






Notas Finais


Relembrando, a fic iria ficar +18 ao longo da fic, então fiquem ligados...
(Irei lançar o próximo cap hj ainda)
Desculpe qualquer erro e espero que gostem!
Comentem ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...