1. Spirit Fanfics >
  2. Addicted - Markson >
  3. Gosta de mim? - Capítulo Vinte e Um

História Addicted - Markson - Capítulo 21


Escrita por:


Notas do Autor


Primeiramente, quero agradecer por darem tanto apoio para a fic e tenham certeza que vou continuá-la. Tenho que agradecer pelo 2000 de visualizações vocês são demais!
Bom, não vou dizer tanto, estou postando hoje pois amanhã estarei ocupada.
Obrigada e aproveitem ^^

Capítulo 21 - Gosta de mim? - Capítulo Vinte e Um


Gosta de mim? - Capítulo Vinte e Um 

Ao entrar em casa, Mark ouviu seu pai lhe perguntar onde Jackson estava, mas apenas deu de ombros e foi ao seu quarto. Seu pai olhou atentamente e viu o garoto lá fora, tremendo de frio e esfregando as mãos para se aquecer. Furioso, o homem se levantou, indo até o quarto do americano. 


— Mark, levanta — ele disse, após avistar o garoto, que estava sentado em frente ao computador, nem ao menos havia o ligado  ainda — Por que você trancou Jackson do lado de fora? - ele perguntou, irritado

— Eu não o tranquei, ele que não quer entrar - assumiu, baixando o olhar 

— Se você não chamá-lo, como ele vai entrar? - perguntou o homem

— Por que eu tenho que chamá-lo? - resmungou 

— Vai lá fora, e faça ele entrar - ele disse,

Por fim saindo de sua vista. 


Ele caminhou até a porta, e seu pai já havia chegado primeiro que ele. 


— Jackson, entre - murmurou o pai — Não se importe com essa criança - ele disse, apontando para Mark

— Pai, não se importe com ele, deixe ele aí fora - Mark disse, irritado

— Eu acho que era você que devia estar aqui fora - Bai respondeu, furioso

— Tio, não se importe comigo — Jackson interrompeu, assoprando o ar frio e aquecendo suas mãos — Eu vou ficar aqui mais um pouco, gosto do clima frio 

— Você não vai entrar, não é? - Mark perguntou, se irritando

— Você me disse para ficar aqui 

— Pai, não se importe com ele, vamos para dentro - ele disse, puxando o velho para dentro. 


                             —⭐️


Já era noite e o vento soprava rápido. Uma névoa comprida incendiava o lugar e deixava o clima mais frio e denso. O garoto ainda estava lá fora, aquecendo suas mãos, ou pelo menos tentando. Seus ouvidos estavam congelando e ele sentia que iria desabar de sono ali mesmo. 

 Mark, com as mãos nos bolsos, caminhou até a porta, sentindo se mal por deixá-lo ali. 


— Entre — murmurou, sem obter resposta — Por quanto tempo você vai ficar aqui fora? - ele perguntou, sem resposta, mas fazendo o garoto sorrir de canto e direcionar sua bicicleta para dentro. 


                            —⭐️


Agora aquecidos o suficiente, deitaram na cama e se cobriram, sentindo se mais confortáveis do que antes. 


— Mark, o que aconteceu com seu pé? - Jackson perguntou, após ver a região roxa no calcanhar do garoto

— O que você acha? — Mark perguntou, debochado — Alguém foi um idiota hoje e me chutou 

— Está doendo? - Jackson perguntou, segurando o pé do garoto suavemente 

— Claro, tente se chutar para ver se não dói - ele respondeu, ríspido

— O que está fazendo? Meu pai está lá fora - ele disse, após o garoto tentar beijar a ferida, tentando impedido 

— Eu não me importo, eu quero beija-lo, me sinto culpado - ele respondeu, tentando beijar novamente, mas sendo impedido 

— Eu estava brincando, não está doendo - sussurrou, mentindo — Eu estou acostumado com isso, não se preocupe. 


Sem ligar, o garoto tornou a beijar, sendo empurrado novamente. 


— Eu sei, foi minha culpa — Jackson admitiu — Eu não deveria agir daquela forma com seus amigos — Ele disse, olhando nos olhos profundos do pequeno — Mas Mark — Suspirou — Eu não consigo segurar minhas emoções, me sinto muito inseguro — Por fim, ele disse — Se você me desse uma resposta decisiva, eu não agiria assim 

— O que mais você precisa pra se sentir seguro? — Mark perguntou, indignado — Comer e viver na minha casa já não é o suficiente? — ele perguntou, se deitando — Quer mais o que pra se sentir à vontade?

— Você sabe o que eu quero - ele admitiu, partindo para cima do garoto, mas sendo empurrado 

— Se é isso mesmo que quer, esse dia nunca vai chegar — respondeu, irritado — Se quer isso para se sentir seguro, então nunca vai se sentir seguro 

— Mark, você me entendeu mal — Suspirou — Não estou com você por causa disso — Diz ele, se referindo a sexo — Eu sou um homem normal também, se fosse por isso, por que eu não arrumaria uma garota? — ele disse, bruscamente, recebendo um olhar meio irritado de Mark

— Eu gosto muito de você — Seu olhar se entristeceu, passando suas mãos suaves nas costas do garoto — É por isso que eu não consigo me controlar — Assume, quase terminando suas falas — Na verdade, você é muito puro para mim, eu fico relutante em te tocar 

— Jackson, nós dois somos homens - Mark diz, inseguro 

— Então me diga - Suspirou — Você gosta de mim? - suas mãos se viraram para o rosto do garoto, perto o suficiente para cessar um beijo. 


— Dois homens conversando sobre isto, não acha muito meloso? - respondeu, tirando a mão do chinês 

— Mas eu preciso de sua resposta — afirmou — Você gosta de mim? - Ele tornou a perguntar, chegando perto 

— Vá dormir - ele respondeu, se deitando novamente 

— É tão difícil você dizer? - Jackson disse, frustrado 

— Você já sabe, por que ainda pergunta? - Mark admitiu, criando um sorriso encantador no rosto de Jackson. 


Sem mesuras, ele se deitou, agarrado em Mark, usando seus braços largos para aquecê-lo. Jackson finalmente se sentía feliz e sabia que Mark também sentia algo diferente por ele. 


                              —⭐️


Já era manhã e as portas batiam fortes, entrando um ar gélido no quarto de Mark, mas sendo ignorado pelo os dois. A porta da frente se abriu e uma voz pouco grossa e fina soou, chamando pelo o nome de Mark. 


— Mark - gritou Tae, entrando 


Mark imediatamente acordou, tentando acordar Jackson, antes que ele o vissem agarrados. 


— Rápido, ponha suas roupas, Taehyung está aqui - Mark disse, acordando o garoto 

— Por que ele está aqui de novo? - Jackson reclamou, sonolento 

— Estou te dizendo, não implique mais com ele - Mark pediu, paciente

— Eu sei - ele disse, se levantando 

— Mark - Tae disse, abrindo a porta do quarto dele e se assustando ao ver Jackson 

— Você veio - Mark respondeu, sorrindo, colocando suas calças 

— O que está olhando? - Jackson assustou, passando por ele. 


Com várias perguntas em mente, Mark respondeu todas as de Tae, explicando o motivo do chinês estar morando ali por tanto tempo. Eles acabaram indo para escola juntos, e Jackson não sentia tanto ciúmes quanto antes. Estava bem e feliz, ainda mais pela resposta não tão clara de Mark. 


“Continua...”





Notas Finais


Finalmente nosso bebê Mark foi claro, estávamos exaustos de vê-lo lutar contra o amor de Jackson. E aí, estão gostando?
(Desculpe qualquer erro de ortografia)
Comentem e compartilhe ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...