História Addiction - Vhope - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Hoseok Bottom, Lemon, Obsessão, Taehyung Top, Taeseok, Vhope
Visualizações 145
Palavras 1.792
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha só quem deu as caras após 84 anos :3

Vou começar a atualizar essa fic duas vezes na semana, anjos

Tenham uma boa leitura ☕

Capítulo 6 - Sexto; Ele está jogando


[...] 

Jimin acordou assustado tateando o lado esquerdo da cama, notando que o mesmo encontrava-se desarrumado, porém vazio. As lembranças da noite anterior onde entregou-se ao babá das suas filhas inundaram sua mente, deixando um gosto metálico de culpa em sua boca.

"Eu traí meu esposo"

Park pensava totalmente incrédulo de suas atitudes nada corretas. O loiro se levantou, dirigindo-se até o banheiro onde tomou um banho frio, notando marcas arroxeadas em sua cintura e coxas, sentindo-se totalmente sujo pela noite de prazer que tivera com Hoseok. Mas, Jimin não podia negar que gostou, mesmo que tentasse dizer a si mesmo que fora um erro e que nunca mais se repetiria, ele sabia que no fundo desejava perder-se nos braços do Jung novamente. 

Depois do banho, ele desceu até a cozinha deparando-se com o ruivo cantarolando a mesma musiquinha de sempre, enquanto preparava um suco de laranja.

— Bom dia, Sr. Park — enrolou seus lábios em um sorriso carinhoso, aproximando-se do Park sorrateiramente — Como passou a noite? — ele se divertia com a expressão apavorada do loiro, desejando intimamente saber o que se passava por aquela cabecinha. 

— Bem. — foi apenas o que conseguiu responder, já que era demasiado difícil pensar em algo que não fosse beijar aqueles lábios rosados do Jung — As meninas já estão na escolinha? — Hoseok assentiu mudo, com a eficiência de sempre, coisa que deixou Jimin levemente irritado. 

Com dificuldade conseguiu caminhar para longe do mais velho, sentando-se a mesa com certa cautela, visto que seu traseiro estava levemente dolorido por conta da noite anterior. 

— Está tudo bem, Sr. Park? — sorrindo cordialmente, tornou a ficar próximo do Park o deixando cada vez mais nervoso 

— Sim, tudo bem — não, não estava nada bem. Ele havia transado com o babá das suas filhas e agora ele parecia estar sofrendo de amnésia, pois agia tão naturalmente que chegava a ser assustador. 

— Deve estar faminto — foi até a bancada, trazendo consigo um jarro com o suco fresco feito a pouco — Sei que adora suco natural de laranja, então sai bem cedinho para comprar algumas — o serviu de uma generosa quantidade. 

— Obrigado. 

Jimin estava surpreso, pois nem o seu marido lembrava-se do seu suco preferido e muito menos esforçou-se alguma vez para lhe fazer uma agrado com um preparo do mesmo. Agora Jimin pensava se Taehyung realmente o amava, não apenas por causa das laranjas e sim por causa das constantes viagens sem data de retorno. 

— Vou deixá-lo comer a vontade — se armou para se retirar, entretanto Park o segurou pelo pulso, mantendo-o onde estava 

— Come comigo — seus olhos estavam ligeiramente arregalados, seus lábios tão cheinhos formando um leve biquinho — Não gosto de comer sozinho — Jimin estava acostumado a comer com o esposo, mas ultimamente ele estava sempre fora. Entretanto esse não fora o real motivo pelo qual pedira a Hoseok que ficasse, e sim porque lá no fundo queria saber o que mais aquele homem de pele alva e sorriso angelical poderia lhe oferecer. Jimin sabia que era errado desejar outro homem que não fosse seu esposo, no entanto Jung Hoseok parecia possuir algo que o atraia como um imã.

— Se o senhor insiste — sentou-se ao lado do Park, servindo-o de um pouco de ovos mexidos — Espero que goste 

Jimin sorriu, estava nervoso por estar tão próximo a Jung após o que ocorrera na noite anterior. Ele podia sentir o calor acolhedor do corpo alheio, e o bálsamo adocicado que o ruivo emanava, era tão bom que Jimin se questionava o porquê de nunca ter dado a devida atenção para aquele delicioso cheiro de baunilha, tão suave quanto Hoseok. 

Comeram os dois em silêncio, até que Park, ansioso por saber o motivo do silêncio do ruivo que geralmente era tão falante, resolveu quebrar aquela quietude 

— Por que está agindo como se nada tivesse acontecido, Hoseok? — voltou seu corpo na direção dele, cruzando seus braços em cima do busto. Não queria parecer que estava tirando satisfações com ele, apesar de ser exatamente isso o que estava fazendo. 

— Do que está falando? — ele continuava a sorrir, queria ver aquele ser adorável a beira de um ataque dos nervos — Vou retirar os pratos — ameaçou se levantar, entretanto Jimin alterou-se espalmando a mesa com suas palmas miúdas quase arrancando uma risada do ruivo que achou aquela atitude muito fofa. 

Jimin parecia um pugzinho, todo irritado. 

— Você não irá sair daqui antes de conversarmos sobre o que aconteceu entre nós — foi firme em suas palavras, semicerrando os olhos na direção do ruivo 

— Como desejar, Sr. Park — Jimin rolou os olhos, estava se cansando desse jeitinho cínico dele.

— Você não se sente culpado pelo que fizemos? — sua voz vacilou ao lembrar-se, ele ficou todo aflito quando Hoseok abaixou a cabeça e se levantou ficando ainda mais próximo. 

— Não se torture por isso, Park — sua mão alcançou a bochecha gordinha e rosada dele, delicadamente a acariciando em círculos. — Você estava bêbado, e eu me deixei levar por meus desejos mais profundos — ia se aproximando a medida em que as palavras fluiam dos seus lábios, chocando seu nariz com o narizinho do Park, roçando tortuosamente seus lábios sobre os dele — Não devia ter feito o que fiz, me aproveitei daquela situação — tomou distância dele, ficando de costas. Hoseok estava adorando aquela situação.

Jimin por impulso acabou o abraçando pro trás, pousando sua cabeça sobre as costas dele. 

— Eu também quis aquilo, você não me obrigou a nada, Hoseok — sentiu-se culpado ao ouvir aquilo do ruivo. Ele também havia gostado de transar com ele, de entregar-se aquele desejo proibido. — Eu... — ele hesitou, não sabia se devia dizer aquilo, mas algo em seu íntimo gritava para que externasse de sua mente — Eu gostei quando me fodeu Seok-ah. — capturou o lábio inferior entre os dentes, sentindo que corpo se aquecer com a lembrança da noite anterior.

— Mesmo? — virou-se defronte a ele, levando suas mãos até a cintura fininha do Park, sentindo o extremecer do mesmo. 

— Sim, eu gostei de quando me bateu — sorriu tímido escondendo o rosto com as palmas pequenas. Nunca pensou que diria aquilo em sua vida, mas com Hoseok, diferente de quando estava com Taehyung, sentia-se ousado.

— Ah, Jiminie... — uniu seus corpos, deixando que sua mão acidentalmente escorregasse para a bunda arrebitada dele — Eu também gostei — surpreendo-o, Jimin o beijou com voracidade, sugando seus lábios com força, fazendo-o perder o ar — Uau! — exclamou totalmente surpreso.

Conquistar Jimin estava sendo mais fácil do que ele pensava. Hoseok estava adorando toda aquela situação, zombando internamente pela fragilidade e vulnerabilidade do Park, entretanto não queria ter de fazer com ele o que havia planejado para o esposo de Kim Taehyung. Quando soube que o Kim era casado, não imaginava que teria um esposo tão adorável. Seria uma pena ter que se livrar dele.

— Você não quer.. Não quer subir comigo lá pro quarto? — perguntou timidamente, passando suas mãozinhas pelo abdômen bem definido dele, imaginando como seria poder passear sua língua por aquele pedaço pecaminoso do corpo inteiramente tentador do Jung. 

— Faço tudo o que quiser, Jimin — o suspendeu no ar, encaixando seu quadril dentre as pernas dele. 

E naquela tarde, Hoseok fodeu Jimin por toda a casa, até a chegada de Taehyung quando a noite já se aproximava. 

— Oi, TaeTae — sorrateiramente, aproximou-se dele, contornando seu corpo grande por trás, inalando seu cheiro gostoso que tanto lhe fez falta — Senti sua falta, amor — tentou beijá-lo, porém o Kim se afastou bruscamente.

Jimin tomava banho, enquanto as crianças passavam a noite na casa da avó, restando apenas os dois na sala de estar.

— Já disse que a gente não vai transar — murmurou secamente, colocando dois cubos de gelo num copo completando com whiskey em seguida. 

— Acha que eu só quero sexo com você? — esbravejou retirando o copo da mão alheia, virando toda a bebida goela abaixo — Eu amo você, quero construir uma família contigo — enlaçou seus braços no pescoço dele, roubando um beijo casto. Taehyung parecia não conseguir resistir por muito tempo aquele ruivo.

— Eu já tenho uma família — contrapôs, entretanto não se afastou. — Por que não procura outro homem? — se sentiu estranho ao pronunciar aquilo, quase como se não quisesse que aquilo de fato ocorresse. 

— Talvez, eu já tenha encontrado — o empurrou com truculência, sorrindo satisfeito ao ouvir a risada soprada do Kim.

— Não pode estar falando sério? — não queria acreditar naquilo, não sabia o motivo mas não queria imaginar Hoseok com outro — Olha pra mim e me responde — foi até o ruivo puxando o braço dele com força, confrontando ambos os corpos.

— Estou falando muito sério, Taehyung — brincou desinteressadamente com a gravata dele, deliciando-se por perceber que o Kim estava com ciúmes. 

Sim, ele estava se corroendo de ciúmes. 

— E quem é esse desgraçado? — murmurou com os dentes semicerrados, com sua ira aumentando a cada segundo pela demora do Jung em responder. 

— Park Jimin — o nome do loiro deslizou por seus lábios, chocando com violência contra o rosto do Kim o deixado levemente entorpecido. — Conhece? — zombou

— Não brinque com isso — o repreendeu, soltando o braço dele 

— Não estou brincando — contrapôs seriamente e então se aproximou novamente dele — Ontem fodemos bem gostoso na cama de vocês. Oh, Taehyung... — gemeu seu nome segurado o próprio membro — Ele é tão fodidamente apertadinho 

Taehyung o empurrou para longe, totalmente assustado com o que ouvira. 

— Você está mentindo, está fazendo isso apenas para me provocar — ele queria acreditar nisso, precisava. 

— Estou, é? — o prensou contra a mesa de bebidas. Seu olhar desafiador e soberbo, deixava Taehyung sob alerta — Pra você ver que não estou mentido, vou te contar um segredo — aproximou seus lábios do ouvido dele, sussurrando logo em seguida: — Seu marido possuí um pequena mancha de nascença que forma um lindo coraçãozinho próximo ao testículo esquerdo — chupou e mordeu sua orelha — Não teria como eu saber disso, a menos que... — roubou mais uma beijo do Kim boquiaberto e pálido, antes de se retirar para o seu quarto. 

Seus cílios sequer se tocavam, ele não podia acreditar. Seu marido, seu Jimin havia lhe traído com Jung Hoseok que ironicamente era seu amante obsessivo. 

Ele está jogando. Seu subconsciente o alertou e só Deus sabia qual era intenção de Hoseok ao seduzir Park Jimin. 


Notas Finais


Aiai, eu nem sei o que dizer sobre esse capítulo. O Taehyung tá deixando o Jimin a mercê das maldades do Hoseok. Tô nervosa

E vocês, o que acham que o Soek vai fazer com o Minnie???
COMENTEM AQUI PRA UNNIE 💞💞


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...