1. Spirit Fanfics >
  2. Addiction Poker - (Jeon Jungkook) >
  3. Estranhos

História Addiction Poker - (Jeon Jungkook) - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Olá meus anjos

Já peço perdão pelo sumiço, vejo vocês nas notas finais! ^^

Boa leitura!

Capítulo 4 - Estranhos


[(S/N) on]

Abri os olhos devagar e logo uma onda de calor me faz afastar as cobertas rapidamente, o despertador parecia quase ensurdecedor enquanto eu tentava me levantar. Conseguia ouvir a chuva e mesmo assim o clima estava abafado. 

Fui ao banheiro rapidamente e ao sair me assusto e finalmente desperto quando ouço o ronco do garoto no sofá.

Me aproximei e o olhei minuciosamente, com certeza ele não poderia ir trabalhar se tivesse trabalho, suspirei recapitulando o pensamento de culpa que não me deixava. Ao menos havia conseguido livrá-lo, ele não merecia nenhum desses arranhões.

-Jeon…-O balancei um pouco.

Seus olhos se abriram devagar e logo ouvi suas queixas sobre as dores.

-Vou acabar arrancando esse joelho fora.-Esfregou os olhos e finalmente se sentou com minha ajuda, me coloquei à sua frente.

-Como você está?

-Ainda há muitos lugares que doem. Mas eu estou bem sabe, poderia ter morrido.

-Preciso trocar os curativos.

-Tudo bem, preciso ir ao banheiro antes. 

Se levantou e seguiu pelo corredor pequeno, peguei a caixa de primeiros socorros, me sentei e prendi meus cabelos a sua espera.

Quando voltou tentei não olhar seu corpo e logo resolvi me adiantar, ele estava vermelho e ficou mais ainda enquanto eu o ajudava a subir a camisa.

-Vou precisar sair e como não posso te deixar sozinho você vai ficar com Yoongi, tudo bem?

-Posso ficar na minha casa, não? 

-Não. Nesse momento Taehyung está levantando todas as informações possíveis sobre você, vai saber até quantos fios caem de sua cabeça por dia.

-Ele pode me matar?-Sussurrou para si mesmo enquanto eu retirava o esparadrapo.

-Ele quase conseguiu ontem.

-Não foi por culpa sua.-Disse e finalmente olhou em meus olhos.-Ele é um psicopata, isso ficou claro. 

-Por isso não posso te deixar sozinho.

-Não posso me esconder como um bichinho assustado.-Passei o álcool no corte que desenhava seu braço.-Ai!!

-Isso quer dizer que você vai sim ficar com Yoongi até que saiba se defender.

-Mas isso pode demorar meses.

-Não treinando todo dia.

-Você não vai mudar de ideia, vai? 

Sorri finalmente acabando com os curativos.

-Não.

Apenas olhou meus olhos e alternou aos meus lábios, senti o calor de seus olhos me acalentar minimamente até recobrar ciência de que nos aproximávamos.

-Vai precisar de muletas, no caminho eu passo para alugar uma.

-Tudo bem, você acha que quebrou?-Deslizou a mão na perna.

-Não, não parece ter quebrado.

Me levantei e fui ao meu quarto para me trocar, entrei numa blusa regata e uma calça jeans, colocando qualquer tênis pela frente e corri para a cozinha pegar alguma coisa pra gente comer antes de sair.

Despistar os olhares dos vizinhos foi peculiar, andar de moto com Jeon foi com certeza uma arte mas fazer com que Yoongi acordasse tinha sido o maior sufoco até ali, eu já havia me atrasado para o trabalho e meu crédito não andava muito bom depois de tantos atrasos.

-Será que ele morreu?-Perguntei e Jeon suspirou franzindo o cenho. 

-Que barulheira é essa?-Sua cabeça apareceu na varanda e logo o portão abriu enquanto eu praguejava pela quinquagésima vez o seu nome.

-Yoongi passo aqui nove em ponto, até. 

-Até. 

-Espera!-Olhei o garoto machucado que se acostumava com as muletas.

-O que foi Jeon?

-Não é… Perigoso? Ele pode te achar.

-Está tudo bem, onde eu trabalho ele não vai nem morto, você sobrevive sem mim?

Suas bochechas coraram e seu olhar ficou indeciso entre seus pés e meus olhos. Acabei por sorrir observando seu nervosismo.

-Então até.-Liguei a moto acenando para Yoongi, coloquei meus fones de ouvido.

Saí dali dando uma última olhada nos garotos e seguindo rumo ao Creme de Morango. 

Meus pensamentos fugiram para Taehyung enquanto a música me dizia para ir fazer uma viagem pela Califórnia.

Meu corpo tencionou, eu precisava pará-lo de alguma forma, mas como se para um dos homens mais influentes de Las Vegas?

Minha avó com certeza teria a resposta e se a resposta não fosse uma bala seria uma boa e velha manipulação. Eu havia aprendido tudo o que sei com ela, com certeza eu devia a minha vida vida a ela.

-Dez minutos de atraso.

-Perdão chefe.

-Eu e os dez dólares descontados do seu salário a perdoam.-Disse saindo do balcão.

-Garota, qualquer dia desses ele te despede.

-Eu fico tão triste ao pensar em nunca mais ver o rosto dele todo dia.-Lauren sorriu.

-Nada supera o cheque no final do mês.

Coloquei o avental e o pequeno chapéu com a logo da lanchonete.

-Nada. Olá em que posso ajudar rapazinho?-Me curvei para olhar o garoto junto ao balcão.

-O tio me falou para te dar isso.-Estendeu seu pequeno bracinho e olhei ao redor a procura de alguém que não espionasse.

-Cadê sua mãe?

-Mamãe está naquela loja ali.-Apontou para o Pet Shop do outro lado da rua e logo vi uma moça sair e olhar ao redor.

-Corra, ela está te procurando.

-Sim.

-E não fale com estranhos!-O vi ir saindo.

-Mas tia, você é estranha.-Sorri e pedi que ele saísse logo.

-O garoto está certo.-Lauren Sussurrou enquanto voltava com uma bandeja vazia.

-Silêncio.-Ri mesmo preocupada.-Seja bem-vindo ao Creme de Morango, o que deseja?-Perguntei a garota na minha frente.

-Quero um sanduíche de ovo e um refrigerante de quinhentos ml. 

O dia havia sido entediante e cansativo, tirando as mensagens de Yoongi no treino com Jungkook. Na hora do almoço finalmente tive chance de olhar o papel que havia recebido.

Era uma ficha, o histórico de Jeon Jungkook, um aviso de Taehyung de que estava de olho em nós dois, praguejei que houvesse descoberto meu novo endereço de trabalho.

-Merda…!

Terminei meu turno e fui direto para a casa de Yoongi, de algum modo eu sentia um comichão no peito, eu estava sentindo falta de algo ou… Alguém… 

-Abra logo seu bastardo!-Falei já enfurecida.

-O que houve?-Ouvi sua voz preocupada atrás do portão que se abria.

-Ele achou meu emprego, e não sei se posso voltar pra casa.-Senti as lágrimas se acomularem em meus olhos.-Estou perdida, não estou?

-Calma querida, você dorme aqui hoje.

-Eu e o Jeon não vamos ser um incômodo não é?

-Claro que não.

Já dentro da casa eu me perguntava onde estaria Jeon e quando o olhei de cima a baixo ele parecia consideravelmente melhor.

-Acertei três na cabeça.-Falou sorridente, se referindo aos alvos.

-Estou orgulhosa de você.-Sorri e balancei suas mechas, ainda sorrindo pareceu avermelhar.

-Como você está? Ele não te encontrou não é?

-Sim, mas estou bem não se preocupe.

-Então você não voltará mais lá?

-Não é assim que funciona, o que aconteceu hoje significa que ele quer uma conversa.

-Não há conversa, ele é um psicopata.

-Jeon está certo, Taehyung precisa de um fim.-Me virei para Yoongi.

-Eu prometi Yoongi.

-Essa promessa vai te matar.

-Não seja bobo.-Me afastei indo para o banheiro.

-Promessa?-Ouvi Jeon perguntar e suspirei.

Me olhei no espelho e passei os dedos por meu rosto, me sentindo levemente perdida, suspirei e usei o banheiro, saí e me deparei com ambos sentados no sofá, Yoongi apenas me deu uma olhada e veio até mim.

-Se acomodem, preciso mesmo dormir mais cedo hoje.

-Nós vamos… Dormir aqui?

Yoongi atravessou meu corpo e olhei Jeon assentindo, sorri levemente indo pegar instrumentos médicos em estoque.

-Está muito dolorido ?

-Até que não, minha perna ainda dói mas os hematomas estão incomodando menos.

-Seu olho está realmente melhor, sua cicatrização parece boa. Nesse ritmo consegue alta em uma semana.-Sorri e o ajudei a tirar a blusa.

-Desde quando conhece ele?

-Quem?

-Taehyung.

-Conheço ele desde o colegial, os meninos também mas Taehyung se afastou de nós depois que conheceu um pessoal da pesada.

Ficou em silêncio enquanto eu passava a pomada em seus machucados.

-Como você me achou?-Perguntei olhando em seus olhos e o vi ficar levemente vermelho.

-Você sempre esteve nos cassinos que eu frequento, e sinceramente você é a melhor.

-Obrigada Jeon, mas porquê? Porquê quer chegar no topo?

-Amo Poker e apesar de amar a faculdade de psicologia e o bico de professor particular não sinto que isso vai me fazer completamente feliz.

-O poker te faz feliz?-Olhou em meus olhos, estacionado neles, o ar pareceu ficar pesado.

-Muitas… Coisas me fazem feliz.-Sussurrou e engoliu seco.

-Sua blusa.

Guardei os coisas que usei e me levantei para guardá-las no espaço de baixo no armário.

-(S/N).-O ouvi me chamar e me levantei, a cozinha escura nos fazia misteriosos.

Me perguntei o que ele fazia tão próximo, tão silencioso, sem seu sorriso simples de costume e então meus olhos se arregalaram quando puxou meu corpo de uma vez, seus braços me apertaram num abraço macio demais para ser real, meu coração estava acelerado e o instinto de pegar minha arma quase me tomou, o abracei de volta e fechei os olhos, o apertando com força.

Quando se afastou ainda me abraçando o olhei um tanto confusa mas sem qualquer protesto contra seu ato, uma de suas mãos acariciou meu rosto e ajeitou meus fios soltos, não parecia o Jeon tímido que conheci.

-Você faz muito, vamos ficar bem.-Olhou em meus olhos com um sorriso sincero nos lábios.-Tudo isso vai passar, você já provou ser tão forte.

-Jeon… 

-Vamos descansar, amanhã quem sabe bolamos um plano.

Sorri, eu senti seu carinho verdadeiro me tocar de alguma forma. Ele parecia tão frágil e ingênuo que eu me perguntava o porquê ainda não tinha fugido para bem longe de mim, não importa o que ele queria no final, ninguém aguentaria essa pressão sem ser forte o suficiente, foi aí que notei que provavelmente, ele era mais forte do que eu.

Não demorou a se afastar quando passei um tempo significativo encarando seu rosto, é como se uma outra personalidade tomasse conta de seu corpo, apenas sorri e peguei sua mão, ouvi sua risada baixa e fui na frente o guiando para o andar de cima da casa.

Lógico que eu teria de ir na frente para guiá-lo para o quarto mas eu agradeci por isso, assim ele não veria o sorriso idiota que eu tinha nos lábios, encarei o corredor sem querer me preocupar com Taehyung nem nada daquela merda, apenas tendo a certeza de que ele havia salvado minha noite. Mais uma vez.

[(S/N) off]


Notas Finais


Eu estou amando escrever addiction poker, mas fui pega por um bloqueio que me quebrou no meio :/ tente escrever mas nada parecia digno para atualizar pra vocês então resolvi esperar até conseguir escrever novamente ^^

Espero que tenham gostado desse capítulo, ele me tirou um suor pra sair kkk

O que vocês acharam? Falem pra mim! ^^

Até o próximo! Beijos da tia Jas!

Esmeralda - https://www.spiritfanfiction.com/historia/esmeralda-18202889

Esmeralda no Wattpad - https://my.w.tt/UnhxHYXAP2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...