História Addiction Poker (Imagine - Hot - Jeon Jungkook) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook)
Visualizações 710
Palavras 7.353
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Esporte, Festa, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oiee

avisando que ficou muito grande mesmo gente XD

Espero que gostem e nos vêmos nas notas finais!

Desculpem os erros!

I love my readers!

Boa leitura!

Capítulo 2 - "Senti tanta saudade, dessa mão aí"


[Lee Jun on ]

Me levantei da cadeira e fui em direção a porta daquele salão tão grande, cumprimentando algumas pessoas enquanto procurava sair do local, a noite realmente era bonita, e minha roupa agora coberta por um sobretudo que tapava meu vestido vermelho que estava me esquentando do frio rígido da noite parecia ter sido uma má escolha.

Eu não gostaria de sair tão cedo como hoje.

Sou abraçada mas o perfume inconfundível não esconde quem fez isso, meu corpo parecia mais quente agora.

-Estava fugindo de mim?

-É, eu tentei, mas pelo visto não deu certo.

-Não vai dar certo.-Ouço um riso baixo e puxei um de lado sem querer.

-Eu não vou cumprir a aposta se for para você desaparecer novamente.

-Eu não vou mais sumir, não pode me perdoar por isso?

Respirei fundo observando o céu estrelado, sem nenhuma chance de chuva, sem saber muito bem como agir, era muito arriscado para mim, eu me sentia totalmente indecisa naquele momento, me machucar novamente estava em jogo.

-Eu sempre perdia para você, mas eu adorava ganhar, ter você me comandando na cama era tão prazeroso.

-Ah, tanto que precisou de outras, não é?

-Não tiveram outras, só, você.

-Jeon, isso é inacreditável, o tempo que você passou foi grande o suficiente pra mim saber que você não aguentaria sem sexo.-Digo a última palavra um pouco mais alto notando que uma velhinha que passava ao nosso lado, me olhou assustada.

-Eu sei que sou lindo, e muito cobiçado pelas mulheres mas eu não te traí, e se pensa que sim, ao menos imagine que nenhuma delas me daria tanto prazer quanto você me dá.-Sinto um arrepio percorrer meu corpo e pensar outra em seus braços me entristece e atiça minha raiva.

-Ah Jeon, chega a ser emocionante, mas eu não posso dizer o mesmo. Tantos homens...

-Claro, você está chateada e não sabe o que diz, além de não lembrar a sensação do nosso amor.

-Amor?-Rio soprado, mesmo que eu não tenha conseguido nada com os outros homens por sempre me lembrar Jeon, eu não queria admitir isso.-Você acha que é amor?

-Eu estaria aqui se não achasse?-Solto um riso.

Era realmente ruim conhecer alguém legal e não conseguir por ver o rosto de Jeon, pensei que estava ficando louca.

-Aish! Você está tão arredia! Estou lhe contando a verdade e se quiser continuar a se deitar com esses homens, não me importa, mas não venha me dizer que quem desistiu de nós foi eu, é você que não quer.

Me soltou sem fazer nenhum barulho e fazendo com que o clima quentinho que eu sentia ficasse frio, olhei para trás vendo suas costas, se afastarem aos poucos, minha voz ter se enrolado no meio da garganta parecia obra das piadinhas que a vida faz conosco.

-Jeon espera!-O mesmo parou, se virou e me encarou, olhei seus olhos negros os quais ele fechou e se virou novamente.

Corri até ele e o forcei a parar, encarei sua face a puxando contra a minha sinto seus lábios tocarem os meus, depois de muito tempo sem esse arrepio ser sentido no meu corpo inteiro.

-Eu acredito em você, desculpe por ser tão teimosa, mas você me machucou muito, me abandonou e ainda não sinto que isso passou completamente.-Vejo seus olhos vermelhos fecharem.-Eu estou disposta a te aturar, até que passe.

Ele sorri e as luzes de Vegas apenas agora eu notei, abraçando meu “Rei” e me sentindo voltar a me apaixonar por ele.           

Com as mãos dadas e o barulhos das ruas andávamos quase que sem rumo, observando os cassinos e muitas vezes sendo reconhecidos e cumprimentados. O moreno mesmo que soubesse que eu conhecia a cidade, fazia questão de falar sobre os pontos em que passávamos, consegui como que por um milagre parar um táxi, e nele entramos.

Logo deu meu endereço ao motorista que seguiu, o olhar de Jeon sobre mim parecia ter mudado drasticamente, sua mão que segurava a minha, a levou até perto da costura de sua calça, tenho certeza que de propósito.

-Não vá me enlouquecer...

-Qual seria a graça?-Ele sorriu e se aproximou do meu ouvido.

-Não vai acabar quando cumprirmos o trato. Você pulsando pra mim sem parar um minuto.

Sorri desacreditada para ele, não sei como ele sabia usar as palavras certas para me deixar excitada ou até mesmo molhada como já aconteceu várias vezes. Oras nem preciso falar. Olhei o motorista disfarçadamente, vendo se ele prestava atenção no diálogo sexual no banco de trás, mesmo que houvesse um tipo de barreira de vidro entre nós.

O motorista chegou a minha casa, abro a porta do carro e retiro algumas notas do bojo do sutiã, vendo o motorista arregalar um pouco os olhos pelo fato da minha pessoa estar inclinada o fazendo prender o olhar ali.

-Aqui está.-Digo sorridente para o homem que segura o dinheiro e agradece, conta e me dá o troco.

-Obrigado senhorita.

Me distancio do carro vendo ele partir e vou ao encontro de Jeon, que me segura forte pela cintura olhando profundamente em meus olhos com anseio.

-Se quiser seduzir alguém, que seja eu, não o motorista do táxi.-Ri de sua fala e ele ri comigo.

-É bom para o ego Jeon.-Pisquei e ele sorri negando com a cabeça.

-Praticarei o meu mais, então.-Claro, ele não perde tempo para me provocar.-Mas não será com o motorista.

Sorri e o beijei antes de seguir em direção a casa consideravelmente grande, abri a porta da minha casa sem acender a luz, o moreno logo entrou e eu tranquei a porta acendendo vendo-o observar minha casa.

-Eu com certeza posso lembrar de cada canto.

-Então ainda sabe onde fica o quarto, certo?

Ele andou em direção a divisa de paredes e portas de vidro, levando-me junto com ele, direto para a cozinha, abriu a geladeira, enquanto eu me sentava no balcão.

-O que a dama quer comer hoje? Quer provar nosso prato principal?-Disse com cortesia, com certeza seria macarrão com o que ele achasse e eu começo a rir por saber que ele não cozinhava tão bem assim.

-Pode ser… O chefe?

Se aproximou a ponto de me deixar sentir sua respiração, coloquei as mãos em seu pescoço e desfiz o cruzamento das minhas pernas deixando que ele se encostasse ainda mais em mim, suas mãos deslizaram por minhas costas cobertas me arrepiando, puxei seu rosto de encontro ao meu juntando nossos lábios.

Quase que instantaneamente sinto meu interior se remexer em antecipação ao que viria depois. O puxei pela cintura querendo mais que ele se juntasse a mim. Seus lábios deixaram minha boca pela falta de ar e foram indo para o início do meu pescoço, beijando ali me fazendo arrepiar, minha bocetinha com certeza já estava ficando molhada. Afastei seu rosto e ele me olha confuso, já com os olhos pesados.

-Estou a quase seis meses sem isso, releve a partida de hoje.-Pediu manhoso, cheirando meu pescoço.

-Não, se fosse apenas a partida... Mas eu quero mostrar para você um bom motivo para não desaparecer mais.

-Tão má...-Disse, e eu o beijo, seguindo para seu pescoço alvo e convidativo pra mim, trabalhando detalhadamente ali, vendo meu menino se arrepiar seguidamente.

Abro seu terno e ele o joga ali mesmo em qualquer canto, abri sua camisa devagar o ouvindo respirar pesado, enquanto termino de desatar os botões. Ele joga a blusa em algum lugar junto da gravata e eu arranhei levemente a lateral de seu corpo, seguindo em direção ao cós de sua calça onde mostrava um relevo excitante.

Me senti estremecer e molhar mais apenas de olhar sua ereção, tocá-la novamente seria maravilhoso, ele segurou minha mão e a levou para seu volume, grunhindo baixinho quando eu o apertei. Fechou os olhinhos levemente.

-Gosta assim não é Jeon? De pensar que é minha bocetinha te apertando...-Digo extasiada e totalmente excitada.

-Você não tem ideia do quanto.

-Só vai demorar um pouquinho.-Digo apertando seu relevo o ouvindo gemer tão baixinho, quase inaudível.

-Oh, sinto que vou enlouquecer.

-Claro que vai.

Puxei seu pescoço e ele atacou meus lábios, me trazendo mais um arrepio com seus lábios famintos, nossas línguas se acariciavam sem delicadeza alguma, sinal de que estava ansioso para que eu começasse minhas carícias em seu corpo, assim como eu.

Suas mãos se espalham em minhas costas devagar enquanto nossos rostos se moviam rapidamente e ansiosamente, beijei sua bochecha selando seu maxilar inferior totalmente ofegante, descendo por seu pescoço agora avermelhado mordiscando aquele local apenas para ouvir seus arfares.

-Está ansioso Jeon?-Falo ao sentir seu corpo vibrar.

-Talvez, um pouco.-Falou em um sussurro.

-Ei, não fique assim, te farei relaxar.-Ele riu e me olhou.

-Você vai me torturar, isso não é relaxar.

-Não tente me comover, você vai relaxar ao meu modo.-Digo tocando seus lábios devagar.

Ele beijou-me tirando uma pequena descarga elétrica ao me tirar do balcão segurando minha bunda fortemente, fazendo-me suspirar, entrelaço minhas pernas ao seu redor distribuindo beijos por seu pescoço enquanto ele nos guiava, Jeon me mantinha bem suspensa, evitando sem querer nossas intimidades de se chocarem.

-Se aproveita tanto assim por que sabe que é meu ponto fraco não é?-Disse e pude senti-lo arrepiado.

-Uhum.-Murmurou dando um selinho e sentindo meu vestido subir em meu corpo quanto mais andávamos, foi em direção a escada.

-Acho que depois que você acabar, poderei dominar também.

-Acha?-Perguntou e o olhei já me sentindo carregada, de prazer.

-Uhum, tenho todo o direito de matar as saudades.

-Depende, se for um bom garoto até que rola.-Digo e ele abre a porta do quarto totalmente escuro.

Desci de seu aperto e fui em direção a porta a fechando, acendi a luz a deixando baixa, já que ela estava forte, o olhei vendo suas costas bem tonadas e marcadas pelas minhas unhas, marcas que tem há muito tempo, toquei seu corpo, beijando suas costas suavemente, lhe arrepiando, passei minhas mãos em seu peitoral, acariciando seus seios e passeando devagar em sua barriga levemente definida, o ouvindo engolir seco.

-Que saudade disso…-Ouço e sorrio sentindo meus seios eriçados.

-Que bom que sentiu.-Digo baixo.

O ouvi respirar fundo e mordi levemente suas costas, como eu ainda estava de salto alcançava bem seus ombros, beijei sua nuca, desci diretamente, mordiscando suas laterais o ouço respirar fundo e segurar minha mão me puxando, segurou minha cintura de leve, como se não quisesse mostrar seu nervosismo.

Sorrio e levo minhas mãos devagar para seu peitoral totalmente livre de tecidos, toco levemente a lateral de seu corpo como se eu desenhasse na minha mente a imagem. Com um pouco de esforço desço o zíper do vestido em minhas costas e o jogo longe.

-Está quente.-Disse ao tocar minha pele devagar.

Minhas mãos um pouco nervosas por tocar seu corpo como a muito não faziam foram a sua calça, retirei o cinto o deslizando pelo corpo de meu menino, o ouvindo rir baixo.

-Vai me bater?

-Talvez.

Abro o botão de sua calça descendo o pequeno zíper em seguida,  o ouvindo suspirar pesado com meu ato puxo suas laterais até seus pés os quais já estavam descalços, observo suas coxas fartas, e o olho, ele me observava como se estivesse em outro mundo, não preciso ler mentes para saber o que se passava na sua.

-Me deixa te ver fazer isso?-Pediu permissão.

-Isso o que Jeon?

Toco o cós de sua cueca boxer, suas preferidas, dedilho suas coxas voltando para sua cueca.

-Você sabe tão bem, quanto eu.

-Ya, eu só irei te provar quando você estiver latejando, e ainda assim não vou te deixar dar leitinho para sua gatinha tão cedo.-Ele ri, provavelmente desacreditado.

-Sinceramente, eu não esperava menos.-Disse tenso me sentindo tocar seu volume superficialmente e me levantar.

-Se tentar me impedir, o jogo acaba baby boy, se lembre disso ok?-Sussurro contra seu peitoral, ouvindo sua respiração descompassada.

-Infelizmente.-Soltou rapidamente.

Segurou meu rosto e puxou meu corpo, juntando o calor da nossa pele em apenas um, beijou meus lábios apertado e lento, perdendo o fôlego, parti para seu pescoço acariciando sua parte mais sensível, suguei seu pescoço com força o ouvindo grunhir baixo, sua mão espalmou minha bunda me fazendo sorrir ao sentir a ardência se tornando em excitação. Puxou minha coxa desfazendo o beijo e eu impulsionei, sinto nossas intimidades se tocarem e solto um gemido baixo sem querer junto do moreno, beijei seu pescoço até me sentir  deitar na cama com as pernas em volta do moreno.

Ele apoiou seus cotovelos na cama beijando-me com euforia e rapidez assim como eu, segurou meu seio esquerdo o apertando mesmo coberto pelo sutiã, sinto minha bocetinha  pulsar pelo prazer em meus seios e franzo o rosto por isso. Abro a boca perdendo a voz ao sentir seu membro simular estocadas bem em cima do meu pontinho.

-Não Jeon…-Sussurro extasiada.-Não...

-O que… Hmn?-Disse parando totalmente o que fazia e me olhando com luxúria transbordando de si, mas mostrando preocupação.

-Eu estou no controle hoje Jeon, não me faça de baby girl hoje, quase conseguiu.

-Ah não, meu plano falhou.-Sorriu malicioso e eu respirei fundo.

-Sabe o que a mommy quer agora? -Pergunto olhando para sua feição de inocente, tirando seus olhos pesados e lábio preso.

-Não mommy, o que quer que eu faça?

-Quero que você chupe a bocetinha da mommy direitinho.

Sorrindo beijou meu pescoço de leve, e desceu para a parte nua de meus seios, segurei seus cabelos e levantei seu rosto sem machucá-lo.

-Mommy não pediu para brincar com meus seios agora, humn? Seja um bom garotinho.

Ele sorriu e beijou minha barriga, lambendo em meu baixo ventre, olhou-me nos olhos e ajoelhou-se na cama, segurando a lateral de minha calcinha, a puxando, prendeu seus olhos em minha bocetinha que pulsava e me fazia morder os lábios.

Ele abaixou deslizando suas mãos por minhas pernas, seus dedos separam meus lábios e não demoro a sentir sua boca beijando suavemente meu pontinho, deslizando para minha entradinha, meus lábios assim como o todo estavam encharcados da minha excitação, sua língua acariciou de forma rápida meu pontinho e gemi manhosa segurando seus cabelos, conti meus gemidos e súplicas, Jeon diminui a velocidade me fazendo apertar o lençol de leve.

-Está impedindo sua mommy de chegar ao ápice baby boy?-Digo ofegante.

-Desculpe mommy, mas eu quero ouvir seus gemidos.-Falou travesso.

-Nã-na-ni-na-não.-Digo, fecho minhas pernas devagar ainda às sentindo trêmulas.-Então deixe a mommy brincar com você agora Jeon.

Sorrio para ele, e ele desfaz o seu, sabia que havia sido malvado ao fazer isso.

-Vá para lá e deixei suas pernas bem abertas para mim.-Fez o que pedi e se encostou na cabeceira da cama.

O segui e beijei seu pomo de adão descendo em seu peitoral, acariciando seu biquinho rijo, o sugando em seguida ouvindo mais um grunhir de Jeon, fiz o mesmo com o outro, acariciando a lateral de seu corpo eu continuo a contemplar sua feição.

Desço minhas unhas a fim de marcá-lo inteiro, meu quadril movimenta-se contra o seu me fazendo ouvi-lo gemer baixinho junto a mim, meu corpo inteiro se arrepia com isso me fazendo pensar ainda mais em formas para torturá-lo, sentindo suas mãos agarrarem de pronto minha cintura, beijo sua boca inchada e entreaberta.

Rapidamente desci meus beijos para seu pescoço alvo e convidativo, mordi ali puxando um pouco sua pele, o sinto mover meu quadril soltando um gemidinho, o bastante para me fazer suspirar em antecipação.

Sorrimos juntos e ele acaricia meu braço logo alisando minhas costas, deslizei minhas unhas pelo seu peitoral parando no pé de sua barriga. Suspirou e me remexi sobre ele o fazendo apenas abrir a boca devagar.

-Tão lindo...-Digo anestesiada tocando sua bochecha e descendo meus dedos por sua barriga.-Vai sofrer tanto.

-Vai conseguir fazer mal a essa coisinha?-Disse parecendo uma criancinha com aquela cara.

-Eu ainda estou excitada meu anjo, você merece um castigo por desobedecer sua mommy.

-Me desculpe...

-Desculpe? Você me atiçou ainda mais, vou pegar meus brinquedinhos já já.-Digo segurando suas bochechas fortemente com apenas uma mão.

Ele sorriu enquanto passava a língua no lábio inferior, me tirando um espasmo, por ser tão lento e sensual.

Se controla mulher, se concentra e vai.

Saí de cima do moreno indo para a beirada da cama.

Tirei meus saltos e depois de aproveitar o alívio em meus pés vou diretamente para o moreno que me encarava com os olhos pesados.

-Comprei alguns brinquedinhos, você vai adorar.

-Posso falar, mommy?

-Hmn.

-Não use aquele anel em mim novamente.

-Você tinha gostado tanto, Gukkie.

-Ele não me deixa nem pensar direito, aquilo é tão doloroso.

-Eu já iria usar Gukkie, mas agora, ao menos uns vinte minutos, o que acha?

O sinto se remexer me fazendo notar o quão excitado ele já estava, me fazendo suspirar fundo quase que inconscientemente.

-Safado.-Sussurro o vendo sorrir de lado.-Nem tente, Jungkook.

Saio dali indo direto para o meu guarda-roupa, fazendo questão de rebolar para que aquela ereção doesse e o torturasse. Abro a gaveta e pego aquela caixa preta levando para a cama.

-A caixa preta de pandora?

-Que mal você quer que saia dela?-Digo o vendo fechar os olhos e encostar sua cabeça.-Está me imaginando Jeon? Como? De ladinho? De quatro pra você? Ou bem expostinha como você gosta? Diz pra mim...

-De todos os modos.-Sussurrou.-Não faça demorar mommy.

-Qual seria a diversão?

Minhas mãos seguram as algemas e ele logo olha para mim descrente enquanto acariciava seu membro por debaixo da cueca, me fazendo sorrir.

-Algemas?

-Apenas gema para mim, e bem manhosinho, juro que se for bonzinho, te deixo gozar gostosindo.-Prendi um de seus pulsos na cabeceira, observei seus olhos, varrendo meu corpo com um sorrisinho nos lábios, segurei sua mão livre e levei até minha bocetinha, o sentindo acariciar ali e sujando seus dedos com meu melzinho me fazendo gemer baixo.-Apenas para abrir mais sua imaginação.

Seu dedo passa em meu botãozinho me fazendo estremecer antes de tirar sua mão dali, suguei seu dedo devagar prendendo sua atenção completamente ali, suguei a ponta de seu dedo o vendo puxar o ar e prender os lábios.

-Excitante, tão excitante.-Gemeu enquanto eu prendia seu pulso livre.

-Vamos lá.-Digo ainda o observando um pouco antes de que me acomodasse em seu corpo quente.

Minhas mãos seguraram seu rosto devagar e eu toco seus lábios o beijando lentamente enquanto uma de minhas mãos descem para suas costas, e eu acaricio ali com as unhas o sentindo arrepiar, sem ar desço meus lábios novamente por seu pescoço, mordendo seu maxilar, ouvindo seu ar descompassado em meu ouvido, mordo sua orelha devagar descendo ali e distribuindo beijos pela área quente.

Minhas unhas arranhavam suas costas de leve agora, enquanto eu beijava sua clavícula e descia minhas carícias, mordiscando seu seio o ouvindo suspirar pelo carinho na área sensível, a qual eu contorno com minha língua, deixando ao redor mordidinhas leves o sentindo arrepiar novamente, sugo seu seio e faço o mesmo com o outro o ouvindo gemer baixinho.

-Eu entendo por que vocês gostam tanto disso, meu pau está pulsando por isso.

Sorrio ao o ouvir ofegante e beijo a lateral de sua barriga o sugando ali, formando uma área roxa, repetindo o mesmo em outros lugares.

Meus beijos lhe fizeram gemer baixinho assim que meus lábios alcançaram o pé de sua barriga, minha mão foi sem rodeios diretamente para aquele volume delicioso entre suas pernas o acariciando devagar, minha boca brincava naquela área, acima de sua cueca boxer, enquanto eu conseguia sentir seu perfume ele continuava de olhos fechados, imaginando suas perversões que eu sei que não são poucas.

-Abra os olhos, não é mais divertido aqui?

-Não posso deixar de imaginar, se eu tivesse perdido o jogo, como eu te faria...

-Arrepender? Jeon, Jeon, você pode ser mais punido falando isso.

-Desculpe.-Falou rápido e baixo, enquanto remexia seu quadril em minha mão.

-Está ansioso? Já está tão gostoso assim?

-Você sabe que seu garoto é sensível, e faz esse tipo de coisa.

-Oh, é verdade, mas, assim é melhor não acha? Nem tirei a sua boxer e posso sentir seu pau todo sujinho de pré-gozo.

O vi morder os lábios fortemente vendo que logo depois dali saia uma gota de sangue deslizando de sua boca para seu pescoço fazendo contraste com sua cor alva.

As coxas deliciosamente fartas bem ali, na minha frente, aonde eu desço com as unhas de forma agressiva, formando pequenas gotículas de sangue nos vergões, mordi ali, beijando em seguida e indo cada vez mais para perto de seu volume coberto pela boxer sujinha  em uma certa região.

-Como está se sentindo, meu garoto?

-Duro, dói muito.-Vejo algumas lágrimas descerem suas bochechas.

-Dói amor?-Digo e passo minha língua pelo comprimento do volume ainda coberto, o ouvindo gemer sôfrego, vendo sua barriga se contrair e repetindo o ato o ouvindo gemer manhosinho pra mim e estremecer quando minha boca acariciou sua cabecinha por cima do fino pano branco.-Por isso Jeon, vou usar meu brinquedinho reservado apenas para os meninos, em você.

-O anel?-Disse manhoso.

-Um pouquinho mais complexo.

Parei de acariciá-lo e abri a caixa, pegando o que foi um presente de um amigo, ainda tinha o bilhetinho.

 

“Um dia usaremos.

Com amor.

Shae.”

 

-Acho que não, amor.-Digo para mim mesma como se respondesse o bilhete e o jogo em qualquer lugar no chão, segurando o objeto e o mostrando para o meu moreno que sorriu abertamente.

-Você ficou mais pervertida com o tempo que tirei fora.

-Isso é ruim?-Digo, segurando o vibrador masculino.

-Não mesmo.

-Então vamos brincar Jeon.

Ele me observava enquanto eu espalhava o lubrificante no seu brinquedinho, terminei e me aproximei dele, segurei sua boxer e juntei toda a força para rasgá-la de lado, e como Jeon estava com as pernas livres eu apenas a deslizei por uma delas.

-Minha boxer favorita...

-Vingança.-Digo o vendo sorrir.-Já usou um desses ?

-Não…-Sussurrou inquieto.

Olho seu falo totalmente ereto a minha frente me sentindo salivar e mais espasmos serem  espalhados por meu corpo.

-Um ótimo momento para lembrar que você está molhadinha pra mim.

-Claro que estou… Ela vai apertar você até nós dois chegarmos ao limite juntos Jeon.-Sussurro.

Enquanto nossos olhos estavam conectados levei meus dedos a sua ereção o ouvindo gemer manhoso pra mim, enquanto me olhava, prendeu seu lábio novamente e eu apertei sua ereção, estava me provocando, e minha bocetinha pulsando forte.

-Não os prenda, quero ouvir cada um.

-Ah porra...-Gemeu ao me sentir encaixar o vibrador em seu falo.

O barulho do ferro das algemas se mexendo me fez arrepiar ainda mais, se é possível, levo meus dedos a minha bocetinha molhada, gemendo baixo por estar tão sensível.

Movo o vibrador para cima ouvindo meu menino gemer ainda mais manhoso pra mim, aumentei um pouco a velocidade dos tremores e apertos e movi com rapidez, ouvindo ele se deleitar da forma mais excitante com o prazer que aquilo nos fazia.

Era intenso.

Era extremamente viciante.

-Mais rápido, por favor mommy!-Falou rapidamente e manhoso eu aumentei a velocidade de meu braço o vendo arquear as costas, e gemer manhosinho pra mim, estava prestes a gozar.

Retirei o aparelho dele sentindo-o tremer em minha mão. Vejo seu rosto ser molhado por lágrimas que desceram ali.

-Me deixa gozar, por favor, sinto que posso ficar louco.

-É o propósito.

Ele fez um bico enorme mordendo seu lábio machucado. Aumentei os tremores, o vendo puxar as algemas de novo.

-E se você estivesse sem as algemas Gukkie?

-Eu teria te pegado, e estaria te torturando e metendo bem gostoso nessa bocetinha, estaria tremendo e implorando pra gozar, pra mim deixar sua bocetinha ardendo.

-Tão selvagem, Jeon.-Digo movendo meus dedos no meu pontinho inchado.

Retiro o vibrador o ouvindo suspirar, e me olhar confuso, vou até a caixa e pego dali o anel peniano, era como um anel mesmo, que apertaria a base dele, sem deixá-lo gozar mesmo que queria fortemente.

-Eu não acredito Lee...

-Sem reclamações Jeon, seja um bom menino para sua mommy.

Seguro com um pouco de força, e enlaço seu falo molhado pelo lubrificante, ele cerrou os dentes me olhando pesado.

-A partir de agora meu amor, quero que se expresse como queira ok?

-Sim senhora...-Sussurrou.

Minha mão segurou seu falo, o movimentando devagar, ouvindo meu Jeon gemer e impulsionar seu quadril para minha mão.

-Senti tanta saudade, dessa mão aí.-Sussurrou como um segredo.-Muito melhor que a minha.

Disse me fazendo imaginar o quanto ele deve ter se tocado enquanto me imaginava pagando um belo boquete como sua submissa. Meu baixo-ventre se contrai enquanto eu tentava não fechar as pernas,  estava tão excitada para manter o controle entre nós.

-Ficou se tocando esse tempo todo amor?-Digo ainda movimentando seu pau o ouvindo gemer manhosinho pra mim, fechei os olhos lentamente os abrindo em seguida.

-Imaginando você me chupando de novo, bem molhadinha só pra mim.

O olhei nos seus olhos vendo o quão sexy estava àquela cena, apertei seu pau de leve o ouvindo gemer baixinho, eu abaixo minha cabeça ainda grudada nele, estava me controlando ao máximo, olho sua cabecinha roxa totalmente suja de pré-gozo vendo o resto do comprimento com as veias saltadas e bem tonadas, me fazendo salivar e sentir minha bocetinha clamar mais ainda se possível por ele.

Afastei meu corpo e beijei sua cabecinha a lambendo devagar.

-Isso Lee, chupa até sair seu leitinho.-Gemeu alto e arrastado.

-Gukkie, minha bocetinha está pulsando, minha calcinha já deve estar toda molhada.

-Oh, desse jeitinho, meu pau vai deslizar tão bem nela, acertando seu pontinho sensível.

Minha bocetinha se aperta e pulsa com aquela resposta, abocanho sua cabecinha olhando-o nos olhos e o vejo gemer alto e manhoso pra mim, sugo sua cabecinha devagar e a solto fazendo um barulho, lambendo seu comprimento, beijei suas bolas as massageando enquanto voltava para seu comprimento, sentindo impulsos de seu quadril.

-Ah caralho, olha só, estou tão duro...

-Quer gozar na minha bocetinha Jeon? Quer senti-la te apertar bem gostoso?

-Lee...!Senta bem gostoso vai…-Gemeu falho fechando os olhos e tombando sua cabeça enquanto acariciei sua fenda, vi suas bochechas molharem novamente e seu gemido ecoar.

-Está pedindo Jeon?-Digo movimentando com rapidez.

Sua cabecinha já estava suja de pré-gozo de novo, salivei e abocanhei seu pau teso, engasgando e desistindo de o engolir todo, masturbando bem devagar o que eu não conseguia, o ouvindo gemer dentre sôfrego.

-Por favor, eu preciso de você.-Sinto todo o meu corpo tremer.

Lambi seu comprimento sem parar de ouvir seus gemidos manhosos e suplicantes, beijei seu comprimento o sugando em partes aleatórias, o ouvindo abafar os gemidos, aumentei minha velocidade novamente o ouvindo gemer para mim de forma deleitosa.

-Vai mommy, mais rápido, por favor seu garoto gozar bem gostoso nessa boquinha.

-Está perto amor?

-Oh, sim.

Volto para cima beijando seus lábios novamente, tateio o criado mudo e acho a chavezinha, abro umas delas soltando um de seus pulsos.

Sua mão foi direto para minha bunda, me fazendo morder os lábios, estalou um tapa na mesma me fazendo ficar ainda mais excitada, se é possível.

-Tão quente Lee...

Seus dedos tocaram minha bocetinha e logo senti seus dedos em meu clitóris o rodeando devagar. Arqueio as costas sentindo-o acariciar ali.

-Ahmn Jeon...

-Está tão molhadinha, me faz sentir ainda mais dor...

-Gosta assim seu safado? Gosta quando fico toda molhadinha pra você?

-Só de imaginar você descendo e subindo no meu pau já me faz sentir dor.

Levo minhas mãos aos seus ombros os massageando devagar, enquanto sentia seu dedo me acariciar fazendo minhas pernas ficarem trêmulas. Segurou seu falo e o pincelou em minha bocetinha gemendo manhosinho junto a mim.

-Vai deixar então não é?-Falou com a voz falha.-Vai me deixar te foder não vai? Eu sei que sua bocetinha está pedindo por isso...Você está bem molhadinha.

-Está sim Jeon...-Digo e esfrego sua cabecinha em meu botãozinho inchado gemendo junto dele pela sensação.-Mas não posso ceder agora.

-Awm...-Gemeu alto junto a mim quando dei batidinhas em minha bocetinha com seu falo.

-É tão bom te ter totalmente vulnerável, só pra mim.

Selei nossos lábios e sinto sua mão passear em minhas costas, sorrio, tortura-lo significa me torturar também, mas é tão prazeroso que vicia. Sem que ele notasse ou reagisse eu o algemei novamente o ouvindo suspirar derrotado.

-Jeon, minha bocetinha vai explodir, eu preciso me aliviar.

-Não Lee, isso é maldade, é golpe baixo demais até pra mim, sabe que se fizer isso, quando me soltar, vou te encher de vergões e palmadas.

-Você não chupou sua mommy como devia...-Digo manhosa para ele, vendo meu menino suspirar sôfrego enquanto eu voltava a separar minhas pernas ao seu redor.-Vou te torturar só mais um pouquinho e te solto.

-Mal espero por isso.

-Minha bocetinha também Jeon.

-Ah, vadia...

-Imagine Jeon, me imagine lambendo e chupando sua cabecinha, hmn? Você está pulsando tanto, deve estar tão, tão doloroso.-Digo movimentando minha mão pra cima e para baixo em seu falo.

-Oh, merda, me lembre de nunca mais ganhar de você no poker.

-Oh Gukkie...-Gemi ao senti-lo abocanhar meu seio e aumento a velocidade da minha mão, minha bocetinha estava em cima de sua coxa e comecei a deslizar aquela área molhada na sua coxa estimulando meu botãozinho.

Jeon mordeu os lábios e jogou sua cabeça para trás gemendo rouco enquanto eu continuava a masturba-lo, aumentei a velocidade e sinto Jeon mover seu quadril para cima desesperado querendo que fosse mais rápido ainda.

-Hmn... A-ssim...

Minha mão ia rápido subindo e descendo, sentia meu pontinho pulsar e pontadas prazerosas em meu ventre, ele fechou os olhos com força e cerrou os dentes, gemendo entre eles de modo sôfrego, olhou pra mim com os olhos entreabertos  me fazendo querê-lo ainda mais.

-Tira esse anel de mim, eu não aguento mais. Por favor...

-Quer que eu sente em você agora?-Sussurro para ele que eu sinto arrepiar ainda mais.

-Quero sim mommy, eu adoro isso.

-Eu também, quando você passa essa parte aqui.-Paro os movimentos e passo o dedão devagar em sua cabecinha.-No meu pontinho, você geme tão gostoso com isso.

Beijei seu ombro de leve o ouvindo murmurar algo e notando o quão tenso ele todo estava, novas lágrimas desceram, beijei seu pescoço, subindo-o todo e sentindo algo molhado tocar minha bochecha.

-Está chorando meu anjo?-Ele sorri.

-Não é brincadeira, está muito dolorido. Eu preciso de você Lee, por favor.

-Um minutinho Jeon.

Seguro seu falo novamente e me abaixo ali, lambendo a cabecinha de seu falo a sugo com força o fazendo gemer enquanto arqueava as costas.

-Só para você guardar a imagem de recordação.

Beijo suas coxas devagar e subi meus beijos e pequenas mordidas até chegar em suas bolas, as mordisco e olho Jeon que prendia sua boca e me encarava, sugo suas bolas e às solto fazendo um barulho molhado, minha língua passeia dali até sua entradinha, a rodeando e sentindo Jeon tremer continuo a acariciá-lo ali, minha mão alcança a caixa pegando exatamente o que eu queria, seguro o vibrador pequeno e lubrifico ainda mais ali, rodeei sua entradinha com o vibrador enquanto eu ouvia a respiração pesada de Gukkie, adentrei ali devagar e tirando rapidamente, indo e vindo coloquei no nível um, adentrei ali aumentando o volume e movimentando, o ouvindo gemer deleitoso pra mim, voltado a brincar com suas bolas as mordisco e a sugo sem parar de mover minha mão.

-Ohh, juro que se não fosse o anel eu gozaria nesse exato momento.

Subi com os beijos lambendo seu comprimento vendo-o jogar a cabeça para trás e gemendo manhoso ao me sentir beijar e assoprar sua cabecinha inchada.

-Sabe o que acontece agora amor?

-O que mommy?

-Agora eu vou sentar gostoso em você.

Vou até perto do seu rosto antes subindo com beijos e tomo seus lábios pra mim, seguro seu falo grosso e pincelo em minha bucetinha pulsante, nos ouvindo gemer extasiados, abri a gaveta e peguei uma camisinha, a abri e enlaço seu falo, encaixo sua cabecinha em minha entradinha e mantenho meu olhar no dele, desci meu corpo sentindo cabecinha entrar logo sendo apertada e nós gememos juntos.

-Ahn, caralho, coloca tudo logo Lee. Por favor...

-Ohm…Jeon…-Desci de uma vez, sentindo minha bucetinha se contrair e arder um pouco.

Rebolei ali deixando que mais um gemido saísse da minha boca sentindo vários espasmos de uma vez.

Comecei a subir e descer em seu pau deslizando ali o deixando todo coberto com meu melzinho, aumento a velocidade o sentindo tocar meu ponto G me fazendo arquear as costas e cravar minhas unhas em seus ombros.

-Ah merda Jungkook...

-Está me apertando tanto, oh porra…

Mordi os lábios ouvindo ele puxar os braços e as algemas fazerem barulho, íamos frenéticos, o sinto impulsionar o quadril e o barulho de pele com pele aumenta soando no quarto inteiro.

Saí de seu colo sôfrega e fraca me sentindo tremer, ele parecia mais que insano com seus dentes trincados e e peitoral subindo e descendo rapidamente assim como eu.

Peguei a chave e libertei seus punhos o vendo levar sua mão e se masturbar rapidamente gemendo alto e manhoso puxando o lençol com seus pés, eu seguro sua mão e tiro de seu falo o anel peniano e ele joga a cabeça para trás gemendo manhosinho e baixo pra mim, ele me puxa me deixando de bruços e aperta minha bunda com força, passa seus dedos por minha excitação que passava das minhas coxas e desfere um forte tapa me fazendo soltar um grito fino pela força.

Empino minha bunda a ele sentindo meu corpo pesado de tanto tesão e ouço sua voz calejada de luxúria.

-Olha essa bundinha redondinha…-Estalou ali me fazendo gemer manhosa, agora eu era dele, totalmente entregue a ele.

-Vamos foder de ladinho amor?-Balanço minha bunda sentindo outro estalar.

Nenhum segundo se passou e ele pegou meu quadril o deixando de lado, beijou minha nuca acariciando a curvatura de meu pescoço.

-Amor, não vou conseguir foder delicado e calmo, não quero que se machuque.-Disse baixo e pausado, sorrio pela sua preocupação de novo.

-Não precisa ser delicado muito menos calmo, quero que faça exatamente ao contrário.-Gemeu baixo ao me sentir movimentar o vibrador.

Peguei sua mão e passeei nos meus seios os quais ele massageou devagar os apertando, desci ela até minha bocetinha nos ouvindo ter a respiração mais pesada que antes. Sinto seus dedos acariciando meus lábios devagar me arrepiando, saiu dali e pegou minha coxa a levantando sentindo minha lubrificação me causar um certo frio.

-Fica bem abertinha pra mim...

Fechei os olhos sentindo minha bocetinha contrair com suas palavras arrastadas. Sinto seu pau teso deslizando ali e segura minha perna ao me sentir tremer, gemi com seu movimento o ouvindo fazer o mesmo, parou ali segundos e acariciei sua cabecinha o ouvindo gemer baixinho e manhoso.

-Jun, o que você quer, que eu faça com você agora?-Disse rouco e baixo movendo seu quadril ali, fecho os olhos sentindo meu pontinho pulsar muito a cada vez que era estimulado por seu falo.

-Quero que me foda, Jeon me fode com toda a força que tiver, minha bocetinha está pulsando tanto por você.

Gemeu baixo e sinto seu falo entrando em mim devagar, aperto meu seio e solto um gemido manhoso enquanto os massageava sentindo meu corpo se arrepiar violentamente, seus movimentos aumentaram a velocidade e profundidade me fazendo arquear as costas, sua mão em minha barriga a acariciando desceu e sinto seu dedo maior acariciando meu botãozinho inchado gemendo junto de mim, sinto minha voz falhar.

-Amor… Quero foder sua bocetinha, sempre de ladinho.

Gemeu arrastado ao meu ouvido.

Suas estocadas estavam me fazendo revirar os olhos de tanto tesão que meu corpo carregava. Apertei de leve os biquinhos rijos sentindo mais uma onda de prazer, me sentindo extasiada, minha bocetinha se contrai enquanto gemíamos feito loucos excitados, me afastei dele devagar e o olho, tão excitante quanto impossível, assim como eu, ele estava vermelho e ofegante, tão sexy que eu poderia gozar por observá-lo.

Ele se ajoelhou e tirou a camisinha, como num passe a amarrou e a jogou fora da cama, movimentou seu falo com rapidez, pegou outra camisinha e a colocou em seu falo, com dois dedos me chamou e eu engatinhei até ele, dando beijos molhados em seu abdômen o ouvindo ofegante.

-O que você quer daddy?

-Fique de quatro pra mim…

Em segundos eu estava empinada pra ele, com meus ombros no colchão e meu rosto apoiado em algum travesseiro para não me machucar, sinto sua mão espalmar minha bunda e eu a balancei, fechei os olhos ao meus dedos acariciarem meu pontinho, movimentei minha bunda e o olhei, que observava cada detalhe de meus movimentos.

Sinto suas estocadas fortes e fundas me atingirem, solto um gemido e rebolo em seu quadril o sentindo apertar minha cintura com força enquanto gemia rouco. Podia sentir seu comprimento tomando o espaço exato dentro de mim, passando por uma parte que me fazia sentir como se estivesse uma dupla camada de prazer em meu corpo.

Segurou minha cintura com mais força fazendo o nosso movimento ainda mais rápido sinto minha bocetinha contrair ainda mais, me fazendo gemer manhosa junto de Gukkie.

-Daddy…-Gemi sôfrega.-Não pare estou quase lá.

-Eu também amor, você é tão apertadinha…

Mordi meus lábios com suas estocadas e ele vai fundo e segura ali me fazendo mover a cabeça para trás sentindo-o estimulando meu ponto G, rebolo com força nos ouvindo gemer extasiados.

Curvou-se e me puxou e eu levantei meus ombros sentindo minha bocetinha latejar junto de seu falo, ele se retirou e eu virei para ele sentando em meus tornozelos, vejo seus dedos retirarem a camisinha e ele me mostra, vejo um rasgado na base e ele amarra fazendo o mesmo de antes.

Olho seu rosto e ataco seus lábios segurando seus ombros o puxando pra mim, caímos juntos na cama e eu enlaço minhas pernas em seu quadril sentindo-o me estocar com força, seguidas vezes gemendo entre meus lábios assim como eu, beijou meu pescoço mordiscando ali sem jeito pelo ritmo acelerado.

Sinto-me derreter assim que ele estimula minha área sensível, arqueei as costas o ouvindo gemer em meu ouvido ao me sentir apertando-o forte. Mais algumas estocadas e eu chegaria ao meu limite. Arranhei suas costas já marcadas.

O barulho de pele com pele era a sinfonia do nosso sexo, nosso perfume estava espalhado no quarto inteiro.

-Vou gozar se continuar assim…-Digo e o vejo sorrir aberto.

-Então por favor, goze para mim.

Seus dedos foram para o meu clitóris o rodeando devagar, ora rápido,  apertei sua cintura a arranhando, enquanto ele fazia movimentos lentos, solta um gemido falho sôfrego enquanto ia rápido com seus dedos arqueei minhas costas sem me dar conta sentindo o prazer aumentar em meu corpo tenso.

Movi minha cintura pedindo que fosse mais rápido, levei minhas mãos aos seus cabelos negros o fazendo olhar em meus olhos, poderia ser qualquer coisa que me fizesse pensar que me deixaria novamente, eu não conseguiria ser totalmente a mesma sem sua companhia. Nossos olhos estavam conectados.

-Ya Jeon, não vá tão devagar assim.

-Então como você quer?-Passou seus dedos em minha lubrificação voltando a estimular meu botãozinho inchado me fazendo gemer manhosa.-Estou tão duro, não me torture muito mais.

-Quero que você me fôda mais rápido, está sentindo minha bocetinha latejar pra você?

Ele sorri mais que malicioso junto de mim, beijo seus lábios sentindo seu falo teso tocando meu ponto sensível, gemi o sentindo aumentar os movimentos nos deixando frenéticos, sinto uma descarga de prazer enorme em meu corpo.

-Oh Jungkook,  assim...

-Gemeu m-meu nome outra vez…

Sinto meu corpo formigar e ficar dormente de instantâneo a sua voz excitante, minha bocetinha prensou seu falo com toda a força.

-Jungkookie…

Se afundou em mim gemendo rouco dando pequenas estocadas lentas.

-Jun, caralho…

Eu ainda estava sensível do recente orgasmo, nossas testas estavam coladas enquanto recuperavamos o nosso fôlego, beijou meu queixo, e se retira do meu interior, fecho os olhos sentindo minha respiração se acalmar, eu ainda sentia meu corpo trêmulo quando me aconchego em seu peitoral.

-Lee, eu preciso fazer uma viagem…

-... Do que você está falando?-Apoiei meu corpo corpo no braço dobrado sentindo meu batimentos aumentarem.

-Não vai ser muito tempo, eu vou voltar pra você.-Alisou meu braço e praticamente agredi seu carinho tirando sua mão dali.

-Eu não vou te aceitar de volta, Jungkook eu te amo, mas não me peça para te deixar simplesmente ir.

Sinto meus olhos começarem a lacrimejar e praguejo meu corpo não se recuperar rápido para lhe dar socos.

-Jun…

-Eu quero que vá agora, é melhor que vá agora…

-Eu não vou embora.-Disse sorrindo.-Eu jamais suportaria isso de novo.

Em segundos tocou minha bochecha e nossos lábios, num beijo sem segundas intenções.

-Eu não queria te assustar, mas eu vou e volto no mesmo dia, quis te avisar porque não quero que se sinta abandonada.

-Você é um tolo, quase o coloquei pra fora de casa.

-É, eu sei, me perdoa?

Ele não falava apenas do pequeno enfarte que me causou, mas também de todas as burradas que fez, dentre delas a de nos manter sem qualquer contato me apertava o peito, eu só queria saber que ele não vai me deixar novamente.

Mas eu temia me tornar dependente de sua companhia, jamais o prenderia, mas estar ao seu lado era como estar encontrando um pedaço de mim.

-Que dia é?

-Amanhã.

-Tão em cima Jeon?

-Juro que será bem rápido… Deite comigo, você me deixou exausto.

Sorri e me aninhei em seu corpo quente e confortável ouvindo sua voz sair em uma melodia que me deixou nas nuvens, cantarolou até que eu entregasse meu corpo todo para se relaxar.

~(Quebra de Tempo)~

Já estava na metade da madrugada quando resolvi voltar para casa, eu estava levemente zonza mas consegui chamar um táxi para me levar até minha casa, assim que paguei me sentia um pouco mais sã e meus pés pararam de se atropelar.

A verdade era que acordei completamente só na cama, o quarto estava completamente arrumado, eu quis tanto rever Jeon que será possível estar sonhando com ele? Ainda mais a transa de ontem, tinha de ser um sonho mesmo.

Eu estava com minha calcinha e meu sutiã em meu corpo e nada havia indicado que havia mais alguém além de mim na casa, olhei os aluguéis dos cassinos e todo estavam em dia, os lucros estavam caindo bem na minha conta.

-Yaa Jun, uma ducha lhe fará bem.

Abri a porta e a tranquei sem ter a preocupação de acender a luz, subi para o meu quarto com dificuldade pelas escadas já que se embaralham as vezes, respirei vitoriosa ao chegar no topo, tiro meus saltos os deixando ali, solto meus cabelos e tirei o sobretudo preto de meu corpo ficando com o vestido curto da mesma cor. Cheguei a porta e a abri com preguiça acendendo a luz.

-Olá.

-Olá.-Respondo casual. Mas o timbre me arrepia enquanto eu seguia para o banheiro e dou um pulo me virando.

-Você demorou tanto.-Seu corpo saiu de debaixo das cobertas mostrando-se coberto por apenas uma boxer.

-Jungkook?-Obviamente não foi um sonho, como poderia ser um sonho?  Eu sou tapada ou o que?

-Não se lembra de mim? Foram só algumas horas.

-Eu sei é que eu… Estou um pouco bêbada.

-Sabe que fica assim facilmente, porque bebeu ?

-Eu pensei que tinha acontecido tudo de novo.

Ele sorriu e beijou minha testa demorado, senti um sorriso se desenhar nos meus lábios.

-Eu vou te dar um banho, vamos lá.

Depois do banho tomado fui em direção a cama me deitando ali, Jeon aparece com uma toalha em sua cintura.

-Já vai dormir?-Perguntou fazendo bico.

-Você tem planos?-Maliciei.

-Talvez terminar o que não terminamos ontem, não sei porquê… Me lembra 69.

Sorrio com sua expressão inocente, suas mãos tiraram a toalha revelando suas excitação, mordo os lábios.

-Eu gostaria muito Jeon.

-Mas hoje, eu comando.

Me arrepiou com suas palavras e eu vou em direção dele que me chamava, mais que malicioso. Eu com certeza adoraria ser comandada por Jeon Jungkook.

[Lee Jun off]

 


Notas Finais


EITAA GOSTARAM? Espero que tenham gostado ksksks gastei as pontas dos dedos fazendo mds ksksksks favoritem e comentem e compartilem por favor amores

beijos da EscritoraJung!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...