História Adeus - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adeus, Cartas, Relacionamento
Visualizações 3
Palavras 1.163
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 2 - Não é um adeus


 

Cristian,

Estou magoada, ferida e melancólica? Sim, é nítido. Tantas coisas aconteceram entre nós. Altos e baixos que cada vez chegavam mais ao extremo. Nossa história começou quando éramos adolescentes. Foi tudo tão intenso, não é? Casal perfeito, nasceram um para o outro. Eram essas as palavras que mais ouvíamos. Você todo fofo e apaixonado e eu, uma menina feliz com o maior sorriso do mundo. Lembra das juras de amor? Das promessas? Era tudo tão leve e natural. O amor fluía. Mas, o tempo foi passando. As responsabilidades aumentando e de repente me vi apenas como sua namorada. Não que fosse ruim, eu pertencia a você e você a mim. Porém passou a não ser suficiente, sabe? Eu tenho sonhos e eles estavam sendo empurrados garganta a baixo. Foi quando eu percebi qual seria meu destino. Eu, que sempre sonhei conquistando degraus altos, agora me via sendo uma sombra sua. Me via presa a você. Não foi algo que você me impôs mas era esse rumo que nossas vidas estavam tomando. Foi quando percebi que eu já não te via com os mesmos olhos, aquile brilho já não existia mais. Antes eu contava os minutos para te ver, agora estava contando pra estar em qualquer outro lugar. Pensei em terminar, a paixão havia acabado. Mas algo me prendia a você, eu não conseguia dizer adeus. As brigas foram ficando piores, nossas palavras duras magoavam ainda mais. Só que lá estávamos, em um barco naufragando. Você parecia outra pessoa. Seu modo de falar, de se vestir e até de sorrir. Eu não reconhecia meu próprio namorado. Admito-te que fiquei com inveja. Você tão feliz, crescendo e amadurecendo e eu ainda no mesmo lugar, sendo a mesma de sempre. Algo dentro de mim queria ser livre. Algo dentro de mim queria o próprio espaço, eu precisava mostrar meu potencial. Só que não importava o que eu fizesse, o quanto me esforçasse ainda seria a "namorada do Cristian". Talvez pareça infantilidade mas eu não era vista como um individuo independente e forte. Era a doce namorada do Cristian.

Fato que você sempre foi mais popular que eu e até estava acostumada. Mas chegou em um nível em que comecei a pensar que você fazia de propósito. Eu trabalhava desde meus 14 anos. Dividia meus dias entre estudar, trabalhar, cuidar de meus irmãos e ainda te dar atenção. Você tem noção de quanto era difícil? Foram anos nisso. Não que eu fizesse essas coisas para obter reconhecimento mas no fim, é o que imaginamos que seja a consequência. Meu amor, a culpa não era sua sobre minha sobrecarga e baixa autoestima mas nós seres humanos temos tendência a impor em outrem a carga que é nossa. Eu não te falava como estava infeliz mas meu coração suplicava por ajuda. Eu me sentia tão só. Você estava radiante e cada vez conquistava seu espaço, e eu me via em sua sombra. Pequena e subestimada. Foi quando começaram a me dizer coisas. Falavam que você era demais para mim, que um dia abriria os olhos e me deixaria. Perguntavam se eu não tinha medo de te perder. "Será que ele não está te traindo?". Você pode imaginar como eu me vi fora da casinha com essas afirmações e suposições. Foi quando te questionei sobre fidelidade. Você ficou surpreso e pediu que eu parasse com essa insegurança boba. Eu não tinha certeza se você estava sendo honesto mas novamente algo me prendia a ti. Eu chorava e me odiava por não dar um basta em tanta angustia mas eu não conseguia me afastar. Era amor? Não sei. Talvez dependência? Provavelmente.

Cheguei ao meu limite quando vi que você postou fotos em suas redes sociais, havia viajado e não me comunicou. Você estava feliz e obviamente não era eu quem te fizera sorrir tão... Tão... Pleno. Sim, você estava completo, transbordando e eu? Eu estava em pedaços e sozinha. Te liguei e marquei para conversarmos após sua volta a nossa cidade. Você já podia imaginar que eu daria meu show, né? Mas concordou. Quando finalmente estávamos cara a cara, eu tentei dizer o quão pequena, sozinha e desesperada estava mas logo você disse: "Para de drama, Marilia. Você parece uma criança." O que eu temia, aconteceu. Sabia que ninguém me compreenderia, só que você nem ao menos tentou. Gritei e te chamei de "moleque egoísta". Sai chorando disposta a sumir do mundo. Estava tão humilhada. Você logo começou a me ligar, até com uma amiga minha entrou em contato. Ela tentou fazer a ponte entre nós mas eu pedi espaço. A noite recebi sua carta. Meu mundo caiu. Você estava terminando comigo. Eu havia me questionado sobre um fim naquele mesmo dia mas não imaginei que fosse realmente acabar. Doeu tanto, Cris. Doeu tanto. Tanto. Ainda dói. Dói muito. Aquelas pessoas no fim, tinham razão. Você é demais para mim. Lindo, tem um coração gigante e um futuro ainda maior. Eu te desejo toda a sorte do mundo. Só depois do fim, percebi que ainda te amo. Eu já não me sentia a mesma mas por que todos nós mudamos, eu já não era uma adolescente e sim uma jovem mulher. Meu sentimento por ti mudou também mas ele migrou de paixão para amor. Nunca havia amado assim. Não sabia lidar com um sentimento tão nobre. Minha insegurança transformou-me em algo que nunca imaginei que seria. Eu queria te pedir uma segunda chance. Queria te dizer que quero tentar mais uma vez. Só que não seria justo contigo. Não seria justo com nossa história. Então, optei por aceitar que por hora, era um adeus mas, meu amor, meu Cristian, eu não desisti de recomeçar. Vou me reconstruir e correr atrás do que meu coração sempre sonhou. Espero que quando tudo estiver em seu rumo, quando o sol voltar a brilhar. Você esteja lá para segurar minha mão. Espero que você ainda me ame. Melhor, que você me ame ainda mais. Que se apaixone pela nova mulher que me tornarei. Espero que nossos destinos se cruzem e que nessa nova oportunidade, déssemos certo. Em um novo dia, em uma nova vida... Em um novo universo. Para mim, ainda há probabilidade de que nosso plural se torne singular. Que você e eu tenhamos a chance de gerar uma família feliz. Mas, se esse não for o destino que estamos predestinados. Se não for pra você ser meu para sempre, então que fique aqui registrado o meu amor. Que nessas linhas fique claro a minha admiração e agradecimento. Sim, estou grata. Você me ensinou coisas que não poderia ter aprendido com os melhores professores. Você, e só você, é a razão na qual me permiti sonhar. Eu te amo e meu coração será para sempre teu. Mesmo que as estações enlouqueçam e no verão haja neve, eu ainda te amarei. De janeiro a janeiro, á você dedicarei minhas vitórias.

Isso não é um adeus, é um até breve.

Da sua eterna admiradora,

Marilia.


Notas Finais


Leu as duas cartas?
Muito obrigada, como já dito, só por ler já me incentiva.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...