História Adeus. ( JIKOOK) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Jikook, Jk&jm, Sad, Shipp, Suícidio, Único, Yaoi
Visualizações 60
Palavras 1.238
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), LGBT, Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Se quiser colocar alguma coisa Bad pra lerem, a vontade, tem um monte de música tipo;

Through Pain end Suffering
Changes
tell me why i'm waiting
Sweater weather - versão acústica
chord overstreet hold on
Ou qual preferir.

Boa leitura.

Capítulo 1 - Único



Jimin 'On'

Respiro fundo enquanto ouvia risadas de mim. Tentava ignorar aquilo, porém, não estava fácil, era sempre isso, era todo dia a mesma coisa, eu já estava cansado disso, era sempre a mesma rotina, acordar, vim pra escola, receber olhares feios, ser zuado no refeitório, aguentar as piadinhas na sala, apanhar no final da aula, chegar em casa, ouvir meus pais reclamarem, ir para a cafeteria trabalhar, chegar em casa cansado, limpar a casa, ouvir mais reclamações de que eu não sei fazer nada direito, ir para meu quarto, chorar até dormir e, depois a cordar de manhã e tudo novamente.

- Grupo 5, pode vim apresentar o trabalho. - A professora fala alto lá na frente.

Pois é, hoje tinha apresentação de trabalho, se eu fiz? Não, não fiz pelo simples fato de não ter tempo, e agora era o grupo de Max, Chung, Jack e Ben. Quem são eles? Ah, o quarteto de valentões que sempre encrencam comigo, e é apenas comigo... Não entendo o motivo...

- Bom, nosso trabalho, o tema é sobre a obesidade dos tempos atuais, o porquê dela acontecer e porquê de tanto. - Max fala sorrindo sarcástico e me encarando.

Meu peito doeu, senti meus olhos aderem, pode ouvir a sala rir baixinho e eu apenas a baixei a cabeça enquanto ouvir eles 'apresentar o trabalho'.

É claro que aquilo era pra me ofender, eles sempre davam um ênfase na palavra 'obesidade' ou 'pessoas obesas'.

(…)

O sinal do intervalo bateu, então, esperei todos sairem, assim, me levanto e caminho para fora da sala. Desci as escadas, assim, indo para o refeitório, entrei na fila e peguei minha bandeija e peguei um suco de laranja, batatas fritas e molho, caminhei até a mesa, ou tentei. Chung passou e bateu a mão embaixo da bandeja, e a mesma virou em cima de mim.

- Cuidado ae, gordinho. - Ele sorri cínico e continua andando.

Senti meus olhos lacrimejando quando as pessoas do refeitório começaram a rir. Como eu ainda tentei segurar a bandeija antes dela virar, ela não caiu no chão, mas o suco e o molho junto com a batatas fritas viraram em mim, e agora eu estava todo sujo. Joguei a bandeija no chão e sai correndo para a sala de aula. Guardo meus matérias de qualquer jeito em minha bolsa e fecho a mesma, a coloco nas costas e saio da sala.

- É h-hoje que eu d-dou um fim n-nessa bosta de vida... - Sussurro entre soluços enquanto descia as escadas. Do nada, sinto minha bunda doer, eu estava sentado no chão.

- M-Me perdoa, eu não o estava olhando para onde andava. - ouço a voz calma e mãos segurando meus braços, Me fazer ficar em pé.

Minhas lágrimas impediam minha visão, então, apenas empurro o menino de leve e ignorando sua pergunta se eu estava bem, começou a correr para o portão da escola. Mas logo o segurança Me barra.

- Onde pensa-

- SAI! - Grito empurrando o homem com força e saindo da escola correndo.

(…)

Ergo meu olhar podendo visualizar a ponte que ficava em cima do rio gigantesco. Repiro falho dando soluços altos e contínuo caminhando em direção da mesma.

Eu iria acabar com aquele sofrimento de uma vez por todas.

Assim que chego na ponte, Passo por baixo da barra de segurança já que a mesma era muito alta, porém eu era baixo o suficiente para me abaixar e passar por um buraco ali, e fui até a beira da ponte, olhei para baixo vendo a água de cor azul escura e retiro minha bolsa, assim, a jogando água.

Eu estava de costas para a rua, encarava aquela imensidão de água, enquanto ignorava as pessoas que tinham parado seus carros e gritavam para mim ficar parado e não dar nenhum passo.

Então era ali, tudo iria acabar ali. As agressões, a humilhação da sociedade e meus pais, o bullying, tudo. Eu sorria, mesmo com lágrimas caindo de meus olhos, eu sorria, mas meu sorriso logo se desfez assim que ouço uma voz gritar meu nome, eu conhecia a voz, só não sabia de onde.

Olho para trás e arregalo meus olhos, era JungKook, eu não conhecia ele direito, nunca tinha falado com o menino, sim, eu tinha um crush pelo menino com o sorriso de coelho, mas isso não iria me impedir de encontrar minha 'liberdade'.

- NÃO! NÃO FAZ ISSO, VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHO, ME ESCUTA! - Ele gritava segurando na grade. - EU TÔ AQUI!

- Pra quê? - Sussurro mas com um tom que ele pudesse escutar, e sorrio sem ânimo.

- PRA TE AJUDAR! - Ele parecia desesperado, porém continuei em silêncio e dei um passo pra trás, não, eu não iria mudar nada, ira terminar aquilo. - PARA! POR FAVOR! VOCÊ NÃO PODE DESISTIR... Você é forte... - Ele estica o braço entre As figas de Ferro. - Vamos lá, eu quero ver você sorrir, iremos sorrir juntos... - Ele fala enquanto seus olhos lacrimejavam. - Suicídio não é a melhor op-

- CALA A BOCA! - Grito voltando a chorar. - V-VOCÊ NÃO SABE OQUE EU PASSO!

- Sim, eu realmente não sei, mas podemos conversar. - Ele sorri calmo. - Vamos lá Jimin, você pode superar, podemos superar junto.

- E-Eu nem te conheço d-direito... - Dei mais um passo para trás e senti meu calcanhar para fora da beirada da ponte, me viro de costas e encaro a água. Fecho meus punhos e respiro fundo.

💭Mais um passo... Apenas mais um.

- Prazer, Jeon JungKook, tenho 16 anos, minhas cores preferidas são preto e vermelho, tenho medo de gatos e meninas... Amo comida salgada, e você? - A voz dele estava mais perta.

Olho para trás e... Ele tinha abrido mais a buraco que eu tinha usado pra passar e agora estava a quase dois metros longe de mim.

- P-Park Jimin... - Sussurro.

-E sua idade? - Ele da um passo calmo ainda com o braço esticado, como se pedisse para mim segurar sua mão.

- D-Dezessete... - sussurro agora de costas para o rio e olhando para ele.

Algumas pessoas filmavam, alguns carros de polícia e bombeiros ali, mas ninguém atraveu fazer o mesmo que Jeon, eles apenas assistiam.

- wow, você é meu Hyung! - ele sorrio. - e sua cor preferida? - Mais um passo.

- Azul... - limpo minha lágrimas.

- Ãhn... Tem algum motivo específico? - ele rio baixo.

- Céu, eu amo a cor do céu... E algodão-doce, algodão-doce azul é bonito. - falo fungando.

- Algodão-doce? Você gosta? - Ele deu mais um passo, cada vez ele estava mais perto, mas eu estava distraído de mais com nossos olhares juntos.

- S-Sim... - Concordo.

- podemos ir comer algodão-doce qualquer dia desses, uh? - Ele sorrio.

- PARA! NÃO SE MECHE! - Grito e ele paralisa seus passos. - n-não tente me comprar.

- Não estou tentando te comprar, apenas te convidando. - ele fala sorrindo tenso.

- Já chega. - Tento limpar as lágrimas e junto meus pés.

- JIMIN! NÃO! - ele grita assim que joguei o peso de meu corpo pra trás.

Um choque de água gelada atingiu minhas costas, e logo eu relaxei meu corpo, assim, soltando minha respiração e tudo escurece, assim como minha conciencia.

Era isso, agora eu estava livre, não iria mais sofrer, eu teria paz.

Adeus.


Notas Finais


Obrigado, sensível estou.

Me perdoem os erros.

Amo vocês♡

Outras fic's minha;

Jikook - Namjin - TaeYoonSeok:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/internet-jikook--namjin--taeyoonseok-13602932

Namjin (incesto) :
https://www.spiritfanfiction.com/historia/brother-namjin-incesto-12632232


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...