História Admirador Secreto - Jikook - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Red Velvet, Wanna One
Personagens Irene, J-hope, Jimin, Jungkook, Kang Daniel, Rap Monster, Suga, V, Wendy
Visualizações 83
Palavras 2.174
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 8 - 7


Fanfic / Fanfiction Admirador Secreto - Jikook - Capítulo 8 - 7


                      

Jimin

  Agora, as oito e meia da manhã, estou sentado tomando café na cozinha quando ouço duas batidas na porta. Deixo a xícara e a revista de lado e me levanto. Maya corre na frente já latindo. Destranco e abro. Não me espanto ao ver Jungkook, com um sorriso fascinante nos lábios. Não estava como ontem,  ele estava vestido de carteiro, as pernas bem visíveis pela bermuda apertada. Eu já comentei que chega a ser indecente?

— Oi Jimin, posso entrar? — Jeon indaga com um sorriso. Eu afasto, ele passa e vai fazer carinho em Maya.

   Farsa. Não é todos que consegue manter uma boa farsa de pé. Apenas aqueles que foram treinados, muito bem treinados com o tempo. Ensinados a estar sempre sorrindo, mesmo com dor não deve mostrar. Dizer as coisas certas nas horas certas, e calar quase sempre; não desobedecer e nem mentir. Se eu consigo manter uma farsa? Lógico. Minha vida é isso. É só continuar seguindo.

Dou um sorriso para Jungkook quando ele se levanta deixando Maya de lado.

Agora é uma questão de honra descobrir quais as três coisas que mais gosto. É uma questão de
honra não mais abaixar a cabeça. Não para pessoas que são rudes, agressivas, não me ouve e não me
respeitam. Yoongi ouviu minhas queixas, mas fingiu que nem falei nada, minha mãe do mesmo
modo.

— Está contente hoje? — Jungkook indaga se aproximando e me tomando em seus braços. — Espero que seja por minha causa.

No momento, você é a única certeza que eu tenho.

 Penso. Ao menos tenho certeza que ele quer algo comigo, carnal ou não, ele quer. Eu não o conheço, mas ele foi sincero e já disse de cara o que queria comigo. Não tentou me enganar, já foi logo no assunto. Devolvo o abraço, aperto-o forte. Estou confortável. Sinto o cheiro e o calor dele e fecho os olhos respirando fundo. Me sinto protegido, apesar de nem conhecê-lo. Eu precisava tanto de um abraço.

— Por que não respondeu minhas mensagens? — Ele pergunta erguendo meu queixo com um toque leve de dedos.

Levanto os olhos e o encaro. Porque eu estava tão magoado que não queria nem conversar com ele, nem por ligação e nem por mensagens.

— Não sei se você quer só se aproveitar de mim, não sei se quer apenas sexo comigo, um tolo e sem noção. Vamos marcar um horário, eu quero ir pra cama com você. Não importa se seja uma única vez, só importa que seja tudo que eu nunca tive. — Meu tom, apesar de firme, é quase implorando.

   Jungkook fica paralisado com seus  olhos bem abertos. Por que propus isso assim na lata? Não vou envelhecer como minha mãe. Ranzinza sem provar nada de diferente na vida. Sem me
conhecer.

   Me afasto, cruzo meus braços e tento parecer casual, como se todos os dias eu aceitasse ir para a cama com um estranho. Miro os olhos dele e sustento. Apesar do nó na minha garganta, eu falo:

— Eu quero ter três coisas para gostar, Jungkook. E você poderia me mostrar...

                                (...)

Jungkook

  Me retraio e assim como ele, também cruzo meus braços. Jimin acabou de me propor sexo, ou aceitar o que eu já tinha proposto. Está de olhos saltados esperando minha resposta. Quer parecer indiferente, mas posso sentir sua tensão a metros de distância.

— Me conte o que houve. — Peço.

— Não houve nada... só estou atraído por você. — Jimin é a pior pessoa para mentir. Ele gagueja, e desvia o olhar.

— E o que aconteceu de ontem para hoje para você aceitar isso? Um milagre? Uma possessão de espírito? Uma possível bipolaridade? — Estou sendo sarcástico e recebo um olhar repreensor como resposta.

— Por que precisa tanto saber? Você não estava a fim de transar comigo? Estou aceitando. — Ele agita as mãos.

O tom dele chega a ser grosso. É nítido que algo aconteceu para fazer Jimin agir assim. Pelo olhar e os lábios meio trêmulos, acho que possivelmente ele está tentando se afirmar ou vingar.

— É uma vingança? Descobriu algo sobre Min Yoongi e quer se vingar?

   Ele não responde. Fica me olhando bem nos meus olhos. Comprime um lábio no outro e volta a cruzar os braços. Quem entende um pingo de leitura corporal sabe que braços cruzados é sinal de proteção, uma pessoa que vai mentir e quer tentar passar a verdade, vai cruzar os braços, uma forma inconsciente de proteger a mentira.

— Sim. Eu descobri. Ouvi ele ao telefone. — Confessa sem demonstrar muita emoção. Logo ele que protegia esse cara de unhas e dentes está nem aí por ter pego ele no telefone com outra?

Muito estranho isso.

— E você o confrontou? Arrumou confusão?

— Não. — Ele resmunga olhando fixamente para a cachorra no chão.

— Ouviu ele ao telefone, não confrontou e quer transar comigo para vingar?

Ele balança a cabeça assentindo. Dou um tempo esperando mais alguma manifestação, mas esse balançar de cabeça foi a resposta definitiva dele.

— Não quero mais. — Ergo os ombros com naturalidade. Minha negativa faz ele se abalar.

— Oi?

— Quero que transe comigo por que gostou de mim como eu estou cheio de tesão por você. Não para apenas se vingar de Yoongi. Mesmo eu pensando seriamente em me voluntariar ao cargo de objeto de vingança. Quero você por inteiro Jimin, não pela metade.

Ele fica sério me olhando nos olhos.

— Você é inacreditável, mas, tem razão. Seria mesmo um erro, não posso me entregar cem por
cento.

Sinto um calafrio.

— Por causa do seu marido? — Indago me aproximando dele novamente.

— Eu não achei que você iria querer tantas explicações. — O timbre da sua voz é urgente, atropelando as palavras. — Eu só achei que iríamos para a cama uma única vez e você iria embora. É só isso que quero.

— Então eu escolho a parte de ir embora. Por que sei que se formos para a cama, não vou mais querer parar de te foder. Não vou descansar até ter você toda só para mim. Entende agora meu lado?

— Por que isso? — as bochechas dele ficam vermelhas — Achei que você fosse desses que não se apega. Não estou procurando compromisso Jungkook. Até porque eu ja estou em um.

— Também não acho necessário um compromisso no papel, mas eu sou meio depravado e obsessivo. A partir do momento que você se entregar, não vou querer dividi-lo com ninguém, muito menos com Yoongi.

— Então acabamos aqui. — ele bate o pé e me olha meio enfurecido — Você pode se retirar.

— Sério mesmo? E o papo de querer ter três coisas para gostar? Posso te mostrar muito mais
de três.

— Meu Deus! Como acha que eu posso ficar com você e com Yoongi sem impedir que ele me toque?

- Só dizer que não quer. Você vai ter um homem que realmente gosta de você.

— Falar é tão fácil...

— Difícil é não tomar uma atitude Jimin. Saia de casa. Posso alugar um apartamento para você...

— Me poupe Jungkook! — Insultado, ele esbraveja.

 — Está querendo me desmoralizar? Me tratar como qualquer um que aceita ser pago assim ?

— Deixe sua mente arcaica fora do nosso acordo por um instante. Você pode trabalhar e pagar o próprio aluguel se isso te incomoda. — Devolvo no mesmo tom.

  Eu o pressiono contra a porta. Não
toco nele, apenas fico bem perto, de frente.

— Eu não posso acabar meu casamento assim, do nada, sem lugar para ir, sem um centavo no bolso. — Continua contestando. — Meus pais vão me odiar. — Olha para meu peito e de volta para meu rosto.

— Você pode morar com seu amigo.  Conversei com ele e sei que vai te receber.

— A propósito, por que foi falar com Hoseok?

— Por que eu queria entender um pouco sobre você e sua vidinha chata.— Sem que ele esperasse, eu o ergo e o coloco sentado no sofa. E sento fico por cima dele.

— O que está fazendo? — ele se debate mas eu pressiono meu corpo no meu e seguro seu pescoço para que ele não saia.

— Yoongi nunca te fodeu nesse sofá?

— Ele não e pervertido igual a você.

— Então ta explicado, o que falta nesse casamento de merda e safadeza de ambos.

   Eu o olho de cima a baixo e vejo a maravilha da pele dele sob meus dedos. Arfo involuntariamente. Vou empurrando sua camisa para cima ao passo que minha mão sobe da cintura vou descendo até chegar em sua calça moletom,  Jimin está paralisado, de olhos saltados, um pulso desesperado bate no delicado pescoço.

     Enfio a mão dentro de sua calça  e sinto o membro dele ereto.

— Jungkook ... me deixe... sair... — Ele começa a implorar fracamente, o pescoço meio curvado de lado, me dando mais acesso. Minha mão chega começa a massagear seu membro, e a outra vai trilhando cada pedacinho de seu corpo - O que está fazendo...? — ele segura firme no meu pulso.

— Te mostrando Jimin. — Murmuro quase como um sopro antes de colar nossos lábios.

   Ele solta um suspiro pesado. E porra Park Jimin e mais gostoso do que eu pensava. Ele arranha minhas costas sobre o tecido fino da camisa, contínuo a estimular seu membro.

   Separo nossos lábios e o encaro.

— Queria te foder aqui, até perder todos os sentidos. — Sussurro, e volto a beija-lo novamente.

E então, minha mão sobe para agarrar seus cabelos, mas quando toco em uma parte, ele reage como um susto e me empurra.

— O que foi? Te machuquei? — Afasto o rosto para encara-lo. Jimin coloca a mão no lugar onde toquei.

— Não... eu só assustei.

Semicerro os olhos fitando-o de modo investigativo. Levanto a mão e toco na cabeça dele. Ele se afasta lentamente, ainda sem olhar para mim.

— O que houve? Torno a perguntar.

— Nada Jungkook me deixe sair. — Empurra meu peito, mas eu não me movo. Chego mais perto e dou uma olhada. Não há nada aparentemente nesse ponto da cabeça dele.

— Está doendo aqui?

— É, eu cair e bati cabeça na... — ele gagueja, para, e olha em volta; encara a escada e volta-se para mim. — na escada.

  Torno a analisar — contra a vontade dele — o ponto dolorido. Ele bate na minha mão e tenta se
afastar.

— Estranho, não tem hematoma. O que houve? Me conte? — Ele fica mudo.

— Foi ele não foi? — minha voz sai bem rouca, quase um arranhar de garganta. Antes mesmo de ele levantar os olhos para mim, eu já sabia que sim. Senti meu corpo ferver bruscamente de uma raiva descontrolada. Minha vontade é sair daqui, entra no escritório dele e acabar com aquela cara de merda. Mas não posso, Yoongi não pode imaginar que eu estou cercando Jimin.

— Não é dor... eu só me assustei quando você tocou. — Ele explica. —  Eu gritei com ele... não devia...

— Shhh! — Coloco um dedo nos lábios dele. — Puxo-o para mim e descanso minha testa na dele.

— Jungkook...

— Espere! Me dê uns segundos. — minha voz está tremula. — Estou apenas me controlando para não matá-lo. — Ele levanta meu rosto para que eu a encare.

— Foi briga de casal...

— Foda- se essa merda — Rosno feroz.  - Caralho Jimin, não é segredo o que sinto por você. Isso está me matando, essa espera dos infernos, e então fico sabendo que um filho da puta te bateu...

— Você não tem o direito de se intrometer. - ele indaga.

Estou com tanta raiva que solto uma risada. Ele fecha a cara.

— Foi por isso que queria transar comigo para se vingar dele? Não quer que eu me intrometa, mas quer fazer de mim uma arma para vingança? Ok eu aceito.

— Hã? — Ele resmunga me olhando.

— Mas eu...

— Sem desculpas. Eu intrometeria num casamento feliz, sem me importar de ser rotulado como vadio destruidor de lar. Imagina se não vou me enfiar num casamento fodido como o seu. Não posso bater em Min Yoongi,  mas posso te ajudar a se vingar dele.

— Não posso sair para ir em algum lugar...

— Vou resolver tudo. A próxima vez que eu vier é para irmos mais além. —Voltamos a nos beijar após minhas palavras e dessa vez não foi eu apenas que avancei. Jimin também veio para cima de mim, segurou forte meu pescoço, aprofundando ainda mais o beijo.

— É tão errado Jungkook... — ele murmura, sorrindo de leve. — Mas tão tentador. — Passando os dedos pelo meu rosto. — Você é tentador. — Concluiu.

   Ataco novamente os lábios inchados e rosados de Jimin.

Depois de alguns minutos nos separamos, ja estava na hora de ir embora. E Min Yoongi vai pagar por ter feito isso com Jimin,  machucá-lo.



Notas Finais


Desculpa a demora pra att o cap ja estava pronto a alguna dias 
Mas precisava ser revisado, detalhe eu n revisei e fiquei una dias sem net ( mais um dia normal n minha vida) 
Enfim 
Precisa saber oq estão achando?  
Comenta e vota
Por favor

PS: estão prontas para o comeback?
Eu to nd bem kskosms


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...