História Adotada (Kim Taehyung - BTS) - Capítulo 29


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink, EXO, Jay Park, WINNER
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Jay Park, Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Jong-dae (Chen), Kim Jong-in (Kai), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lisa, Min Yoongi (Suga), Mino, Oh Se-hun (Sehun), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rosé
Tags Bangtan Boys (BTS), Comedia, Drama, Festa, Jungkook, Mino, Mistério, Psicopatia, Romance, Sequestro, Sósia, Suspense, Taehyung, Violencia
Visualizações 295
Palavras 2.994
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leituraa❤

Capítulo 29 - Namoro Perfeito


O sorriso em seu rosto me fez automaticamente sorrir também.


Não acreditava que estava fazendo aquilo. Muito menos que eu fosse algum dia namorar com ele. Não depois de tudo que passamos, não depois de tudo que ele fez pra mim, não depois de basicamente só discutirmos desde que nos conhecemos. Mas o destino é irônico, não?


Num movimento rápido ele me puxou pra perto de si, passou sua mão delicadamente em minha bochecha e colocou meu cabelo atrás da orelha, por fim selando nossos lábios.


De início foi um beijo calmo, devagar, mas depois virou um beijo afoito e desesperado. Como se fosse a única coisa que pudéssemos fazer antes de morrer, ou antes de uma grande tragédia. E uma parte de mim ficou imensamente feliz em saber que ele ansiava, que ele esperava por esse momento, tanto quanto eu.


Taehyung tinha as duas mãos em minha nuca, enquanto eu mantinha as minhas segurando a manga de sua blusa.


Quando nos separamos ele me olhou e sorriu, e segundos depois senti seus braços envolvendo-me com força.


E naquele momento o fato de eu estar apenas com o shorts do pijama e uma blusa de manga fina não me incomodou nem um pouco. Eu estava afogada naquilo, estava afogada naquele momento com ele, estava definitivamente me afogando em Kim Taehyung. E se eu iria sobreviver a isso eu não saberia dizer, pelo menos não agora, não nesse instante.


— Acho que nunca vou me acostumar com isso. - ele sussurrou, com sua voz baixa e rouca, acariciando meu cabelo lentamente.


— Com isso o quê? - perguntei erguendo meu rosto para observá-lo melhor, vendo um brilho que nunca havia visto em seus olhos.


E poderia apostar que o meu estava de fato do mesmo jeito, quem sabe até mais brilhoso que os dele. Eu estava irradiando a alegria que não sentia por muito, muito tempo. Uma alegria que ele trouxe de volta com simples palavras e um simples beijo.


Quer dizer, não tão simples assim, pelo menos, não pra mim.


— Com o fato de que você é minha namorada. - falou me olhando e eu sorri, me erguendo um pouco e lhe dando um selinho.


— Como vamos contar pra todo mundo sobre isso? - perguntei, receosa.


Ninguém nunca nem havia visto eu e Taehyung juntos, ou conversando, até por que nunca fizemos isso, pelo menos não civilizadamente. Mas agora do nada vamos chegar e falar "olhem só, estamos namorando!".


Seria bizarro, e bom, de certo modo estranho.


A reação que Jungkook, Yura e Dae-Hyun teriam estava me preocupando. Taehyung já namorou a Daya, e não sei como ele se comportava nesse tempo, mas se eles não gostavam dele, já seria um ponto a menos.


E também, o fato de ele já ter namorado a Daya podia ser desconfortável pra todo mundo.


Isso já estava começando a entrar na minha cabeça, e em meu ponto de vista essa idéia não é nada legal ou agradável.


— Vamos chegar e contar, já era. - me acomodei no peito dele e suspirei.


— Eles vão ficar bem surpresos.


— Com certeza vão, mas quem liga?


— Como assim quem liga? Eu ligo.


— Não deveria. O relacionamento é nosso. Eles surpresos ou não vão ter que aceitar.


— Taehyung!


— O quê? É verdade. - murmurou me apertando mais em seus braços.


— Eu tenho que subir. - sussurrei.


— Sério?


Não. Na verdade, sim, mas eu não quero.


Queria poder mesmo era ficar abraçada assim com ele a noite toda, observando todas as estrelas do céu e falando sobre coisas absolutamente aleatórias e sem nexo, mas eu – infelizmente – tenho que subir. Se alguém acordar e ver essa cena vai me deixar, de fato, constrangida. Não por ter vergonha de estar com ele, mas pelo fato de eu estar com um pijama minúsculo e estarmos aqui fora. Se alguém pensasse alguma coisa errada seria péssimo.


— Sim. Está tarde e.. vai ficar estranho se ficarmos aqui por muito tempo, os seguranças também sabem que estamos aqui e..


— Foda-se os seguranças.


Olhei pra ele, fazendo uma careta.


— Não fala palavrão. - ele revirou os olhos e continuei. — E sim, tá muito tarde, eu tenho que entrar.


— Então, sendo assim.. - falou se mexendo um pouco. — Posso entrar com você.


Ri e neguei.


— Por que não? Não vamos fazer nada demais, apenas dormir. - falou calmo.


— Não pensei em nada.. - murmurei. — Nas não vou dormir com você.


— Veremos... - sussurrou.


Me soltei de seu abraço desajeitado e peguei as muletas no chão, me levantando.


Aquilo estava me matando. Não poder andar direito e precisar da ajuda das pessoas pra tudo, é simplesmente horrível. Não queria incomodar ninguém, muito menos ter que ficar andando com muletas pra lá e pra cá. Por isso quando Yura falou que amanhã já poderia tirar o gesso quase pulei de alegria – mas quase caí no chão, também –.


— Vai ficar muito tempo com elas? - Taehyung perguntou, se levantando.


— Vou tirar o gesso amanhã. - respondi, e ele assentiu lentamente.


— Hm.


— Então, é.. tchau. - falei começando a 'andar' mas senti meu corpo ser puxado para trás delicadamente, fazendo eu quase cair de cara no chão. — Taehyung! Seu doido eu quase caí. - falei lhe lançando um olhar bravo – falso – e ele sorriu.


— Não tá se esquecendo de nada? - questionou arqueando uma sobrancelha.


— Não que eu me lembre. - murmurei, esboçando um sorriso pequeno.


— Sendo assim posso te lembrar? - perguntou e eu assenti lentamente, vendo seu rosto se aproximar do meu, vagarosamente.


Mas eu cortei o momento indo para frente rápido, lhe dando um selinho.


— Satisfeito?


Ele me olhou, incrédulo, e riu.


— Nem um pouco. - sussurrou passando uma mão por meu pescoço, parando na nuca, e sem aviso prévio acabou com o espaço entre nós, me dando um beijo, que rapidamente me deixou sem fôlego.


Seus lábios tinham um gosto maravilhoso, inebriante. Não sabia como descrever, e acho que nunca vou saber, exatamente, o que acontece comigo quando nos beijamos.


É como se uma corrente elétrica passasse por todo o meu corpo, me deixando eufórica. Me deixando vulnerável e sem reação.


Me deixei levar enquanto um braço dele envolveu minha cintura apertando mais nossos corpos. E novamente as muletas estavam no chão, e meu suporte era apenas seu aperto em minha cintura, pra mim pra não cair.


Ele aprofundou o beijo, o tornando algo mais intenso, nossas línguas se encontravam e pareciam estar em uma completa harmonia. Taehyung mordeu meu lábio o puxando entre dentes, descendo sua mão que estava em minha cintura para minha bunda.


E com isso, percebi que era o momento de parar.


— Taehyung. - murmurei entre o beijo, tentando parar, porém nem eu mesma estava em sã consciência e sabia de fato se queria isso.


Ele parou o beijo lentamente e escondeu seu rosto na curvatura do meu pescoço, respirando fundo.


— Eu vou vir amanhã pra levar você no hospital, ok?


Ele falando desse jeito, rente ao meu pescoço, estava me desconcentrando. Sua respiração quente, descompassada, batia direto na minha pele, fazendo um pouco de cosquinha e um arrepio ali.


— Não precisa, vai ser bem rápido.


— Mesmo assim, quero ir com você.


— Ok então. Mas.. será que pode me soltar? É que tá um pouco desconfortável. - falei rindo e ele me segurou pra pegar as muletas no chão, me entregando. — Obrigada. - murmurei.


— Vamos. - falou, andando na minha frente.


O segui e assim que chegamos na porta ele entrou, deixando eu confusa.


— O que tá fazendo? - perguntei entrando.


— Vou dormir aqui.


Ri, mas assim que não vi nenhum traço de brincadeira ou gozação em seu rosto, eu parei, o fitando.


— E vai dormir aonde?


— No seu quarto!


— O quê?


— Vou dormir no seu quarto. Vem, vamos.


Ele veio puxar meu braço mas eu fui pra trás.


— Como assim dormir no meu quarto? Você não pode dormir aqui. - falei tentando soar óbvia e o mais normal possível, mas eu estava, por dentro, absolutamente nervosa.


— E o que me impede? - ele perguntou, chegando perto de mim.


— Eu. - respondi e fui andando até a escada.


— Você não é um problema. - escutei ele sussurrar rente ao meu ouvido, colocando as mãos em minha cintura.


— Sou sim. Agora me ajude a subir e.. vai embora. - murmurei e ele riu.


Taehyung pegou as muletas e as colocou no final da escada, apoiadas na parede. E quando estava quase passando meu braço em volta do seu ombro pra me apoiar ele me pegou no colo, fazendo eu soltar um gritinho, surpresa.


— Taehyung!


— O quê? Vou te ajudar a subir.


Ri e passei meus braços em volta do seu pescoço.


Chegamos lá em cima e ele me deixou no meu quarto, descendo de volta pra pegar as muletas.


Assim que voltou pro quarto ele deixou as muletas ao lado da cama, perto do meu alcance, caso eu precisasse pegá-las.


Arrumei os travesseiros embaixo da minha cabeça e vi ele me observando. Desviei o olhar e com certeza fiquei corada, já que meu rosto esquentou um pouco.


Ele começou a andar até mim, enquanto eu ia pra trás, como se fosse possível ultrapassar a cama.


— Sabe.. acho que posso começar a fazer algumas coisas idiotas por você. - sussurrou assim que se sentou na ponta da cama, ao meu lado.


— Como assim?


— Você com certeza quer ter.. o mesmo namoro que teve com Baekhyun, não é?


Sério?


Por que ele estava falando do Baekhyun? Justo agora?


— Taehyung, o que quer dizer com isso?


— Quero dizer que vocês tinham um namoro perfeito. Claro, ele não era perfeito, e eu também estou longe de ser, mas você sonha com um namoro perfeito, não é? - perguntou, me deixando confusa.


Eu nunca pensei sobre isso.


Nunca quis um namoro de filme, com beijos na chuva e pedidos de namoro extravagantes. Nunca pensei em namoro, até Baekhyun.


Mas com ele foi diferente, por que não, eu não exigia nada dele, já que, em minha vista, ele já era perfeito, nosso namoro já era perfeito. Então não tinha o que falar ou questionar ali.


Mas não era. Nosso namoro nunca foi uma coisa perfeita, e eu só achei que fosse, por nunca ter tido um namorado.


Mas com Taehyung é diferente.


Mas só o fato de saber que ele poderia tentar fazer algo que eu realmente gostasse pro nosso namoro já me deixa imensamente feliz.


— Não quero um namoro perfeito, Taehyung. Porque sei que isso não existe. - falei calma, vendo seus olhos se voltarem pra mim. — Quero apenas que me ame como eu te amo e, se algum dia não me amar mais.. me avise. Nunca passei por isso mas acho que ter um sentimento desses por alguém e não ser recíproco... deve ser uma das piores coisas.


Seu olhar sobre mim era indecifrável, mas mesmo temendo que estivesse falando alguma coisa errada continuei.


— Sendo assim, também não quero um namorado perfeito. Nós vamos fazer as coisas do nosso jeito, no nosso tempo e da maneira que preferirmos. Então, por favor, não mude por que acha que seria o melhor pra mim. Se algum dia for mudar, mude por você, e se mudar... não será mais o Taehyung que eu amo.


Ele sorriu pra mim, mas apenas isso, sorriu como se analisasse todas as palavras que falei meticulosamente, convencendo a si mesmo que são verdade.


— Até por que minha vida nunca foi perfeita... por que algo mudaria agora? - perguntei deixando um riso fraco escapar.


Senti meu corpo ser praticamente jogado pra trás, e depois de um tempinho de choque percebi que Taehyung estava em cima de mim, me beijando.


Seu corpo não estava totalmente apoiado no meu, muito menos em minha perna, então não machucava.


Puxei sua nuca pra mais perto, quando vi que ele ia se afastar, o que o fez soltar um riso abafado.


Suas mão direita subiu pra minha nuca também e ele ficou acariciando lá, enquanto fazia o mesmo com a outra mão na minha cintura.


Ele parou o beijo lentamente, mesmo com meu olhar de protesto lançado a ele, e se deitou do meu lado, apagando a luz do abajur.


— O que tá fazendo?


— Vou embora quando você dormir. - sussurrou.


— Você vai.. ficar deitado aqui comigo? - perguntei e senti seu braço envolver minha cintura, fazendo eu arregalar os olhos.


— Vou.


— Taehyung não pode fazer isso.


— Posso sim, fica quieta.


Suspirei e tentei me arrumar de um modo que ficasse confortável, pelo menos fisicamente, já que mentalmente eu estava surtando.


Nunca dormi com ninguém, quer dizer, com nenhum menino. É estranho que no mesmo dia em que começamos a namorar ele está aqui, dormindo comigo.


Não sei quando, até por que foi muito rápido, mas eu me encolhi, ali, abraçada com ele, e dormi mais rápido que o normal.


(. . .)           


Acordei com barulhos de coisas caindo e várias pessoas conversando.


Abri meus olhos lentamente, me acostumando com toda a claridade no quarto e percebi que estava sozinha na cama.


Me levantei, peguei as muletas e fui até o banheiro. Fiz as minhas higienes matinais e prendi meu cabelo em um rabo de cavalo.


Voltei pro quarto, vesti um shorts jeans, uma blusa regata mesmo e saí do quarto, pronta pra bater na porta do Jungkook, porém Yura apareceu na minha frente antes disso.


— Feliz aniversário! - falou, sorridente.


Sorri de volta e a abracei, desajeitadamente, por causa das muletas.


— Obrigada.


— Que você seja muito feliz, meu amor. - desfazendo o abraço, ela falou. — E que ainda possamos comemorar muitos aniversários seus aqui.


— Sim.


Ela beijou minha testa e por um momento pensei ter visto ela respirar fundo e desviar os olhos várias vezes.


— É.. pode me ajudar a descer? - perguntei e ela voltou seu olhar pra mim rápido, assentindo.


Depois de já estar lá em baixo fui até a cozinha.


— Eu fiz bolo, pegue um pouco. - Yura falou e pegou a jarra de suco na geladeira.


– Certo.


Peguei um pedaço de bolo e enchi um copo com o suco de laranja natural que Yura havia feito. E assim que terminei de comer percebi o quanto a casa estava quieta, diferente de quando eu acordei.


— Que barulheira era aquela mais cedo? - perguntei vendo Yura se virar pra mim e franzir a testa.


— Que.. barulheira?


— Não sei, acordei com uns barulhos estranhos. - resmunguei.


— É só imaginação sua, querida. - ela falou, voltando a beber seu café.


— Acho que sim. - falei, me levantando.


— Jungkook saiu com os meninos, nós poderíamos ir tirar seu gesso e ir ao shopping pra você escolher seu presente, o que acha? - perguntou, animada.


— Não precisa de nada, Yura, sério. - falei e ela me olhou, indignada.


— Como não? É claro que precisa.


Ri e assenti lentamente, vendo ela se levantar.


— Então vamos, temos que chegar no hospital daqui a pouco. - falou e eu franzi o cenho.


— Mas.. a minha roupa.


— Está ótimo, vamos. - ela foi até a sala, comigo a seguindo e pegou sua bolsa, indo até a porta. — Vamos!


Saí do meu lugar e fui pra fora, a seguindo.


Os seguranças me ajudaram a entrar no carro e o motorista deu partida.


Por que ela queria ir tão rápido assim?


Quando chegamos no hospital o médico tirou o gesso, falando que eu já estava em perfeitas condições. E o alívio que eu tive quando comecei a andar foi imediato.


Saímos dali e fomos direto pro shopping, com Yura insistindo em me comprar alguma coisa muito grande ou muito cara, mas ela aceitou quando viu que minha escolha foi um colar simples de ouro, com uma pequena pedrinha azul no centro.


E mesmo depois de escolher meu presente ficamos a tarde toda andando. Minhas pernas não doíam, e eu até estava feliz por estar finalmente usando elas mas, não tínhamos nem o que comprar mais.


Yura passou em diversas lojas.


Lojas de roupa, de sapato, de utensílios pra cozinha, de cosméticos, e em cada uma delas ela pegou uma boa quantia de cada coisa.


Tirando as roupas que ela insistiu em comprar pra mim, mesmo comigo falando que já tínhamos ido ao Shopping a pouco tempo e em meu closet não cabia nada. A resposta dela foi um simples: podemos aumentá-lo.


Não queria nem ver o quanto já gastamos.


Estava indo embora com um vestido rosa bebê que havia comprado. Ele é lindo. Tem babado, a parte de trás tem um pouco de renda, mas não mostra muito.


Chegamos em casa e eu quase agradeci a todos os deuses possíveis. Não sabia por que Yura passou tanto tempo lá, mas da próxima não vou com ela.


Eu estava exausta. O dia foi realmente muito divertido, porém cansativo. Comemos muito e além do cansaço minha barriga estava super cheia.


Mas o que eu reparei foi que.. ninguém, absolutamente ninguém me ligou ou me mandou uma mensagem o dia inteiro.


Eu estava chateada, até porque todos sabem que é meu aniversário, bom, pelo menos eu já havia falado.


Dae-Hyun foi o único além de Yura a me ligar pra falar parabéns, e avisar que meu presente ele ia dar quando chegasse.


E principalmente o Taehyung... eu falei pra ele que meu aniversário era hoje. Ele ia mesmo não falar, me ver, ou dar um sinal de vida?


Yura e eu descemos do carro e fomos indo até a porta, com os homens cheios de sacolas na mão indo atrás. Ela entrou primeiro, e assim que entrei atrás dela tudo estava escuro.


— É.. Yura?


Me virei pra trás numa tentativa de procurar algo mas do nada as luzes foram acessas.


— SURPRESAAAAA!!!


Notas Finais


Gente, eu tô amando escrever essa fic, por isso os capítulos estão saindo bem rápido, e eu espero mesmo que estejam gostando.

Esses momentos entre a Hye e do Taehyung vão ter muitos, ainda.
Aaaaaah, no próximo capítulo vai ter a "festinha" da Hye, quem acham que vai estar lá, em?

Espero que tenham gostado e até o próximo❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...