História AdoteUmCara. com - imagine Changbin - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


oi, me perdoem a demora. Primeiro eu gostaria de dizer que esse capítulo não significa a volta da fic; o hiatus continua. Sinto muito.

2° me desculpem pela demora, eu prometo tentar voltar oficialmente o quanto antes.

3° tenham paciência por favor. Aliás, perdão pelo capítulo curto.

Aproveitem o capítulo e boa leitura.

Capítulo 4 - 3 - Conhecidos, ou desconhecidos. Algo assim.


Fanfic / Fanfiction AdoteUmCara. com - imagine Changbin - Capítulo 4 - 3 - Conhecidos, ou desconhecidos. Algo assim.

ler nunca foi tão angustiante. 


Você não conseguia se concentrar nas malditas páginas do maldito trabalho. O trabalho não estava nem na metade e você se perguntou se realmente precisava se formar… é precisará. Faculdade não era só festa, como os filmes americanos relatam. 


Bufou e voltou a tela do computador. A cadeira preta de rodas já não era mais confortável depois da primeira uma hora. O quarto parecia mais frio depois das primeiras duas horas, consequentemente deixando a cama e os cobertores mais convidativos. 


- Você ainda não se arrumou? - Jihyo colocou a cabeça para dentro do quarto. 


Você franziu a testa, rodando na cadeira giratória até poder olha-la. 


-Me arrumar? 


Jihyo entrou totalmente no quarto, colocando a mão na cintura ao se aproximar.


- Changbin. Cinema. Hoje. Agora. -  ela diz sarcástica às sobrancelhas quase batendo no teto. 


Você abriu e fechou a boca, tentando processar alguma frase que fizesse sentido. 


- Merda - se levantou indo até o guarda roupas - Eu tinha me esquecido. 


Jihyo balançou a cabeça negando. 


- Está muito frio - ela disse abrindo a porta - coloca uma roupa quente. 


Você murmurou um "o.k" e revirou os olhos. 


|•| 


Seo changbin  é irritante, conclui ao pôr as mãos para dentro do casado. Bufando internamente e, vez ou outra, revirando os olhos. 


Estava muito frio e sua impaciência não colaborava. 


Ir ao cinema com o moreno fora a pior ideia que teve na última semana. Ele parecia fazer o impossível para te deixar irritada. Desde ficar emburrado a reclamar do filme antes mesmo da sessão começar. E quando estavam comprando a pipoca você teve a quase certeza que ele estava paquerando com a balconista. 


Isso não seria um problema, mas ele fez questão de ficar lá até estarem atrasados e o filme já ter começado. 


Agora estavam caminhando até a boate, afinal você ainda tinha que trabalhar. 


Na metade do passeio você ficou imaginando como seria a cadeia, sentia que podia agredir seriamente o Seo. Calcular os prós e os contras de deixar alguém gravemente ferido e ir para a cadeia. 


- Eu nunca mais vou ao cinema com você - disse irritada. 


Changbin deu de ombros e tirou um maço de cigarro do bolso. 


- Não vai fazer tanta diferença - disse simples, a indiferença carregada na voz. 


Você parou de andar.


- Você não deveria me agradar? - voltou a caminhar - Eu te contratei, adotei.. enfim não importa. 


Changbin pareceu pensar por um segundo. 


- É, eu deveria - falou sem animo. 


Voltaram a caminhar. Você engoliu o impulso de mandar o Seo embora ao ver seu chefe na porta da boate. Ele estava conversando com Chan. 


- Boa noite meninos - Você sorriu. 


- Oi, chegou cedo - o Bang foi o primeiro a se pronunciar. 


- Boa noite - Woojin sorriu. Os dentes branquinhos e alinhados. O olhar suave. O cabelo arrumado e a roupa bem alinhada exalava calma e segurança. 


Você retribuiu o sorriso. Por um instante sentiu o coração se aquecer. 


- Quem é ele? - Chan perguntou, curioso. 


- Meu nome é Changbin - disse soltando fumaça do cigarro. - Prazer. 


- Seu amigo? - Woojin indagou, igualmente curioso. 


- Bem.. - Você olhou para o Seo buscando as palavras certas para se referir a ele - Somos conhecidos, ou desconhecidos. Algo entre os dois. 


- Eu não entendi - Chan franziu o cenho. 


- Ela me adotou - Changbin abriu um sorriso maldoso - Em um site. Geralmente quem acessa ele são velhas viúvas e carentes. Mesmo que sexo não esteja incluso no contrato, mas, sabe, às vezes é bom ter com quem conversar. 


Woojin e Chan se entreolharam, ambos chocados. 


- Não é isso o que vocês estão pensando. Ele fez parecer uma barbaridade. Eu entrei no site para arrumar alguém para Jihyo ela ficou péssima depois do rompimento do noivado. Mas.. eu não li o contrato e agora eu sou obrigada a sair com ele. Eu não adotei ele porque estou carente e muito menos por querer sexo casual. 


Falando em voz alta parecia mais patético do que realmente era. Você desejou se afundar na terra ou só bater a cabeça do Seo contra o asfalto. 


A segunda opção era mais atraente. 


- Uau - Woojin pigarreou sorrindo -  Que tenso. Tenho que resolver umas coisas no escritório. Te vejo lá dentro. Vamos Chan? 


Chris concordou e os dois entraram na boate. Você se virou encarando as costas do Kim.


- Nunca vai dar certo. Ele não está afim, vai por mim - Changbin cortou o silêncio. - Gosta do seu chefe? Uau. 


- Vai a merda, Changbin. Você nem conhece ele, não sabe se ele está afim ou não. E a sua opinião não importa - falou irritada. Ele sorriu presunçoso e soltou fumaça pela boca, tragando novamente o cigarro. 


- Não que me ouvir? tudo bem. Eu quase tenho pena de você. 


 - Essa morte enrolada em um papel não acaba nunca?! - indagou, se referindo ao cigarro. 


Você se aproximou do maior e puxou a morte, vulgo cigarro, dos seus lábios e o tacou no chão, pisando em cima. 


Entrou na boate sem olhar a reação do maior. Ele merecia mais do que só ter o cigarro amassado. 


Changbin olhou incrédulo para o pequeno cilindro de folhas de tabaco de corte fino enrolado numa mortalha, amassado no chão. 


- Meu cigarro. 










Notas Finais


espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...