História Aere Perennius - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7, Seventeen
Personagens Junghan "Jeonghan", Seungcheol "S.Coups"
Tags Abo, Fluffy, Jeongcheol, Jeonghan, Seungcheol
Visualizações 90
Palavras 2.914
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei, amores!
E aí, como vocês estão? Espero que bem
Diabéticos, tenho uma boa notícia para vocês! Hoje não têm tanto açúcar shsh (na verdade, eu acho que não tem quase nada de açúcar nesse capítulo, mas enfim...)
Boa leitura e até lá em baixo!

Capítulo 33 - Sensações


Fanfic / Fanfiction Aere Perennius - Capítulo 33 - Sensações

SEUNGCHEOL POV

- Aigoo, hyung... a água está fria! - Jeonghan reclamou com um bico, estremecendo ao entrar no lago lentamente. Ao fundo o som da água que despencava com força da cachorira fazia com que precisássemos falar alto para nos ouvirmos, mesmo que estivéssemos a centímetros de distância.

- Eu posso te esquentar... - Sorri malicioso, mas Jeong sequer captou o significado do tom em minha voz, e assim, me abraçou rapidamente, enlaçando suas mãos em minha cintura debaixo da água cristalina. Só pude abraça-lo também, e ali ficamos até termos nos acostumado com a temperatura da água.

Não muito tempo depois já brincávamos na água como crianças, gritando e rindo escandalosamente. Nos permitindo ser nós mesmos.

Ainda era um pouco estranho ter as mesmas sensações de Jeong. Quando ele estava nervoso ou feliz de mais, ansioso... eu podia sentir. Não com muita intensidade, pois a marca ainda era recente de mais, mas podia.

O modo como me sentia não podia sequer ser descrito. Agora, com meu ômega marcado, sentia que tudo estava completo, e isso fazia com que meu peito praticamente explodisse com mil sentimentos diferentes. Ver aquele garoto sorrindo largo daquela maneira, com tanta alegria no olhar... era o que eu poderia considerar felicidade para mim.

- Vamos ter que voltar logo, está escurecendo. - Comentei enquanto retirava algumas mechas de cabelo molhado de seu rosto, usando a mão que não segurava sua cintura. Um bico formou-se em seus lábios rosados, e não demorei em capturar o mesmo entre os meus. De imediato, suas mãos ergueram-se até se prenderem entre meus cabelos, puxando meu rosto para aprofundar o beijo. Sorri ladino com aquilo, passando a realmente beija-lo com afinco, abafando alguns suspiros do pequeno.

- Hmm... - Jeong resmungou quando meus beijos desceram em direção a seu pescoco, que já possuía algumas marcas. - Cheollie... quando chegarmos, você faz chocolate quente? - Perguntou, conseguindo manter seu tom infantilmente fofo, mesmo tendo a fala um pouco sôfrega, interrompida por alguns suspiros e baixos arfares, causados por minhas mordidas em sua pele alva.

- Eu faço o que você quiser. - Falei baixo, depositando mais um longo beijo em seus lábios levemente sorridentes, antes de segurar sua mão mentre meus dedos, começando a nós guiar até uma das extremidades do lago, pela qual abandonamos a água, sentindo uma espécie de êxtase e o corpo pesado de mais por termos passado a maior parte do dia na água.

Retirei uma toalha seca de dentro de minha mochila, me aproximando de Jeong e começando a secar delicadamente seu rosto e seus cabelos úmidos. Ele fechou seus olhos, como que sentindo aquilo como um carinho. Sorri, depositando um beijinho na ponta e seu nariz e rindo baixo quando ele se encolheu minimamente.

Passei a secar seu tronco esguio, e logo suas pernas. Era tudo tão lindo naquele pequeno serzinho...

Me afastei de si, procurando outra toalha em minha mochila, mas quando me virei novamente para o garoto, praticamente desabei ao ver todo aquele desejo refletindo em seus olhos escuros. Ele veio até mim novamente, seu olhar estava indescritivelmente intenso fixado no meu. Soltei o ar lentamente, sem dizer nada, segurando sua cintura com um braço.

- Hyung... Eu posso pedir uma coisa? - Perguntou, seu rosto começou a ganhar uma cor bem avermelhada, de forma doce. Acenei com um movimento de cabeça, fitando seus lábios rosados. - Nós podemos... f-fazer de n-novo? - Perguntou baixinho, ficando ainda mais corado. Franzi meu cenho, tentando entender do que ele falava. Não demorei muitos segundos para compreender seu objetivo. Meu corpo arrepiou-se com aquele pedido hesitante, meu lobo rosnou baixo, reclamando. Ri soprado, aproximando meu rosto de seu pescoço, e lentamente, labendo a marca ainda sensível, arrancando um gemido surpreso do menor.

- Você quer repetir o que fizemos na noite passada? - Perguntei rouco junto de seu ouvido, e seu corpo estremeceu. Assentindo ligeiramente, ele fechou seus olhos, parecia envergonhado. Sorri pequeno, beijando seu maxilar com calma. - Então você gostou, Hannie? Pude arrepiar-me novamente pelo toque gélido de seus dedos em minhas costas. Jeong virou seu rosto em minha direção, e a quantidade de luxúria que seus olhos delataram fez com que instintivamente eu o puxasse com força para mim, colando nossos corpos e arrancado um arfar seu.

- E-eu gostei muito, hyung. - Disse com seu olhar preso no meu. Estremeci de imediato, sorrindo ladino e aproximando nossos lábios até que já não houvesse mais espaço algum entre eles. Mordisquei seu lábio inferior, depois seu maxilar e logo o pescoço.

- Meu pequeno quer mais, hm? - Sussurrei em seu ouvido, roçando meus dentes no lóbulo de sua orelha. Senti ele contorcer-se contra mim, assentindo rapidamente, ofegando em seguida, quando minhas mãos agarraram suas nádegas de repente. - Eu já disse que faço o que você quiser... - Olhei para ele com malícia, sorrindo ainda mais quando ele retribuiu o olhar. Uma repentina onda de desejo passou por meu corpo, aquecendo-o inexplicavelmente. Eu agora sentia o que meu ômega sentia. E por isso não demorei a voltar a juntar nossos lábios, em um beijo ainda mais intenso.

Por que tocar Jeonghan era um vício para mim.

Sem nos importarmos com algo além da sensação de nossos corpos unidos, nos deitamos sobre a grama próxima às pedras do lago, sem separarmos nosso beijo. O som da água corrente invadia nossos ouvidos, assim como o cheiro das plantas, o ar úmido... tudo estava tão belo... aquele cenário parecia ter sido pintado especialmente para que ali nos entregassemos novamente.

Meus lábios traçavam trilhas imaginárias e sem coerência pelas curvas de seu tronco, enquanto suas mãos agarravam-se à meus cabelos, em um pedido silenciosos para que continuasse. Deposintando leves mordidas por sua pele, meus lábios tocaram a parte superior de sua boxer, e de imediato um arfar deixou sua garganta. Senti sua ansiedade, o calor que o peecorria em ondas cada vez maiores.

Passei a mordiscar suas coxas, enquanto minhas mãos apertavam as mesmas. Quando apertei a parte inferior de sua coxa com um pouco mais de força do que de costume, me surpreendi imensamente ao ouvir não um resmungo de dor, mas sim um alto gemido seu. Então Jeong gostava de um pouco de força...

Apertei novamente sua outra coxa apenas para me certificar de que ele realmente apreciava aquilo, e no mesmo momento, um sorriso brotou em seus lábios rosados.

- E-eu acho que gosto d-disso... - Sussurrou, e não pude deixar de suspirar satisfeito com tal descoberta, sentindo uma forte fisgada em meu baixo-ventre.

Mordi mais fortemente sua pele, provavelmente causando uma futura marca, arrancando mais gemidos baixos do menor abaixo de mim. Quando meus lábios finalmente se voltaram para o cós de sua boxer, pronto para retira-la, Jeong me interrompeu hesitante.

- H-Hyung... e-espera. - Pediu incerto, e me levantei minimamente, o observando aprumar-se de alguma forma sobre meu colo, deixando-me deitado sob si. Arqueei uma sobrancelha em sua direção, soltando o ar fortemente quando senti meu membro ser pressionado por suas nádegas. Segurei sua cintura quase que de imediato, começando a ajuda-lo a movimentar-se. Sua expressão era a do mais puro desejo, e seu lábio continuava preso entre seus dentes, causando certo reboliço dentro de mim. Aquilo era muito provocante para que eu me controlasse por muito tempo.

Seu quadril remexia-se em um ritmo crescente, arrancando gemidos de ambos com a fricção desconcertante provocada pelos mesmos.

Aquele já não era mais o Jeonghan inocente e sem malícia de outrora. E eu realmente amava essa sua nova versão.

Minhas mãos foram de encontro às suas nádegas, as quais apertei fortemente, o que rendeu um gemido alto vindo de si e unhas se fincando na pele de meu peito, onde suas mãos eram apoiadas. Automaticamente, uma palmada fora ouvida contra a pele macia sob minhas mãos, e cheguei a olhar para o menor, um pouco assustado com a ideia e tê-lo machucado por impulso. Mas tudo o que vi, novamente fora aquela sombra sedenta de prazer em seu olhar, o que arrepiou minha nuca sem mais.

Fechei meus olhos, me permitindo deleitar com todas aquelas sensações diferentes ao mesmo tempo. Jeonghan sabia exatamente como me provocar.

- Ah, hyung... por que demoramos tanto p-para fazer isso? - Perguntou em tom tristonho, entre alguns arfares sôfregos. - É tão bom... - Sorriu de forma inocente, me fazendo rosnar baixo. Engoli em seco quando ele levantou-se de cima de meu membro ereto, ajoelhando-se a minha frente. - Cheol... e-eu posso... - Suas sobrancelhas se juntaram e ele corou fortemente, enquanto parecia procurar pelas palavras certas para se expressar. Tentei desvendar seus pensamentos, mas só fui capaz deste ato quando seus olhos desviaram-se para minha ereção mais do que visível. Claro, naquele momento tudo ficou claro.

Mas quando relamente percebi o que ele queria, precisei fechar meus olhos e contar até três, inspirando fundo e voltando a olha-lo. Meu anjinho queria...

Assenti, mesmo que ele não houvesse realmente feito uma pergunta. Então seus olhos foram tomados pelo brilho fosco do desejo, e logo senti suas mãos no cós de minha boxer. O ajudei a retirar a peça de meu corpo, e percebi seu olhar um pouco tímido para meu membro.

- Pequeno... olha para mim. - Assim que ele o fez, afaguei seu rosto vermelho. - Se você não queiser fazer isso, está tudo bem. Eu não vou te forçar a... - Logo senti um dedo seu em meus lábios, e sua cabeça balançava negativamente.

- Não, não, Cheollie. E-Eu quero. - Soltei o ar fortemente quando seus dedos tocaram minha ereção com calma. Mordi meu lábio, observando sua expressão que parecia curiosa e fascinada. - Eu realmente quero que você sinta o que eu senti... - Sussurrou, movimentando sua mão até minha base, e logo subindo-a de forma lenta. Meu coração palpitava fortemente, e gemidos acumulavam-se em minha garganta cada vez mais. Estremeci com a visão de seu rosto aproximando-se aos poucos, enquanto movimentos lentos e quase torturantes eram exercidos em meu membro.

Sua respiração leve contra minha ereção sensível me arrancou um suspiro falho, e a visão de seus lábios avermelhados sendo umidecidos por sua língua acabou mexendo mais do que o previsto com minha sanidade.

Ah, Jeong, se você soubesse metade das coisas que estou imaginando agora...

Mas rapidamente voltei a realidade quando o músculo morno de sua língua deslizou por meu membro, traçando uma das veias pulsantes ali. Gemi rouco e baixo, me apoiando em meus cotovelos para observar melhor aquela cena, mordendo meus lábios fortemente. Todo o ar sumiu de meus pulmões ao ver os olhos inocentes de Jeong sobre mim, me analisando com curiosidade. Um pequeno sorriso satisfeito brotou em seu rosto quando, sem pressa, envolveu minha glande com seus lábios inchados, sugando demoradamente e fazendo com que mais gemidos se desprendessem de minha garganta quase como rosnados.

- Ah... Jeong... - Engoli em seco, logo vendo ele arrumar-se melhor onde estava, e, sem hesitar, abocanhar todo meu membro de uma só vez.

Aquilo era enlouquecedor.

Minha mão foi de encontro a seus fios longos, enrolando-os em meu punho e segurando todo o emaranhado loiro logo acima de sua cabeça, o ajudando a estabelecer um ritmo enquanto eu mesmo o guiava. Sentia-me chegar até sua garganta, em alguns momentos o via engasgar levemente. Meus gemidos já nem eram mais controlados.

Eu sempre soube que sua boca era um pecado, mas agora... Não havia como expressar o que estava sentindo.

Fechei meus olhos com força, tentando prestar atenção apenas nas sensações que me invadiam cada vez mais. O som provocado por minhas leves estocadas em sua boca pequena era ainda mais excitante a cada momento. Se estava me sentindo um pervertido? Claro.

Eu ligava?

Isso mesmo. Nem um pouco.

Não tinha culpa se aquele garoto me transformava em um completo ninfomaníaco. Sentia meu ápice cada vez mais próximo, com ondas de calor me atingindo em espasmos.

- P-pequeno... Ah, e-eu... - Tentei pelo menos avisa-lo, mas ele parecia concentrado de mais no que fazia, me observando ao mesmo tempo em que colocava meu membro inteiramente em sua boca novamente, sua língua fazendo ondas contra minha ereção pulsante. Tentei me retirar de dentro de sua boca antes de gozar, mas Jeonghan pareceu relutar, e não pude fazer nada mais quando, com uma última sugada forte em minha glande, me desfiz em sua boca, gemendo seu nome de forma necessitada.

Quando, depois e alguns segundos, abri meus olhos novamente, senti o menor deitar-se sobre mim, me observando com um sorriso que mal cabia em seu rosto. Afaguei seu rosto avermelhado, retirando alguns fios de sua testa suada.

- O hyung tem gosto bom... - Sussurrou surpreso, com um brilho ilegível no olhar. Mordi meu lábio, voltando a puxar-lo para um selar pouco casto.

- Tenho, é? - Sorri ladino, girando nossos corpos na grama, fazendo-o ficar sob mim, deitado de barriga para baixo. Sem esperar por muito, arranquei aquela boxer de seu corpo, deixando suas nádegas fartas completamente expostas para mim. Arfando levemente, Jeong assentiu rápido, levando um braço até sua boca e o mordendo, quando deixei uma palmada em sua bunda. Mesmo tentando conter, um gemido agudo escapou bem audível por seus lábios, o que me fez sorrir ainda mais.

Aproximei meus lábios de sua nuca, iniciando uma trilha de beijos molhados ao longo de suas costas, fazendo-o arrepiar-se tanto quanto possível. Meu membro já desperto outra vez, pulsava a cada suspiro seu, e, descendo lentamente em linha reta até o início de suas nádegas, minhas mãos agarraram suas bandas, separando-as e facilitando que minha trilha de beijos prosseguisse.

- O que mais você acha bom, Hannie? - questionei em falso tom inocente, sorrindo logo em seguida quando, e resposta, obtive um arfar alto.

Jeonghan gemia em súplica, e praticamente gritou quando meus lábios depositaram um beijo mais lento em sua entrada.

- S-Seun-ng... - Falho, suspirou. Minha língua passou a rodear o lugar sensível, o que aumentou consideravelmente seus gemidos. Sorri minimamente, logo penetrando lentamente sua entrada com meu músculo molhado, precisando segurar o garoto de forma com que ele não se remexesse tanto. Gemidos quase roucos deixavam sua garganta ao passo que o estocava ritimicamente.

Eu com certeza nunca enjoaria de ouvir aqueles gemidos.

Afastei meus lábios do local, e o menor abaixo de mim gemeu arrastado e manhoso em repreensão, mas logo mudou quando um de meus dedos foram introduzidos no local, iniciando movimentos calmos, que logo foram acelerando.

- Você também acha isso bom, hm? - Perguntei, logo mordendo meu lábio inferior enquanto podia observar suas costas imaculadas, praticamente pedindo para serem marcadas.

- S-sim... - Suspirou, descansando seu rosto em um braço.

Outro dedo logo ganhou espaço em sua entrada, e o gemido desta vez continha uma pontada de dor. Suspirei, tentando ser cuidadoso para não causar muito mais daquele incômodo no menor, enquanto movia meus dedos cada vez mais rapidamente, logo fazendo movimentos de tesoura dentro de si.

Algum tempo se passou até que eu tivesse a certeza de que ele estava preparado. Afastei meus dedos de si, novamente recebendo reclamações desnexas, me fazendo sorrir com malícia.

Espalmei minha mãos em suas coxas, fazendo com que se empinasse em minha direção. Suspirei com a visão que tive. Jeong de quatro abaixo e mim, os cabelos que eu tanto amava em uma bagunça loira em meio a grama.

Aquilo só poderia ser meu paraíso.

Segurei sua cintura com dedos firmes, me posicionando entre suas pernas e aos poucos, adentrando sua entrada com meu membro.

Um gemido abafado e de dor deixou a garganta de Jeong, e no mesmo instante parei de me mover. Depositando leves beijos por suas costas, tentava ao menos consola-lo pela dor.

- C-Cheol... - Resmungou entre alguns arfares. - P-por fav-vor... - Pediu e, de imediato, entendi o que ele desejava. Me afastei de si, mas apenas para voltar a estoca-lo com calma, o que rendeu gemidos perdidos.

Mais alguns movimentos lentos, e não podendo mais me conter, por instinto, minhas estocadas ganharam velocidade. O suor agora deixava o corpo de ambos.

Agarrei novamente seus fios entre meus dedos, puxando sua cabeça para trás, vendo suas costas formarem um semi-arco, e ao mesmo tempo, meu nome foi gritado por si com gemidos mais altos a cada segundo. Ofegantes, nos movíamos segundo nosso instindo ordenava. Meus lábios se aproximaram da marca em seu pescoço, lambendo-a sensualmente, o que bastou para que Jeong estremecensse, dando sinais de que logo chegaria a seu limite.

Apressei meus movimentos em seu interior ainda mais, gemendo arrastado ao passo que meu corpo parecia queimar de uma forma deliciosa.

Chegamos à nosso ápice praticamente juntos, e, em toda minha vida, nunca senti nada comparado com aquilo. Eu podia sentir exatamente o que Jeonghan setia. Nossos sentimentos e prazeres se mesclavam e aquilo nunca pareceu tão certo.

Continuei a me mover por alguns segundos, prolongando toda aquela sensação que ambos compartilhavamos. Quando deixei seu interior, aproximei meus lábios de sua entrada piscante, rodeando-a com minha língua novamente e, agora limpando qualquer rastro de esperma que poderia estar ali. Jeong rebolava contra meus lábios timidamente, suspirando pesadamente.

Me deitei a seu lado, apoiando-me em um braço para poder observa-lo melhor.

Seus olhos exaustos me fitavam com satisfação, e um sorriso carinhoso foi dirigido apenas para mim.

Me aproximei, envolvendo seus lábios maltratados em um beijo calmo e apaixonado, depositando um selar em sua testa antes de me afastar minimamente, sorrindo também.

- Eu te amo. - Sussurrei, arrumando com meus dedos seus cabelos bagunçados.

- Eu também, Cheollie. - Disse com um fiozinho de voz, bocejando logo em seguida.

Sorri para ele, me levantando e arrumando nossa mochila em minhas costas, logo pegando seu pequeno corpo em meus braços, sentindo-o envolver meu pescoço com seus braços. E assim, Jeong pegou no sono enquanto voltávamos para o chalé ao anoitecer. 


Notas Finais


*vergonha*
Que casalzinho mais assanhado, né?! (Continuem!)
Bom, era isso meus pompons,

Não lembro se já deixei esse link aqui, mas ppr garantia... https://spiritfanfics.com/historia/desire-10709403


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...