História Aerolove - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan Boys, Bts, Jikook, Jimin, Jungkook
Visualizações 59
Palavras 2.985
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aaai gente.

Eu estou feliz de poder estar escrevendo essa história novamente.

Agora ela está no caminho que deveria ser.

Boa leitura!!

Capítulo 2 - Menores desacompanhados


Fanfic / Fanfiction Aerolove - Capítulo 2 - Menores desacompanhados


Como isso podia estar acontecendo? 


A essa hora ja era pra eu estar em casa assistindo Naruto em baixo das minhas cobertas quentinhas.

- Nanjoom. Me diz que você não ouviu a mesma coisa que eu. E que eu não estou ouvindo direito por causa desse bendito frio - disse olhando para o teto.

- Infelizmente você ouviu cert... - Nessa hora aquele tal de Seokjin parou na minha frente - Ou felizmente... - Nanjoom, que estava todo esparramado, se arrumou rapidamente na cadeira, sentando com postura. Enquanto quase babava olhando para Seokjin.

Revirei os olhos e voltei a olhar para Seokjin.

- Posso ajudar em alguma coisa Seokjin ?

- Me chame de Jin por favor. Como você me ajudou aquela hora, eu achei que devia dizer uma coisa que você não vai gostar muito... - Ele dizia com um olhar meio preocupado.

- Vocês se conhecem? - Perguntou Nanjoom empolgado demais.

Ignorei a pergunta dele me concentrando em Seo... Jin.

- Como assim algo que eu não vou gostar? - Não aguentava mais notícias ruins.

- Quantos anos você tem? - Eu estranhei a pergunta de Jin

- E... Eu tenho 16. Porquê? - Porque raios d'agua ele queria saber a minha idade?

- Isso é um problema - disse ele com uma expressão séria demais - E você? - Apontou para Nanjoon - É o responsável por ele?

- Hahaha - Ri em deboche - Nanjoom não é responsável nem por ele mesmo, imagina por mim?

Meu irmão me lançou um olhar furioso. Ele só fazia isso quando eu deixava escapar algum segredo dele para a omma. Ou quando eu estragava alguns esquemas dele. Estranho...

- Na verdade eu sou o responsável por ele, sim - Se defendeu - eu sou o irmão mais velho - disse ele com postura. O que também não era normal.

- Aah que bom - disse Jin mais relaxado - então você é maior de idade?


- Daqui três dias eu faço dezoito. Então pode se considerar que sim.

- O QUÊ?? - Jin voltou a ficar com aquela cara preocupada. Ele me lembrava muito uma omma - Três dias não muda nada. Vocês estão realmente fritos - Passou a mão na testa. E aquilo me deixou nervoso.

- Jin, você pode me dizer que droga está acontecendo? - Soltei de uma vez.

E novamente aquele cãmpainha, que eu passei a não gostar, tocou de novo.

- É agora - Jin disse colocando a cabeça entre as mãos.

- Queridos jovens... Aqui quem fala é o monitor chefe. - Certo, isso foi bem estranho e fora do normal - Pedimos a todos os jovens, menores de dezoito anos e desacompanhados de seus pais ou responsáveis, que se encaminhem até o último andar do aeroporto e procure algum de nossos funcionários. Eles trarão vocês até nós - Mas que palhaçada é essa? - Se vocês não virem até nós, nós iremos até vocês - Eu acho que eu não gostei desse cara - E pode ter certeza que iremos achá-los - Eu tenho certeza de que eu não gostei desse cara - Então facilite para nós. Se não pode ser pior - Na verdade eu odiei esse cara - E lembre-se crianças. Estamos esperando por vocês.

A campainha toca novamente e aquele cara começa falar outra vez, mas em outra língua. O engraçado é que ele parece insuportável até em francês.

- Que cara abusado - Diz Nanjoom. Parece que não foi só eu que invoquei com ele.

- Ele é um saco - Jin que até agora estava de cabeça baixa se pronuncia. 

Nanjoom achou graça no jeito como ele falou e deu uma risadinha de canto.

- Afinal que palhaçada é essa? - Perguntei a Jin

- Acho melhor vocês me acompanharem para descobrirem - Ele disse meio nervoso - Peguem todas as suas coisas e vamos. Acho que chegou a hora de vocês conhecerem a verdadeira prisão.

Essa última frase me deixou arrepiado. Mas pegamos nossas coisas e seguimos ele.
                   ********************
                    P.O.V Jimin

- Mano. Isso é alguma piada por algum acaso desconhecido? - Hoseok estava debochando daquele cara com voz de pato que acabara de nos informar alguma coisa, que eu não entendi direito, nos auto-falantes do aeroporto.

- O que será que isso quer dizer? - Perguntei a Hoseok. Mas eu já sabia que ele não tinha a resposta.

- Certamente é alguma coisa do capiroto - Ele arrumava seu cabelo olhando no reflexo do vidro de uma loja - Eu acho que eles querem fazer algum experimento proibido e vai usar a gente como cobaia.

Dei risada daquilo. Ás vezes Hoseok tinha uma imaginação de dar inveja.

- Se eles tentarem fazer alguma coisa comigo você vai me proteger neh? - Disse entrando na brincadeira dele.


- Claro que sim. Mas só depois que eu salvar a minha pele primeiro - diz ele soltando uma risada que me contagiava e me fazia rir também.
Cruzei os braços fingindo estar triste.

- Eu estou brincando Jiminnie - fez uma voz melosa me abraçando de lado - você seria a primeira pessoa que eu salvaria. Sem pensar duas vezes.

Aquilo me fez sorrir.

- Você também seria a primeira pessoa que eu salvaria - Eu não mentia enquanto falava isso.

- Acho que você se esqueceu da sua namorada, Jimin.

- Amigos amigos. Mulheres a parte.

É.... Na verdade eu tinha me esquecido mesmo.

Ele joga a cabeça para trás e começa a gargalhar.

Ele sabe muito bem que eu me esqueci completamente dela.

Eu e Hoseok sempre fomos melhores amigos. Somos vizinhos desde que me conheço por gente. E sempre fomos colados. Assim como o meu pai e o dele.

Contamos tudo um ao outro: Primeiro beijo, primeira vez... Tudo. Não sei se viveria sem esse cara. Ele é o melhor amigo que alguém podia ter.

- O que os namoradinhos tanto riem aí heim - Eu reconheceria essa voz a quilômetros de distância.

Hoseok revirou os olhos.

- Suk...- Suspiro

- Hope, pode ir tirando essa mão do meu boy, que você não me engana, não - Suk e Hoseok não se davam muito bem. Mas os dois tinham que TENTAR viver em harmonia.

Percebi que estava ficando um clima meio pesado então resolvi mudar de assunto.

- E o que você foi comprar, Suk?

Ela deu um largo sorriso descrevendo tudo o que ela havia comprado. Mulheres...

- ... Depois do que aconteceu la em baixo com aquele maldito pirralho, que eu não quero ver nem pintado de ouro - Suk havia mudado sua expressão alegre para uma de ódio ao falar daquele garoto - E se por acaso eu ver ele de novo, eu sou capaz de estrangular ele. - Não sei porque ela tinha tanto ódio dele, ele parecia ser uma pessoa tão... Legal. - Mas não precisa ficar magoado meu amor. Eu não estou brava com você. E eu sei que você só queria me proteger.

- Até parece que o Jimin vai ficar magoadinho porque você brigou com ele - Hoseok amava irritá-la.

- E você cala a boca lacraia - Eu me perguntava como ela conseguia ficar tão furiosa em questão de segundos. - E eu já não falei pra você largar meu macho?

Enquanto Hoseok e Suk discutiam eu olhei para alguns metros atrás dela e vi aquele garoto de cabelo tigelinha de mais cedo.

Meu coração deu uns pulos a mais.

Devia ser porque eu não queria que Suk fizesse outro berreiro no meio do aeroporto.

Mais cedo, Hoseok falou muito desse garoto dizendo que ele era um pedaço de mal caminho.

E eu apenas descordei.

Mas na verdade... Eu nunca vi um garoto tão lindo na minha vida.

Ele estava com aquele outro garoto de novo. Que eu imaginava ser amigo dele. Pois de gay, o Tigelinha não tinha nada.

Tinha mais um moço com eles. Usava uniforme. Eles deviam estar seguindo a chamada do aeroporto.

Uma voz grossa chamou nossa atenção, fazendo com que eu desviasse meu olhar do garoto.

- Ei, vocês! - Me virei e era um homem que também usava uniforme - Vocês não deveriam estar acompanhando os outros jovens?

- Ah, sim. - disse Hoseok - Já estamos indo.

- Então isso é sério? - gritou Suk para o homem - Eu não vou ficar enfurnada com aquele bando de moleques pobres e fedorentos em algum lugar por aí. 

O homem parecia já saber lidar com a situação. Soltou um risinho e disse:

- Mas você não vai ficar enfurnada com aqueles garotos, senhorita. Temos um lugar muito melhor pra você. Mas primeiro você tem que ouvir o nosso comandante.

- Aaah bom mesmo! - disse ela empinando o nariz e virando as costas para o homem - Sai! -  disse empurrando Hoseok de mim e me puxando para a direção que os jovens estavam indo.
--------------------------------------------------
Quando finalmente chegamos, meus ouvidos já estavam doendo.

Tivemos que andar muito e subir muitas escadas rolantes.

O lugar que deveríamos chegar era no último andar.

E Hoseok teve que aguentar Suk reclamando o tempo todo. Já que eu aprendi a não ligar mais para as coisas que ela fala.

Mesmo assim, meu ouvido não deixou de doer.

No último andar não tinha muita coisa. Apenas algumas lojas. E agora, muitos jovens.
Uma fila enorme de garotos e garotas se formava em frente a uma porta bem no canto.

Se não tivessem sido guiados por funcionários nunca teriam encontrado aquela porta.

Hoseok foi se posicionando no final da fila e eu fui atrás dele.

- O que vocês estão pensando? Você acha que eu pego o fim da fila? - Era claro que ela diria isso.

- Se não pega acho melhor ir se acostumando, querida - Disse uma voz que me parecia familiar.

Quando olhei, vi que era aquele cara que estava com o Tigelinha.

Ah não. Agora não.

- Que raios esse delinquente está fazendo aqui? - Gritou trazendo toda a atenção dos que estavam ali para ela. Afinal ela adora ser o centro das atenções.

O engraçado é que quem tinha gritado era o outro. Mas ela apontava para o cabelo Tigelinha.

Enquanto ele fingia que não a estava vendo e continuava a olhar para frente.

- Se você não está vendo ele está em uma fila. Rumo ao mesmo caminho que você - Era incrível como esse cara parecia tanto com Hoseok na hora de irritá-la.

Hoseok que por sinal, via toda a cena dando risada.

- Lacraia 2, cala a boca que eu não estou falando com você. Estou falando com aquele ali que tem muito assunto para resolver comigo ainda.

Suk ficou mais irritada do que nunca quando o garoto continuou ignorando ela.

Então foi aí que ela seguiu em direção a ele, que continuava de costas. 

Os olhos dela estavam fixos nos cabelos dele.

Mas antes que ela pudesse encostar um dedo naqueles cabelos brilhantes eu a puxei pelo braço a arrastando dali.

Fiquei com muita vergonha quando percebi que todos nos seguiam com os olhos.

- Jimin!! De novo não! - Ela começou a puxar o braço que eu segurava fazendo com que eu tivesse que segurar com mais força.

Arrastei Suk até uma loja de roupas que não tinha ninguém. Apenas uma vendedora atrás do balcão, mais entretida em seu celular.
A empurrei para dentro do provador e tranquei a porta.
- Você sabe que eu não fiz de propósito neh - Disse com uma voz melosa que ela usava para enganar seu pai e o MEU também - Eu só não aguento olhar para a cara daquele menino! - disse ela se exaltando outro vez.

- É disso que eu estou falando. Você ja está fora de controle novamente. Aquele negócio da mala foi sem querer. Eu tenho certeza que ele não pensou: '' Ai, eu vou deixar essa bolsa aqui só para alguma otária cair".

- Quem sabe? Ele tem uma cara de psicopata mesmo.

Visualizei o rosto daquele garoto em meus pensamentos e era verdade que ele parecia um pouco fechado e no canto dele. Mas não tinha nada de psicopata. Estava mais para sexy. Um cara Muito sex...

O que eu estava pensando?

- Não da mesmo para conversar com você! - Mudei de assunto rapidamente.

- Jimin... Eu prometo que vou me comportar agora. - As vezes a melhor coisa é fingir que estou acreditando nas mentiras dela - Porque você sabe que eu não aguentaria perder o que eu mais amo em você.

Suk me puxou para mais perto dela e sua mãos agarraram fortemente os meus cabelos.

- E o que é que você mais ama em mim? - Comecei a me deixar levar.
Ela deu um sorrisinho sacana.

- Aah Jimin-ah. Você sabe muito bem - Suk se aproximou mais e começou a beijar meu pescoço - Você sabe muito bem que você faz melhor do que ninguém.

Suas mãos desciam do abdômen até o cós da minha calça.

- Você está me dizendo que o que você mais ama em mim é que " Eu faço melhor do que ninguém"? - Ela só podia estar brincando.

- Mas é claro. O que mais seria?

Eu não sei como que alguma palavra que sai da boca dela ainda pode me magoar.

Segurei a mão dela, que estava quase entrando em minha calça, o que a fez levar um susto.

- Eu só peço que se comporte - Destranquei a porta do provador. Mas antes que saísse resolvi deixar um último aviso - E deixe o garoto em paz.

Saí deixando uma Suk com cara de taxo no provador.

Quando voltei para a fila novamente, as coisas já estavam calma.

O Tigelinha continuava quieto e pelo jeito brigara com seu amigo.

Pois agora ele também estava quieto.

Enquanto eu andava até Hoseok, que já não era mais o último da fila e conversava com um outro cara de cabelos platinado e cara amassada, eu não conseguia parar de olhar para aquele garoto de cabelos Tigelinha.
- Jimin!

Até de costa ele era bonito.

Seu cabelo castanho e brilhante.

Suas costas, firmes e largas.


- Jimin! Acorda! - Me assustei com o berro de Hoseok. - Cara, você estava quase babando.

- E-eu? Cala a boca Hoseok. - Minhas bochechas começavam a queimar - É... Então esse é o seu novo amigo?

Mudei de assunto apontando para o platinado.
Hoseok olhou para mim e depois para o Tigelinha e deu um sorrisinho.
Ele não deixaria essa passar.

- Jimin, esse é o Yoongi. 

- É um prazer te conhecer, Yoongi - cumprimentei ele sorrindo mas ele não demonstrou nenhum entusiasmo e apenas fez um gesto com a cabeça.

Como é grossa as pessoas de hoje em dia.

Suk apareceu ao nosso lado, calada e com cara de brava, nem se importando em cumprimentar o platinado.
Mas tenho certeza que ele não se sentiu ofendido com isso.

Aquele moço de uniforme que antes estava com o Tigelinha apareceu novamente.

- Pessoal! Peço a atenção de todos vocês.

Muitos pararam de conversar. Mas alguns não fizeram questão alguma de prestar atenção.


- Calem a boca!! - Levei um susto, não só eu, mas todos que estavam ali. E fiquei mais espantado ainda ao ver que quem gritou foi o amigo do Tigelinha. Aquele que discutiu com Suk alguns minutos atrás.


Agora todos prestavam atenção.
O funcionário baixou a cabeça, todo envergonha e mandou um sorrisinho para o amigo do Tigelinha.
Enquanto esse parecia um bobo alegre.
E o Tigelinha... revirava os olhos.


- Obrigada, Nanjoon. - O moço de uniforme disse com postura - Agora que todos estão prestando atenção... Vamos ao que interessa. Agora chegou a vez de vocês entrarem por aquela porta. Peço que se comportem, pois vão escutar o que o comandante tem a dizer. E deixem as perguntas para o final.


Ele esperou em silêncio se alguém tinha algo a dizer.
Como ninguém disse nada, ele apenas foi até a pequena porta cinza e a abriu.

- Podem entrar.

Alguns foram entrando de uma vez. Outros ficaram meio pensativos.
O Tigelinha e o tal Nanjoon parecia confiar no uniformizado. E eu resolvi confiar também.
No fim todos entraram.

Era uma sala vazia. A não ser agora, pelos jovens e alguns funcionários do aeroporto que lotaram a sala.
A sala também era cinza e as luzes eram bem fracas. O que a deixava com um aspecto medonho e depressivo. E me fazia lembrar muito de um barracão abandonado.
Do outro lado da sala havia uma outra porta. Igual a que nós entramos. Toda de metal. Mais parecida com uma porta de prisão.
Havia um homem na frente da sala, que se destacava dos demais. Além de ser mais velho, ele usava uma roupa totalmente diferente e mais elegante.
Esse deveria ser o tal comandante. 
Ele esperava pacientemente que todos nos sentássemos. E assim o fizemos.
Como não havia cadeiras, todos sentamos no chão gelado.
Suk pensou em reclamar mas ao ver meu olhar de reprovação mudou de ideia.

 


Avistei o cabelo tigelinha e ele olhava ansioso para o homem a nossa frente.
Resolvi olha-lo tambem.

- Queridos jovens. Sejam bem vindos ao nosso aeroporto - Ninguém respondeu - Eu sei que vocês devem estar se perguntando o que está acontecendo e eu irei dizer agora - Todos esperavam ansiosos - Como vocês são menores de idade não poderei deixar que vocês fiquem por aí dando trabalho. Eu sei que não é o caso de todos, mas temos que nos prevenir. Vocês, menores desacompanhados, terão que ficar sob nossa vigia até a hora que os voos forem liberados. Deverão seguir as ordens e daremos trabalhos para vocês fazerem. Não poderão sair sem que digamos que vocês possam sair - Ele olhou para ver as nossas reações - então menores desacompanhados, alguma pergunta?
Isso é sério?
 

 


Notas Finais


Dêem muito amor a Aerolove pessoal.

Fighting!!!

Bye
<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...