História AeroLove - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan Boys, Bts, Jikook, Jimin, Jungkook
Visualizações 144
Palavras 1.848
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eaeee meu povooo!!

Mano,.,. Queria agradecer a todos que gostaram e favoritaram a fic.

Muito obrigada..

De verdade.

Vcs são um neneeeeeiins.

Agora vão ler o cap logo

Anda, anda.

Lindos

Capítulo 3 - Perguntas


Fanfic / Fanfiction AeroLove - Capítulo 3 - Perguntas

P.O.V Jungkook


- Alguma pergunta?


Todos ficaram em silêncio e alguns esperavam pelas câmeras aparecerem e anunciarem que era apenas uma pegadinha de mal gosto.


Mas isso não aconteceu.


E quando, finalmente, caiu a ficha de que era tudo uma triste realidade... A gritaria começou.


Um tentava falar mais alto que o outro para conseguir a atenção do comandante.


Mas esse, estava perdido em seus próprios pensamentos, apenas esperando o silêncio.


O melhor que eu podia fazer era me manter em silêncio também e esperar.


Olhei ao redor, e tudo o que eu queria nesse momento era sumir. Como podia acontecer tanta merda em apenas uma única vida?


Eu já estava de saco cheio desse dia.


E não havia passado nem das 10h da manhã.


Merda.


A louca magrela era a que mais gritava com o comandante. E como ele apenas não dava a mínima, ela gritava mais ainda. Sua voz irritante se sobressaía no meio das demais.


Desci meu olhar e me deparei com o namorado dela, que estava sentado cochichando no ouvido de seu amigo.


Era incrível o quanto eles pareciam próximos. Fiquei imaginando se eles eram irmãos ou alguma outra coisa.


Tentei vasculhar na minha mente, mas não encontrei ninguém que eu tenha uma relação como essa.


Enquanto a gritaria não parava, analisei o tal Jimin.


Sua aparência era... boa. Não consegui achar muitos defeitos nela.


Seus cabelos loiros caía em um tom perfeito com sua pele branca. E tudo o que ele passava era serenidade.


Seus lábios eram bem carnudos e rosados e mesmo nessa situação, ele sorria com frequência enquanto conversava com seu amigo.


O tamanho do seu sorriso influenciava involuntariamente o tamanho dos seus olhos. Quanto mais ele sorria, mais seus olhos diminuíam. Era um verdadeiro "aye smile".


Continuei olhando para seus pequenos olhos quando percebi que, em segundos, eles ficaram esbugalhados. Como se alguma coisa o tivesse surpreendido.


Um arrepio subiu pelo meu corpo quando percebi que ele me olhava.


O encarei, sério.


Fiquei imaginando quanto tempo ele demoraria para desviar o olhar.


Mas ele não fez isso.


Então apenas ficamos nos encarando. E eu, sem saber o porquê.


- Agora que as indagações acabaram... Podemos dar contiunuidade - escutei o comandante dizer.


Desviei meu olhar rapidamente quando percebi que as gritarias já haviam acabado a alguns segundos.


E porque aquele cara estava me encarando tanto?


Maluco.


- Eu dei uma chance a vocês para perguntarem o que quiserem - O comandante suspirava - Mas vocês não soubem aproveitar. Por isso darei  a vocês  a chance de fazer duas únicas perguntas.


Ele parecia tão exausto, como se muito peso estivesse sobre ele, mas fazia de tudo para não demonstrar.
A doida magrela, que continuava em pé, começou a gritar novamente com o comandante. Dizendo que ela nem devia estar ali e que tinha muita coisa melhor para fazer.


Não sei o que essa garota tem de melhor para fazer, a não ser infernizar a vida dos outros.


Antes que ela pudesse fazer mais escândalo, o louro segurou a mão dela e balançou a cabeça em sinal de advertência.


Ela olhou para ele, bufou, e obedeceu sentando do seu lado.


Só eu que achei isso muito estranho?


Não sabia que ela tinha algum senso.


O comandante apenas pigarreou, fingindo que nada havia acontecido, e voltou a falar.


- Voltando... - Olhei para seu rosto novamente e me veio uma estranha sensação de familiaridade - Que tal você?


Seu dedo indicador apontava para mim.


- Eu o que? - Franzi a testa


Senti um pequeno desconforto ao perceber que todos os olhares, agora estavam em minha direção.


- Te darei a chance de fazer uma pergunta, já que você não se alvoroçou como algumas pessoas - Seus olhos foram em direção a Suk e voltou para mim.


Olhei para o lado e vi que a loura me olhava com um olhar assassino.


Essa garota realmente tinha sérios problemas.


- Ah sim... - Respondi ao comandante enquanto procurava alguma pergunta - Hum... Até quando teremos que ficar aqui? Daqui a três dias será o reveillon. Minha omma, assim como a família de muitos aqui, estão nos esperando. E daqui a exato... - Olhei no relógio - Doze minutos,  era para eu estar com ela. - Já que eu tinha a oportunidade, iria soltar todas as frustações que eu vinha coletando desde o início da manhã. - Os celulares estão todos fora de área e não conseguimos falar com  ninguém que esteja fora do aeroporto. - Lembrei de uns minutos mais cedo, eu e Nanjoon em uma tentativa fracassada de ligarmos para nossa omma. - Todos ficarão preocupados que ainda não chegamos, principalmente minha mãe, que com certeza vai ter um surto.


Quando finalmente terminei meu "discurso", ouvi murmúrios de concordância. 


- É... sobre isso - iniciou o comandante - Estamos tentando usar telefones mais avançados, especialmente para esse tipo de situação. Então quando estiver pronto, todos terão o direito de conversar com seus familiares.


Como ele podia responder apenas isso, com o tamanho da pergunta que eu havia feito?


- Quanto tempo isso pode demorar? - O Jovem, amigo do loiro, disse em seguida.


- Entre 4 ou 5 horas - Ele respondia tudo calmamente - Tentaremos providenciar o mais rápido possível.


Se isso era rápido eu nunca queria conhecer o lento dele.


- E sobre a outra pergunta - continuou - Vocês ficarão aqui até a nevasca acabar. Não é seguro sair daqui nessas condições.


- E quanto tempo isso vai levar? - Um outro garoto perguntou.


- Como eu já disse, ainda não temos a previsão do tempo - o Comandante continuou - Mas com a intensidade dessa nevasca... Talvez até domingo.


Vai.
Tomar.
No.
Cú.


A gritaria começou novamente.


Joguei minha cabeça para frente em cima dos meu joelhos e fechei os olhos.


Ainda estamos na sexta-feira, 10 horas da manhã. Até domingo ainda tem uma eternidade. E o mais importante, eu não podia deixar que minha mãe passasse o Reveilon sozinha.


- Como eles podem fazer isso com a nossa omma, Nanjoon?


Nenhuma resposta.


Olhei do meu lado, e nada dele.


- Aonde esse desgraçado foi parar? 


No meio de todo aquela gritaria, alguns sorrisinhos se destacavam.


Olhei em direção ao som e lá estava ele, todo sorridente, encostado em uma pilastra.


Com Jin.


Revirei os olhos.


Será que ele não viu a situação em que estamos?


- Isso não é justo!!! - Lá estava a maluca em pé novamente - Você acha que  eu sou do nível desses pobres para ficar com eles por três dias?! 
Quando ela dizia "pobres", estava bem estampado na cara dela o que ela realmente queria dizer.

  
JEON JUNG-KOOK


- Quero dizer... Eles não são nem da classe média... - Olhou com cara de nojo para todos - Meu pai vai processar esse lugar e você também! - Apontou para o comandante.


- Vou esperar o papel do processo na minha mesa, senhorita. - Não pude evitar de sorrir sarcasticamente com as palavras dele, enquanto a sala inteira gargalhava da garota.


Jimin apenas abaixou a cabeça.


- E você tem a minha palavra... Eu não te deixarei com esses "pobres", como você diz. - Ele continuou.


Após ouvir isso, a expressão dela foi de superioridade. Soltou um riso abafado, demonstrando aos outros jovens que ela havia ganhado.


- Eu sabia que o senhor ia tomar a decis... - não deu tempo da loura terminar pois foi cortada pelo comandante.


- Você não precisará fazer nenhum trabalho e não haverá tarefas para você. - Ela continuou se vangloriando. - Você ficará sozinha durante esses três dias em uma sala e lá terá apenas as necessidades básicas para um ser humano. 


- Que? - O sorriso debochado que estava em seu rosto até agora, desapareceu.


- Você não poderá sair, até que haja uma ordem para que você saia. - Por mais que suas palavras eram ásperas, a postura e a formalidade do comandante não se desmanchavam. - E se você ousar desobedecer nossas ordens, você será expulsa do meu aeroporto. -  Todos os     aproximadamente 50 jovens que estavam ali, não ousavam desviar o olhar da cena que ocorria bem a nossa frente. Exceto Jimin, que mantinha a cabeça baixa. - E eu tenho certeza, que com essa magreza... Você não sobreviveria nem três minutos naquela neve.


A garota não acreditava que o homem falava aquelas coisas para ela. Por isso demorou uns segundos para ela voltar a consciência.
Mas que pena que voltou.


- Você não pode fazer isso! - Ela mais gritava isso para si mesma, do que para o comandante. - Pode?


Vários funcionários ao lado do comandante riam das palavras dela.


- Ah... Eu posso muito bem fazer isso. - Ele olhou para o segurança que estava na porta e apenas fez um leve gesto com a cabeça. 


Isso foi o suficiente para que o segurança entendesse o recado.


- Me larga!! - Ela gritou quando o homem segurou seu braço.


- Senhorita... Peço que deixe as coisas mais fáceis para o meu trabalho. - O segurança suspirava.


- Se você relar em mim, eu ranco seus bagos fora, seu desgraçado! - disse puxando seu braço das mãos dele. 


Alguém joga ela para fora do aeroporto logo, por favor.


- Então acho que terei que optar pelo modo difícil. - Ele disse duramente.


O que aconteceu a seguir foi muita rápido.


Agilmente ele agachou, pegou suas pernas e a jogou em seu ombro, fazendo com que metade da sala dissessem "Uou".


- Senhor. - Com postura, o segurança falava com o comandante. - Levarei a senhorita para o lugar designado.


O comandante assentiu e o segurança se virou em direção a porta.


Enquanto a loura, não parara de gritar nem por um único segundo.


- Jimin!!! Amor! Me ajuda! - Jimin agora olhava com pena para sua namorada.


Como ele ainda podia ter pena dela?


Quando o segurança saiu pela porta com uma gazela escandalosa nos ombros, ainda pudemos escutar os gritos a muitos metros de distâncias. Enquanto todos olhavam para o namorado que havia ficado na sala, esperando a reação dele.


Este, que ficara com um grande ar de aflição estampado em seu rosto.


Não é possível que ele havia ficado triste com a situação. 


Ou é?


- Senhor... - Ele levantou a mão. - Ela ficará bem?


O Comandante assentiu.


- Não há nada com o que se preocupar. - O loiro relaxou. 


Desculpe-me por fazer isso. - Continuou o homem. - Mas seria extremamente cruel se eu a deixasse no mesmo ambiente que vocês. - Pela primeira vez, eu o via com uma expressão divertida no rosto. - Depois vocês me agradeçam. - Completou o comandante, fazendo todos darem risadas.


Não pude conter a minha também.


Afinal, era o primeiro e único maravilhoso assunto do dia. Ficar longe dessa garota era a coisa que eu mais queria no momento.


Olhei mais uma vez para o loiro para ver se ele ainda estava abalado.


Mas me deparei com uma cena que eu não imaginava que me contagiaria tanto.


Jimin sorria.
 


Notas Finais


Aeeeeee Caraiiimbaa...

Estamos livres dessa garota rudícula.

Vamos ver se o JK e o JM agilizam o processo agora neh... Já enrolaram demais... affz

No próximo cap vai começar as interaçõeszinhas deles... ooown<3

Fiquem ligados heim povo.

Aaaaaa!! E eu quero agradecer ao coleguinha que comentou hj!!!
Já te gosto mto viu fiooo!! (ou fia)

E comentem também viu.
É... vc msmo que tá lendo isso.
Fala aí se ta bom, se ta ruim, ou se eu preciso ir dormir.

Eu não mordo não ta.

Só as vezes.

Então é isssooooooooooo

Só mais uma coisa:
O comeback ta chegandoooo
la la la la laa laaaaa

Deixa eu ir, vai

Byeeeeee<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...