1. Spirit Fanfics >
  2. Afeto >
  3. Capítulo Único

História Afeto - Capítulo 1


Escrita por: Lettranda

Notas do Autor


Me inspirei depois de ter encontrado uns amigos que moram longe.
Espero que gostem

Capítulo 1 - Capítulo Único


Esse ano estava diferente.

 

Olhei da porta do meu quarto para a sala da minha nova casa e mais uma vez me senti estranha. Todas as recordações apertavam no meu peito, as boas, por me lembrarem do quanto fui feliz um dia; e as ruins, que vinham com aquele sentimento o qual não gostaria de sentir novamente.

A visão da sala vazia fazia com que eu me lembrasse do quanto aquilo era incomum. Minha casa sempre estava cheia em qualquer data comemorativa, mas em um ano tinha mudado tanta coisa.

Algo aconteceu com o casamento dos meus pais e eles acabaram se separando. Meu pai foi embora e pareceu que eu também entrei na leva do divórcio, pois ele sequer lembrava de me ligar, e quando eu ligava, ele sempre estava ocupado para conversar comigo.

Minha avó, pessoa que estava comigo em tudo, faleceu. Quando eu digo que ela estava comigo em tudo, era tudo mesmo: me ajudava a planejar todas as festas, presentes para os meus amigos, reuniões lá em casa... tudo era diferente quando ela estava aqui.

Mas a saúde dela já era bem debilitada há alguns anos. Ela acabou não resistindo ao contrair uma pneumonia.

 

Com tanta coisa acontecendo, mamãe precisou ser transferida de emprego e eu, como dependente dela, tive de vir junto. Estamos morando agora em uma cidade que fica a 40km da minha cidade antiga, e provavelmente pouco verei meus amigos.

O resto da família: tios e primos, continuaram morando na nossa antiga cidade, somos só mamãe e eu aqui.

Com tudo isso, os problemas financeiros também vieram. A transferência de emprego de mamãe veio junto com um corte de salário significativo, que faz com que a gente se aperte nesses quatro últimos meses que estamos aqui.

Recentemente iniciei um pequeno negócio de vendas de doces. Tenho apenas 14 anos, mas não poderia ficar parada esperando que tudo chegasse nas minhas mãos, ainda mais agora quando tantas coisas me foram retiradas.

Iniciei fazendo e vendendo na escola quando as aulas começaram dois meses atrás, e todos gostaram dos meus docinhos. Com uma semana pequei uma encomenda para festa e semana a pós semana eu sempre vendia docinhos e bolos de pote na escola e para encomendas, até que chegou a Páscoa.

Foi o melhor período das minhas vendas, todos gostavam dos meus doces e praticamente todos que me compravam na escola, compraram ovos de colher a mim.

E posso dizer, que o no meio dessa tristeza que eu estava entrando, encontrei um ponto de alegria, podendo ajudar a minha mãe com as despesas e até comprar algo para a gente com o luco dessa época.

Mas hoje, na tarde do domingo de Páscoa, estou um pouco triste novamente. Nesses dias em minha antiga casa, eu e meus amigos, nos juntávamos para passar a tarde assistindo nossos filmes preferidos.

Hoje estou sozinha, mas não quero perder nossa tradição. Então combinamos de assistirmos juntos ainda, eles dois na casa deles e eu daqui.

 

Organizo tudo como fazia antes. A sala era menor, mas eu estava sozinha, serviria bem. O colchão já estava coberto e a pipoca estava feita. Antes de dar play, envio uma mensagem para eles esperando para começarmos juntos.

Observo o celular e depois de 10 minutos, eles nada respondem. Espero mais um pouco, chateada por não terem falado comigo ainda e ouço um carro buzinar na frente de casa.

Levanto-me ainda mais chateada, pois estava pronta para dar play no filme. Ao abrir a porta de casa, meus olhos se enchem de lágrimas.

 

— Espero que não tenha começado a ver o filme sem a gente, Sakura! — Naruto falou correndo até mim e me dando um daqueles abraços que só ele sabia dar, me rodopiando no ar.

— Oh meu Deus! — Eu não consegui segurar as lágrimas. Estava com tanta saudade.

Logo depois de Naruto, a mãe dele veio até mim e me beijou na bochecha enquanto me abraçava.

— Sentimos sua falta lá, querida. — Falou secando minhas lágrimas.

— Também sinto falta de vocês! — Eu só sabia fungar.

Depois que ela me soltou, reconheci um cheio que me fez segurar as lágrimas perto dele.

— Chorona... — Instintivamente cobri meus olhos para que ele não visse eu me acabar em lágrimas novamente.

— Dessa vez é de felicidade! — Me justifiquei.

Sasuke sempre me chamou de chorona — e sou chorona mesmo —, pois eu estava chorando devido ao joelho ralado quando nos conhecemos anos atrás.

Ele me abraçou comigo ainda cobrindo os olhos e beijou o topo da minha cabeça.

— Você está cheirando a chocolate. — Comentou fazendo com que eu desse uma risada.

— Estou trabalhando fazendo doces, tudo cheira a chocolate agora.

— Gostei! — Eu ia comentar algo, mas fui interrompida por tia Kushina.

— Entrem, crianças, vou fazer as besteiras que vocês amam comer nessas tardes malucas.

— Uhuuul! — Naruto comemorou na sala enquanto se jogava no colchão.

 

Olhei para Sasuke e ele apenas segurou na minha mão enquanto nos juntávamos a Naruto.

Como sempre, me sentei entre os dois e começamos a assistir o primeiro filme daquela tarde.

Por várias vezes, meus olhos ameaçaram transbordar em lágrimas, mas me segurei, pois eles estavam comigo.

 

Era como uma promessa de que tudo ia ficar bem.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...