História Afraid - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias It: A Coisa
Personagens Edward "Eddie" Kaspbrak, Richard "Richie" Tozier
Tags A Coisa, Afraid, Eddie Kaspbrak, Finn Wolfhard, Jack Dylan Grazer, Kaspbrak, Pride, Reddie, Richie Tozier, Richie X Eddie, Tozier, Yaoi
Visualizações 43
Palavras 558
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Musical (Songfic), Sobrenatural, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ja se passaram dois anos que li esse livro e sempre choro no clube com o final dele. Otp injustiçaderrimo.

Enjoy!

Capítulo 1 - Não é o amor que me mantém aqui


Richie cruza suas pernas. Sua mente borbulhava inquieta. Tinha tanta coisa para dizer, mas surpreendentemente não conseguia formular as frases, não com o olhar ao qual Eddie tinha estampado em sua face; distante, opaco.

— Você acha que ele vai voltar? — O Kaspbrak sussurra. Então se inclina, segurando a ponta de seus tênis surrados com os dedos. Richie sabe a quem o amigo se refere — ou pensa que sabe. A Coisa. Tudo se resumia à ela nos últimos dias; os pesadelos, os pensamentos, os arrepios subindo pela espinha.

O Tozier suspira, rodopiando seus olhos doentes.

Eds... — Para subitamente, esperando a bronca pelo apelido tão odiado. Que não vem. Pigarreia, e então continua — Eu não sei, sabe. Estou tão assustado quanto você, mas... precisamos continuar vivendo.

Eddie volta seu olhar para a face sardenta do amigo. Gosta das manchas em suas bochechas, aparentemente, uma das poucas coisas ao qual ainda conseguia enxergar beleza nos últimos dias.

— Viver é uma merda — Comenta, voltando seu olhar para o horizonte, onde o céu terminava e a cidade começava.

— Don't be so blue — Diz ao imitar um sotaque engraçado. Eddie sorri, mesmo não sendo exatamente a reação que o Tozier esperasse. Suspira. Arrasta seu corpo para mais perto. Coloca a mão sobre a de Kaspbrak, não sabe exatamente o porquê, mas sente que é o que deveria fazer.

— O que isso significa? — Pergunta, confuso.

— Que está começando a ficar um saco te ver triste e assustado todo dia, Eds — Richie diz, e Eddie não pôde deixar de fazer uma careta ao notar que o amigo não entendeu ao quê se referia. Se deixa apertar os dedos de Tozier.

Em seu íntimo, se pergunta se algum dia veria novamente a múmia com lepra da rua Neibolt outra vez. Consegue ouvi-lo em ecos em sua mente, sempre lhe questionando em relação ao tal do boquete. Cogita a ideia de que talvez a Coisa soubesse sobre seus sentimentos.

Volta a olhar para Richie por um momento. Observa os enormes olhos negros do outro — por conta das lentes de seu óculos —, lhe observando também.

— Acho que nunca vou deixar de sentir medo, Richie.

Diz porque era verdade. Mesmo que tentasse se convencer de que o real motivo de seu temor fosse apenas a morte ou o fato de que a Coisa sabia de seu segredo, sempre existiria sua mãe, e acima de tudo, sempre existiria o preconceito, este ao qual ainda não estava pronto para aceitar o amor que sentia por seu melhor amigo.

Afinal de contas, Eddie ainda era só uma criança assustada crescendo em Derry de 1958, e a caminhada até a realidade onde seus sentimentos fossem considerados normais estava longe de chegar ao fim. Vira o que aconteceu com Adrian Mellon, e o medo de que o mesmo acontecesse consigo, era enorme.

Só não era maior do que o pavor que sentia sempre que idealizava o dia em que Richie descobriria seus sentimentos e o olharia com nojo, desprezo. E, era exatamente por essa razão, que preferia que o Tozier acreditasse que todo seu medo provinha da Coisa, quando na verdade, tinha medo dele mesmo.

Ouviu o outro suspirar.

— Espero que um dia você possa superar isso tudo — Foi só o que disse, espremendo a bochecha sardenta contra o ombro de Eddie. A alça de seu óculos incomodando.

— É. Eu também.


Notas Finais


Espero que tenham gostado 😜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...