História Afraid - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Lily Collins, One Direction
Personagens Harry Styles, Lily Collins
Tags Demonios, Drama, Harry Styles, Lily Collins, One Direction, Revelaçoes, Romance, Sobrenatural, Teen
Visualizações 53
Palavras 1.755
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa tarde, amores, hoje é um ótimo dia pra um cap, então aí vai. Espero que gostem, e quero agradecer quem está comentando. Xoxo ♥

Capítulo 14 - Fourteenth chapter


Fanfic / Fanfiction Afraid - Capítulo 14 - Fourteenth chapter

Kim on

Hoje era o dia em que eu voltaria para a escola, e estava nervosa. Me olhava no espelho pela décima vez, suspirava e dizia para mim mesma que tudo iria ocorrer bem. Harry me observava, na porta do quarto, com um olhar sereno e os lábios repuxados em um meio sorriso. 

- Você está linda. - veio até mim, me abraçando por trás. 

- Não quero ir. - fiz bico. 

- Você precisa. Não deixa a Channel te atingir. Ela é obcecada por mim, mas não vai conseguir nada, porque eu estou com você. 

- Tenho medo das ameaças dela. 

- Essa garota não vai tentar nada, te dou a minha palavra. 

- Você é o melhor. - o abracei e senti os braços quentinhos retribuírem o abraço. Eu queria ficar ali pelo resto do dia, sentindo aquele perfume amadeirado e sendo protegida. Tomamos o café da manhã e entramos em seu carro. O tempo passou voando, e logo estávamos na escola. Novamente, eu respirava fundo e tentava conter a tremedeira das minhas mãos, era um hábito, sempre que ficava nervosa, eu me tremia e o coração acelerava. Ele segurou em minha mão, olhando em meus olhos e aquilo me tranquilizava. 

- Não se preocupe com nada, você é muito avançada pra cair nessas historinhas da Channel. Só lembra que quando chegar em casa, estarei te esperando. 

- É o que me mantém calma. Obrigada, Harry. - o abracei e ele selou meus lábios. Desci do carro, um tanto confiante, e não me importei com os olhares e comentários daquela manhã. Quando cheguei em meu armário, me deparei com uma foto, minha e do Harry nos beijando. Eu estava em seu colo e suas mãos me agarravam com força. Channel surgiu atrás de mim, com aquela voz chata. 

- Harry é um idiota por trocar um mulherão por essa ratinha. 

- Posso ser pequena, mas não me subestime. Onde arranjou isso, Channel? 

- Eu tenho os meus métodos. Conhecendo o Hazz, eu sabia que ele iria fazer de tudo para transar com você. 

- Por que não me deixa em paz? Você já viu que estamos juntos e eu não quero brigar por homem. 

- Brigar? Francamente, essa batalha você já perdeu. Eu sei do que Harry gosta, e não é de uma santinha que mal abre a boca. Quando se cansar de você, vai voltar correndo pra mim. - tinha aquele típico sorriso sínico nos lábios e meu sangue fervia, eu estava de saco cheio daquela garota. Maldita hora em que abri a porta da minha casa para ela. 

Kimberly Owens? - ouvi a voz da diretora e gelei. - Na minha sala agora! - caminhou para a diretoria e eu estava logo atrás. Minha mente estava uma bagunça ultimamente. Me sentei na cadeira, vendo a mulher me encarar séria, com um papel em mãos. - Será que a senhorita poderia me explicar o que é isso? - me entregou o papel e era a mesma foto que havia visto em meu armário. Eu e Harry nos beijando. Suspirei, já sentindo minhas mãos suarem, tentando encontrar uma desculpa. 

- Onde arranjou isso? 

- Estava pregada por toda a escola! Eu não posso permitir que o Sr. Styles tenha caso com uma aluna, ainda por cima menor de idade. 

- Não estou tendo um caso com ele. Desde que saiu dessa escola, eu não o vejo. 

- Não minta para mim, Owens. Estou tentando resolver da melhor forma, não quero envolver seus pais... 

- Mãe... meu pai morreu. 

- Não mude de assunto! 

- Nunca vi essa foto e eu juro que é montagem. Todos sabiam que ele era o meu professor favorito, mas só porque eu amo a matéria. 

- Alunos contaram que viram você chegando de carro com ele várias vezes na escola. 

- Não é verdade. 

- Se não é verdade, onde está ficando? Eu soube que sua mãe está viajando, e não há ninguém na sua casa. Caso esteja ficando lá, sua mãe pode responder por abandono de incapaz. Não é o que queremos, não é, mocinha? 

- Estou ficando com uma amiga da minha mãe, o nome dela é Gemma, e ela mora há dois quarteirões da minha casa. - a única pessoa em quem consegui pensar, foi na irmã de Harry, mas eu nunca havia a conhecido. 

- Ok, a qualquer momento o conselho tutelar pode passar lá para confirmar a história. Espero que esteja falando a verdade, ou o Sr. Styles pode ser indiciado por pedofilia. 

- É só isso? - eu balançava as pernas, tentando controlar o nervosismo. 

- Está liberada. - falou desconfiada e eu saí dali o mais rápido que podia. Corri para o banheiro feminino e, como estava vazio, mandei uma mensagem de texto para Harry, eu não queria ficar ali nem mais um minuto. Fui para a saída da escola e vi seu carro adentrar a rua. Ele parecia preocupado e eu entrei no veículo. 

- O que aconteceu? 

- Muita coisa aconteceu e tenho quase certeza que foi tudo ideia da Channel. - falei enquanto tirava a foto de dentro da bolsa. A entreguei e seus olhos estavam preocupados, agora. 

- O que é isso? 

- Channel estava espiando a gente. Ela grudou isso pela escola inteira e todo mundo viu, inclusive a diretora Moreno.

- Ótimo. - sua expressão era de raiva e ele acelerou o carro. - O que vamos fazer agora? 

- Eu não sei, ela descobriu que minha mãe está viajando e eu não posso ficar em casa sozinha, nem na sua casa. Ou você seria indiciado por pedofilia e minha mãe por abandono de incapaz. Eu disse que estava ficando na sua irmã, como ela não tem seu sobrenome, acho que eles não vão a fundo nisso. 

- Boa ideia, vamos pra lá. - dirigia rápido, enquanto eu respirava fundo. Estava nervosa por conhecer a irmã de Harry, muito nervosa. Paramos em frente a uma casa branca, e descemos do carro. Tocou a campainha e me assustei ao ver o Harry em versão feminina atender. Era uma garota de olhos claros, cabelos platinados na altura dos ombros e estilosa. 

- Ah, lembrou que eu existo? - Seu sotaque era lindo. 

- Gemma, preciso da sua ajuda. - falou com os olhinhos brilhando e a garota suspirou. 

- Entra! - deu espaço e nós entramos. Eu estava um pouco envergonhada. Nos sentamos no sofá preto e ela se sentou na poltrona à frente. 

- Gemma, essa é a Kim, minha namorada, acho que não apresentei. 

- Prazer, Kim. - sorriu e eu sorri de volta. - Não me diga que ela tem dezessete anos, por favor. 

- Meio que tem. - fez uma careta. 

- Quando vai aprender que não podemos chamar atenção? 

- Ela é a filha do John Addams... 

- O que? - olhou para mim, espantada - Sabe que vão vir atrás de vocês, não é? É um pecado mortal um anjo e um demônio ficarem juntos. 

- Hazz, do que ela está falando? 

- Esse não é o ponto. Channel fez confusão de novo. 

- Eu sempre te avisei para não se envolver com uma Rivers. Essa garota é capaz de tudo para conseguir o que quer, até matar. 

- A diretora Moreno está desconfiada do nosso namoro, e eu queria que deixasse a Kimberly ficar aqui por um tempo, só até a mãe dela voltar de viagem. 

- Que tal me ajudar com o chá? 

- Estamos no meio de uma conver... 

- Agora, Harry! - se levantou e o garoto foi atrás. Mas aquilo era um tanto desagradável, pois eu podia ouvir toda a discussão. 

No que estava pensando, idiota? Outra aluna? Já não bastava a Channel? 

- A Kim é diferente, estou apaixonado por ela. 

- Se o Silas descobrir sobre ela, estamos mortos! Você realmente não pensa direito nas coisas, não é? 

- Que se dane o Silas. É com ela que eu quero ficar, e vou lutar para tornar isso possível. 

- Você está quebrando as regras, Harry, mais cedo ou mais tarde virão atrás de você também. 

- Não tenho medo de ninguém, você sabe do que sou capaz! 

- Sim, eu sei, mas eu te amo, você é meu irmão mais novo e não quero que nada de ruim aconteça com você. - Ela parecia estar realmente preocupada e eu, nervosa, não queria causar nenhum transtorno naquela família. Peguei minha bolsa e abri a porta de fininho. Quando cheguei na metade do quintal, dois homens apareceram na minha frente, dois demônios. 

- Silas estava certo, Kimberly Addams está viva, mas eu não imaginava que o merdinha do Styles estava a protegendo. 

- Vamos acabar logo com isso! - o grandão falou, me colocando em suas costas. Ele estava me levando embora e eu batia em suas costas. 

Pra onde pensam que estão levando minha namorada? - ouvi a voz rouca e me tranquilizei. Quando levantei a cabeça, vi ele e a irmã com aqueles olhos negros. Então começaram uma guerra e os Styles mataram os dois homens. 

- Tudo bem, você pode ficar. - Gemma me olhava enquanto queimava as roupas dos homens e se preparava para jogá-los na fogueira. 

- Por que eles estavam te levando embora? 

- Disseram que Silas estava certo e eu estava viva. Mas não imaginavam que eu estava aqui, com vocês. Por que todos pensam que eu morri? 

- Porque forjaram a sua morte, pra te proteger, eu fiz isso à pedido do seu pai. 

- Seu sobrenome original é Addams, mas passou a ser Owens para que não desconfiassem. Ele quis manter o nome porque adorava te chamar de Kimberly, então eu o obedeci. 

- Então não são todos que sabem que estou viva? 

- Há um boato rolando no mundo sobrenatural. Todos achavam que toda a sua família havia morrido no incêndio. 

- E quem incendiou a minha casa? 

- Silas. Mas eu tirei você e sua mãe de lá, infelizmente, quando voltei, seu pai já estava morto. 

*

Passamos a tarde toda ali, e quando o sol estava se pondo, Harry foi embora. Eu não queria que ele fosse, mas era necessário. Gemma me mostrou o quarto de hóspedes, e eu tentava dormir, mas não conseguia. A cama era tão fria sem ele ali, o vento que entrava pela janela fazia minha pele se arrepiar e tudo o que eu queria era os seus braços quentinhos. Mas aquilo era para o nosso bem. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...