1. Spirit Fanfics >
  2. After - Beauany >
  3. Cap.53

História After - Beauany - Capítulo 54


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura💕

Capítulo 54 - Cap.53


Lamar permanece em silêncio durante a maior parte do tempo que passo explicando meu rompimento com Noah e quando digo que não sei como nomear meu relacionamento com Josh, já que acho que estamos namorando, mas ainda não discutimos a questão em termos técnicos.

-Sei que te alertei, então não vou fazer isso de novo. Mas, por favor, tome cuidado com ele, ainda que eu admita que ele parece apaixonado, pelo menos como pareceria alguém como ele. -Lamar diz quando nos sentamos.

Para mim, é muito importante que ele esteja se esforçando para ser compreensivo e incentivador, ainda que não goste de Josh. Ao entrar na sala da terceira aula, meu professor de sociologia faz um gesto para que eu me aproxime de sua mesa.

-Você foi chamada na sala do reitor. -Ele diz.

O quê? Por quê? 

Um milhão de perguntas surge em minha mente, e então eu me lembro de que o pai de Josh é o reitor. Relaxo um pouco, mas em seguida meus nervos me dominam por outros motivos. 

O que ele quer comigo? Sei que a faculdade não é como o colégio, mas estou sendo chamada na sala do reitor, embora ele seja ninguém menos do que o pai do meu... namorado?

Coloco a bolsa no ombro e atravesso o campus até o prédio da reitoria. É um caminho longo e demoro mais de meia hora para chegar lá. Digo meu nome à recepcionista e ela logo pega o telefone. Não ouço nada além de "Dr. Scott".

-Ele está à sua espera. -Ela diz com um sorriso profissional e aponta a porta de madeira do outro lado do corredor.

Eu me aproximo, mas, antes de bater, a porta se abre e Ron me recebe com um sorriso.

-Any, obrigado por ter vindo. -Ele diz, e me leva para dentro, fazendo um gesto para que eu me sente.

Ele se senta na cadeira imponente atrás de uma grande mesa de cerejeira. Eu me sinto muito mais intimidada por ele nesse escritório do que me senti em sua casa.

-Desculpa por te tirar da aula. Não consegui pensar em outra forma de chamar você, sabe que conversar com Josh pode ser meio... difícil.

-Tudo bem, sem problemas. Aconteceu alguma coisa? -Pergunto com nervosismo.

-Nada. Só quero discutir algumas coisas. Vamos começar com o estágio.

Ele se inclina para a frente e apoia as mãos na mesa.

-Fico feliz de dizer que conversei com meu amigo na Fuller, e ele adoraria te receber o mais rápido possível. Se estiver livre amanhã... -Ele diz.

-Sério? -Grito, e minha empolgação faz com que eu me levante.

Sentindo-me esquisita por estar de pé, eu me sento depressa.

-Que ótimo, muito obrigada! Não faz ideia de como estou agradecida! -Digo a ele.

São ótimas notícias, não acredito que ele fez isso por mim.

-O prazer é meu, Any. -Ele ergue as sombrancelhas com interesse. -Então, posso dizer a ele que você vai amanhã?

Não quero perder nenhuma aula, mas é um bom motivo e estou adiantada, então não vejo problema.

-Claro. Obrigada mais uma vez. Uau. -Digo, e ele sorri.

-Agora, a segunda coisa, e, se você disser não, não há problema algum. É um pedido pessoal, ou favor. Seu estágio não tem nada a ver com isso. -Ele diz e eu me sinto mais nervosa.

Balanço a cabeça e ele continua:

-Não sei se Josh disse a você que Karen e eu vamos nos casar no próximo fim de semana.

-Sabia que vocês iam casar. Parabéns, aliás. -Digo a ele.

Não sabia que estava tão perto. Penso em quando Josh destruiu os pratos da casa deles e bebeu uma garrafa quase inteira de uísque. Ele sorri de modo muito gentil.

-Muito obrigado. Eu queria saber... se haveria possibilidade... de você convencer Josh a ir.

Ele desvia o olhar para a parede.

-Sei que isso é ultrapassar os limites, mas eu detestaria que ele não estivesse presente e, para ser sincero, acredito que você é a única pessoa que poderia convencer meu filho a ir. Já pedi algumas vezes e ele disse não na hora. -Ron solta um suspiro de frustração.

Não faço ideia do que dizer a ele. Adoraria conseguir fazer Josh ir ao casamento do pai, mas duvido que ele me ouça. Por que todo mundo acha que ele me ouve? Eu me lembro de quando Ron me disse que ele estava apaixonado por mim — uma ideia absurda.

-Vou falar com Josh, e eu também adoraria que ele fosse. -Digo com toda a sinceridade.

-É mesmo? Muito obrigado, Any. Espero que não se sinta pressionada, mas espero ver vocês dois lá.

Um casamento com Josh? A ideia é ótima, mas vai ser muito difícil convencê-lo.

-Karen gosta muito de você, e adorou que vocês vieram no fim de semana. Você é bem-vinda a qualquer momento.

-Gostei muito de ter ido. Talvez fale com ela sobre as aulas de culinária que me ofereceu. -Dou uma risadinha, e ele também ri.

Ron parece tanto com Josh quando sorri que sinto meu coração se aquecer. Ele está tão desesperado para ter um relacionamento com o filho revoltado que chego a sentir pena dele. Se puder fazer alguma coisa para ajudar, vou fazer.

-Ela adoraria! Pode ir quando quiser. -Ron diz, e eu me levanto.

-Obrigada de novo por me ajudar com o estágio. É muito importante para mim.

-Analisei sua ficha e fiquei impressionado. Josh poderia aprender muito com você. -Ele diz com os olhos verdes cheios de esperança.

Sinto o peito transbordar de alegria. Sorrio e me despeço. Quando chego à classe, tenho cinco minutos até a aula de literatura britânica. Josh está sentado em sua cadeira de sempre, e não consigo controlar meu sorriso.

-Você cumpriu sua promessa, e eu também. -Ele diz e retribui o sorriso.

Cumprimento Lamar e me sento entre eles.

-Por que demorou tanto? -Josh sussurra quando o professor começa a falar.

-Conto depois da aula.

Sei que, se tocar nesse assunto agora, ele vai fazer uma cena na frente de todo mundo.

-Conta.

-Eu disse que conto depois da aula. Não é nada demais. -Digo. Ele suspira, mas não insiste.

Quando a aula termina, Josh e Lamar se levantam e não sei com quem conversar. Normalmente converso com Lamar e saímos juntos, mas agora Josh voltou e eu já não sei.

-Você ainda vai à fogueira com a gente na sexta-feira? Você podia jantar em casa antes. Sei que minha mãe adoraria. -Lamar diz antes que Josh possa falar.

-Sim, claro, eu vou. Adorei o convite para jantar. É só dizer o horário e estarei lá.

Mal posso esperar para conhecer Linsey. Ela faz Lamar feliz, e por isso gosto dela.

-Te mando uma mensagem de texto. -Ele diz e se afasta.

-Te mando uma mensagem de texto. -Josh imita, e eu reviro os olhos.

-Não tira sarro dele. -Aviso.

-Ah, sim, esqueci que você fica brava. Lembro que quase pulou para cima de Dytto quando ela tirou sarro dele. -Josh ri, e eu o empurro.

-Estou falando sério, deixa o Lamar em paz. -Digo. E, para acalmar os ânimos, acrescento: -Por favor.

-Ele está morando com meu pai. Tenho direito de tirar sarro dele. -Josh sorri e eu dou risada.

Quando saímos do prédio, decido que é agora ou nunca.

-Por falar no seu pai...

Olho para ele e percebo que já ficou tenso. Seu olhar é de desconfiança enquanto espera pelo que direi em seguida.

-Fui até a reitoria hoje. Ele conseguiu uma entrevista para mim na Fuller amanhã. Não é ótimo?

-Ele o quê? -Josh pergunta. Lá vamos nós.

-Ele conseguiu uma entrevista para mim. É uma grande oportunidade, Josh. -Digo, esperando que seja compreensivo.

-Legal. -Ele suspira.

-Tem mais.

-Claro que tem...

-Seu pai me convidou para ir ao casamento no próximo fim de semana... Bem, convidou nós dois. Ele nos convidou para ir ao casamento.

Mal consigo terminar a frase, porque Josh está fazendo cara feia para mim.

-Eu não vou. Fim de papo. -Ele se vira e faz menção de ir embora.

-Espera, escuta primeiro, por favor. -Seguro seu punho, mas ele se solta.

-Não, você precisa ficar fora disso, Any. Sem brincadeira. Cuida da sua vida pelo menos uma vez.

-Josh... -Começo, mas ele me ignora.

Josh caminha até o estacionamento. Meus pés estão pesados, não consigo segui-lo. Observo quando seu carro branco deixa a vaga. Ele está exagerando e não vou alimentar essa reação. Precisa de um tempo para esfriar a cabeça antes de conversarmos de novo.

Sabia que ele não ia aceitar ir, mas pensei que, pelo menos, podia falar sobre o assunto. Mas a quem quero enganar? Acabamos de começar isso, faz dois dias. Não sei por quê fico pensando que as coisas vão ser diferentes. Elas são, de certo modo. 

Josh anda mais legal comigo, na maior parte do tempo, e me beijou em público, o que foi bem surpreendente. Mas continua sendo o mesmo: é teimoso e tem um problema de comportamento. 

Suspirando, jogo a bolsa no ombro e volto para meu quarto. Taylor está sentada de pernas cruzadas no chão, olhando para a TV, quando entro.

-Onde você estava ontem à noite? Hoje era dia de aula, jovenzinha. -Ela provoca.

Reviro os olhos, brincando.

-Eu... sai. -Digo a ela.

Não sei se devo contar que estava com Josh.

-Com Josh. -Ela diz, e eu desvio o olhar. -Sei que estava com ele. Josh me pediu seu telefone e então saiu da pista de boliche e não voltou mais.

Taylor abre um sorriso cheio de malícia para mim.

-Não conta pra ninguém. Não sei bem o que está acontecendo. -Digo.

Taylor promete ficar calada, e passamos o resto da tarde falando sobre ela e Tristan, até ele chegar para irem jantar fora. Ele a beija assim que ela abre a porta, segura sua mão enquanto pega as coisas e sorri para ela o tempo todo.

Por que Josh não pode ser assim comigo?

Não tive notícias dele, mas não quero enviar mensagem primeiro. É bobagem, eu sei, mas não me importo. Quando Taylor e Tristan saem, estudo um pouco e arrumo minhas coisas. No caminho do banho, meu telefone toca. Meu coração acelera assim que vejo o nome de Josh.

"Fica comigo hj à noite?"

Ele não fala comigo há horas, mas quer que eu passar a noite com ele? De novo?

"Por quê? Pra você ser grosso comigo?" -Respondo.

"Estou indo."

Reviro os olhos ao ver o tom de autoridade, mas não consigo me controlar: estou ansiosa para vê-lo. Eu me apresso, tomo um banho para não ter que fazer isso na república de novo. Mal tenho tempo de separar minhas roupas para amanhã. 

Não gosto do fato de que terei que pegar um ônibus para ir à Fuller, uma vez que de carro eu demoraria apenas meia hora, então volto a pensar em procurar um carro. Estou dobrando minhas roupas quando Josh abre a porta, sem bater, claro.

-Pronta? -Ele pergunta e pega minha mala.

Balanço a cabeça afirmativamente, coloco a bolsa no ombro e saio com ele. Caminhamos em silêncio até o carro, e eu me pego rezando para que o resto da noite não seja assim.


Notas Finais


Gente desculpem a demora pra postar, esse pra ter sido postado ontem, então vou postar mais um hj, ou talvez dois rs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...