1. Spirit Fanfics >
  2. After 2 - Chaelisa >
  3. Lalisa! Stop!

História After 2 - Chaelisa - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


-LEIAM AS NOTAS FINAIS-

:')

Capítulo 9 - Lalisa! Stop!


Fanfic / Fanfiction After 2 - Chaelisa - Capítulo 9 - Lalisa! Stop!

Lisa POV

"Onde você está Manoban?" a voz do homem estronda.

"Eu vi ele saindo do bar, eu sei que ele está aqui." outro homem diz.

O chão está frio quando saiu da cama para ver quem está lá. Primeiro pensava que era o papai e os amigos dele, mas agora acho que não é.

"Aparece, aparece onde quer que esteja!" a voz mais profunda grita e há um choque.

"Ele não está aqui." a minha mamãe diz quando chego ao fim das escadas.

"Ohh, veja o que temos aqui. Quem saberia que o Manoban tinha uma mulher espancada." o homem alto diz e agarra a minha mãe pelo braço, para tirar ela do sofá.

"Por favor.. ele não está aqui. Se ele te deve dinheiro, eu te dou tudo o que tenho. Podem levar qualquer coisa na casa, até a televisão." a minha mãe diz ao homem com um grande machucado na cabeça.

"Uma televisão? Não quero a porcaria de uma televisão."

"Tenho algumas jóias, não muitas, mas por favor.." ela diz.

"Cala a boca, porra!" ele diz e beija a mamãe.

"Mãe!" grito e corro para a sala de estar.

"Lisa.. vai para cima!" ela me diz, mas não vou deixar a minha mamãe com este homem mau.

"Saí daqui sua merdinha." um deles me diz.

"Vê vaca, o problema é que o seu marido fez isto." ele aponta para o seu machucado. "E visto que ele não está aqui, você vai ter que servir." ele sorri e ela dá uma joelhada nele.

"Lisa, bebê, vai para cima.. agora!" ela grita comigo. Porque é que a mamãe está zangada comigo?

"Acho que ela quer ver." o homem alto diz e atira ela para o sofá.

Me sacudo e me sento. Foda-se. Eles continuam vindo, cada noite pior que a outra. Fiquei tão habituada a eles não virem, a dormir. Por causa dela, era tudo por causa dela. Mas aqui estou eu, às quatro da merda da manhã, com lençóis sangrentos das minhas articulações golpeadas e uma dor de cabeça de matar do meu pesadelo e da falta de sono.

Vou lidar com os lençóis depois, agora quero fechar os olhos e fingir que ela está aqui e esperar que o sono venha.

-xXx-

Rosé POV

"Chaeyoung, bebê, acorda." a voz da Lisa sussurra na minha orelha enquanto ela toca com os seus lábios na pele abaixo da minha orelha.

"É tão linda quando acorda." ela me elogia e eu sorriu, puxando-a pelo cabelo para encontrar os olhos dela.

Esfrego o meu nariz contra o dela e ela ri. "Eu te amo." ela diz e pressiona os seus lábios nos meus, só que não os consigo sentir.

"Lisa?" chamo quando ela desaparece.

Abro os olhos enquanto volto à realidade. O quarto está todo preto e por um segundo me esqueço de onde estou. Estou em um quarto de hotel, sozinha. Pego meu telefone da mesa de cabeceira e são só quatro da manhã. Limpo as lágrimas dos cantos dos meus olhos e fecho-os para tentar voltar para a Lisa, mesmo que seja só um sonho.

Quando finalmente acordo novamente, são sete da manhã. Entro no banho e tento desfrutar da água quente enquanto me relaxa. Seco o meu cabelo e faço a minha maquiagem, hoje é o primeiro dia que me sinto decente. Preciso sair desta.. confusão que está dentro de mim. Tenho que fazer como a minha mãe faria, pintar uma cara perfeita para mascarar o que está por dentro. Quando estou pronta, pareço bem tranquila e realmente, muito bem. Encaracolo o meu cabelo e tiro o meu vestido branco da minha mala e me encolho. Coisa boa que este quarto tem ferro de passar. Está frio, muito frio para este vestido que não alcança nos meus joelhos, mas não vou estar na rua muito tempo. Escolho usar uns saltos pretos e rezo para não escorregar no gelo lá fora. Coloco o vestido e os saltos na cama.

Antes de me vestir, arrumo as minhas malas novamente. Espero que a minha mãe me ligue com algumas boas noticias sobre os dormitórios. Se não, vou ter que ficar aqui até que ela ligue, e isso vai acabar com o dinheiro que tenho, rápido. Talvez devesse pensar em arrumar o meu próprio espaço. Podia pagar um apartamento pequeno perto de Vance, longe do campus. Preciso levar os meus trabalhos aos professores depois de sair do trabalho, quase me esqueci. A minha cabeça tem estado atrapalhada ultimamente. Nem escrevi na minha agenda durante dois dias. Preciso ligar o meu telefone para ver se a minha mãe me ligou, mas tenho medo de ouvir a voz da Lisa em vez da dela. Precisei de dar tudo de mim para não ficar ontem, e preciso andar em frente, não para trás.

Pego minhas malas e abro a porta, a neve está quase toda derretida do sol da manhã. Graças a deus. Assim que destranco o meu carro, o Sanha saí do seu quarto a duas portas do meu.

"Poderia ter te ajudado com as malas." ele me cumprimenta. Ele está usando um terno preto e uma gravata verde, ele está tão bonito.

Ontem à noite depois de comermos a pizza, vimos um pouco de televisão e partilhamos histórias da faculdade. Ele tinha muitas mais histórias visto que ele já se formou, e gostei mesmo de ouvir ele falar sobre o que a minha experiência acadêmica devia ter e como devia ser. Não devia ter ido para festas com pessoas como a Lisa, devia ter encontrado um pequeno grupo de verdadeiros amigos. Teria sido tão diferente, muito melhor. Ele foi embora por volta das nove e me forcei a dormir.

"Dormiu bem?" ele pergunta e tira um conjunto de chaves do seu bolso. Com um click, o BMW inicia-se.

Claro que ele tem um BMW. "O teu carro inicia-se sozinho?" riu.

"Bem, esta coisa o inicia." ele segura a sua chave para cima.

"Legal." sorriu.

"Conveniente." ele contraria.

"Extravagante?"

"Um pouco." ele ri. "Mas ainda, muito conveniente."

"Está adorável hoje, como sempre." ele me elogia enquanto coloco as malas no carro.

Desde a reação da Lisa a eu usando este vestido, se tornou o meu favorito.

"Obrigada, está um frio." digo e entro no carro.

"Te vejo no trabalho." ele diz e entra no seu carro enquanto ligo o meu.

Viro a chave e click.. click.. clik.. e tento novamente, e a mesma coisa.

"Posso ter uma pausa!" digo alto e bato com as minhas palmas no volante.

Tento ligar o meu carro pela terceira vez, mas nada acontece, nem inicia. Olho para o lado e felizmente o Sanha ainda está sentado no carro. A janela dele desce e não consigo evitar em rir com a minha própria desgraça.

"Acha que podia me dar carona?" pergunto e ele assente com a cabeça.

"Claro que dou. Vamos para o mesmo lugar." ele ri e eu saiu do meu carro.

Não consigo evitar em não ligar o meu telefone durante a pequena viagem para Vance. Surpreendentemente, não tenho mensagens novas da Lisa. Tenho algumas mensagens de voz, mas não sei se são dela ou da minha mãe.

Escolho não as ouvir, em vez disso mando uma mensagem para minha mãe e pergunto-lhe sobre o dormitório. O Sanha me deixa à porta para não ter de andar no frio. Agradeço-lhe e desejo-lhe um bom dia antes de entrar.

"Parece refrescada." a Moonbyul diz enquanto agarro num donut.

"Me sinto um pouco melhor. Mais ou menos." digo e me sirvo de um copo de café.

"Está pronta para amanhã? Mal posso esperar para sair daqui no fim de semana, Seattle tem lojas fantásticas e eu sei que enquanto o Soobin e o Sanha têm os seus encontros, nós podemos arrumar alguma coisa para fazer. Você uhm.. tem falado com a Lisa?" ela pergunta.

"Não, tirei as minhas coisas de casa ontem." digo e ela carranca.

"Lamento garota. Vai ficar mais fácil com o tempo." ela diz e espero que ela esteja certa.

O meu dia passa mais rápido do que esperava e acabo o manuscrito desta semana mais cedo. Estou entusiasmada por ir para Seattle e espero que consiga esquecer a Lisa, mesmo que seja por um curto período de tempo. Segunda-feira é o meu aniversário e não estou preocupada. Se as coisas não tivessem ido para baixo tão rápido, estaria a caminho da Inglaterra com a Lisa na terça. Não quero mesmo passar o Natal com a minha mãe também, esperançosamente vou estar de volta aos dormitórios nessa altura, por isso posso talvez pensar em uma razão boa o suficiente para não aparecer na casa da minha mãe. Eu sei que é o Natal e é terrível vindo de mim, mas não estou exatamente no humor de festas. Esperançosamente depois deste fim de semana vou estar. A minha mãe me manda uma mensagem durante o dia dizendo que não lhe responderam dos dormitórios. Boa. Ao menos tenho apenas mais uma noite até à viagem para Seattle. Ser mendiga não é divertido.

Quando estou me preparando para ir embora, me lembro que não vim no meu carro. Espero que o Sanha não tenha saído ainda. Podia ir a pé para o hotel se ele tiver ido, mas está um frio horrível lá fora.

"Te vejo amanhã, vamos nos encontrar aqui e o motorista do Soobin vai nos levar a Seattle." a Moonbyul me diz.

O Soobin tem um motorista? Claro que tem, tenho certeza que ele é milionário. Se não é, está muito perto. A editora Vance está muito bem sucedida e continua crescendo e crescendo. Quando saiu do elevador, o Sanha está sentado em um dos sofás pretos na entrada, o contraste do sofá preto, o terno preto dele e os olhos azuis dele, é muito apelativo.

"Não tinha certeza se precisava de carona ou não, e não queria te interromper no seu escritório." ele me diz.

"Obrigada, gostei disso. Vou ligar para alguém por causa do meu carro quando chegar ao hotel." está um pouco mais quente que esta amanhã, mas ainda está um gelo no exterior.

"Posso esperar contigo se quiser, a minha canalização está pronta, por isso não vou ficar novamente no hotel, mas espero contigo se você.." ele para de falar e de repente os olhos dele se arregalam.

"O que foi?" pergunto e sigo os olhos dele para ver a Lisa no carro dela no estacionamento e olhando com raiva para o Sanha e eu.

O ar foi tirado de mim mais uma vez. Como é que continua a ficar pior?

Tanto quanto dói vê-la aqui, estou passada. Porque é que ela está aqui?

"Lisa, o que você faz aqui?" pergunto quando ela começa a andar até nós.

"Bem, você não atende as minhas chamadas por isso não tive muita escolha, tive?" ela grita.

"Não atendi por uma razão, não pode apenas aparecer no meu trabalho!" grito de volta. O Sanha parece desconfortável e intimidado pela presença da Lisa, mas ele fica perto de mim.

"Está pronta?" o Sanha me pergunta.

"Pronta para quê?" os olhos da Lisa estão selvagens.

"Ele vai me levar de volta para o hotel, o meu carro não ligava."

"Hotel!" ele praticamente berra.

"Oh meu deus, não dessa forma. Ficamos no mesmo hotel a noite passada." digo e percebo que não parece nada melhor. Antes que o possa parar, a Lisa tem as suas mãos no Sanha, agarrando o colarinho do terno dele quando o empurra contra o carrinho vermelho.

"Lalisa! Para! Deixa ele ir! Não estávamos no mesmo quarto!" explico. Porque estou me explicando para ela, isso está além de mim, mas não quero que ela machuque o Sanha.

A Lisa deixa a roupa do Sanha mas ainda está na cara dele.

"Se afasta dele, por favor." agarro o ombro da Lisa e ela relaxa levemente.

"Fica longe dela." ela cospe. A cara dela a pouca distância da do Sanha

O Sanha está pálido e mais uma vez, trouxe mais uma pessoa para esta confusão.

"Lamento muito." digo ao Sanha.

"Está tudo bem, ainda precisa de carona?" ele pergunta.

"Não, ela não precisa." A Lisa responde por mim.

Peso as minhas opções e sei que se entrar no carro do Sanha, a Lisa vai provavelmente arrastar um de nós para fora, provavelmente eu.

"Estou bem, obrigada mesmo." suspiro e ando com raiva para o carro da Lisa


Notas Finais


Gente foi mal o spirit bugo justo hoje e não está notificando, eu percebi e vocês mesmo comentaram! cancelei a maratona! Fica pra próxima..

isso me desanimou muito, não sei quando volto..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...