História After All - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Demi Lovato, Joe Jonas, Kevin Jonas, Nick Jonas
Tags Demi, Demi Lovato, Jonas, Lovato, Nemi, Nick, Nick Jonas
Visualizações 44
Palavras 1.369
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura <3

Capítulo 10 - Capítulo 09


Ponto de vista: Demetria Lovato

Apenas peguei as chaves do carro da Marissa e fui em direção ao mesmo, eu realmente deveria usar o meu, mas como trabalhamos no mesmo lugar decidimos por ir no dela, o único problema é que em momentos como os que aconteceram, alguém fica sem carro e bem esse alguém fui eu, mas felizmente existem táxis.

Segui até o apartamento que morávamos eu, Marissa e Scar, fui com o intuito de tomar um belo banho, comer algo e talvez tirar um cochilo, mas não foi exatamente o que aconteceu, pois quando cheguei apenas me contentei em me banhar e tentar comer algo, sim, apenas tentar, pois eu não parecia sentir fome, eu sentia sono mas não conseguia dormir.

Minha cabeça estava a mil, Scarlett doente, Nicholas que caiu de paraquedas em minha vida e parece que não vai sair dela com tanta facilidade, é tudo tão complicado.

Não é como se isso fosse algo simples, estamos falando de Nicholas Jerry Jonas, o pai da minha filha, pai esse que eu preferia que fosse outro, mas vejam, o destino e minnha inconsequência parecem me perseguir, primeiro eu ferro com tudo indo àh uma festa e bebendo mais do que um adolescente inconsequente, olha que ironico, mesmo com vinte anos eu fui inconsequente, mas calma, não satisfeita em ter ido para cama com um cara que nunca vi em minha vida, eu ainda consegui me ferrar mais, quando um gravidez totalmente indesejada aconteceu (não que eu não ame ou esteja reclamando da minha filha, pelo contrário, agora ela e tudo para mim) continuando, então aquilo que eu considerava meus pais, me expulsaram de casa porquê a filha deles havia feito sexo antes do casamento e esperava um filho sem pai (considerando que Nicholas simplesmente não acreditou em mim, e me tratou como se fosse a maior golpista de Seattle), prosseguindo, isso é patético, estamos em pleno século XXI, não é como se fazer sexo fosse algo horrendo, mas para aqueles que ja chamei de pais, era, a reputação e a certeza que não fosse olhar para eles na igreja e falar algo como "olha eles vem todo domingo a igreja, mas tem uma filha que é mãe solteira" devia ser mais importante do que a própria filha. Mas minha tia, Marissa e seus pais me ajudaram muito, então não tenho do que reclamar. Mas bem, agora, depois que tudo passou e eu consegui chegar até aqui ele aparece, e parece que desde que nos reencontramos o seu hobby é me irritar, e tudo o que desejo e nunca mais revelo em minha frente.

Decidi por parar de pensar no passado e no meu possível futuro, para arrumar mais algumas coisas para levar para Scar até o hospital, pois da mesma forma que ela logo pode receber alta, ela pode ficar mais tempo no hospital, e como de qualquer forma eu não conseguiria descansar ao menos um pouco, retornaria ao hospital, talvez Scarlett tivesse acordado e precisasse de mim, da mesma forma que preciso dela.

E novamente eu me via indo em direção ao hospital, perdi tanto tempo pensando no passado, que as horas passaram como segundos, eu realmente deveria parar de pensar sobre isso, mas não é como se fosse algo simples, isso é o meu passado, passado esse que afeta o meu presente e futuro, mesmo que não diretamente.


                            °*°*°*°*°

após deixar o carro no estacionamento, fui em direção ai hall de entrada do hospital, diferente da outra vez eu não perderia tempo com a recepcionista ineficiente, por algum motivo eu ja nutria raiva dela, então seria melhor eu evitar de agredir alguém em seu lugar de trabalho, mesmo que ela o exerça horrivelmente mal.

Ao chegar á porta do quarto pude ouvir o choro de Scarlett, e aquilo me apavorou, ao entrar no mesmo, minha filha estava agarrada ao pescoço de Marissa enquanto chorava e a loira tentava acalmá-la, e Denise falava, como se tentasse convencer a criança de algo. 

-Filha -- falei chamando a atenção das três e indo até minha amiga, e quase por impulso Scar se jogou em meus braços, colocando a cabeça em meu pescoço soluçando. Eu podia ouvir ela sussurrar algo como "medo mamãe, vai doer, não deixa mamãe" 

-Calma meu bem, eu estou aqui, do que você tem medo? -- perguntei em um tom calmo enquanto afagava suas costas. 

-Scar tem medo da agula -- ela falou fraquinho eu entendi que ela esta com medo da agulha, mas não entendo como chegamos no assunto "agulha", olhei para Denise e Rissa como se tivesse um ponto de interrogação em minha testa. E Denise se pronunciou. 

-Bem, Demi, como ja havia dito antes eu consegui um doador para nos doar o sangue, mas quando fui dar início ao procedimento da transfusão eu olhei para ela e falei, que seria apenas uma picadinha -- ela parou puxando o ar, logo prosseguindo -- mas quando ela viu a agulha ela simplesmente se desesperou começando a chorar e chamar por você, e foi para o colo da Marissa, então você chegou. 

Bom não é como se eu pudesse culpar minha filha por isso, ela é apenas uma criança, criança esta que não é a maior fã de agulhas, bem eu também não sou, não que precisem saber.

-Filha, não vai doer, você não é uma princesa? -- questionei e ela afirmou com a cabeça ainda em meu pescoço -- então, princesas são fortes e não tem medo -- então ela levantou a cabeça me olhando, ela mantinha um pequeno biquinho nos lábios.

-Scar não é tomo as outas pincesas mama, Scar sente doi e medo -- segurei o riso ao ouvir o que o pequeno ser falou, ao contrário de mim Marissa virou para parede rindo, e eu podia ver que Denise se segurava para não fazer o mesmo, ok, minha filha de apenas dois anos e seis meses simplesmente não cai mais em minhas desculpas. 

-Ok, filha, mas é necessário, ou você quer continuar doente e aqui nesse hospital, pois se não deixar Denise usar a agulha, é o que vai acontecer. 

-ta mamãe -- ela aceitou derrotada, ela estava fraquinha e ficou mais ainda quando começou a chorar e entrar no debate da agulha

-Bem, então vamos começar, pois alguém precisa desse sangue -- Denise se pronunciou -- só vou ajeitar tudo novamente. 

Enquanto Denise arrumava tudo novamente (ja que na primeira tentativa alguém entrou em desespero). Marissa antes de se despedir e ir embora me falou que minha tia passou ver Scarlett e que só não ficou mais, por conta do horário de visitas ser curto, também falou que o Sr.Callahan havia dito que eu não precisaria me preocupar em ir trabalhar até que Scarlett recebesse alta, e que tentariam vir vela, então eu me pergunto o motivo de ter ficado tão nervosa para a entrevista de emprego, não é como se eu tivesse que ser escolhida entre dez, eu simplesmente era a única e ainda sou amiga da família, mas também reconheço que consegui o emprego pois sou eficiente, até porquê ser amiga dos donos não é tão relevante, ou talvez seja.

Quando foi dado início a todo o procedimento, Scarlett chorou, na realidade ela apenas chorou no momento eu que a agulha lhe furou, mas após isso ela ficou calma, tão calma que dormiu novamente, e se me perguntarem quem ela puxou por ser tão preguiçosa e dormir tanto, não esperem resposta, pois não foi àh mim, longe disso, nunca que eu dormi até depois do meio dia em toda minha vida, ta, talvez mas só talvez eu esteja mentido. 


               °*°*°*°*°


Ja havia se passado algumas horas e Scarlett continuava dormindo, e eu apenas observava o céu estrelado pela janela do quarto, a alguns minutos Denise retornou aqui, e me avisou que até então tudo havia ocorrido bem, e que Scar teria que fica dois dias em observação para terem certeza de o corpo não reagiria mal ao sangue, e por algum motivo eu me perguntava quem foi que o doou, eu estava tão nervosa que nem se quer me lembrei de questionar quem fora o doador, e agora eu queria poder saber quem foi para que pudesse agradecer, minha filha está melhor graças a isso.




Notas Finais


Ta ai mais um capítulo, por hoje é só amanhã eu posto mais.

No mais é isso.

Até mores <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...