1. Spirit Fanfics >
  2. After The Interview >
  3. Cooking time

História After The Interview - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


oioi pessoas, voltei com mais um capítulo e se vocês acham que fui clichê antes, não sabem o que realmente chegou aqui kkkkk

estou adorando escrever esses dois e a construção que vem sendo feita, algumas coisas parecem absurdas e óbvias, mas se você está aqui e com a idade certa para estar nesse site, certamente já passou pela fase em que assistíamos comédias românticas na sessão da tarde (ao menos espero que sim) então respeita meu clichê kkkkk

Capítulo 4 - Cooking time


A cozinha era diferente do que Henry Cavill esperava. Ele imaginou o clichê do que normalmente viam em cozinhas industriais, mas parecia aconchegante e familiar apesar da quantidade de pessoas correndo de um lado para o outro. Toda a decoração fazia parecer uma cozinha de casa se avó profissional. Os tons de verde se misturavam com superfícies de madeira e de aço inox.

Teve os pensamentos cortados pelo comentário em tom divertido de uma mulher que estava parada ao lado de Logan o encarando.

— E o que traz um homem tão bonito a minha cozinha?

— Ele veio pelo nosso macarrão alla amatriciana. É o preferido dele. — Logan respondeu antes que ele pudesse falar, então apenas sorriu em concordância.

— Então é esse o ator bonitão que liga sempre pedindo o mesmo prato? Minha entregadora só falta desmaiar quando volta. — Ela revelou. — Rachel Lerman. — Estendeu a mão para ele, que se curvou para segurar e beijar a mão dela enquanto dizia seu nome. — Esse é bem educado.

Logan revirou os olhos para os dois.

— Para de jogar seu charminho na minha mãe, Henry.

— Se você quiser cozinhar, filho, pega o que precisa e leva para a cozinha particular, ninguém vai usar hoje. — Rachel indicou com um gesto para uma porta de madeira às suas costas.

— Hm, você quer adiantar nossa aula de culinária para hoje? — Logan voltou q atenção para Henry que assentiu um pouco empolgado demais arrancando risadas dos outros dois. — Ótimo, vem me ajudar a pegar as coisas e vamos. Obrigado mãe.

— De nada, se cuidem! — Ela gritou chamando a atenção de todos para eles e Logan queria enfiar a cara na primeira panela que encontrasse de tanta vergonha.

— Vem, vamos logo. — Logan naturalmente o puxou pela mão e instintivamente Henry entrelaçou seus dedos.

Enquanto juntavam os ingredientes que precisariam podiam ouvir alguns cochichos e sentir olhares, mas como se tivessem uma ligação mental ambos apenas ignoraram.

A cozinha particular, na verdade, era um espaço grande que era usado para testar receitas ou criar novos pratos. Era como o laboratório gastrônomo da trattoria. Haviam uma grande ilha, pia, fogão, bancos em um dos lados da ilha e uma mesa mais ao canto, perto de um jardim, como um toque verde para quebrar o tom monocromático de preto e branco do cômodo.

— Coloca em cima da ilha e vamos colocar os aventais, eles estão aqui em algum canto. — Logan apontou para o imenso mármore negro no meio da cozinha enquanto abria as gavetas para procurar os aventais.

— Você era muito novinho e muito fofo, caramba, como era lindinho. — Ouviu a voz de Henry soltar essas palavras e se virou de imediato, o mais velho olhava algo no celular, até que o virou para ele e mostrou as diversas imagens no Google do filme em que havia atuado.

— Henry! Esquece esse filme. — Resmungou pegando os aventais, finalmente, amarrando o seu na cintura e entregando o outro para Cavill.

— Porque tem vergonha que eu veja esse filme? Pelo que Freya falou é um filme ótimo. — Questionou também colocando o avental e se aproximando ainda mais do outro que distribuía os ingredientes pela mesa.

— É que… — Tentou criar uma mentira qualquer, mas olhando naqueles olhos azuis que pareciam atravessá-lo com o olhar não conseguiu, acabou dizendo a verdade e que parecesse idiota mesmo. — Você já atuou em diversos filmes e séries e tem todo esse histórico. Eu acabei não voltando ao cinema depois do filme, foi uma escolha própria, então fico receoso do que você vai achar. — Deu de ombros enquanto sentia Henry se aproximar cada vez mais. Então sorriu como que para disfarçar o nervosismo. — Acabamos de nos conhecer, estamos aqui e não queria que me achasse um idiota.

Cavill o puxou para um abraço. Dessa vez, estavam sozinhos e não com uma equipe inteira em volta, ele prendeu Logan em seus braços por mais tempo e o mesmo enterrou o rosto em seu peito. Henry apoiou seu queixo no alto da cabeça do outro enquanto acariciava os cabelos.

— Sei que faz pouco tempo, horas apenas, que nos conhecemos, mas eu já vi muito em você que me fez querer estar aqui com você. Estou me arriscando, só que acredito em você, quero acreditar. Não vou te achar idiota por causa de um filme, Logan.

— Obrigado.

— Não tem pelo que me agradecer… — disse afastando o garoto um pouco de si para ver o rosto levemente ruborizado, então riu acasalado — ainda. – Completou.

— Posso te beijar? — Logan criou coragem. Apesar das conversas e das brincadeiras, estava óbvia a atração entre os dois, então porque não se deixar levar pelo momento descontraído e bom que eles mesmos criaram?

— Só se você considerar isso um encontro. — Barganhou ainda com as mãos na cintura de Logan que revirou os olhos, desviando-os momentaneamente do homem a si frente, mas logo voltando.

— Ok, podemos considerar um encontro.

Então, Logan passou uma mão no pescoço de Henry e o puxou para si enquanto a outra permanecia no peito dele enquanto sentia as mãos alheias ainda segurando sua cintura. As bocas se encontraram calmamente, não havia pressa, primeiro apenas um selar de lábios, depois algo mais profundo, deixou Henry levar o beijo e se entregou.

Muitas coisas passavam ao mesmo tempo pela cabeça de Logan, mas ele empurrou todas elas para qualquer lugar que não precisasse usar. Queria aproveitar o momento, aproveitar a boca contra sua, o calor do corpo e as mãos que o seguravam tão bem.

Quando se separaram, Logan sorriu abobado ao ver o sorriso nos lábios vermelhos que estavam juntos dos seus até poucos segundos atrás.

Mas todo o clima entre eles foi quebrado quando o celular de Logan, abandonado sobre o mármore, começou a vibrar muito com avisos de notificação a ponte de chamar atenção deles.

Logan saiu dos braços de Henry à contragosto, mas podia ser algo importante. Destravou o celular e viu inúmeras notificações do Instagram desde menções até seguidores e directs. Sendo uma figura pública, ele tinha certo costume com relação a isso, mas no nível que estava acontecendo é como se algo muito bom ou muito ruim estivesse acontecendo.

— O que diabos…

— O que está acontecendo, Logan? — Henry se aproximou por trás e Lerman não se importou dele olhar o celular por cima de seu ombro.

— Eu ganhei mais de dez mil seguidores nas últimas horas. — Apontou para o número de seguidores que agora estava bem maior. — E esse é o motivo. — Mostrou para Henry a foto que os outros três do elenco haviam postado e o marcado.

— Droga. — Henry resmungou, as mãos voltaram para a cintura de Logan como se fosse o lugar onde deveriam estar e permaneceu com o rosto acima do ombro dele. — Isso é um problema para você?

— Não, só fiquei surpreso por não esperar. — Respondeu, então, devolveu: — E você, problema com isso?

— Um pouco. — Foi sincero, mas logo tratou de completar. — Queria ter sido o primeiro a postar. — Disse abafado porque colocou a boca contra o ombro de Logan e beijou o lugar.

— Realmente não importo que poste. — Apontou. — Só de ter a foto e poder guardá-la já é muita coisa. — Virou-se nas mãos de Henry e os dois se entregaram a um novo momento de beijos.

Pouco depois, quando Logan tinha os lábios cansados, mas esticados em um sorriso singelo eles começaram a cozinhar o tão falado prato favorito.

Henry constatou que Logan sabia o que estava fazendo, não que duvidasse, mas não esperava muito disso vindo de alguém que tem um restaurante à disposição. Ele ajudou cortando alguns tomates e abrindo o vinho branco que era usado na receita e não vai negar que roubou uma taça ou duas, oferecendo a Logan para não beber sozinho.

— Você é lindo. — Henry sussurrou enquanto Logan levava a panela com macarrão ao fogo.

— Acho que vou desmaiar. — O youtuber exagerou em uma encenação forçada que arrancou uma risada do outro. — Henry Cavill me acha lindo.

— Não seja idiota, eu realmente acho. É bem simples, na verdade.

— Sei que você deve ouvir bastante isso, mas eu também te acho lindo. — Logan voltou sua atenção para o maior, seu dedo indicador deslizando pelo maxilar alheio. — Do seu maxilar marcado claramente britânico. Gosto do seu sorriso e do seu sotaque. De como você beija e do que pensa sobre o mundo…

— Logan?

— Hm.

— Agora que nos beijamos não quero parar. — Confessou, sendo sincero.

— Não quero que pare. — Respondeu, simples.

Cavill estava se acostumando a gostar daquela confiança de Logan. Tinha total consciência de que durante os anos o mais jovem tinha sido alguém famoso também ou o mais próximo disso que pudesse haver, fosse pelo filme ou pelo canal no YouTube. Mas ainda assim era difícil se manter uma confiança naquele meio, por isso mesmo que notasse alguns pontos em que Logan titubeasse na confiança, nessas poucas horas juntos demonstrou mais confiança que qualquer outra coisa.

— Até quando vão suas férias? — Quis saber enquanto se encostava na ilha e, de frente para si, tinha Logan encostado contra a pia, ambos se encarando.

— Até metade de dezembro. — Respondeu.

— Você já tem planos para todos esses dias?

— Não para todos e a maioria deles era ficar mofando no meu quarto decidindo o que fazer. — Dei de ombros.

— E se eu quisesse te levar em alguns lugares?

— Meu pai sempre disse que eu não deveria aceitar convites de estranhos, não sei bem, vai que você quer tirar meu fígado e vender ilegalmente?

— Você já beijou o “estranho”, abraçou e pediu foto. Se seu pai souber ele não vai ficar nem um pouco orgulhoso.

— Eu falei que meu pai disse que não deveria, não que eu diria não para qualquer proposta que me fizesse. — Provocou, sentindo-se mais confortável a cada minuto, então levando uma mão até a camiseta de Donnie Darko de Henry e segurando, puxando-o para si e logo estavam com seus corpos unidos novamente.

— Não deixa meu macarrão queimar. — Mudou totalmente de assunto quando suas bocas estavam próximas demais, rindo quando viu Logan bufar irritado e afastá-lo para checar a panela no fogo resmungando algo como “britânico idiota”.

Depois disso não demorou para que o prato ficasse pronto, o cheiro estava inebriando Henry quase tanto quanto o vinho que eles prontamente usaram como acompanhamento quando levaram tudo pronto à mesa.

Comeram ali mesmo, sentados à mesa, um de frente para o outro. Primeiro Henry era só elogios aos dotes culinários de Lerman que teve seu ego muito bem amaciado, então falaram mais sobre suas famílias, convivências, saudade e planos. Foi nesse momento que algo apertou e suavizou. Logan não morava em Londres, estava em outro continente, mas pensava seriamente em voltar o quanto antes para Londres. Isso o aliviava porque definitivamente queria ver o mais jovem outras vezes. Sim, no plural. E estarem na mesma cidade ajudaria bastante nesse processo.

— Seria muito clichê se a gente comesse o macarrão e do nada nos beijássemos? — Cavill questionou enquanto assistia o outro beber calmamente o vinho.

— Se você tirou de uma animação da Disney dos anos cinquenta, com toda certeza é clichê.

— Ah, qual é, o filme é muito bom. Clichê também é bom.

— Eu estou vendo o lado romântico e clichê de Henry Cavill?

— Eu tenho vários lados. — Piscou para o outro que devolveu com um gesto irônico.

— Eu achei que todos os seus outros lados eram nerds pc gamers, mas temos aqui um que é princesa da Disney! — Riu divertido com a expressão no rosto de Cavill.

— Claro que tenho, todo mundo tem um lado princesa. A minha preferida é a Moana.

— Porque algo me diz que você não conheceria isso se alguém não tivesse te obrigado a assistir?

— Ok, você ganhou, minha sobrinha me obrigou.

— Ow, deve ser fofo você assistindo desenho com sua sobrinha.

— Claro que é, fofura é de família. 

Cavill pegou a mão de Logan sobre a mesa e a acariciou com o polegar, depois olhou para o rosto dele e viu um sorriso simples e ele gostou muito de ver aquilo.

 

Henry não conheceu nenhum outro membro da família Lerman naquele dia, mas sorriu ao ver Rachel vindo em direção aos dois assim que saíram da cozinha em que ficaram por quase três horas.

— Isso é para você, são os preferidos do Loggie. — Entregou uma bolsa preta com o que parecia ser um depósito lacrado. Quando ele fez menção de abrir, ela o repreendeu. — Não na frente dele — apontou para o próprio filho. — São os doces preferidos dele, então abra em casa ou ele vai comer.”

— Mãe! — Logan chamou atenção.

— Só estou ajudando! — Ela piscou para Henry que sorriu. — Ele gosta de doces misturado com maracujá porque fica azedinho igual ele é e também de música antiga, tipo The Smiths.

— Bom saber. — Cavill sorriu ainda mais ao ver o constrangimento estampado no rosto do outro.

— Vamos embora daqui antes que ela saque minhas fotos da escola. 

— Eu não sou tão ruim assim. — Ela riu do ataque do filho. — Você vai direto pra casa?

— Sim, vou pegar um Uber aqui na frente.

— Tchau, querido. Tchau, Henry. Depois quero saber o que achou dos doces.

— Pode deixar.

Eles saíram pela mesma porta que entraram, caminhando de mãos dadas até o carro de Henry onde pararam frente a frente.

— Posso te levar em casa, se quiser. — Henry ofereceu.

— Não precisa, peço um Uber, você deve estar cansado, o dia foi bem cheio.

— Sim. — Confirmou, puxando Logan para um abraço ali mesmo no estacionamento.

— É estranho estar assim tendo nos conhecido hoje? — Logan perguntou abafado por estar com o rosto ainda contra o peito de Henry.

— Para ser sincero, sim, mas não me importo. Algumas coisas são pra ser como são. — Beijou o alto da cabeça do outro e sorriu sentindo o cheiro bom.

— Espero te ver de novo.

— Achei que tinha deixado isso claro. — Riu.

Trocaram os números pessoais e Logan o beijou contra o carro, deixando um sorriso largo estampado no rosto de Henry que saiu com o carro depois deixando para trás o rapaz que havia mexido completamente com ele.

 

Eram quase dez horas da noite quando Henry terminou seu banho e se jogou na cama do mesmo jeito que saiu do banheiro. Satisfeito por finalmente poder andar sem roupa em sua casa. Depois de sair da trattoria acabou indo para casa e tido uma pequena reunião via Skype com Michelle sobre alguns eventos que precisaria participar.

Agora estava deitado na cama rolando pela timeline do Instagram. Ele não era a pessoa mais ativa nas redes sociais, mas fazia publicações aleatoriamente, não era algo que Michelle ou seus contratos exigissem, por isso se sentia livre e sem pressão para fazer o que queria. Por isso, fez algumas coisas que o levariam a precisar de um novo banho uma hora mais tarde. Primeiro ele abriu a foto postada por Freya com Logan, clicou no usar marcado e caiu no perfil de Logan Lerman. Seguiu. Em seguida, voltou ao seu perfil e subiu um vídeo de dez segundos nos stories onde Logan despejava o molho pronto no macarrão sem perceber que estava sendo filmado. “Cozinheiro particular. @loganlerman xx”, escreveu no alto do vídeo e postou. Não satisfeito, fez o que queria fazer desde mais cedo: postou a foto que tiraram juntos durante o photoshoot. Logan estava sorridente, os olhos azuis brilhando e o cabelo grande com aquele desarrumado bonito. Não conseguiu evitar sorrir para a imagem. Postou, marcou Logan e adicionou na legenda: “com um fã... de the smiths x)”.

Voltou ao perfil de Logan e desceu por suas fotos encontrando algumas fotos aleatórias e curtindo sem receio para deixar ainda mais evidente que estava vendo o perfil. Uma mensagem chegou no Direct. Ele clicou, entre várias que chegavam ele caçou uma em especifico. Sorriu satisfeito, era Logan.

“Tenho um stalker?”, dizia a mensagem. “como não vi você gravando esse vídeo?” acrescentou.

“Achei que seus fãs curtiam suas fotos, sou só um deles. Vou me inscrever no seu canal e ver alguns vídeos.” Apontou sabendo que isso deixaria o outro envergonhado. “E sobre o vídeo, você estava distraído falando sobre como me achava gostoso.”

“Eu poderia dizer para você não ver meus vídeos, mas estou com sono demais pra isso.” A resposta veio alguns segundos depois. “E não lembro de te chamar de gostoso, mas de dizer que o molho era gostoso.”

“Mas você me acha gostoso?”

“Sim.” Respondeu. “Até mais do que minha sanidade considera aceitável.”

Henry riu.

“Também te achei gostoso. E lindo e sexy naquela calça jeans que estava usando.”

“Acho que essa não é uma conversa que eu deveria ter enquanto estou indo dormir.”

“Posso te ligar amanhã?”

“A hora que quiser, estou de férias.”

“Então até amanhã, obrigado pelo ótimo dia. Adorei te conhecer.”

“Também amei te conhecer e descobrir que você era uma pessoa melhor do que eu esperava. Até amanhã, beijos.”

Encerraram a conversa, mas Henry não estava com sono, voltou a passar pelas fotos até que uma chamou atenção. Era Logan encostado na entrada de uma porta de madeira velha olhando para um ponto especifico, vestia uma camiseta branca surrada e um jeans aberto que deixava a parte de cima da cueca à mostra. Na própria foto havia uma legenda: jan, 2019 — LOGAN LERMAN x INTERVIEW MAGAZINE: o garoto cresceu. Se aquele era um photoshoot então haviam outras fotos. Saiu do Instagram e entrou no Safari e buscou por Logan Leram + o nome da revista + photoshoot. Várias fotos surgiram e uma delas chamou ainda mais sua atenção. Na maioria delas, Logan estava acompanhado por uma modelo que descobriu ser uma das melhores amigas de Logan, mas não foi nenhuma dessas. É uma em que Logan estava sozinho.

Ele estava deitado em uma cama branca completamente desarrumada, como se fosse uma cama em um celeiro. Cada detalhe de Logan Lerman naquela foto parecia saltar aos seus olhos. Desde o mínimo detalhe das unhas pintadas de preto até o fato dele estar deitado de bruços usando apenas uma cueca boxer da mesma cor branca dos lençóis e do travesseiro que ele agarrava como se estivesse em um sono profundo. Tinha as costas à mostra assim como as coxas fartas e o contorno da bunda também que henry tanto imaginou como seriam.

Sentiu o despertar do desejo em si, não podia se negar a isso, ele realmente sentia vontade por aquele menino, observando a foto só seu deu conta diretamente do que estava fazendo quando sentiu seu pau duro pulsar contra seus dedos, àquela altura não se repreenderia, então continuou, subindo e descendo a mão pelo comprimento enquanto até os dedos de seus pés se retorciam. Lembrar do rosto de Logan se retorcendo de algo angelical para algo mais sexy, tocou-se, mais e mais, a ponto de fechar os olhos e abandonar o celular. Lembrando dos beijos que trocaram, dos pequenos toques que tiveram, que quando gozou Henry melou seu peito e abdômen, deixando a respiração desregular e um pouco de suor espalhado pelo corpo até seus cabelos.

— Você vai me enlouquecer, Logan... — Sussurrou para o nada enquanto fitava o teto do quarto e criava coragem para levantar e tomar outro banho.


Notas Finais


Espero que tenham curtido e até mais, estou planejando algumas novidades e espero que elas deem certo e que gostem! Vai ter bastante coisa, apesar de ter que focar um pouco no meu livro, estou arranjando sempre um tempinho para estar por aqui.

Até o próximo capítulo,

xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...