1. Spirit Fanfics >
  2. After you arrived >
  3. 13

História After you arrived - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Finalmente de férias da faculdade!!

Me perdoem novamente pelo sumiço, estou de volta e com um cap bem apimentado. Hehehe

Essa é a roupa que a Yerin vai usar no show de talentos 🥺

~boa leitura~

Capítulo 13 - 13


Fanfic / Fanfiction After you arrived - Capítulo 13 - 13

Taehyung sentiu todos os músculos de seu corpo tremerem e o suor deslizar quente sobre a pele arrepiada e sensível, um calor feroz e intenso parecia correr por suas veias enquanto sua respiração se tornava cada vez mais densa, aspirando o cheiro delicioso de chocolate com café que estava tão forte, a ponto de deixá-lo louco, completamente sedento e desesperado por mais, por mais daquele sentimento exuberante de desejo misturado com luxúria, mais daqueles arrepios que o percorriam a cada toque ousado que Jungkook lhe dava, e mais ainda daquela excitação que jamais havia sentido em toda sua vida, nem mesmo quando estava no cio.

Estava tentando ao máximo manter o próprio peso sobre os antebraços no balcão frio, enquanto suas pernas, que já não o obedeciam mais, permaneciam moles e frágeis, evidenciando o quanto Jungkook conseguira deixá-lo louco com tão pouco e por mais excitado que estivesse, não conseguiu evitar imaginar até onde o moreno seria capaz de levá-lo, poderia ele arrancar-lhe os resquícios de sanidade guardados em si e preenchê-lo de um prazer entorpecente, tão viciante a ponto de ser impossível resistir?

Ele não sabia a resposta, mas no momento em que Jungkook fixou as orbes negras em si e colocou a língua para fora, lambendo toda a extensão de seu membro rígido de baixo para cima como se estivesse em câmera lenta, circulando devagar a cabecinha sensível, deixando-a coberta com sua saliva quente enquanto milhões de sensações de prazer o inundavam, Taehyung quis descobrir. Quis ser completamente preenchido pelos sentimentos de prazer que só Jungkook conseguiria oferecê-lo.

Sentiu as mãos atrevidas do maior deslizarem por suas coxas, deixando um rastro quente por cima do tecido grosso enquanto as apertava com força, fazendo todo o corpo de Taehyung acender e queimar em pura excitação, num misto gostoso de ansiedade e necessidade que faziam seu coração saltar desesperado no peito. Gemeu manhoso quando os dedos de Jungkook dançaram sobre a barra de sua calça, puxando-a para a baixo até os joelhos num movimento rápido e sem aviso, deixando à mostra a pele dourada das coxas fartas do menor que ansiava loucamente por mais toques, apertos e carícias.

- Ahhn...- Ele aperta os olhos com força, entreabrindo os lábios surpreso quando Jungkook transfere um tapa estralado em sua coxa direita, apertando-a entre os dedos enquanto o olhava fixamente, desafiando-o com um sorriso irônico no canto dos lábios.

- Se eu fosse você, ficaria bem quietinho.

Jungkook se abaixa sem desviar os olhos, fazendo com que Taehyung o acompanhasse completamente hipnotizado até que sua boca estivesse no local onde ele deu o tapa e seu membro pulsa necessitado quando ele beija toda a região, raspando a língua em movimentos circulares sobre a pele nua que parecia queimar a cada toque, deixando-o completamente sem ar quando o maior crava os dentes ali, puxando a carne para si enquanto ainda o olhava intensamente, os olhos tão negros quanto uma noite brilhante e loucamente excitante, pronta para devorá-lo completamente.

- Eu quero me livrar disso aqui. – Jungkook desliza o nariz por cima de sua cueca box, fazendo o menor gemer e arfar baixinho enquanto ele contornava a parte de seu membro que ainda não estava para fora do tecido fino. – Está atrapalhando...- Taehyung quis dizer para ele arrancar tudo e fazer o que quiser, mas a única coisa que conseguiu fazer foi gemer completamente entregue enquanto mordia com força o lábio inferior, descontando ali toda sua frustração. Ele não queria parecer tão afetado, mas a verdade era que ninguém nunca havia lhe dado prazer de verdade, então, eram sensações novas e desconhecidas, sentimentos intensos demais para conseguir facilmente controlar. - Posso? - Jungkook puxa o tecido entre os dentes e Taehyung balança a cabeça em confirmação com um pouco de dificuldade, mas não demorou muito para que aquela pequena peça de roupa também fosse arrastada até seus joelhos com pressa.

- Você é tão lindo Taehy...- As pernas de Taehyung pareciam se abrir ainda mais conforme Jungkook deslizava a ponta do nariz e as mãos pelo interior de suas coxas, subindo até a virilha, onde ele distribuiu mais beijos, fazendo o pré-gozo escorrer quente por seu pau enquanto o maior lhe provocava, lambendo toda a região ao redor e algumas vezes, mordendo a carne macia enquanto dizia como Taehyung era lindo, e o quanto ele o queria.

- J-Jungkook-ah… Não faz isso comigo, por favor... - Fez menção de tocar os cabelos do moreno para guiá-lo até onde mais queria ser tocado, mas antes que seus dedos o alcançassem, Jungkook segurou seu pulso com força, firmando-o novamente no balcão.

- Você me pediu para te tocar... - A voz dele era firme e seus olhos estavam tão intensos que Taehyung sentiu como se estivesse sendo despido por eles. - Mas, eu não disse que você poderia ME tocar. - Jungkook sorri ladino, a língua serpenteando entre os dentes e lábios, molhando-os de uma maneira tão sexy que Taehyung jamais tinha visto antes. - Mas, que tal fazermos uma aposta? Deixaria nossa brincadeira bem mais interessante não acha? - Outro arrepio percorre todo o corpo de Taehyung, subindo por sua espinha e atingindo os pelos de sua nuca só por ouvi-lo falar dessa forma, pois ele sabia que Jungkook iria surpreendê-lo e estava eufórico pelo o que viria a seguir. - Eu aposto que você não consegue ficar sem me tocar, e se você conseguir, deixarei que me peça o que quiser... - Ele sorri mais uma vez e Taehyung quase cedeu os braços quando as mãos dele agarraram seu pau de repente, fazendo movimentos de vai e vem devagar, torturando- o aos poucos enquanto observava atento suas reações de prazer. - Mas se não conseguir… Vai ter que fazer o que EU quiser.

- E-Eu - Taehyung tomba a cabeça para trás num movimento completamente enlouquecido quando seu pau é preenchido de uma vez pelo interior da boca de Jungkook, ele não havia dado tempo para que o menor pensasse em uma resposta, porque na verdade, não havia outra opção. Ele iria fazê-lo delirar, fazer seu corpo suar e tremer completamente inundado pelo prazer, iria fazê-lo gemer chamando seu nome enquanto sua boca o chupava sem pudor algum, até que Taehyung gozasse em si, deixando-o provar seu gosto e saber se era tão doce quanto seu cheiro de morango.

- Olhe para mim, amor… - Jungkook diz, dando diversos selares no membro rígido e completamente molhado do menor, que tinha a cabeça jogada para trás, o olhos fechados e os lábios abertos, proferindo gemidos descontrolados e deliciosos. - Quero que seus olhos estejam em mim quando gozar em minha boca.

Taehyung abre os olhos com dificuldade, olhando admirado para o rapaz entre suas pernas que permanecia com um sorriso excitante nos lábios vermelhos, mas ele não conseguia acreditar em como Jungkook conseguia ser tão fodidamente lindo mesmo naquela situação, as bochechas rosadas devido o calor intenso que os envolviam, os lábios brilhantes pela saliva que escorria por todo lugar, os cabelos levemente grudados na testa e os olhos intensos, queimando-o por inteiro enquanto o analisavam sedentos e naquele momento, Taehyung não quis mais desviar o olhar, pois era lindo, obsceno e delicioso, era insano e quente como o inferno, era tentador e irresistível demais para não ser devidamente apreciado.

Acompanhou o momento exato em que a boca macia de Jungkook volta a chupar a cabecinha rosada, sugando o pré-gozo ali acumulado e descendo os lábios cada vez mais, fazendo o corpo de Taehyung tremer como se fosse explodir a qualquer momento e talvez fosse de tanto prazer que estava sentindo. Jungkook se apoiou em suas coxas, puxando-as para si de forma que pudesse ir ainda mais fundo, deslizando todo o membro para dentro de sua boca num ritmo lento e provocativo, esperando que Taehyung não aguentasse mais e o tocasse para obrigá-lo a aumentar logo a velocidade, e por mais que ele quisesse muito dar prazer ao menor, estava sendo divertido provocá-lo desse jeito. Ver seus cabelos bagunçados e jogados para trás, a respiração ofegante, os batimentos acelerados e principalmente, as expressões de prazer das quais Jungkook tanto estava amando.

- Você está me deixando louco…

Sem dizer nada, Jungkook apenas aumenta a velocidade, fazendo com que o barulho de sua boca contra o pau dele se tornasse cada vez mais insano e excitante, sentindo o membro rígido pulsar sobre sua pele e a vontade de fazê-lo gozar aumentar a cada gemido que soltava.

Taehyung apertava os punhos com força, pois nunca havia sentido algo desse tipo e céus Como era bom! Nunca imaginou que pudesse sentir algo assim, como se não pudesse conter o próprio corpo e precisasse explodir, como se estivesse ficando completamente louco de tesão e por mais que desejasse eternizar aquele momento, eternizar a boca gostosa de Jungkook deslizando por seu pau, era como se fosse gozar a qualquer minuto, conseguia sentir seu corpo clamar por isso e seu lobo interior o impedia de raciocinar, apenas gritava para que seguisse seus instintos e se entregasse ao alfa.

- S-Se continuar assim… e-eu vou…- Não era capaz de sequer completar a frase, pois Jungkook o engolia por inteiro, fazendo seu pênis encostar na garganta alheia com força e seu corpo se desmanchava a cada contato, um choque de prazer o deixando completamente entregue.

Taehyung queria muito tocá-lo, porra como queria!! Estava quase sedendo ao impulso teimoso de agarrar os cabelos negros e afundá-lo ainda mais, mantendo o controle e ditando o ritmo que queria, contudo, não daria o braço a torcer e perder a aposta, iria conseguir vencê-lo e ter a oportunidade de pedir o que quiser a ele, só precisava aguentar um pouco mais…

- Alfa… Por favor… - Os olhos de Jungkook brilharam ainda mais pela forma como foi chamado e Taehyung percebeu que foi uma péssima ideia provocá-lo quando o viu ir com uma das mãos livres em direção a sua bunda já toda molhada pelo lubrificante natural que havia exalado.

Jungkook soltou um gemido alto ainda chupando o pênis de Taehyung com vontade, e o menor quase gozou instantemente quando as mãos do maior acariciaram a parte interior de suas nádegas, roçando os dedos pela entrada molhada e necessitada, fazendo seu lobo interior derreter-se por completo, desejando ser imediatamente preenchido pelo alfa, os feromônios se intensificando cada vez mais misturando os cheiros de chocolate, café e morango.

E então, Jungkook força um de seus dedos sobre a entrada, sentindo seu pau latejar de tão excitado ao perceber como Taehyung era apertado e em como seria gostoso poder fodê-lo até suas pernas não aguentarem mais. Precisou diminuir o ritmo do boquete, pois Taehyung estava inquieto e ele sabia que iria fazê-lo gozar rápido demais. Após algumas provocações e carícias, penetrou o dedo completamente sentindo a pele escorregar para dentro pela quantidade de lubrificante que ele havia soltado, e quase o substituiu por seu próprio pau quando Taehyung rebolou levemente, buscando mais contato e desejando que Jungkook fosse mais fundo, mais forte.

Não hesitou em atender a vontade de seu ômega e acrescentou mais um dedo, fazendo Taehyung gemer loucamente e impulsionar o corpo para frente, deslizando a bunda sobre o balcão para mais perto do alfa, fazendo com que ele o penetrasse ainda mais e a sensação de orgasmo aumentar.

E Taehyung não aguentou quando Jungkook, ainda com os dedos dentro de si, passou a fazer movimentos circulares enquanto o penetrava, gozando deliciosamente na boca alheia e gemendo alto, sentindo os espasmos fazerem seu corpo tremer e o líquido escorrer quente sobre os lábios macios. Jungkook engoliu tudo, deleitando-se com o sabor exuberante que Taehyung deixara em si, sentindo-se satisfeito e loucamente excitado, o pênis rígido entre as calças pulsava dolorido e ele sabia que precisava gozar também, pois estava louco de tanto tesão e era quase impossível segurar isso dentro de si.

- Você é incrível e eu quero poder te proporcionar as melhores sensações do mundo… - Jungkook diz ainda lambendo os lábios, mas suas mãos puxavam as calças de Taehyung que ainda estavam em seus joelhos, arrancando-as completamente de seu corpo e jogando-as em algum canto da cozinha. - Eu amo a pintinha que você tem no nariz e a sua única pálpebra dupla, amo o seu sorriso quadrado e a forma como sua boca tem um formato de coração… - Jungkook o pega no colo mais uma vez, colocando cada uma de suas pernas sobre a lateral de seu corpo enquanto caminhava consigo para algum lugar do qual Taehyung não se importou em perguntar. - Eu amo como suas bochechas parecem bolinhos quando sorri e até esse dentinho torto bem aqui.

Taehyung não conseguia parar de sorrir, não conseguia parar de repassar as palavras ditas por Jungkook várias e várias vezes em sua mente, como se fossem os versos de uma linda música. Mas, foi impedido de dizer qualquer coisa ao ouvir a tranca do quarto sendo aberta e o nervosismo se fez presente, um frio na barriga e uma tensão dominante que o fez travar por alguns segundos, pois ele não sabia como agir depois de tanto tempo sem envolver-se com ninguém.

- Eu quero que seja meu, Kim Taehyung… Meu ômega. - E então se beijaram, um beijo calmo e entregue, que fez Taehyung esquecer de tudo ao seu redor, esqueceu-se do fato de ter sido provavelmente vendido, de que sua filha pode estar correndo perigo e que Jungkook, quando irritado, transformava-se em um lobo monstruoso completamente mortal. Mas, deixou que ele o joga-se na cama e subisse em cima de si, deixou que ele o tocasse como se fosse um quadro, como se estivesse sendo pintado por ele, sendo colorido pelas mãos grandes, fortes, mas também delicadas. Mãos que diziam "eu estou aqui agora", mãos que acariciavam-lhe e transbordavam um grito de "eu quero você", mas Taehyung não sabia se estava preparado, ainda haviam muitas feridas não cicatrizadas que insistiam em doer.

- Jungkook… - O maior beijava seu pescoço e suas mãos atrevidas deslizavam por todo o seu peito, indo em direção a barra da camiseta fina. - Jungkook… - Quando sentiu o tecido ser levantado, Taehyung lembrou-se de todos os segredos que seu corpo escondia, de todas as marcas, cicatrizes, imperfeições e manchas que levava consigo, e mesmo sem querer, lembrou-se de como havia conseguido cada uma delas, da maneira nojenta como Min Jun lhe tocava e em como sentia medo que ele o matasse nessas situações. Taehyung não queria, ele realmente desejava aproveitar aquele momento, afinal, Jungkook não era Min Jun, ele sempre o tratava com carinho e respeitava seus limites, Jungkook sempre o protegeu e cuidou de si mesmo quando ainda era apenas um estranho e o mais importante de tudo, havia gozado na boca dele a minutos atrás, não podia simplesmente deixar que esses pensamentos estragassem tudo!

- Está tudo bem? - Jungkook mantinha os olhos preocupados, analisando se havia feito algo de errado e Taehyung se esforçou para sorrir e fingir que nada havia acontecido, mas sabia que havia falhado pela expressão preocupada e confusa no rosto do alfa.

- Está… hm, eu só… Só não sei se estou preparado ainda… Eu sinto Muito. - Taehyung sentiu um aperto no peito quando ele se afastou, saindo de cima de si e deitando ao seu lado. - Não foi culpa sua, o problema é comigo! Eu sou um completo estúpido que guarda tantas coisas dentro de si e depois não sabe lidar com isso. - Jungkook sorri gentil, demonstrando que não estava irritado ou chateado, ele estava claramente excitado, mas isso não era sua prioridade, pois era muito mais importante saber que Taehyung estava bem, que estava sentindo prazer e aproveitando o momento tanto quanto ele.

- Taehyung eu não estou aqui para te julgar… - Deslizou as mãos sobre as bochechas bronzeadas. - Se eu pudesse te dar algo, te daria a capacidade de ver a si mesmo através dos meus olhos, para então perceber o quanto você é especial e parar de se diminuir! Me desculpe por apressar as coisas, eu sabia que não era tão simples depois de tudo o que você passou e mesmo assim perdi o controle. Porque você é tudo o que eu procurei a minha vida inteira e algo dentro de mim não soube lidar com o fato de te ter assim, tão pertinho de mim. - Ele encosta a testa na do menor. - Não precisamos ter pressa, eu posso esperar o seu tempo.

- Você é real? - Jungkook sorriu com a pergunta, fazendo Taehyung se apaixonar ainda mais pelo sorrisinho de Coelho que ele esbanjava. - Ainda não Consigo acreditar que tudo isso está acontecendo, que você está aqui comigo. - Jungkook o puxou para que deitasse em seu peito, enrolando a parte nua do Kim entre os lençóis brancos.

- Eu também não consigo acreditar que você está aqui, que finalmente encontrei alguém para amar e que esse alguém é um puta homem gostoso do Caralho! - Ambos sorriram, completamente imersos em seu próprio mundinho enquanto se abraçavam e se enroscavam na cama.

- Me desculpa, você ainda está todo animadinho e eu estraguei tudo…

- Não se preocupe, farei você me recompensar por isso um dia, ou se preferir, posso castigá-lo. - Jungkook solta uma risadinha irônica e Taehyung sente as bochechas esquentando, evidenciando que logo estariam num tom vermelho rubro. - Por falar nisso, você ganhou a aposta bebê…Diga-me o que desejas e farei com todo prazer. - Taehyung permaneceu em silêncio por alguns segundos, pensando no que deveria pedir.

- Eu não quero ir embora… Hoseok havia comprado um apartamento para mim lembra? - Os olhos de Jungkook brilhavam tão intensamente que por um momento achou que ele estivesse prestes a chorar. - Eu não quero morar lá, quero ficar com você Kookie.

- Eu não ia te deixar ir de qualquer jeito… - Abraçaram-se ainda mais, e Jungkook sentiu o peito transbordar de um sentimento quente, forte e incomparável. Era amor e ele sabia disso, estava amando com todas as forças de seu coração.

E amar era bom.

•••

TAEHYUNG ON

- AH CARALHO VOCÊS TRASARAM NÃO FOI? – Jimin soltava uns gritinhos animados enquanto esperávamos as apresentações das crianças começarem. Yerin também insistiu em participar então, Jungkook e eu fizemos questão de vir assisti-la, mas assim que chegamos, Hoseok e Yoongi o chamaram para uma conversa que parecia muito importante.

- Jimin, eu já disse que não rolou nada entre nós caramba! Quantas vezes vou ter que repetir para que você entenda? – O loiro franzia os olhos desconfiado e eu revirei os meus por saber que ele não desistiria facilmente.

- Não adianta mentir para mim Kim Taehyung! Você está fedendo a Jungkook, LITERALMENTE! – Ele arregalava os olhos de maneira engraçada tentando parecer irritado, mas eu sabia que na verdade, Jimin só queria me arrancar informações sobre o que realmente aconteceu noite passada. – O cheiro dele está muito forte em você e isso não é normal... – Ele para de repente, me olhando ainda mais desconfiado. – PORRA ELE TE MARCOU? – Não consegui segurar o riso porque, puta merda como Jimin era curioso! Ele realmente não vai me deixar em paz.

- Ok, ok você venceu... Nós não transamos, mas fizemos outras coisas...

- EU SABIA!!! – Jimin sorria abertamente e por um momento eu me perguntei por que ele estava tão interessado em minha vida sexual. – Agora desembucha! Pode ir contando todos os detalhes e se quiser, me convida para participar da próxima. – Eu simplesmente não posso acreditar na ousadia do menor e lhe dou um tapa estralado que parece não fazer efeito já que ele sorria sem parar, contendo a gargalhada escandalosa entre as mãos pequenas.

- Seu nanico safado! Eu não vou te contar NADA! – Cruzo os braços e lhe mostro a língua.

- Qual é Tae? Esse tipo de informação deve ser compartilhada entre amigos! Eu por exemplo, posso te ensinar várias posições e como fazer o Jungkook gozar rap-

- Shiiiii!! – Tampo os lábios carnudos com as mãos, impedindo que ele continuasse. – Estamos em uma casa cheia de CRIANÇAS! Quer que elas te escutem??

- Desculpa, desculpa... – Jimin sorria atrevido e por mais que tentasse, não conseguia ficar irritado com ele, seu sorriso angelical me impedia completamente.

- Peço a atenção de todos! – Selgi aparece em cima de um palquinho improvisado de madeira depositado no exterior da casa. – Iremos dar início ao nosso show de talentos!- Todos que estavam sentados ao redor aplaudiram animados e vejo Jungkook se aproximar acompanhado de Yoongi e Hoseok.

- Cheguei a tempo? – Ele diz sentando ao meu lado.

- Sim, Selgi acabou de anunciar o começo do show. – Ele sorri tímido e entrelaça nossos dedos mindinhos.

- Confesso que estou nervoso... Sabe, é primeira vez que vou ver uma apresentação da minha filhote, tipo como um pai de verdade. Estou feliz! – Ele sorri franzindo a pontinha do nariz, num movimento que demonstrava nervosismo, ansiedade, mas principalmente felicidade. Jungkook é sempre tão precioso e eu sinto como se estivesse me apaixonando mais a cada dia que passa.

- Não precisa ficar nervoso, você ainda vai ver muitas apresentações dela durante a vida. É bom ir se acostumando, pois sua filha é muito criativa, acredite. – Ele beija minha testa e sorri bobo, fazendo borboletas voarem desengonçadas por meu estômago.

As apresentações começaram e estavam sendo incrivelmente divertidas e interessantes, as crianças que viviam ali eram realmente muito talentosas e assistir tudo ao lado de Jungkook era ainda melhor, pois conseguia ver o quanto ele gostava de crianças e sempre que alguma subia no palco, ele sorria encantado, completamente entretido nas ações simples que cada uma fazia. E eu, como sempre, o observava feliz, porque vê-lo com aquele sorrisinho bobo fazia meu coração derreter e um sentimento bom transbordar por todo meu corpo, já estava ficando acostumado com essas reações intensas que ele me provocava, mas era bom sentir algo tão especial, puro e sincero.

- E agora, depois de vermos os belos desenhos da pequena Sun, fico muito feliz em trazer-lhes uma menina mais que especial e que me surpreendeu muito com seu talento, ou melhor, com seu dom! – Selgi lança um olhar carinhoso em nossa direção enquanto sorria travessa, como se escondesse algo, uma surpresa. – E para isso, eu precisarei de um convidado aqui presente para o qual ela prestará uma linda homenagem. – Ela estende a mão. – Sr. Jeon? Pode vir aqui, por favor?

- E-Eu??- Jungkook estava tão nervoso que por alguns segundos ele me encarou, como se procurasse respostas ou até mesmo uma permissão para levantar. Mas, a verdade era que eu não sabia de nada sobre o que estava acontecendo e estava tão curioso quanto ele. Olhei para Jimin que sorria com os braços cruzados e uma expressão de culpa estampada em seu rosto, ele sabia do que se tratava e não me contou nada! Aquele nanico ia me pagar caro!

- Sr. Jeon todos estão te esperando, o senhor vem ou não? – A voz de Selgi o arranca do transe e ele sorri amarelo, curvando o corpo levemente. Ele também sorri para mim uma última vez antes de levantar e seguir até o palco. – Ótimo! Por favor, sente-se aqui e aproveite! – Ela puxa um banquinho oferecendo-o ao maior que prontamente se sentou, ele parecia envergonhado e seus olhos brilhavam em expectativa. – Com vocês, nossa pequena Yerin!!

Todos aplaudiram e não consegui evitar sorri quando ouvi Jimin gritando um “essa é minha sobrinha” quando minha filhote entrou. Ela estava linda, usando uma fantasia feita de tricô que parecia ser de coelhinho, mas havia uma capa de super-herói em suas costas.

Selgi entrega o microfone a minha filha que estava nitidamente nervosa, seus olhinhos me procuravam na plateia e eu acenei para com um sorriso largo, demonstrando que estava tudo bem e que ela conseguiria ir em frente.

- Eu vou cantar uma música que escrevi com a ajuda do tio Jimin para o papai Jungkook, espero que você goste papai... – Antes mesmo de ela começar, Jungkook já estava chorando e tentando inutilmente esconder isso, enxugando as lágrimas freneticamente sobre o tecido das mangas de seu casaco, mas que deixavam a pele de seu rosto e bochechas vermelhas.

- Papai Tae me contava histórias sobre super-heróis e eu ficava triste por só conhecer o homem mal, mas ai eu pedi a estrela cadente e ela me deu um herói coelho sorridente, que fez todos os dias parecerem natal... – Ela cantava docemente e eu me senti um idiota por nunca ter percebido o quanto era linda a voz da minha pequena, pois ela raramente cantava quando morávamos com Min Jun por ele sempre reclamar quando fazíamos barulho. – Com você meu mundo é sempre colorido, tudo parece mais feliz e único, mesmo quando estou triste você de mim nunca desiste e me faz a menina mais feliz do mundo... –Jungkook não conseguia mais segurar o choro e por mais forte que eu estivesse tentando ser, as lágrimas insistiam em cair desesperadamente. Minha filha amava Jungkook e eu também, e era estranho perceber como tudo parecia tão certo, tão perfeito. – Papai, eu te amo para sempre e prometo nunca deixar de ser a princesa que você irá resgatar, porque ser sua filha para mim é como um presente que em meu coração alegremente irei guardar... – Ela cantava olhando para ele, tentando manter as mãoszinhas trêmulas firmes ao redor do microfone e um sorriso sincero nos lábios. Ela se aproximou dele até estarem de frente um para o outro, bem próximos. – Obrigada por ser o meu papai e me deixar ser a sua Yerin, por ser o coelhinho mais fofo e lindo que se tornou tudo para mim. Graças a você somos a família que eu sempre quis, e mesmo que não veja, agora nos sabemos o real significado ser feliz! - Ela se joga nos braços do maior que a agarra como se sua própria vida dependesse diss e eu me levanto depressa, praticamente correndo até eles para envolvê-los em um abraço apertado e cheio de sentimentos. Podia ouvir Jungkook dizer que amava a nossa filha em meio a soluços e fungados, o que fazia meu coração apertar e quase sair do peito de tanto amor que estava sentindo naquele momento. 

Não era uma música perfeita ou profissional, parecia uma pequena canção de ninar, mas que eu não trocaria por nenhuma outra! Pois, carregava tanto significado, sentimentos que só ela e eu compartilhavamos sobre o medo que já sentimos e que não queremos sentir nunca mais. Nosso desejo é sermos felizes como uma família, ou melhor dizendo, com Jungkook ao nosso lado. 

- Eu amo essa família! - Jimin se aproxima enfriltrando-se no abraço, e logo Hoseok também faz o mesmo, arrastando Yoongi para que nos acompanhasse naquele gesto meio desengonçado.

- Eu sei que esse abraço está sendo maravilhoso, mas as outras crianças precisam do palco... - Selgi comunica um pouco incerta se deveria ter atrapalhado o momento ou não. - É que as crianças tem hora para dormir lanchar e se demorarmos demais elas podem acab- 

 - Ah Céus, já estamos saindo mulher! - Jimin responde, escandaloso como sempre. 

•••

Após o show, Jungkook e Yerin mau se soltaram, passaram o dia inteiro grudados um no outro brincando juntos ou apenas conversando sobre coisas aleatórias. As outras crianças até tentaram se aproximar para entrar na brincadeira, mas era praticamente inútil, pois eles estavam em seu próprio mundinho de felicidade e confesso que era lindo, mas já estava ficando com ciúmes! Minha filha não liga mais para mim e me trocou pelo herói coelho gigante. 

Já havíamos chegado em casa e eu estava realmente cansado, então levei Yerin para tomar um banho quentinho junto comigo e comer algo que não fosse doce ou gorduroso demais. Jungkook a levou para escovar os dentes e a pôs na cama, voltando para o nosso quarto logo em seguida, ele também estava cansado, pois havia corrido para lá e para cá com Yerin em seu colo, brincando de várias coisas ao mesmo tempo. 

- Hoseok Ligou, disse que você pode voltar a trabalhar quando quiser e que tudo já foi resolvido com a diretoria, então, não precisa se preocupar com nada. - Deitou-se ou meu lado, juntando nossos corpos em um abraço quentinho. 

- Então, posso voltar amanhã? - Ele suspira nervoso, pois não queria que eu voltasse para escola, mas eu também não podia ficar em casa sempre, nem me envolver com os trabalhos dele. 

- Poder você pode, mas eu achava que iria querer mais um tempo em casa... 

- Jungkook, você sabe que eu odeio ficar aqui sozinho enquanto você sai e Yerin vai para escola, eu também quero fazer minhas coisas. - Faço um bico emburrado. 

- Tudo bem, eu só estou preocupado por causa daquela carta idiota... Quero manter vocês seguros, mas não posso obrigá-lo a ficar. - Ele acaricia meus cabelos. - Não quero que nada de ruim te aconteça. 

- Eu não posso viver com medo Jungkook, preciso enfrentar isso. 

- Então, vai voltar amanhã mesmo? 

- Eu quero... - Jungkook se remexe inquieto e  por fim, suspira vencido.

- Tudo bem, mas eu tenho uma condição... Vai ter que me deixar enviar homens para te proteger, pessoas confiáveis que poderão impedir algum mau contra você e Yerin... 

- Tudo bem... - Eu sabia que esse também era o plano de Hoseok e por mais que estivesse com medo, não poderia me esconder para sempre, precisávamos encontrar a pessoa da carta e se o fato de eu voltar a trabalhar puder ajudar, não ficarei em casa esperando as coisas acontecem. - Pode fazer isso.  

- Ótimo... - Ele me olha desconfiado, mas não insiste. - Hwasa deu notícias a Hoseok também, ela viria só daqui a uma semana, mas parece que descobriu umas coisas interessantes sobre as minhas transformações, então, provavelmente estará aqui daqui uns dois a três dias, no máximo. 

- Quem ela é? Ou melhor, o que ela é? 

- Ela é a única alfa Pura pertencente ao nosso bando depois de mim. É uma mulher forte e muito inteligente, ela gosta de estudar sobre como o hibridismo funciona e suas implicações na vida humana. É por isso que ela é a única que pode me ajudar, ou pelo menos ter respostas para algumas questões. Nós crescemos juntos, vinhemos do mesmo lugar... - Jungkook parecia não querer falar muito sobre isso, mas resolvo tentar arrancar algumas informações a mais, afinal, eu não sabia muita coisa sobre ele. 

- Sabe... Você nunca fala de sobre seu passado, sua família ou sobre algo que você tenha enfrentado. - Ele permaneceu calado por alguns minutos e eu quase entrei em desespero por antecipação. - Me desculpa, eu entendo se não quiser falar... 

- Só não estou preparado ainda... É um fardo pesado demais entende? E se você me acha um monstro agora, só os céus sabem o que vai pensar quando ouvir minha história... - Viro para encará-lo, fazendo-o se assustar pelo movimento repentino. 

- Eu não tenho medo de você e não acho que você é um monstro! Muito pelo contrário, você é o herói Coelho lembra?? - Ele sorri tímido - Não importa o que aconteceu Jungkook, o importante é quem você é agora e quer saber? Eu amo você! Nada vai mudar isso. 

E em súbito, Jungkook selou meus lábios enquanto me abraçava com força. Eu sabia que ele Estava com medo e entendia que não era fácil se abrir desse jeito, não poderia obrigá-lo a confiar em mim de tal maneira, pois sei que Jungkook tem seu próprio tempo e quando esse tempo chegar, eu estarei lá, esperando-o. 

- Me promete que nada nunca vai mudar isso? - Ele me olha intensamente e eu devolvo com a mesma intensidade, perdendo-me na imensidão negra de seus olhos. 

- Eu prometo. 


Notas Finais


Armys, vocês estão votando nos meninos na premiação do soribada? É uma premiação muito importante então, vamos ganhar!!!

Espero que tenham gostado do cap, comentem sobre o que acharam!

Se você chegou até aqui, muito obrigada! ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...