1. Spirit Fanfics >
  2. After You (Imagine Jeon Jungkook - BTS) >
  3. No meio da noite

História After You (Imagine Jeon Jungkook - BTS) - Capítulo 31


Escrita por:


Notas do Autor


Bom dia
Boa tarde
Boa noite, como vocês estão meus amores? 😍

Então, dessa vez eu trouxe um capítulo maior, ai vai 3 mil palavras. Aliás, vocês não desconfiaram que as coisas estavam tranquilas demais? Só uma dúvida mesmo 🌚

Tenham uma boa leitura, até as notas finais! 🌻❤️

Capítulo 31 - No meio da noite


Capítulo 31 — Chapter Thirty One.

11:00 PM.

Já era um pouco tarde e ele decidiu me levar de volta pra casa, meio relutante pois não queria que eu fosse embora, mas eu precisava voltar, obviamente. 

— Estou ansioso pra quando você começar a morar comigo, você e a Yu. — Ele disse assim que estacionou o carro em frente à minha casa.

— Não vai demorar muito, já temos boa parte dos planos em mente, né? — Falei enquanto tirava o cinto, ele assentiu e se aproximou para me beijar, se despedindo para que eu saísse do carro. 

— De qualquer forma, estou tão empolgado quanto nunca. — Sorriu ao separar nosso beijo. — Tomara que a noite passe o mais rápido possível, quero revelar tudo a ela amanhã. — Acariciei seu rosto sorrindo pra ele. 

— Você está nervoso, não está? — Ri. 

— Talvez, só um pouquinho, mas vou deixar esse nervosismo pra depois. — Me deu um selinho. 

— E que horas você vem? — Perguntei. 

— Assim que eu conseguir terminar tudo na empresa, eu venho. — Suspirou. — Queria levar ela pra escola amanhã, mas tenho uma reunião marcada justamente no horário dela.

— Tudo bem, amanhã é meu dia de folga e eu vou levar ela pra escola, não se preocupa com isso... — Sorri. 

— Eu te amo, se cuida. — Me beijou uma última vez, nos despedimos e eu sai do carro, acenando para ele e indo até a porta de casa. 

Peguei minhas chaves e entrei, estava tudo escuro e apenas a luz do corredor iluminava o local, respirei fundo deixando meus sapatos ainda na porta, subindo para o andar de cima em seguida. Assim que entrei em meu quarto, me deparei com Taehyung e Yumi dormindo ali, o quarto estava todo bagunçado com os travesseiros jogados pra todo canto, suspirei imaginando todo o trabalho que ele teve pra conseguir fazê-la dormir. 

— Tae? — O balancei ouvindo ele resmungar. — Cheguei! — Ri enquanto juntava os travesseiros do chão. — O que aconteceu aqui, hein? — Perguntei vendo ele se sentar na cama com a cara sonolenta.

— A Yumi inventou uma guerra de travesseiros e quase me deixou louco. — Ri baixo colocando os travesseiros na cama. — Eu acabei dormindo primeiro que ela, e pelo visto ela dormiu também. — Olhamos pra pequena que estava toda jogada na cama, dormindo profundamente. 

— Você é um péssimo babá, como que você dorme primeiro que a criança? — Joguei o travesseiro nele. 

— Pense pelo lado bom, ela não chorou! — Respirei aliviada. — Ela só perguntou por você na hora de tomar a mamadeira, tive que inventar que você estava trabalhando de novo. 

— E o que ela fez? 

— Disse que estava com saudades de você, mas consegui acalmar ela. — Olhou para a pequena tirando o cabelo de seu rosto. — Mas e aí, como foi lá?

— Ah... Normal. — Minhas bochechas denunciaram na hora e Taehyung riu de mim. — Quer dizer, nós decidimos contar tudo a Yumi?

— Nossa, sério? Quando vão fazer isso? — Perguntou empolgado. 

— Amanhã, ele vai vir aqui assim que terminar os trabalhos na empresa. — Falei sorrindo levemente enquanto lembrava dele. 

— Acho que ela vai gostar de saber, ela já o trata como se fosse o pai dela mesmo. — Rimos. — Eu espero estar aqui pra ver essa cena. 

— Você sempre tá aqui, Taehyung, não acho difícil. — Suspirei. — O quarto de hóspedes tá arrumado, você pode dormir lá caso não queira ir pra casa agora. — Falei terminando de colocar os travesseiros na cama. 

— Apesar de minha casa ser aqui do lado, eu gostei da proposta. — Disse se levantando de minha cama e se espreguiçando. — Boa noite cara de bunda. 

— Boa noite, idiota. — Ri vendo ele sair do quarto e se direcionar para o quarto de hóspedes. 

Fechei a porta do quarto e fiz tudo que julguei necessário, Yu já estava dormindo então eu poderia me cuidar sem preocupação, não demorando a ir para minha cama, para finalmente dormir. Arrumei Yumi ao meu lado e a cobri com o cobertor, a pequena se mexeu e praticamente subiu em cima de mim, acariciei seus cabelos e sorri sentindo o cheirinho de morango emanando deles, fechei os olhos ainda acariciando seus cabelos e acabei dormindo. 

[...] 

No outro dia, 12:50

18°C

— Não meu bem, o titio Jungkook não vai poder levar você hoje... — Falei enquanto terminava de pentear os cabelos da mais nova. — Mas veja pelo lado bom, a mamãe pode! 

— Mas eu queria o titio. — Fez bico cruzando os braços, ri de sua cara emburrada e apertei suas bochechas.

— Prefere mais ele do que eu? — Perguntei arrumando sua franjinha. 

— Eu gosto do titlio’ e você também gosta, mamãe! — A encarei por um tempo. — E ele gosta de você. 

— Por que você acha isso tudo? — Perguntei segurando o sorriso. 

— Porque eu vli’ vocês ablaçados’. — Inflou as bochechas me encarando curiosa. 

— Quando você viu isso, Yumi? — Perguntei surpresa. 

— Quando voclê e ele foram me buscar na escola, eu fingi que tava dormindo no carro e vi ele ablaçando’ voclê’. — Falou tudo enrolado me fazendo encara-la por um tempo, tentando desvendar o que ela havia dito e o que ela queria dizer com aquilo. 

— Eu também abraço o Taehyung, o vovô, a vovó... — Comecei a citar nomes. 

— Mas mamãe, ele abraça você difelente’. — Ri apertando suas bochechas e lhe dando um beijinho. 

— Você é tão esperta, meu amor. — Ela se jogou em meus braços, finalmente pronta para ir à escola. — Vamos? 

— Vamos! — Sai do quarto com sua mochilinha numa mão e com ela no braço, desci as escadas e vi Taehyung conversando com vovó na cozinha. 

— Estou indo levar a Yu, quer ir junto Tae? — Perguntei entrando no cômodo. 

— Ele virou minha cobaia, preciso ver se acerto o ponto desse bolo e ele tem que experimentar tudo! — Ri olhando a cara de Taehyung provando a colher que minha avó o deu.

— Uh, boa sorte aí então. — Coloquei o lanche de Yu na mochila, com ela apontando pra tudo que queria levar pra lanchar. — Até daqui a pouco. — Sai da cozinha com a pequena. 

Depois de fechar a casa, coloquei Yu ao meu lado na calçada e peguei sua mão para começarmos a andar para sua escola, ela começou a tagarelar e tagarelar como sempre fazia, eu acabava rindo e entrando nas brincadeiras dela. Ela começou a falar do Jungkook e que estava com saudades dele, a observava com um sorriso no rosto, ela realmente gostava muito do mais velho. 

Yumi nunca sentiu falta de um pai, pelo menos não demonstrava, a pequena era nova demais para expressar seus sentimentos, ás vezes ficava comovida vendo suas amiguinhas do parque indo embora com seus pais, e ás vezes nem ligava. 

No começo eu ainda possuía muita raiva por conta do que Jungkook havia me feito passar, então fazia questão de dizer a ela que o pai não existia, ouvia muitas perguntas do tipo ‘’Mamãe, a minha amiga tem um pai e uma mãe’’ e acabava ficando muito mal com tudo aquilo, até decidir parar de dizer que o pai dela não existia, e que eu era o pai e mãe dela, mas a partir daí Yumi já não perguntava por seu pai. 

Taehyung e vovô sempre foram muito presentes na vida de Yumi, talvez por isso ela nunca sentiu realmente a falta de um outro alguém em casa, já que vovô Clark era além de vô, um pai. Ele acabava ocupando o lugar de Jeongguk na vida dela, com toda sua preocupação e cuidados pela neta. 

Depois que Jeongguk chegou em nossas vidas mais uma vez, percebi o grande afeto que a pequena criou por ele, não era igual o que ela demonstrava a Tae ou ao vovô Clark, muito pelo contrário, ela já o tratava como se o conhecesse a mais anos do que todos eles, o tratava como me trata, como se sempre soubesse que ele é o pai dela. Por isso, eu sabia que tinha que conversar com minha princesa e esclarecer isso tudo. 

— Yumi... — Chamei sua atenção. — Você gosta mesmo do Jungkook, né?

— Sim mamãe, ele é tão legal! — Dizia dando uns pulinhos enquanto caminhava. — O titio Jungkook tem os olhos iguais aos meus, ele gosta de sôvete’ também. — Ri com o comentário da mais nova. — Mamãe, eu queria que voclê’ e o titio namorassem.

— O quê? — A encarei surpresa com sua fala, rindo baixo com o olhar que ela me deu.

— Se vlocês’ namorassem, mamãe, eu ia ter um papai! — Arqueei as sobrancelhas meio que sem o que falar. 

— E você quer ter um pai? — Pensei alto, a pequena me olhou com um sorriso no rosto. 

— Quelo’, mas só se for o titio Jungkook! — Acabei sorrindo soprado e balançando a cabeça, olhando para a pequena por um tempo e depois para o caminho que tomávamos. 

— Você sempre quis ter um, Yumi? — Perguntei curiosa pela conversa repentina com a garota. 

— Não sei... — Murmurou fazendo um biquinho fofo. — Mamãe, podemos tomar sôvete’ quando voclê’ for me buscar? — Trocou de assunto quase que instantaneamente, arqueei as sobrancelhas e invés de insistir naquela pergunta, apenas assenti para a mais nova. 

A Yumi sempre ignora ou troca de assunto quando não sabe bem sobre o que está sendo tratado, ou quando acha entediante, Yumi nunca se importou tanto com esse assunto até agora, mas apesar disso, não sabia nada sobre ter uma pessoa para chamar de pai. 

Estava ansiosa para hoje à noite, mais ansiosa ainda depois dessa conversa com a bebê, mas eu precisava saber como explicar a ela que Jeongguk era de fato seu pai, alguma coisa que fizesse ela entender tudo melhor pra assim ela não achar apenas que ele é meu namorado, mas sim, seu pai biológico. 

Nós chegamos a escola e eu levei Yu até sua turma, recebendo um abraço apertado da pequena e um beijinho na bochecha, vendo-a se afastar e ir se sentar em uma das pequenas cadeiras ao lado de outras crianças, sorri levemente e me levantei, indo embora dali. 

Eu estava confusa e pensativa, andando pela calçada de volta pra casa apenas pensando em como organizaria minha mente para contar tudo de forma clara a Yumi, não queria confundir sua cabecinha. Eu e Jeongguk havíamos conversado pela manhã e decidido tudo, até como seria o começo da conversa com a bebê. Agora, eu precisava conversar com o vovô e avisar que iriamos contar tudo a Yumi, e que tudo ocorreria na nossa casa. 

Peguei minhas chaves assim que cheguei em frente à porta, a destrancando e ouvindo as vozes de vovó e Taehyung na cozinha, eles riam alto e conversavam animadamente, joguei as chaves no sofá do lado e fechei a porta. Caminhando até o cômodo em que eles estavam, vovó estava atrás do balcão tirando algo do forno e Taehyung sentado à mesa onde meu avô também estava. 

— Olha quem chegou viva. — Taehyung falou me fazendo revirar os olhos e rir soprado. 

— Fazemos esse percurso todo dia, Tae. — Comentei indo até a geladeira, tirando a jarra de água e pegando um copo para mim. — Como foi ser cobaia da vovó?

— Foram os minutos mais tristes e felizes da minha vida. — Rimos. 

— Mentiroso, o bolo ficou perfeito, não tem nada de triste nisso! — Vovó falava enquanto tirava o bolo da forma. 

— Tirando que você estragou a primeira massa tacando sal como se não houvesse amanhã, e ainda me deu pra experimentar? — Disse indignado me fazendo rir de sua expressão. Ela começou a discutir e jogar a culpa toda em cima do garoto, ele ria e tentava revidar com desculpas mínimas, vovô estava sentado sem dizer uma palavra, com sua expressão séria e neutra se distraindo com sua xícara de café e seu jornal. 

— Eu tenho uma coisa pra falar pra vocês. — Falei chamando a atenção dos dois, eles me olharam de imediato curiosos pelo que eu tinha para tratar. — Posso começar? — Assentiram, olhei para meu avô que não tirava o olhar do jornal. — Você está ouvindo também, vovô? 

— Hm... — Murmurou me dando a certeza de que ele me ouvirá. 

— Eu vou ser direta, bom.... Eu.... — Cocei a nuca. — Então... 

— Disse que ia ser direta, mas já tá enrolando! —Taehyung cruzou os braços e vovó fez o mesmo. 

— Mas você já sabe o que é, idiota. — Dei língua pra ele que logo revidou rindo baixo.

— Só me diz que você não tá grávida. — Ela falou fazendo vovô me olhar de relance.

— Não, não! — Ri de nervoso. — Que isso.... Não tem nada a ver. 

— Então desembucha, menina!

— Ok, eu e o Jungkook.... Nós.... Decidimos contar da paternidade pra Yumi. — Falei rapidamente. Vovó piscou algumas vezes sem tirar o olhar de mim, não demorando a vir até mim dando uns pulinhos de alegria. 

— Ai meu Deus, a Yumi vai ficar tão feliz! — Me puxou para um abraço fazendo com que eu me curvasse para abraçar a mais velha, recebendo um aperto nas bochechas, Taehyung riu parecendo satisfeito com a reação da vovó, mas olhando de relance para meu avô, que não moveu um músculo nem disse nada. — E quando vão fazer isso?

— Hoje à noite, ele vai vir aqui pra conversarmos com ela... — Falei olhando para meu avô, vovó fez o mesmo ainda abraçada a mim. O homem respirou fundo e fechou seu jornal. 

— Que horas ele vem? — Ele perguntou totalmente sério, com o olhar voltado apenas para o papel em suas mãos. 

— A noite, acho que umas oito horas ele deve estar aqui. — Falei mordendo os lábios, nervosa com sua reação. 

— Hm... — Se levantou com o jornal em uma mão e a xícara em outra, olhando diretamente para mim e depois para vovó. — Hilary, iremos jantar fora hoje, só voltaremos quando ele não estiver mais aqui... — Saiu da cozinha antes mesmo que disséssemos algo. Suspirei meio cabisbaixa coçando a nuca e olhando para baixo. 

— Não se preocupe, meu bem, eu vou conversar com ele. — Vovó disse meio triste. — Olha, o seu avô ama muito a Yumi e você principalmente, ontem ele passou quase a noite toda falando como estava decepcionado e com medo de que você se magoasse de novo. — Reprimi os lábios ouvindo tudo que ela dizia. — Ele precisa de um tempo para refletir sobre isso, uma hora irá abrir mão, ele quer sim que o pai da Yumi esteja presente e que ela tenha uma família bem estruturada, só não soube aceitar tudo isso tão rápido, não depois de tudo que passamos aqui. 

— Tudo bem, eu entendo ele. — Falei olhando para ela, recebendo um sorriso acolhedor e mais um abraço. 

— O senhor Clark ainda está preso nesses três anos que se passaram, ele precisa esquecer o que já aconteceu, ele precisa entender que o Jungkook não é o culpado de tudo isso. — Taehyung falou chamando nossa atenção. — Mas temos que entender que isso não será de uma hora pra outra e que ele realmente precisa associar tudo. 

— Acho melhor eu parar de forçar uma relação boa entre ele e o Jeon, pelo menos por agora. — Ditei, os dois assentiram concordando comigo. 

— Enfim, melhor deixarmos esse assunto pra lá, depois eu me resolvo com ele. — Vovó saiu de perto de mim indo até o bolo que ela desenformava. — Agora, vamos comer? 

— Nada como quebrar um clima pesado comendo como um condenado. — Taehyung comentou animado nos fazendo rir. 

Apesar disso, eu permaneci preocupada pelo resto da tarde, pensando principalmente na minha Yumi. Taehyung tentou me animar e nós assistimos alguns filmes até que desse a hora de buscar a bebê na escola, vovó conseguiu falar com o Clark e ele ficaria em casa, trancado no quarto, mas em casa. 

[...]

9:00 PM.

10°C 

Jeongguk ainda não havia aparecido, me deixando bem ansiosa e pensando que ele chegaria do nada. Yumi já havia chegado, agora, banhada e vestida em um dos seus pijamas preferidos, ela estava jogada no sofá assistindo desenho com o olhar mais sonolento do mundo, Taehyung estava tão cansado que já havia ido embora, nosso próximo plantão só seria amanhã à noite, mas ele decidiu que precisava repor o sono pois estava tão cansado quanto nunca. 

Enquanto terminava de fazer a mamadeira da bebê, meu celular começou a tocar, olhei no visor e vi que era Jungkook que me ligava, então sai da cozinha e fui até a varanda do jardim, para que assim Yumi não conseguisse ouvir nada, parei ali atendendo a ligação e colocando o celular rente ao ouvido.

— Pensei que não daria nenhum sinal de vida. — Falei rindo fraco assim que atendi. 

Oi meu bem... — Sua voz saiu meio sem ânimo e eu arqueei as sobrancelhas. 

— Tudo bem com você?

Nem tanto.... Eu não vou poder ir até aí hoje, eu e Hoseok temos que resolver alguns assuntos pendentes da empresa, quando acabar o horário aqui, eu vou direto pra casa dele levar os projetos e resolver tudo isso de uma vez. As reuniões foram tantas que acabaram nos atrasando, apesar de termos fechado alguns contratos, temos muita coisa pra fazer ainda. — Dizia com o tom de voz triste.

— Oh, não se preocupa com isso, temos outros dias para conversar com ela, e hoje ela está bem cansadinha então eu acho que não daria certo de qualquer forma... — Falei olhando para a sala onde Yumi estava deitada no sofá. 

Se não fosse por todo esse trabalho, eu já estaria aí. — Falou bufando em seguida. — Mas amanhã vai dar certo. 

— Vai sim amor, eu conversei com ela hoje mais cedo, ela estava falando sobre você. — Comecei a contar de toda a conversa ouvindo o outro rir algumas vezes. 

Eu jurava que ela estava dormindo àquela hora, nunca ia imaginar que ela estava vendo nós do lado de fora do carro. — Riu.

— Pra você ver como sua filha é esperta. — Ri. — Agora preciso desligar, vou dar a mamadeira dela e colocar pra dormir, boa sorte com todo o trabalho por aí. 

Obrigado amor, eu te amo, nos vemos amanhã...

— Eu também te amo, toma cuidado na hora de ir pra casa do Hoseok. — Falei voltando para a cozinha. 

Pode deixar, eu te mando mensagem assim que chegar lá. 

— Ok, até mais tarde então.

Até, meu amor.

Desliguei a ligação e sorri levemente, só uma conversa com ele e eu ficava super feliz, apesar dele não vir hoje, nós tínhamos oportunidades de sobra, então, sequer me incomodei. 

Após terminar a mamadeira de Yumi, levei para que ela tomasse, tendo que dar pra ela já que ela sempre pedia isso á noite, apesar dela saber tomar sozinha, eu amava fazer isso por ela, lembrava de quando ela ainda era uma bebezinha de colo e eu levava ela pra todo canto em meus ombros. 

Yu fechava os olhinhos levemente denunciando o quanto estava cansada e com sono, já era onze horas da noite e agora quem estava assistindo o desenho era eu, Yumi já havia capotado em meus braços e secado a mamadeira dela. 

— Ei, ele não vem mais? — Vovó perguntou entrando na sala.

— Ele tá lotado de trabalho pra fazer, além de que a Yumi já estava sonolenta desde que chegou da escola, decidimos deixar pra amanhã. — Falei levantando do sofá com a bebê nos braços. — Dá pra ver como ela tava cansada né? — Ri. 

— Melhor nem reclamar, não existe nada melhor que criança que dorme cedo. — Falou me fazendo rir.

Eu e vovó conversamos um pouco e eu decidi subir para o quarto junto com Yumi, a colocando em sua caminha e organizando os travesseiros e o cobertor, estava bem frio hoje e eu queria ter a certeza de que ela não acordaria no meio da noite por conta disso. Depois de tudo, sai de seu quarto indo até o meu, como já havia tomado banho quando fui banhar a bebê, apenas troquei de roupa e me joguei na cama, adorava noites frias, principalmente na hora de dormir. 

Peguei meu celular vendo se Jeon já havia mandado a mensagem avisando que tinha chegado a casa de Hoseok, havia apenas uma última mensagem dele, mas não era avisando nada, apenas respondendo a foto de Yumi que eu havia postado nos status, ele havia mandado um coração que eu logo respondi com outro, fiquei respondendo alguns contatos até que ele mandou uma mensagem, me despertando rapidamente. 

‘’Estou saindo da empresa agora, o Hoseok e Namjoon foram na frente e eu acabei ficando para terminar de pegar os documentos da impressora.” 11:07 PM.

‘’Você deve estar cansado, né?’’ 11:07 ✓✓ 

‘’Só queria dormir agarrado com você, esse estresse e cansaço iriam embora na hora, sem dúvida alguma.’’ 11:07. 

‘’Pois então, irei dormir agora, em sua homenagem’’. 11:08 ✓✓ 

‘’Não me faz inveja, nem sei que horas vou sair de lá... Só queria minha cama agora *emoticon triste*. 11:08. 

‘’Vai pra lá e toma cuidado, quanto mais rápido você começar, mais rápido você volta pra casa’’. 11:08 ✓✓

‘’Obrigado pela bela da dica, Dona Clark!’’. 11:08. 

‘’Gostou né? Hahahah, eu te amo, nos falamos amanhã...’’ 11:08 ✓✓

‘’Eu te amo!’’. 11:08. 

Finalizamos a conversa com um coração e eu deixei o celular de lado, me espreguiçando e relaxando nas cobertas macias da minha cama, não demorando a finalmente dormir. 

[...] 

00:30 AM. 

8°C

Acordei assustada, mas não por ter ouvido Yumi chorar ou coisa do tipo, pelo contrário, meu celular estava vibrando sem parar sobre o criado mudo. Arqueei as sobrancelhas passando as mãos nos olhos totalmente sonolenta, pra estarem me ligando a essa hora, só se fosse muito doente da cabeça, e eu nem havia visto a hora para pensar isso. 

Olhei pro visor com a vista meio embaçada e estranhei ao ver que quem me ligava era o Hoseok, já estava me preparando para atender e soltar umas poucas e boas. 

— Oi... — Falei assim que atendi a ligação, tentando controlar a raiva. 

— ________? Meu Deus, finalmente você atendeu! — Ele falava rapidamente.

— O que foi? — Perguntei meio confusa com a voz ofegante e nervosa do rapaz. 

Não sei como explicar, mas é que o Jungkook não apareceu lá em casa, eu até te liguei pra saber se ele estava com você, só que tipo... — Respirou fundo. 

Assim você vai enfartar, fica calmo. — Ouvi a voz de Namjoon no fundo.

— Você tá me assustando, Hoseok... — Respirei fundo me sentando na cama. 

 — Ele me ligou, mas não era ele, era um policial... — Respirou fundo mais uma vez. — O Jungkook não chegou porque ele bateu o carro, o cara me ligou porque eu fui a última chamada do Jeon... Ai, puta merda, meu Deus...

Hoseok, pelo amor de Deus, calma! — Namjoon falou mais uma vez.

— Meu Deus, calma, onde vocês estão? — Me levantei da cama meio desnorteada.

___________? — Ouvi a voz de Namjoon de repente, ele havia tomado o celular de Hoseok, que aparentemente estava fora de controle. — O Jungkook sofreu um acidente de carro, ele já está sendo encaminhado para o hospital e nós estamos indo pra lá agora, é esse que fica perto da entrada de Gangnam, você deve saber qual é..... — Ele fez um silêncio por uns segundos. — Cara, tem algo muito estranho aqui, você tem que ir pra lá, eu... Caralho, mas que porra é essa’’. — Sua voz saiu falhada e eu mal conseguia ouvir alguma coisa.

— Namjoon? O que tá acontecendo, meu Deus... O Jungkook tá bem? Você viu ele? — Caminhava de um lado pro outro, a ligação falhava bastante, talvez eles estivessem em um lugar com o sinal ruim. 

Essas marcas de batida na lateral... E essas outras marcas de pneu no chão? Tinha mais de um carro aqui, eu tenho certeza, ele não bateria do nada... — Ouvia ele conversar com alguém do outro lado da linha, ele parecia discutir com alguém e logo ouvi um barulho no celular, não demorando a ouvir a voz de Hoseok.

Ei, ________? Você ainda está ai? O Namjoon tá causando uma confusão aqui, ele acha que alguém provocou o acidente, preciso que você vá pro hospital agora, já vamos sair daqui!

— O quê? Hoseok, como alguém poderia causar esse acidente? — Perguntei confusa enquanto pegava uma outra roupa para eu vestir, sempre tentando manter a calma. 

Q-Quando você chegar no hospital... Eu... Nós explicamos, agora vai!

Minha cabeça estava a mil, eu só queria saber como o Jungkook estava, e como isso chegou a acontecer, mas sabia que se alguém realmente tivesse provocado esse acidente, eu não tinha dúvidas de quem era, e de como eu acabaria com essa pessoa.


Notas Finais


Eu disse... 🌚
Tava tudo tranquilo demais.... O que será que provocou o acidente do JK?
Relaxem, ele não vai ter um alzheimer do nada não, pelo amor de Deus KKKKKKKKKKKJ.

Foi quase né? Eu li o comentários de vocês no capítulo anterior imaginando as ameaças que receberei com esse.

Aliás, muito obrigada pelos 900 favoritos, fiquei tão feliz quando vi, aaah, só tenho a agradecer mesmo, por estarem acompanhando a fanfic e por todo o carinho e atenção, estarei sempre tentando trazer um ótimo trabalho para o site!

Enfim, espero que tenham gostado aksjsk, próximo capítulo em breve.
Meu perfil ღ: @mayaszz 🌻
Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...