1. Spirit Fanfics >
  2. Afterparty >
  3. Único: Party Monsters

História Afterparty - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Vamos com calma, desavisado/a.

Essa história é a continuação de uma one-shot de festa, mas se você não quiser lê-la, eu resumo para você (apesar de citar isto no próprio texto da fic). Acontecem muitas coisas na prequel, então vou deixar o link nas notas finais, mas o suco Josuhan já fica prontinho pros shippers: Josuke organizou uma festa de aniversário surpresa para Okuyasu na casa do Rohan e, juntos, deram um presente para o mesmo.

Já preparem "Oops...! I did it again" no youtube ou spotify ;)

Leiam as notas finais, por gentileza! ✨

Capítulo 1 - Único: Party Monsters


Fanfic / Fanfiction Afterparty - Capítulo 1 - Único: Party Monsters


Cidade de Morioh, outubro de 2001

Casa de Kishibe Rohan



“Parabéns pra você! Nessa data querida, muitas felicidades, muitos anos de vida! Okuyasu! Okuyasu!”

Rohan Kishibe ouvia os parabéns sentado em seu sofá, ao lado de Yuya, que  estava distraído o suficiente com suas namoradas posicionadas no chão de madeira. Ficava irritado ao ver o rapaz sentado em seu caríssimo sofá e podia ver a marca do sapato dele no canto da mobília. “Moleque descuidado, sorte sua que não quero gastar minhas energias usando o Heaven's Door com coisas triviais”, pensou, fitando o usuário do Highway Star. Depois faria Josuke limpar aquilo com a própria língua. O mais irritante de tudo aquilo era ter que tolerar a presença do usuário que quase o matou dois anos antes, mas tentou não arranjar confusão naquela noite. Motivo um: ele ajudou seus conhecidos no passado. Motivo dois: havia concordado com Josuke, afinal. “Sem brigas.”

Oops...! I did it again de Britney Spears tocava no ambiente.

— Não levamos nada pro lado pessoal por aqui, não é, Rohan? — Yuya deu uma cotovelada no artista, que recolheu os ombros, enojado e mantendo sua expressão desgostosa. — Pelo menos juntei você e seu namoradinho ali — e apontou para o jovem que dançava alegremente com Okuyasu no meio da sala. Hirose Koichi fotografava ambos. 

A expressão carrancuda de Rohan se rompeu ao ouvir tais palavras. Yuya Fungami era, afinal, o principal motivo para ele começar a confiar em Josuke Higashikata, que arriscou sua própria vida para salvá-lo. JoJo era teimoso e colocava a vida alheia acima da sua, isso era irritante e, ao mesmo tempo, de encantar. Um protagonista, de fato. Um calafrio percorreu sua espinha.

— Juntou...? — Rohan perguntou, chocado.

— Não é como se vocês fossem amantes, não é mesmo? — repetiu as palavras ditas no túnel propositalmente. Deu uma risada e olhou para suas meninas. Voltou seu olhar para Rohan. Respirou lentamente por alguns segundos, sentindo o cheiro e analisando o homem boquiaberto a seu lado. — Curioso, não sinto as mesmas reações químicas daquele dia em você. Você parece realmente incomodado, mas não discorda de mim. 

Kishibe agarrou a gola do casaco de Yuya num movimento rápido.

É melhor você se calar, a menos que queira que eu use meu Stand em você. Ele está muito mais forte, pode acreditar. — rosnou o mangaká, ameaçador. Levantou-se do sofá, colocando a almofada  que estava em seu colo em seu lugar. — Que homenzinho ridículo.

Respirou fundo e se acalmou. Rohan era um homem antissocial, a única utilidade das outras pessoas era servir para moldes e inspiração para suas artes. Ver aquela quantidade de seres ali, rindo, conversando, dançando e bebendo o deixava agastado. Odiava a presença humana excessiva. Resolveu ir caminhar em volta de sua casa após o corte do bolo. Subiu os andares e buscou sua bolsa. Trombou, sem querer, numa garota do colégio que estava em sua frente. Não pediu desculpas.

— Ao futuro! — Koichi gritou, levantando uma garrafa de refrigerante junto com as garrafas de cerveja de Okuyasu. Os três jovens de terno abraçavam-se alegremente, um ao lado do outro. Uma estrela cadente riscou o céu. — Eu amo vocês dois! 

Kishibe sentiu uma ponta de inveja ao ver a cena, gostaria de ser tão conectado a eles quanto Koichi era, apesar de considerar Josuke e Okuyasu dois jovenzinhos imbecis, eles estavam ganhando um espaço no coração do mangaká. Josuke ainda mais, ele não se sentia desconfortável na presença do moleque irritante. Vez ou outra, em suas viagens artísticas pelo mundo, lembrava do sorriso ridículo dele. Levantou o rosto, expulsando o pensamento.

Oe, você vai me fazer chorar mais uma vez — protestou Okuyasu. 

O artista passou direto pelos três, sem dizer uma sequer palavra e começava a se afastar, até ouvir um dos rapazes chamando-o.

— Rohan-sensei? Aonde vai? Não 'tá gostando da festa? — perguntou Josuke, segurando sua garrafa. 

— É, Rohan, não tem porquê sair da sua própria casa — Okuyasu olhou para ele. Kishibe virou-se e olhou para Koichi.

— Não me encaixo nessas situações que vocês estão — proferiu arrogantemente.

— Deixa disso, vem aproveitar com a gente! Somos seus amigos, afinal! — Hirose sorriu.

— Amigos? — o mangaká pensou por um segundo. 

— Sensei, vou te acompanhar — disse Higashikata, levantando-se da escada da varanda. 

— Não é necessário... — colocou as mãos na frente do corpo. Hirose e Nijimura se encararam, confusos.

— Sim, é necessário — deu uma rápida caminhada e ficou lado a lado com Rohan, sorrindo. O homem a seu lado suspirou, com uma cômica expressão cansada em seu rosto. — Vamos.

Argh...

Começaram a andar juntos, em silêncio. O céu brilhava, alguns carros passavam pelas calmas ruas. Josuke sorria, alegre. 

— Será que vou ter que dar um soco pra desmanchar esse seu sorriso bobo? — grunhiu o mangaká, irritado. — Garoto chato.

JoJo riu.

— Eu gostaria de te agradecer pela colaboração de hoje. Desde emprestar sua casa até o presente perfeito do Okuyasu. Você realmente deve gostar da gente. E, principalmente, deve gostar de mim.

— Eu fui chantageado — estreitou os olhos.

— Mas fez tudo com boa vontade, ele ficou tão feliz. Obrigado — deu um abraço rápido em Rohan, que pôde sentir o cheiro do álcool vindo da boca de Higashikata. Sentiu um leve ciúme ao ouvir Josuke focar tanto na felicidade do amigo, estranhou o sentimento.

— Você está começando a ficar bêbado.

— E...? — deu de ombros. — Hoje é um dia especial, falta pouco tempo pro colégio acabar, não tenho nada para fazer amanhã. Quero passar o dia dormindo.

— Não tem nada para fazer amanhã? — riu, irônico. — Quem você acha que vai limpar a minha casa depois do final dessa zona?

— Ah, é verdade — Josuke colocou a mão livre no rosto. — Já que temos muito a fazer amanhã, por que não se diverte um pouco? — estendeu sua garrafa de cerveja, que estava pela metade. — Tome um gole.

Rohan arreganhou os lábios.

— Não! Eu preciso manter a sanidade no meio dessa bagunça toda!

— Ora, relaxa, o Koichi vai ser o amigo sóbrio da parada. Você não confia nele? — abraçou Kishibe de lado. — Sem falar que você merece um pouco de diversão com a gente, o quanto você pode mudar por causa de um pouco de álcool? Okuyasu também vai virar o caneco porque é o aniversário dele de dezoito anos.

— A festa praticamente acabou.

— Estamos num afterparty, oras. Uma festa depois da festa!

— Uma festa depois da festa? Que ideia idiota, Higashikata.

— Por favor, vamos aproveitar um pouco! — juntou as mãos, pedindo com um olhar fofo.

Pensou por um instante, colocando a mão livre no queixo. “Só um golinho não vai fazer nada demais”. Talvez estivesse ficando louco e imprudente por conviver com os moleques de Morioh por tempo demais, e por isso decidiu arriscar. 

— Me dê isso aqui — pegou a garrafa da mão de Josuke e tomou o restante do líquido num instante. Higashikata sorriu. 

O gosto amargo da cerveja era delicioso e deixava sua boca com uma sensação de sequidão. Ele queria mais. 

Voltaram para a casa do artista e pegaram outros drinks, bebendo um atrás do outro. A vodka queimava a garganta e se espalhava rapidamente no organismo. A música estava mais alta. Rohan não saía do lado de Josuke, após meia hora bebendo os dois começaram a rir juntos. Dividiam suas latas de bebida, Rohan vez ou outra jogava cerveja na boca do rapaz e depois tomava o restante. 

Ele e JoJo foram até o meio da sala e começaram a dançar de forma descontraída, posando juntos para fotos vez ou outra como se fossem modelos. Já tinham o porte de profissionais da passarela, mas juntos posando eram divinos.

Dançou com o aniversariante quando uma música da Madonna começou a tocar.

— Isso aí, sensei! — Okuyasu e Rohan sorriram um para o outro.

— Wow, nem eu reconheço ele — riu Koichi, observando a cena.

Poucos convidados restavam na festa, deixando o ambiente menos cheio e mais pessoal. Rohan ria de forma gentil o tempo todo, até mesmo parecia mais jovem por esbanjar tanta alegria, incomum em sua personalidade.

— Hora do karaokê! — anunciou Okuyasu, falando no microfone do DVD. — Quem vai começar? 

— Eu! Eu! — gritou Josuke, levantando a mão. Rohan riu. 

— Que tal o bonitão ali? Higashikata Josuke, venha aqui! 

JoJo tropeçou nos próprios pés, mas chegou rapidamente até Okuyasu.

— Coloca aquela música da Britney Spears que 'tava tocando mais cedo! 

Nijimura colocou Oops...! I did it again na tela.

— E quem vai ser seu duo?

O rapaz sorriu e apontou para Rohan, que devolveu o sorriso, levantando-se do sofá rapidamente. Pegou o outro microfone.

O instrumental começou e os dois homens se encararam.


Rohan: I think I did it again

made you believe we're more than just friends

(Fitou Josuke com malícia)

Josuke: Oh baby

It might seem like a crush

But it doesn't mean that I'm serious

(Sorriu)

Rohan: 'Cause to lose all my senses

That is just so typically me

Oh baby, baby

Josuke/Rohan: Oops, I did it again

I played with your heart, got lost in the game

Oh baby, baby

(Cantaram de forma sorridente)

RohanOops, you think I'm in love

That I'm sent from above

(Provocou)

Josuke: I'm not that innocent

(Deu uma piscadinha)

Rohan: You see my problem is this

I'm dreaming away

Wishing that heroes, they truly exist

I cry, watching the days

JosukeCan't you see I'm a fool in so many ways?

But to lose all my senses

That is just so typically me

Rohan/Josuke: OH BABY, BABY!


Encerraram a música, recebendo aplausos de seus amigos ali presentes. Rohan pegou na mão de Josuke e levantou, reverenciando os poucos convidados restantes.

— Os próximos aqui são... Yukako e Koichi, que vão cantar Backstreet Boys! — o casal levantou alegremente e se posicionaram para começar a cantar.

— Uhh, essa tensão entre vocês é tão palpável — Yuya debochou, levantando-se do sofá perto do lugar que os dois estavam. — Vamos embora, meninas. Longe de mim segurar vela. 

— Cala a boca, seu irritante — Josuke irritou-se, levemente tonto. 

— Ele é... Insuportável — Rohan concordou.

— Ao que parece, eu dei um tiro no escuro e acertei. Podem me chamar de cupido — debochou Fungami. — Tchauzinho — abraçou as três garotas e caminhou em direção a porta. — Tchau, Okuyasu! Parabéns, outra vez! — gritou ao sair.

— Obrigado! — gritou Nijimura, como resposta.

Os demais colegas de classe retiraram-se após despedirem-se de Okuyasu.

Yukako e Koichi cantavam I want it that way dos Backstreet Boys.

I WANT IT THAT WAAAAY! — completava Okuyasu, com lágrimas nos olhos.

Rohan e Josuke tomaram mais algumas cervejas juntos.

— Vou pegar um copo de Vodka — Rohan disse. — Você quer?

— Quero... Obrigado.

Em algum momento da festa, a última garota do colégio aproximou-se de Josuke, ela tinha cabelos dourados e sardas nas bochechas, claramente era estrangeira. Era lindíssima, mas não despertou interesse no rapaz. Ele só tinha interesse no desenhista naquela noite.

— Jo-Josuke-kun... Podemos conversar por um minuto? — perguntou, corada, tocando um dedo indicador no outro. 

— Claro que podemos — disse ele, ruborizado. — Do que você precisa?

— Eu gostaria de... De pedir — ela fechou os olhos com força antes de continuar. — QUER FICAR COMIGO?

N-nani?!

Rohan surgiu atrás da garota, segurando os dois copos de vodka. Seu rosto estava escuro.

— Ele não vai ficar com você — disse, seco.

— Ahn...? — a garota olhou para o artista, confusa. — Você é o homem que esbarrou comigo mais cedo.

— Por acaso, sou o dono dessa casa. E dono dele também — proferiu Rohan, apontando com um movimento do queixo para Josuke. Higashikata corou.

A estudante murchou.

— Oh, eu não sabia que o Josuke-kun tinha um dono.

— Ele tem — afirmou, sorridente.

— Sou todo dele, me desculpe — concordou, bêbado, e prosseguiu para abraçar a cintura de Kishibe.

— Ah... Entendo. Desculpem o inconveniente — disse ela, retirando-se da frente dos dois. — Te vejo na escola, Josuke-kun.

JoJo pegou um dos copos da mão de Rohan. Inclinou sua boca em direção ao ouvido do artista.

— Sua bunda fica linda nessa calça, sensei — sussurrou, arrepiando o outro. Bebericou uma cerveja aleatória da mesinha, deixando Rohan chocado pela última fala.

Beberam suas doses de vodka e tomaram um shot de tequila.

— Josuke, você está tão lindo — disse, levemente grogue, abraçando ele lateralmente. — Principalmente com esse cropped. Por acaso andou copiando... Meu guarda-roupa? 

Conversavam com os rostos quase colados, suas bochechas estavam igualmente avermelhadas.

— Rohan... — os olhos azuis encontraram os olhos esmeralda, uma onda de desejo percorreu o corpo de ambos. — Você é sempre... Uma inspiração pra mim...

— Você sabe que eu te adoro, não sabe? — enterrou seu rosto no ombro de Josuke. — A... Forma como eu te trato é pra disfarçar... Você me deixa idiota como você.

Um relance de sobriedade atingiu Higashikata ao ouvir aquelas palavras. Suas bochechas coraram ainda mais. Rohan tonteou e apertou ainda mais o tecido do paletó do estudante, buscando segurança.

— Eu também te adoro, Rohan... — tremulou os lábios. — Eu tô com vontade de chorar...

Rohan colocou o dedo indicador nos lábios de Josuke e disse “Tsc, tsc”. Tirou seu paletó, ficando apenas de camisa.

— Sem choros hoje... Só diversão — riu. — Você mesmo disse pra eu me divertir. 

Encontrou os olhos azuis do garoto e sentiu-se fora de si, um desejo desconhecido tomou conta de sua mente. Josuke sentiu o mesmo, controlando-se para não agarrar o homem que novamente o abraçou. Todo o restante em volta deles, cenário, pessoas e música, sumiu. Eram só os dois, zonzos e perdidos, guardando suas consciências bem no fundo de suas mentes.  

O artista levantou seu rosto e pegou, na mesinha da sala, mais uma lata de cerveja. Tomou um gole e deixou essa mesma quantidade em sua boca. O sofá da sala já estava vazio, Kishibe jogou o rapaz ali. Colocou o joelho ao lado da coxa de Josuke e, surpreedendo-o, deu-lhe um beijo, soltando o resto da cerveja na boca do rapaz. Higashikata bebeu aquilo rapidamente, o calor preencheu seu corpo e ele agarrou a coxa do homem que o beijava, trocando as posições e ficando por cima no sofá.  Plantou beijos no pescoço de Rohan, que começou a suar. Ambos gemiam de prazer entre os beijos que trocavam.

— Ah, Josuke... — gemeu, de olhos fechados. — Você é tão bom nisso...

— Sou tão bom com você porque... sou seu muso — sorriu, antes de inclinar-se para chupar a língua do outro.


☮️-✒️-☮️-✒️


Do outro lado da sala, Koichi conversava com Yukako e Okuyasu sobre o final da festa.

— A festa realmente ficou “americanizada” como o  Josuke queria. Parece até coisa daqueles filmes estrangeiros de adolescentes que assistíamos! — Hirose disse, animado. 

— 'Né? — Okuyasu riu e colocou a mão no bolso. — Eu acho que nunca tiva uma festa tão feliz, ele se dedicou tanto... 

— Tenho que dar o braço a torcer — sorriu Yukako. — Koichi-kun, você pode me levar pra casa? Já estou cansada.

— Claro, vamos...

— Não esquece que você tem que voltar para buscar a mim, meu pai e o Josu--

Okuyasu se virou e tomou um susto com a visão que teve.

EEEEEEHHH?????? — gritou confuso. Seu rosto ficou corado. Ele cobriu a face.

— O que foi? 

O casal ao lado dele olhou para o mesmo lugar.

EEEEHHHHH????? — os cabelos dos dois amigos se arrepiaram. 

Josuke e Rohan estavam se agarrando ali, no sofá do mangaká sem qualquer pudor. Koichi e Okuyasu não estavam apenas envergonhados, estavam absurdamente surpresos.

— É sério que vocês se surpreendem? — Yukako deu de ombros. 

ME LEVA PRA CASA COM MEU PAI AGORA! — gritou Nijimura, ainda cobrindo o rosto. A última coisa que iria querer era segurar vela pro amigo, mas teria uma conversa com ele a respeito daquilo no dia seguinte.

— O-okay — uma fumaça saía do rosto de Koichi. Pegaram a criatura que tentava mexer no aparelho de DVD e levaram para o carro. Não ousariam interromper o artista e o estudante que estavam se agarrando no sofá sem pudores. Apenas os dois ficaram na casa.


✒️-☮️-✒️-☮️


I'm a slave 4 U de Britney Spears soava na casa.

Baby, don't you wanna dance upon me?”, a voz cantora sensualmente os envolvia. 

Rohan tirou a blusa do rapaz e começou a beijar seu peitoral, deixando ali marcas verdes de seu batom. Josuke levantou fez um striptease lento, Rohan aplaudia, rindo vez ou outra. Pensou em desenhar aquilo, seria o material erótico perfeito. 

Minha vez — disse Higashikata, desabotoando a camisa do outro. Sua língua percorreu o mamilo do artista, que grunhiu de prazer. — Fica de pé.

Josuke ajoelhou-se e desabotoou a calça branca de Rohan, puxando-a para baixo lentamente, revelando então sua roupa íntima. O artista usava uma jockstrap verde que não cobria sua bunda.

Que pervertido — deu uma risadinha e levantou-se, apertando uma vez a nádega direita do mangaká. 

Rohan adentrou sua língua na boca do mais jovem, explorando cada canto dela com seu toque, deixando o outro ainda mais vulnerável e formigando.

A música parou.

Os dois rapazes se beijaram outra vez, apertando um o corpo do outro. Kishibe colocou a faixa que usava na superfície da testa em Josuke. Já descabelados, o estudante estava seminu e o artista também, foram para o meio da sala mais uma vez, dançar sem música uma espécie de valsa desengonçada, rindo. Cada giro fazia com que Rohan gargalhasse mais. Terminaram a dança com JoJo erguendo Kishibe na mesma pose que o casal de Dirty Dancing havia feito.

Josuke o colocou no chão e o fitou, observando a bela expressão feliz antes de abraçá-lo, considerando-o a criatura mais fofa e sexy possível.


✨Afterparty - uma história de @Soldier76✨


• • •

Horário: 09:49


Josuke acordou com uma vassoura batendo em seu peitoral por cima do tapete que o cobria. Abriu os olhos e sentiu a tontura da ressaca atingi-lo mais forte do que os pelinhos duros que estavam cutucando ele. Havia copos de plástico espalhados pelo chão, o cheiro de bebida no tapete era forte. Os móveis estavam fora de seus lugares.

— Ughhh...

— Higashikata Josuke — chamou Rohan, seco. Seu rosto estava escuro e sem expressão. Ele estava vestindo robes de banho brancos. Seu cabelo estava molhado. — Acorde para limpar minha casa. Tome banho e vista uma roupa. 

— Okay... — colocou a mão na cabeça.

— E tire minha faixa da sua cabeça — grunhiu. Jogou a vassoura no jovem e retirou-se da sala.

— Okay, sensei... — tirou o tapete de cima de seu corpo, olhando para seu próprio peitoral. Tinham marcas verdes ali. “Marcas verdes?”. Olhou novamente e corou. Aquelas eram marcas de batom! E a única pessoa usando um batom verde na festa, pelo que ele se lembrava...

Levantou-se, corado. Olhou para as marcas de beijo outra vez e gritou.

EEEEEHHHH?! 

Rohan ouviu o grito e correu para a sala, pegou a faca que estava no resto do bolo e colocou no pescoço de Josuke para ameaçá-lo. 

— Se você algum dia falar sobre isso pra alguém, eu arranco sua pele e transformo num tapete pra minha sala — seu rosto estava vermelho de fúria e de vergonha, seus olhos queimavam.

— Sensei, a faca 'tá do lado errado.

Kishibe olhou para a talher virada com o fio para fora. Suspirou, jogando-a no chão.

— Koichi-kun me ligou e contou o que aconteceu ontem... Argh... — colocou a mão na testa. — O que o álcool não faz com alguém? Eu nunca mais te escuto na minha vida. Vou ter que apagar a memória dos nossos amigos, pense no trabalho que você me deu! Você me usou, garoto.

— Olha, vendo essas marcas, fica claro que não fui eu quem usou você — e apontou para as manchas de batom verde. 

— Ora, como ousa insinuar algo?!

— As provas estão na minha pele! — gritou de volta. Ao gritar, Crazy Diamond apareceu ao lado dele.

— POR QUE VOCÊ VAI ME ATACAR?

— PORQUE VOCÊ É IRRITANTE!

— Seu garoto desgraçado! Heaven's Door — o Stand do garoto de chapéu apareceu. No entanto, ao invés de atacarem um ao outro, Heaven's Door deu um beijo na bochecha de Crazy Diamond, que o abraçou. — Você só pode estar de brincadeira — revirou os olhos.

Josuke colocou a mão no rosto, sentindo o beijo na bochecha através do seu Stand. Rohan sentiu o abraço.

— É, você gosta de mim! — sorriu, debochado.

— Cala essa sua boca! — o mangaká gritou, furioso. — Deve haver algum equívoco!

— Eu te odeio! — mentiu, gritando com as bochechas avermelhadas.

— Eu te odeio muito mais, moleque!

E continuaram brigando, enquanto seus Stands trocavam carinhos.


• • •














Notas Finais


Spoiler: vocês já repararam que o Rohan não menciona o nome do Josuke nas OVAs dele? Pois então, no meu headcanon, ele não faz isso por causa desse episódio com o rapaz, porque isso traz flashbacks até hoje.


Se tem algum menor de idade lendo essa história: não dê PT, isso só é legal em fanfictions!
Outros avisos: Lembre-se de beber com moderação, sempre tenha uma pessoa no meio de vocês - seus amigos - que mantém a sobriedade, assim como o Koichi nessa história.

Eu imagino que já devam existir muitas histórias com o Josuhan bêbados, mas essa fic é uma obra original e não contém qualquer cópia textual de obras alheias. Qualquer semelhança com outras obras de fic writers é mera coincidência.

• Essa história NÃO é conectada com as seguintes histórias: Rascunhos, Físico, Train e Estragos •

Prequel: "De: Josuke - Para: Okuyasu"
https://www.spiritfanfiction.com/historia/de-josuke--para-okuyasu-19765282

Confira outras histórias e suas conexões:

https://www.spiritfanfiction.com/listas/trilogia-rascunhos--s76-6089684

https://www.spiritfanfiction.com/listas/aniversario-do-okuyasu--s76-6089683

• • •


Ah, e por que eu coloquei duas músicas da Britney na história? Porque o Araki ama ela e eu também, nada mais justo.
Arte usada na fanfic: https://opinkumandayo.tumblr.com/post/157940751767

Agradeço a leitura! 🐈✨


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...