História Against all the possibilities of love (Drarry) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Blásio Zabini, Cedrico Diggory, Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Lucius Malfoy, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Narcissa Black Malfoy, Pansy Parkinson, Personagens Originais, Remo Lupin, Ronald Weasley, Severo Snape, Sirius Black, Theodore Nott, Tom Riddle Sr., Yaxley
Tags Draco Bottom, Drama, Drarry, Harry Seme, Mpreg, Pansmione
Visualizações 112
Palavras 1.701
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Avisos:

▪Não consegui me controlar e trouxe mais uma Drarry novinha em folha para vocês kskj

▪Essa foi minha primeira tentativa de Lemon então por favor me dêem um desconto pela inexperiência. Estou bastante insegura com ele mas até que achei aceitável.

▪Espero que gostem de ler tanto quando eu amei escrever. Boa leitura ♡

Capítulo 1 - Prologue


Fanfic / Fanfiction Against all the possibilities of love (Drarry) - Capítulo 1 - Prologue

Draco sabia que aquilo era errado. Muito errado, ele como monitor tinha a obrigação de não permitir alunos fora da cama depois do toque de recolher e não abrir exceção em ipótese alguma. Mas ele merecia, seu coração estava quebrado da forma mais dolorosa possível entregou tudo de si para o menino-que-sobreviveu e pra quê? Para ele voltar correndo aos braços da Weasley fêmea e o largar como se fosse lixo, como se não importasse, como se todos os meses que passaram juntos as muitas juras de amor susurradas ao pé de ouvido as noites na sala precisa dividindo seus medos, sonhos e desejos mais íntimos nunca tivessem sequer existido.

Mais uma das muitas vezes sentiu seus olhos encherem de lágrimas e respirou fundo, negando-se a chorar na frente daquelas pessoas. Mordeu os lábios incerto sobre concordar com aquela festa, tinha que admitir que Parkinson foi esperta em da um jeito de organizar e ser no dia que ele ficaria monitorando, ela sabia que ele não iria por vontade própria já que ultimamente não tem feito nada além de ficar enfurnado no dormitório saindo apenas para as aulas e voltando logo depois. Não estava se alimentando muito e era notável pela perda de peso, o pouco que comia botava para fora, enjoava com qualquer coisa, ontem mesmo faltou colocar as tripas para fora só de sentir o cheiro da comida, também não estava dormindo direito e as olheiras profundas o denunciavam por si só. Draco odiava como seus amigos o olhavam com pena e mais ainda quando certo Grifinorio o fazia também. Ele sempre foi confiante, seguro de não deixar transparecer tais sentimentos perto das pessoas e estava sendo ótimo até cometer a burrisse de se apaixonar.

Paixão é eufemismo perto do que sentia por Harry Potter. Ele o amava mais do que qualquer coisa, Potter o acolheu quando chorava copiosamente com medo do futuro traçado desde criança, medo de decepcionar seu pai, medo de ir contra tudo o que lhe foi ensinado e muito mais de não conseguir e acabar do lado das trevas, medo por sua mãe, medo de tantas coisas que se não fosse o braço o apertando fortimente enquanto soluçava sentindo o pulmão implorar por ar tinha certeza que faria uma besteira das grandes. Draco estava assustado e tão fodidamente cansado de tudo isso, nunca desde que se entende por gente teve escolha para qualquer coisa que seja. Mas naquele dia... Naquele dia ele escolheu ficar com Harry, se entregar de corpo e alma ao eleito e nunca achou que se arrependeria até um mês atrás quando o moreno pediu Ginevra Weasley em namoro na frente de todo mundo.

O loiro ficou em choque durante todo o pedido e a comemoração com gritos e palmas que se estendeu no local. Só podia ser brincadeira, de muito mal gosto mas brincadeira. Estava abismado como era possível? Na noite anterior tinham se amado o outro falou repetidas e incansáveis vezes que o amava, ele tremia sentindo a cor fugir da sua pele, se sentiu traído, usado, enganado, sentiu tanta coisa horrível ao mesmo tempo que só foi acordar no dia seguinte na enfermaria com Pancy ao seu lado o olhando preocupada ele havia vergonhosamente desmaiado. Não pode evitar pensar na probabilidade que tudo não passou de um pesadelo e ousou perguntar a garota a sua frente visivelmente tenebroso com a resposta, nem sabia se de fato queria ouvir, mas ouviu. Ouviu e pela primeira vez se deixou chorar na frente da amiga que o abraçou e tentou inutilmente o confortar, mas o abraço que ele precisava não teria.

Se sentiu tão estúpido por ainda remoer essa história, por ainda pensar nele e reviver todos os momentos que passou ao seu lado que se limitou a andar apressado até a mesa de bebidas começando a ingerir, o álcool descia rasgando pela sua garganta mas ele pouco se importava, não gostava de beber e era fraco mas ainda assim terminou rápido o copo enchendo logo outro e outro e outro. Já fazia um mês e ele continuava sendo idiota deixando de viver e se cuidar por conta daquele testa rachada imprestável. Não sabia dizer em qual momento ouvir a conversa dos outros se tornou tão engraçado nem do que tava rindo já que não entendia nada do que era dito, tudo girou e ele se apoiou na parede olhando para as pessoas tentando encontrar Pansy ou Blásio mas acabou bufando irritado por não encontrar nenhum dos dois.

-Quer ajuda ai Malfoy?

Virou o rosto vendo Nott o olhar de forma estranha passando um dos braços pela sua cintura.

-Lá f-for-a.

Falou o mais coerente que conseguiu o que não foi lá essas coisas mas Theodore entendeu o segurando com firmeza arrastando para fora da comunal. Se estivesse consciente Draco agradeceria pelos corredores estarem vazios mas como não estava só continuou andando sem rumo aparente se deixando ser guiado pelo mais alto. Pararam perto de alguns bancos e Nott ajudou o loiro a sentar sentando em seguida e encarando aqueles olhos cinzas únicos que sempre forá tão apaixonado agora estarem sem brilho, opacos, vazios.

-O que fizeram com você. Murmurou retoricamente levando as mãos as madeixas do outro fazendo um leve carinho

Draco não conseguiu processar o que aconteceu. Em um momento Theodore fazia carinho em seus cabelos no outro se aproximou perigosamente perto e no outro estava no chão desacordado. Arregalou os olhos e tentou levantar mas suas pernas cederam e antes que pudesse cair um par de braços fortes o seguraram apertado. Não importa a condição que se encontrava reconhecia aquele corpo e cheiro em qualquer lugar. Levantou a cabeça rapidamente focando em olhos incrivelmente verdes que o encaravam de volta com uma avalanche de sentimentos tão grande que Draco quis chorar, e chorou tentou desvencilhar do causador do seu sofrimento mas não tinha forças o suficiente.

-Princesa, o que você fez? Perguntou Harry preocupado tirando os fios do rosto do loiro

Ele quis falar alguma coisa, quis gritar com o Moreno esculhanbar de tudo quanto é nome. Ele não tinha o direito de o chamar dessa forma, não mais. Mas o loiro mais uma vez não conseguiu, só chorava e se agarranva no Potter como se sua vida dependesse disso. Se assustou prendendo-se ainda mais quando sentiu ser erguido, murmurou alguma coisa que nem ele mesmo compreendeu e deixou ser levado para onde quer que fosse. Fechou os olhos embriagado com o cheiro característico do moreno, soltou um gemido satisfeito enterrando o rosto no vão do pescoço do mesmo. Depois de um tempo sendo carregado foi colocado no chão e abriu os olhos vendo que estavam no banheiro do dormitório da Grifinoria, surtaria com certeza se estivesse em melhores condições.

-Vou te dar um banho ta bom?

A voz de Harry saiu sofrega e Draco o analizou pensando em responder mas continou em silêncio enquanto o outro tirava suas roupas, completamente despido virou o rosto corando. Harry o ajudou a entrar na banheira tirou as próprias vestes e entrou junto pegou o sabonete começando a ensaboar o loiro que agora o encarava fixamente. Draco se aproximou sentando nas pernas do moreno, levou as mãos ao rosto do mesmo acariciando o local, deixou suas testas se tocarem e fechou os olhos respirando fundo.

-Porque fez isso Hazz? Perguntou mordendo o lábio nervoso

-Não faça isso princesa. Suplicou o outro levando as mãos a cintura fina do loiro apertando

Draco sabia que se arrependeria mas no momento queria aproveitar a presença do mais alto. Sentiu tanta falta tanta saudades de estar juntinho ao seu Hazz que não exitou em acabar com a distância e selar seus lábios, de iniciu só um encostar mas não demorou muito para sentir as medeixas bagunçadas nas suas mãos e puxar com certa força beijando aqueles lábios com impaciência, invadiu a boca alheia com sua língua explorando cada cantinho com urgência e fome. Harry tentava acompanhar os movimentos urgentes do loiro quase fundindo seus corpos de tão possessivamente que o apertava contra si.

Draco separou as bocas bruscamente levando uma das mãos ao pênis do moreno que gemeu surpreso, sem perder mais tempo ergueu o quadril posicionando-o na sua entrada. Harry se dando conta do que iria acontecer tentou o afastar já que o loiro não estava em condições e muito menos preparado para o receber. Draco vendo o outro abrir a boca para protestar se afundou com tudo soltando um soluço alto pela dor latenjante deixou a cabeça cair na curva do pescoço alheio e mordeu o local tentando inutilmente descipar a dor, suas paredes internas apertavam o invasor querendo o expulsar lágrimas grossas deixavam seus olhos e ele ouviu um soluço e o corpo abaixo do seu tremer voltou a encarar o moreno que chorava tanto quanto si mesmo.

-Shii. Ta tudo bem Hazz, vai ficar tudo bem.

Falou um pouco menos enrolado enxugando as lágrimas do outro e sorrindo fraco começando a se mover, subia quase saindo por completo só para depois voltar, acelerando gradativamente a água não colaborava muito e logo o moreno o ajudou separando suas nadegas para livre acesso se enterrando ainda mais dentro do loiro que jogou a cabeça para trás gemendo alto e bom som o nome de Harry sentindo sua próstata ser acertada em cheio. Potter sorriu contido acertando repetidas vezes aquele local se deliciando com os gamidos palavrões e pedidos por mais forte e mais rápido que Draco praticamente berrava descontrolado de tanto prazer. O moreno também não estava diferente marcava o loiro com desespero descontando seu próprio prazer sentindo o interior apertado se contraindo em volta do seu pênis propositalmente pressionou com vigor as mãos na bunda farta satisfeito porque ficaria a marca dos seus dedos por semanas.

Se encontravam em uma bagunça de gemidos estocadas violentas orfares mordidas chupões e arranhões não demorou mais que isso para se desfazerem juntos Draco sentindo ser preenchido por porra e gemeu em desagrado quando Harry se retirou de dentro de si.

-Eu te amo Hazz.

Sussurou exausto, sentiu o corpo amolecer e as pálpebras pesarem antes que adormecesse de vez ouviu o mais alto dizer que o ama também. Daria qualquer coisa para que aquilo fosse verdade e para acreditar em tais palavras.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...