1. Spirit Fanfics >
  2. Agente 023 >
  3. Se acalme

História Agente 023 - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Olaaa!! Eu sei , eu sei, faz um tempinho que não atualizo esta historia, mas em minha defesa??!! Não tem defesa só estou tentando fazer uma historia muito boa para voces e estou sem ideias kkkkk Bom é isto
Desculpe os erros.
Boa leitura!!!

Capítulo 5 - Se acalme


-E agora? Digo pegando duas cervejas para nos.- Se ela conseguir mata o vice-presidente o que ela vai fazer?

-Bom, não me recordo muito desta parte do plano, por que foi neste tempo que eu começei a tramar para fugir. - Mais sei que ela vai colocar em estado de alerta, por que o proximo alvo vai ser o presidente obviamente. Ela disse tomando sua cerveja. - Depois disto não sei o que acontece, acho que os agentes vão entrar em ação e ai sei lá acho que ela vai começar a atacar os paises para tornar tudo um grande imperio dela. Ela disse como se fosse a coisa mais obvia.

- E como vamos impedir isto? Digo ja bravo com a calmaria dela.

-Meu anjo não tem como impedir. Ela disse revirando os olhos. -O maximo que podemos fazer é achar estas crianças e se possivel achar uma cura para esta injeção.

-Angel  como voce consegue ficar calma com isto? Esta mulher vai começar guerras, ela vai acabar com tudo. Digo bravo.

-E quem disse que estou calma? Eu apenas consigo me controlar melhor que você. Ela fala se levantando e ficando de frente para mim. - Em uma guerra, o auto controle é tudo, se voce continuar a deixar se levar pelos sentimentos desta forma voce não vai ver o que é a coisa mais obvia.

-Então é isto? Este é o seu grande segredo? Voce não tem habilidades ultra elevadas? Voce apenas pensa bem?

-Não, eu tenho habilidades ultra elevadas, por exemplo sei que posso te derrubar mais rapido do que voce conseguiria pensar em se defender, sou mais rapido do que voce um dia conseguiria pensar, mais a questão do "ver coisas que ninguem vê" que eles tanto colocam na minha ficha, se chama alto controle, concentração e percepção, o soro não tem muita influencia nisto. Ela fala observando minhas feiçoes.- Eu sei que voce esta se questionando agora, sei que acha que eu te enganei para que me soltasse mas, acredite em mim, toda resto é verdade.

-Então me mostre. Digo firme. - Me mostre suas habilidades.

-Claro que quando? Ela diz com um meio sorriso.

-Agora, vá trocar de roupa e vamos para a academia do condominio.E assim não sei o por que eu sai da sala pronto para trocar de roupa e ir para a  academia provar algo que nem se quer fazia sentido para mim.

Assim que cheguei na sala ela estava da mesma forma, com a mesma roupa bebendo cerveja.

-Não vai se trocar?

-Não, quero que acredite de uma vez por todas que não estou mentindo para voce. E assim ela foi em direção a porta.

Quando chegamos ela ficou parada me vendo aquecer, parecia se divertir com tudo aqui.

-Então quer começar pelo o que? Ela disse ironica.

-Corrida.

Fomos em direção a esteira, fui o primeiro a ligar e fui aumentando a velocidade, ela ficou parada me olhando por alguns estantes enquanto eu achava a velocidade maxima que eu conseguia, ela subiu na esteira e ligou e foi subindo a velocidade, indo muito alem do que eu aguentava, ela corria tão rapido que parecia que ela se ela tropeçasse ela iria cair mais ela se mantia tranquila, quando não aguentei mais eu parei de correr e ela continuou, e continuou e continuou.

-Se quiser ir faze outra coisa. Ela disse sem nem ao menos estar ofegante.

-Tudo bem eu ja entendi. Digo me rendendo enquanto ela sorria e parava a esteira me olhando. -Este treco não faz voce suar tambem? Digo incredulo.

-Voce sabe que eu nem cansei direito né? Ela diz sorrindo.-E agora,ja esta na hora deu bater em voce?

-Por que voce quer me bater?

-Por que agora eu poderia estar tomando um banho, mas não estou aqui te provando o que aquela porcaria de soro fez comigo. Ela diz revirando os olhos.

-Tudo bem, vamos la. Digo ja me arrependendo do que falei, talvez eu levasse uma pela surra, mais eu precisava saber.

Chegando no tatame que tinha ali proximo, fiquei na minha posição de ataque enquanto ela apenas ficava parada me olhando, ela não se movia, então eu parti para cima com um soco certeiro, ela desviou de mim me fazendo passar direto, novamente parti para cima dela e novamente ela se mexeu como se dançasse, no seu rosto havia um sorriso ironico enquanto eu tentava distribuir socos que ela desviava sem muita dificuldade.

-Vamos Henderson, mais forte, mais rapido...Ela disse enquanto eu continuava a tentar ataca-la. - Se nao me atacar com vontade não vou me mexer.

E assim eu fiz o que ela pediu, tentei distribuir socos mais rapido, mais ela continuava a desviar então resolvo derruba-la, a segurando pela cintura a derrubo no tatame com muita facilidade, seu olhar para mim é de divertimento, enquanto eu seguro os braçoes dela em cima da cabeça e começo a imobilizar suas pernas.

-E agora? Digo ofegante enquanto nossos rosto ficam muito proximos um do outro.

-Agora? Eu vou te jogar no chão. Ela diz sorrindo.

-Eu estou te segurando voce não vai conseguir sair daqui, todo meu peso esta sobre voce. Digo confiante.

-Fica vendo. E com um movimento da perna ela consegue girar o quadril me jogando para baixo enquanto ela me segura da mesma forma que eu a segurava. - Agora tente sair.

Me debato,faço a maior força que consigo mais é como se meus braços e pernas estivessem presos por cortas extremamente apertadas.

-Eu desisto. Digo ja derrotado.

-Agora acredita em mim?

-Sim.

-Otimo. E saindo de cima de mim, ela me entendeu a mão para me ajudar. - O que deu em voce garoto?Achei que eramos parceiros.

-Nada envergonhado.

-Não, não é nada... voce tem algo sim por que se não, não teriamos feito tudo isto aqui. Ela fala como se podesse me ler.

-Não sei, estes dias tem me deixado nervoso, estas ameaça que pode acontecer a qualquer momento, e...

-Voce esta se sentindo inseguro? Por que não consegue controlar sua vida?

-Sim. Diga abaixando a cabeça.

-Eu sei como voce se sente, nao tive controle da minha vida por 18 anos, e quando eu tive que tomar o controle estava muito perdida assustada, e foi ai que percebi que nunca vamos conseguir ter o controle total das nossas vidas, pensa assim eu passei 5 anos naquele hospital, como voce acha que me senti? Eu passei 5 anos presa em um cativeiro sendo mantida como uma experiência de sucesso, e quando mais voce tentar se manter no controle mais voce vai se cansar. Ela diz piscando para mim.

-Eu sei, mas...

-Mais nada Henderson, tente se acalmar, tente se concentrar como eu disse, não deixe as coisas te subirem a cabeça, por que se não assim voce vai acabar te prejudicando. Quer um conselho? Como amiga.

-Sim.

-Vá transar, isto sempre acalma. Ela diz apertando meu rosto como se eu fosse uma criança. - Vai sair com a loirinha, ela quer muito sair com voce. E assim ela saiu.]

Fiquei ali me sentindo um idiota, e uma criança pela forma que ela segurou meu rosto.

-Talvez ela esteja certa. Digo a observando. - Acho que tenho mais coisas para aprender com ela do que eu pensava.

-------------------

No outro dia, eu estava pronto para tomar meu café quando ela desceu, estava de jeans rasgado, uma camisa regata e a jaqueta, o cabelo estava preso em um coque muito bonito e ela estava maquiada aparentemente.

-E ai pronto? Ela diz assim que chega na cozinha.

-Sim. Digo tentando não ficar chocado com o fato dela estar muito bonita e cheirosa. - Vamos.

A delegacia estava uma grande bagunça, estavam todos em estado de alerta, o numero de pessoas estava reduzido e o senhor Jhonson estava distribuindo ainda mais sua raiva por ai.

-Henderson, va se encontrar com a senhoita Guerra para interrogar os enfermeiros, e Ruiz vai junto. Ele disse bravo.

-Sim senhor. Digo enquanto Angel deixava suas coisas na mesa e me seguia.

-Oi Logan. Sophia me recebe com um sorriso muito bonito. -Ruiz?

-Ola senhorita Guerra, o senhor Jhonson me mandou, não pretendo atrapalhar. Ela diz seria.

-Claro. Sophia diz estranhamente incomodada. -Bom voce pode ficar com o Sanderson pelo vidro, enquanto eu e o Logan fazemos o interrogarotio. Sophia é estranhamente rispida, um tom que nunca a vi usar com ninguem.

-Claro. Porem Angel parece não se afetar com aquilo, ela se dirige para a sala por tras do vidro, onde um homem bem elegante esta a esperando.

-Senhorita Ruiz, achei que nunca a conheceria um dia. O homem de cabelos castanhos diz estendendo suas grandes mãos para Angel que a segura com a mesma segurança. - Sou Gabriel Sanderson.

-Muito prazer senhor Sanderson. Ela diz educada.

-Por favor me chame de Gabriel.E assim os dois entraram em uma conversa.

-Logan... A voz de Sophia me faz acordar da cena.

-Sim.

-Vamos?

-Si..sim. Digo dando uma ultima nos dois.

Tento me concentrar o maximo que consigo, tento me lembrar do que Angel me falou na noite passada, me manter calmo ira me ajudar a achar mais informações.

-Então senhor, voce esta sendo acusado de sequestro de menos, carceri e por fazer experiência em humanos, sem contar os inumeros mortos, facil voce vai ficar preso neste lugar para sempre, porem se nos ajudar voce podemos negociar uma pena de 70 anos, voce vai sair da cadeia velho, mais vai conseguir aproveitar o resto da sua vida aqui fora. Sophia diz me deixando chocado, como ela queria diminuir a pena deste homem? Ele é não merece.

-Serio senhorita Guerra? Voce acha mesma que qualquer juiz ira aceitar isto que voce esta falando? Me polpe, eu sabia exatamente onde estava me metendo quando comecei a fazer o que eu fazia, não vou entregar nada para voces, por que ja é tarde de mais, e voce sabe não é senhor Henderson?. O homem de olhos azuis diz me olhando fixamente. - Sua amiga Ruiz ja lhe deve ter contado algo não?

-Não. Minto sendo o mais firme que posso.

-Ruiz? O que ela tem haver com isto? Sophia diz seria.

-A senhorita Ruiz é nosso melhor esperimento, ela ela a agente zero, ela tentou avisar voces, mais voces a ouviram? Não, então agora apenas aceitem, não tem como nos deter. O homem diz serio.

- O que voce quer dizer com isto? Sophia fala novamente porem ele não fala nada.-Logan? Ela diz se virando para mim.

-Eu não sei de nada. Minto novamente, não iria entregar Angel, eles poderiam querer machuca-la.

-Voce sabe que ela é uma bomba relogio não? Uma unica dose, uma unica gota de sangue com o soro vai a fazer ativar e quando isto acontecer. O homem diz sorrindo. -Nem voce vai conseguir a trazer de volta.

-Ela esta bem. Digo não conseguindo me conter, "controle suas emoçoes", a frase de Angel vem na minha mente. -Por que voce esta mentindo. Digo serio.

-Ah, entendo eles não sabem, eles acham que ela é maluca. O homem diz serio.- Mas voce sabe, voce sabe do que ela é capaz, e acha que pode protege-la, mas não pode, nós vamos atras dela, ela é nossa arma mais letal,e não vamos perde-la.

Minha mente estava a mil, eu precisava sair, eu precisava ver que ela estava bem, mas se eu fizesse isto Sophia saberia que era verdade e eles poderiam tentar machuca-la, então como ela me disse, me contro-le.

-Não sei do que esta falando, a senhorita Ruiz passou por um momento dificil porem ja esta melhor e reintegrada a sociedade, voces não podem fazer nada contra ela, ela uma das nossas melhores agentes, se voce não quer nos ajudar tudo bem, eu perguntarei ao seu amigo da sala ao lado que disse que ira nos ajudar, dando o nome do chefe de tudo isto.

-Ele não pode. O homem diz parecendo assustado.

-Pode sim, por que diferente de voce ele aceitou nosso acordo, ele sabe que a senhorita Guerra aqui conseguiria qualquer coisa, eu estou muito animado para saber o nome da sua chefe. Digo vendo ele se assustar.

-Ele não pode entrega-la, ela é poderosa de mais,ela não vai deixar que isto vá em frente.

-Sera? Por que talvez ela não possa fazer nada sobre,por que isto a entregaria não? Entao me diga, qual sera o proximo passo?

-Não sabemos, eles apenas iram atacar novamente o vice-presidente, mas agora que começou não tem como parar, apenas quando os agentes ja tiverem nas ruas.

-  E o que vai acontecer quando eles tiverem na rua?

-Vão começar um controle populacional, ditadura, poder absoluto, ela vai dar golpes de estado em todos, e ninguem vai conseguir dete-la, ela sera o poder absoluto.

-Quem é ela? Digo ja sabendo quem é...

- A secretaria Jordana Wenders.

Sophia da um salto do meu lado, e eu continuo serio.

-Acho que ja temos o que precisamos, digo saindo da sala deixando Sophia sozinha com o homem, do outro lado do vidro Angel olhava para o vidro e parecia orgulhosa, mas naquele momento eu estava apenas com raiva.

-Ruiz. Digo assim que ela olha para mim.

-Prazer em conhece-lo Gabriel, e não vejo a hora de irmos tomar aquele café. E assim ela me segue para uma das sala de interrogatorio do lado.-Mandou bem garoto.

-Voce esta brincando, voce ouviu o que ele falou la dentro? Digo bravo com a calma dela.

-Sim.

-E voce não esta assustada com o fato deles quererem vir atras de voce?

-E voce acha que eu não sabia disto? Ela fala se sentando em uma das mesas.

-O que? Voce esta se colocando em perigo, e se eles te pegarem? E se voce entrar em contato? E se todos da delegacia souber. Eu estava a ponto de surtar quando ela me puxou para um beijo, ela apenas colou nosso labios por alguns momentos e quando ela nos separou ela estava me olhando sorrindo.

-Só assim para voce ficar quieto. Ela diz se afastando de mim, enquanto eu não entendia o motivo daquele beijo. - Eu tenho um plano, eu vou ajudar voce o maximo que eu conseguir e se por acaso eu for presa, ou tiver contato com o soro, eu vou me encerrar.

-Oi? Encerrar?

-Sim, eu morro no final.


Notas Finais


E ai pessoal?? o que acharam das revelaçoes desta capitulo? Bom espero que tenham gostado...
Fiquem em casa.
Um beijo e um queijo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...