História Agentes em fuga (Me apaixonei pelo meu melhor amigo) - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Romance, Survival
Visualizações 14
Palavras 1.882
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Policial, Saga, Shoujo (Romântico), Survival, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Já peço perdão pelos erros ortográficos...
Tenham uma boa leitura.💙

Capítulo 15 - Agentes em fuga II


Fanfic / Fanfiction Agentes em fuga (Me apaixonei pelo meu melhor amigo) - Capítulo 15 - Agentes em fuga II


Angel P.O.V

Entramos na floresta correndo desesperadamente, conseguiamos ouvir o barulho do helicoptero sobrevoando em cima de nós, sorte que as árvores eram grandes e não dava pra nos ver. Ficamos correndo por alguns minutos, já estava escurecendo e precisavamos achar um lugar seguro para podermos passar a noite.

John: - Vamos andar mais um pouco, talvez tenha uma cabana ou algo do tipo mais pra frente. (John estava escorado em uma árvore recuperando o folego.)

Angel: - Estou preocupada com David... (Eu também estava recuperando o folego.)

John: - Ele vai ficar bem, quando sairmos dessa iremos atrás dele. (Continuamos a andar.)

David P.O.V

Depois que Angel e John sairam a polícia chegou, como a casa não tinha porta eles entraram com tudo apontando a arma em minha direção.

David: - Calma! Calma! Eu estou desarmado... (Levantei os braços me rendendo.)

Policial: - Levanta da cadeira e fica de costas! (Eles ainda apontavam a arma para mim, os outros olhavam ao redor da casa procurando por John e Angel.)

David: - Não consigo... Estou ferido. (Eles me revistaram e me pegaram pelo braço com brutalidade e me levaram para fora da casa.)

Policial: - Cadê os outros? Para onde eles foram?

David: - Não sei, eles fugiram... (O helicóptero estava pousando na areia da praia, e a Alice descia do mesmo e vinha em minha direção, enquanto o helicóptero sobrevoava novamente.)

Alice: - Olha só... Eles te deixaram para trás foi? (Eu apenas olhei para o lado a ignorando.)

David: - Vocês podem me levar por favor? Estou com muita dor. (Falei para um dos policiais que me segurava.)

Alice: - Nós cuidamos dele agora. (Ela os olhou e deu as costas entrando em um carro preto.)

Eles me colocaram em um carro, o que eu acho um absurdo, eram pra eles me levarem em uma ambulância... Mas não falei nada, me levaram para um hospital próximo e lá eles me examinaram, o médico falou que se a bala pegasse um pouco mais pra cima eu iria perder o movimento das pernas, e que eu iria fazer uma cirurgia para poder retirar a bala e depois ficar em observação. Eles me colocaram em um quarto até da a hora da cirurgia, e como eu havia previsto, tinha um policial vigiando do lado de fora, eu estava deitado tomando soro esperando o doutor me levar para cirurgia, e a Alice passou pela porta como se fosse a casa dela.

Alice: - Agora você vai contar tudo o que aconteceu naquele cais, o que aconteceu com o Alex, e onde está o John e a vagabunda da Angel. (Ela meio que rosnava.)

David: - Tenho uma notícia boa e outra ruim... (Ri da situação.) - A boa é que a Angel matou o Alex. (Ela apertou seus punhos e me olhava com fúria.) - A ruim é que você é a próxima... Ruim pra você é claro.

Alice: - É o que veremos. (Ela se aproximou de mim.) - Quando você sai daqui, você vai direto pra uma cela. (Ela colocou sua mão em cima do meu ferimento.) - E não vai sair de lá tão cedo...

David: - Por quê? Que eu saiba, eu não fiz nada. (Ela me apertou meu ferimento e segurei seu pulso.) - E você não tem provas contra mim, eles podem ter me forçado. Você não pode me prender...

Alice: - Ah querido... Você não me conhece, eu vou acabar com vocês e não preciso de provas pra te matar. (Ela sussurrou e apertou com força meu ferimento, gemi de dor e ela tirou a mão do local ferido.) - Melhoras Davidzinho. (Ela se retirou do quarto e o doutor entrou em seguida me levando para cirurgia.)

Angel P.O.V

Já haviamos andado bastante, eu não aguentava mais andar, além de ter levado uma surra daquele armário eu perdi meu pai, tinha deixado um amigo para trás e agora tô no meio de uma floresta morrendo, eu estou completamente exausta, só queria descansar um pouco... Aliás, eu não sei como vai ser daqui pra frente.

Angel: - Eu não aguento mais John... Estou cansada. (Me sentei ao pé de uma árvore.)

John: - Ok, podemos parar um pouco, só vou dar uma olhada em volta pra ver se encontro algo e se estamos seguros e já volto. (Ele me deu um beijo na testa.) - Fique atenta! (Então ele saiu.)

Eu daria tudo pra voltar no tempo e em vez de querer entrar pro FBI ter feito faculdade de medicina veterinária, pelo menos estaria salvando vidas de animais e não estaria perdendo pessoas que eu amo. Mas não, eu tinha que querer ação, emoção, aventura e adrenalina, esse é o preço que estou pagando... Eu queria tanto entender o por que a Alice me odeia, quando eu a conheci eu fui super gentil com ela, quis fazer amizade mas ela sempre quis ser superior, ela era a melhor agente em disfarces, e realmente ela é a melhor nesse quesito... Conseguiu enganar todo mundo. Enquanto eu estava distante nos meus pensamentos, ouvi um barulho e apontei a arma para o local que o mesmo vinha:

John: - Ei calma, sou eu. (Abaixei a arma aliviada.) - Descupe se te assustei, e me desculpe por tê-la deixado sozinha. (Ele estendeu a mão para que eu levantasse.) - Vamos. (Olhei confusa, mas aceitei a ajuda e me levantei.) - Achei um lugar para passarmos a noite.

Segui John pela floresta e o final dela dava para uma estrada, e no outro lado havia um motel. Atravessamos correndo e fomos direto pra entrada, mas estava fechado, só ai percebemos que estava tudo escuro o lado de dentro, como já estava a noite John resolveu da a volta e tentar abrir alguma janela. QUEM TEM UM MOTEL E O DEIXA FECHADO A NOITE? John conseguiu abrir uma janela, então pulamos entrando no local, não era lá essas coisas mas era aconchegante, não entendo qual era o motivo de está fechado.

John: - Bom... Você procura algum quarto e eu procuro algo para comermos, tudo bem? (Confirmei com a cabeça e ele saiu.)

Passei por um corredor gigante olhando um quarto por vez, mas só havia quarto de solteiro com uma cama ou até duas. Chegando no final do corredor abrir a última porta que faltava e entrei no quarto ligando a luz, ele era grande, no centro dele havia uma cama de casal bem grande, me sentei na mesma para ver se era confortável... E sim, era bem confortável, então resolvi deitar e relaxar um pouco, fiquei observando o quarto e vi uma porta ao lado do pequeno guarda roupa que estava ali, me levantei indo em direção a porta e abrindo a mesma... Liguei a luz e me deparei com um banheiro enorme, tinha até banheira, um espelho grande com duas pias, um box com chuveiro e o resto é o que todos banheiros tem.

John: - Então vai ser esse? (Me virei em um pulo.)

Angel: - Que susto John! Quer me matar? (Coloquei a mão no peito tentando me acalmar enquanto John ria.) - Sim, vamos dormir nesse quarto... Você não gostou?

John: - Claro que gostei! Vou dormir agarradinho com você. (Ele deu um sorriso travesso.) - Bom... eu achei algumas besteiras, bolacha, salgadinho, refrigerante e um bolo inteiro... E não está estragado, acho que alguém esteve aqui hoje cedo. (Falou indo em direção a cama e colocando as coisas em cima da mesma.) - Ah você não vai acreditar... Aqui tem um cômodo que é uma lojinha, e tem roupas. (Ele pegava um pedaço de bolo.)

Angel: - vamos comer primeiro e depois vamos até lá. (Me sentei na cama e abri o refrigerante.)

John e eu terminamos de comer e ele me levou até a lojinha, realmente tinha algumas roupas, havia poucas opções e eram feias, de roupa intima a roupa casual, mas até q a lojinha era completa. Peguei um conjunto de calcinha e sutiã azul e preto, e um vestido florido... John pegou uma cueca box preta, bermuda e uma camisa preta com estampa de folhas verde, as coisas eram bem "praianas" deve ser por causa da praia por perto. Voltamos para o quarto e descidi tomar banho primeiro enquanto John arrumava a bagunça que ele tinha feito na cama com a comida, mas antes peguei a camisa que ele havia pegado na lojinha.

John: - Ei! O quê eu vou usar agora? (Ele me olhava com os braços cruzados.)

Angel: - Você dorme sem camisa, como sempre. (Dei uma piscadinha pra ele e entrei no banheiro fechando a porta.)

Tirei a minha roupa e entrei no box ligando o chuveiro, coloquei minha cabeça dentro da água e tentei não pensar muito no que tinha acontecido e no que está pra acontecer, mas era inútil, eu tinha que provar a minha inocência da acusação que com certeza Alice fez sobre mim, e também tinha que descobrir o que fizeram com o corpo do meu pai... Se passaram alguns minutos e mais uma vez eu havia demorado no banho, sair do box me secando com uma toalha que estava no gabinete da pia, sequei o meu cabelo com a mesma já que não havia outra, vesti a calcinha e o sutiã e coloquei a camisa que eu havia pegado de John, me aproximei ao espelho e olhei meu reflexo, eu estava com expressão cansada cheia de machucados e arranhõe... Passei a mão no rosto e decidi deixar meu cabelo solto já que estava molhado, abrir a porta do banheiro vendo John sentado na cama só de shorts com cabelo um pouco molhado.

John: - Uau... Que sexy, mas pensei que tinha morrido no banheiro. (Ele sorriu.)

Angel: - Bobo... Já tomou banho? (Fui até ele e me sentei ao seu lado.)

John: - Claro, você demora muito no banho... Tomei banho no quarto ao lado. (Ele me puxou para mais perto me fazendo deitar a cabeça em seu ombro.)

Angel: - Obrigada... (Peguei sua mão entrelaçando nossos dedos, se encaixavam perfeitamente.) - Obrigada por está do meu lado, eu não sei o que eu faria sem você, eu te amo tanto...

John: - Eu sempre vou está aqui peste. (Ele me fez virar para olha-lo e sorriu, aquele sorriso que me transmitia alegria, paz, esta com ele era como eu me sentisse segura o tempo todo, e eu olhava seu rosto com atenção, ele é tão lindo que eu custo a me convencer que ele é real.) - Eu te amo muito mais... (E então eu o beijei.)

Começou com um beijo cheio de sentimentos carinhosos, um beijo calmo, e se transformou em um beijo quente com necessidade. Subi em seu colo aprofundando ainda mais o beijo, com uma mão em seu rosto e a outra deslizando pelo seu peito nú, ele segurava a minha cintura e descia suas mãos para minha bunda a apertando. Eu o queria e ele demonstrava o mesmo e desta vez não havia ninguém para nos interromper.




Notas Finais


Eitaaaaa... Oq será que vai acontecer no próximo capítulo? Só quero ver, espero que tenham gostado ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...