1. Spirit Fanfics >
  2. Agora juntos! Nova jornada >
  3. Extra 2: Acertando Alguns Assuntos

História Agora juntos! Nova jornada - Capítulo 41


Escrita por:


Notas do Autor


Atendendo a alguns pedidos, aqui está o segundo Extra da Fanfic (Obs: Esse arco de Dewford está se estendendo além do planejado kkkkkk)
Eu fiquei na dúvida, sobre como desenvolver certas coisas e deixar em Off foi a primeira opção que me veio a mente, porém já que teve interesse por parte de alguns leitores
Decidi me esforçar para explicar melhor certas questões, tentar, porém não sei se ficou bom, acho que vai depender da opinião pessoal e ponto de vista de cada um também

Boa leitura

Capítulo 41 - Extra 2: Acertando Alguns Assuntos


Fanfic / Fanfiction Agora juntos! Nova jornada - Capítulo 41 - Extra 2: Acertando Alguns Assuntos

 

Na manhã, após a batalha entre Ash e Olivia.

 

Em um quarto escuro, alguém soltou alguns resmungos enquanto se movia por debaixo das cobertas.

Ela colocou o travesseiro sobre a cabeça, sentindo a ressaca da noite anterior.

- Droga... – Resmungou Katie – Como você sabe que não gosta se nunca experimentou? Bom, agora eu já experimentei e não gostei.

Ela se recriminava por ter bebido uns Drinks.

- Estou ouvindo, uma bela adormecida já desperta. – Cantarolou uma voz animada – E acordou resmungando, para variar.

- Não enche Olivia... Espera! Olivia?! – Katie se ergueu abruptamente da cama.

Ela logo viu a amiga.

Na porta do quarto, sorridente e com um copo cheio nas mãos, em seguida ela olhou para si própria e inevitavelmente se tateou, constatando que estava vestida, com as roupas da festa ainda.

- Ainda bem... – Katie murmura e a sua expressão de alivio, fez Olivia arquear a sobrancelha.

- Isso magoa sabia? Até parece que não me conhece. – Ela fala.

Katie a olha com a guarda levantada.

- Eu te conheço e sei que às vezes, você exagera e não pensa muito, antes de fazer alguma besteira. – Katie fala em sua defesa.

- Touché. – Reconhece Olivia – Ainda sim, me entristece saber que você achou mesmo, que eu me aproveitaria de você.

A expressão de Olivia era sincera e Katie sentiu a consciência pesar.

- Me desculpa. – Pede Katie, que finalmente presta atenção no quarto.

- Estamos no seu apartamento...

- Bingo, eu te trouxe aqui, depois que você ficou muito zonza. – Explica Olivia segurando o riso.

- Podia ter me tirado antes de lá. – Fala Katie e Olivia se aproxima, estendendo o copo e Katie nota que era água.

- Até parece, nunca que eu iria perder a chance, de ver você soltando a franga pela primeira vez. – Graceja Olivia no momento exato, em que Katie virava o copo.

A treinadora de Lilycove cuspiu e engasgou, enquanto a esverdeada ria com muita vontade.

- Eu te odeio Olivia. – Katie consegue falar.

- E eu te amo. – Responde a moça, piscando em seguida – Não se preocupa, você não fez nada vergonhoso.

- Huh... – Katie botou a mão na cabeça, tentando se recordar da noite anterior.

As duas amigas conversaram bastante, riram, beberam um pouco, então dançaram e depois foram para um canto conversar mais, até que.

Katie tocou os lábios, não muito certa se tinha sido real ou um sonho.

- Você se lembra? – Perguntou Olivia.

Katie olha para a amiga, que agora tinha uma expressão franca e acena.

- Foi meio por impulso. – Admite Katie.

Ela não sabia o que tinha acontecido consigo própria, ela apenas viu a amiga tão próxima e não resistiu, a um sentimento de atração que sentiu pela esverdeada.

Foi apenas um leve roçar de lábios, porém.

- Katie, você gostou? – Olivia perguntou se sentando na beirada da cama.

Katie ponderou.

Apesar da dor de cabeça, ela conseguiu refletir com calma.

- Eu não sei na verdade. – Ela confessa - Olivia, eu preciso pensar com calma sobre isso, por favor, sem gracinhas. – Pede Katie e a moça concorda.

Olivia junta às mãos e olha reflexiva para a parede.

Para certas coisas, explicações não eram necessárias.

Era mais instintivo e sentimental, além é claro de conforto. Olivia nunca se sentiu confortável com homens, sempre gostou mais de garotas e nem precisou passar tempo com um cara, para se descobrir.

Katie por outro lado.

Olivia sabia, que a amiga já tinha namorado antes, e é claro, era a primeira vez dela se envolvendo com outra mulher, então, não havia espaço para gracinhas.

Era um momento importante.

- Eu vou te dar todo o tempo do mundo, mas também, não me peça para te dar muito espaço ouviu bem? – Olivia pisca – Não quero me afastar de você, não mais.

Katie apenas resmunga e se joga de cama de costas, com o braço sobre a face.

Estava cansada, confusa e com a cabeça latejando.

Olivia viu a amiga, estirada na cama e se segurou, para não avançar em Katie.

- “Sem gracinhas agora Olívia, não estrague tudo” – Pensou a moça antes de se erguer e deixar o quarto.

 

Dias depois

 

Após aquela manhã.

Parecia que nada tinha mudado.

A interação das duas amigas não tinha mudado, Olivia de forma consciente ou não, continuou agindo normalmente e provocando Katie como sempre fazia.

Esta, também tentou agir normalmente.

Embora, começasse aos poucos, a reparar mais na amiga. Começando a sentir uma maior atração pela esverdeada.

E ao final do primeiro dia do torneio.

Depois de todos terem se despedido, Katie sem dizer nada, seguiu caminhando por uma estrada de chão.

Se afastando um pouco das praias, com Olivia ao seu lado.

- Para onde estamos indo? – Questionou Olivia.

- Estamos caminhando um pouco, apenas isso. – Respondeu Katie calmamente.

Olivia não se importou e elas seguiram em frente.

O caminho ia se elevando, e logo a estrada beirava uma encostada e a vista da praia era perfeita, com o sol se pondo no horizonte.

Katie estava meio sem assunto.

- Quem diria... – Ela murmura.

- Quem diria o que? – Questionou Olivia.

- A conversa que tivemos agora pouco, o Ash tem um histórico bom de batalhas e quase venceu uma liga recentemente. – Diz Katie.

Olivia bufa.

- Eu também quase fui campeã de liga. – Ela resmunga e cruza os braços – Estamos em um momento romântico aqui, e você me vem falar daquele garoto, ele já tem namorada sabia?

Katie dá um meio sorriso.

- Sim Olivia. Não precisa ficar com ciúmes, já falamos sobre isso. – Disse Katie.

Olivia agita as mãos.

- Eu sei Eu sei, por algum motivo, você parece tratar aqueles dois quase como se fossem seus irmãos mais novos, eu não entendo isso. – Resmunga a esverdeada, querendo a atenção de Katie para si.

Katie ponderou sobre aquilo.

- “Realmente, eu não consegui os ignorar, senti vontade de ajudar e quero o bem dos dois, porque será?” – Ela refletiu.

Por não conhecer muito Ash e nem a Serena, ela não sabia que, ambos já tinham feito muitos amigos e não era a primeira pessoa, cativada pelos dois, que os havia ajudado ao longo das jornadas de cada um.

- Enfim, sabe por que estamos aqui? – Questionou Katie.

Olivia a olhou de lado.

- Para você me iludir? – Diz Olivia e Katie deu uma beliscada na amiga.

- Aii para que isso? – Reclamou Olivia.

- Porque você me garantiu, que não iria me pressionar. – Responde Katie.

- Foi só uma alfinetada, para que você não esqueça. – Resmunga Olivia.

- Não tem como eu esquecer. – Responde Katie de imediato.

Em seguida ela se cala e cora.

Olivia dá um sorriso malicioso ao escutar e ver aquilo.

- Foi tão bom, que não tem como esquecer é isso? – Questionou Olivia.

Katie não respondeu e seguiu caminhando.

Olivia apenas riu e foi atrás da amiga.

 

No intervalo do segundo dia.

 

Após a batalha de Jonas e Harrison.

As duas foram até um quiosque perto dos campos de batalha e almoçaram por ali mesmo.

Depois, foram até o hotel onde Olivia estava hospedada.

Katie tomou um banho rápido e depois foi à vez de Olivia.

Quando a esverdeada saiu.

Viu a amiga, de pernas cruzadas sobre a cama, lendo alguma coisa através de seu Pokénav.

Olivia guardou na mente, aquela imagem, antes de voltar a secar os cabelos e se sentar ao lado de Katie.

- Está vendo o que?

- Os dados sobre os competidores. – Falou Katie e Olivia viu que a amiga, estava checando os Pokémons de cada competidor.

Existia um banco global de informações, sobre cada treinador, que geralmente era atualizado apenas quando a respectiva pessoa se cadastrava para algum grande evento e tinha sua pokédex verificada.

Assim, no banco de dados, estavam os Pokémons, que o individuo viu e capturou.

Katie ia descendo a lista, até ver o de Serena e clicar.

- Ela tem poucos Pokémons. – Observa Katie.

Olivia virá à cara.

- Não me mostra isso, eu não preciso saber que Pokémons ela tem. – Disse a moça.

- Mas assim, você pode se preparar e montar uma estratégia. – Censura Katie e Olivia nem liga.

- Eu não preciso disso. – Fala Olivia.

Katie apenas se resigna e segue a lista.

Até ver a de Ash e clicar.

Não demora, para a expressão dela se complicar.

- Tem um bom número de Pokémons diferentes, vai ser difícil prever, qual ele pode usar. – Ela fala.

- Não deve ter tantos assim. – Olivia fala e se surpreende ao ver. – É ele até que tem alguns bons, se ele passar para a próxima fase, tome cuidado.

- Não se preocupa, desta vez, eu irei derrota-lo. – Diz Katie cheia de confiança.

Olivia fica feliz em ver aquilo e não se aguenta mais.

Ela se inclina e beija a bochecha de Katie, que na hora fica vermelha igual pimenta e se vira indignada.

- O que pensa que está fazendo?!

Olivia sorri.

- Eu não resisti... – Ela responde e Katie se apruma.

- Eu não te dei liberdade para isso. – Ela reclama.

- Me denuncie então, mas eu não me arrependo. – Falou Olivia rindo.

- Eu não acredito, não posso mesmo baixar a minha guarda perto de você. – Fala Katie e Olivia não gosta do que escuta.

- Ei também não é assim. – Olivia diz.

- É assim sim. – Responde Katie.

Olivia fica irritada, porém antes de brigar.

Katie a encara firmemente e fala.

- Feche os olhos!

Olivia se atrapalha.

- Como?

- Você me ouviu, por ter me beijado sem permissão, feche os olhos agora. – Decreta Katie.

Olivia não acredita no que escuta.

- “Finalmente, finalmente Katie, você vai me dar uma chance?” – Ela pensou e viu que Katie esperava ser obedecida.

- Certo. – Olivia fala e fecha os olhos.

Katie estreita o olhar e observa.

Um sorriso brinca em seus labios, ao ver a amiga quase fazendo biquinho já esperando um beijo.

- “Tão fácil e previsível” – Pondera Katie.

A treinadora de Lilycove reflete sobre suas experiências passadas.

Ela já tinha se iludido antes, e andava pensando bastante naquilo. Ela então encara a amiga, e acaba por sorrir, se recordando do tempo que passaram juntas e Katie enfim toma a sua decisão.

Os segundos vão se passando.

Olivia continuava esperando, mas o beijo não aconteceu.

Ela não resiste mais e abre os olhos lentamente.

Vendo que Katie não tinha se movido um milímetro sequer e isso faz Olivia ficar confusa.

Katie segurava o riso.

- Achou que eu iria te beijar não é? – Ela questionou – Bom, essa foi sua punição.

Olivia ficou com uma cara de gol contra, que logo começou a mudar para raiva. Todavia, antes dela falar ou fazer qualquer coisa, Katie segurou o rosto dela e a beijou.

Foi totalmente inesperado.

E Olivia sentiu o coração a mil.

O beijo foi se alongando e quando Katie a soltou, a esverdeada tinha uma expressão abobalhada.

- Katie, você? – Ela não conseguiu terminar e Katie se levantou da cama.

- Se fizer alguma coisa, qualquer coisa contra a minha vontade, eu termino com você e a nossa amizade acaba, entendeu?

Olivia estava descrente.

- Termina comigo? Isso quer dizer que? – Olivia sentiu os olhos úmidos de alegria.

- Sim. – Acenou Katie.

- Ai meu deus, eu te amo, sua linda. – Olivia avançou em Katie e abraçou.

Enchendo o rosto de Katie de beijos.

Que não afastou Olivia desta vez, e gostou do gesto de carinho.

Pouco depois, elas já tiveram que sair, pois as batalhas da tarde iriam se iniciar em breve e Katie seria uma das primeiras a lutar.

Olivia teve que se conformar com aquilo.

E elas foram para os campos de batalha em seguida.

 

 

Final da tarde, do segundo dia do torneio.

 

Com as batalhas encerradas.

Depois de se despedirem de Ash e Serena.

Miette e Samuel foram dar uma volta pela cidade.

O emo estava bem feliz e tranquilo.

Andando de mãos dadas com a azulada, ele não conseguia evitar de sorrir e Miette reparou nele.

- Porque esse sorriso bobo Samuel? – Ela questiona e o emo na hora, se endireita.

- Nada, eu só me lembrei de uma coisa engraçada. – Ele falou.

Miette o olhou, desconfiada.

- Vendo assim, nem parece aquele rapaz sério que eu conheci. – Ela provoca, não dizendo atrapalhado também.

Samuel limpa a garganta.

- Eu não sou tão sério assim, apenas prefiro, ficar na minha em silêncio. – Ele se explica.

A azulada ri um pouco e agarra o braço dele, fazendo o emo ficar envergonhado.

- Sério ou sorridente, eu te amo do mesmo jeito. – Miette diz.

Samuel fica sem saber o que falar.

Ele estava em uma situação, até que bem parecida com a do Palletiano, no inicio de seu namoro.

- Ainda enganando esse perdedor. – Eles escutavam.

E ao se virarem.

Vem à garota, de cabelos escuros e pele bronzeada.

- Camila... – Samuel quase lamenta por voltar a vê-la.

Ela tinha sido derrotada na rodada da manhã, e eles não a viram a depois. Até tinham a procurado, mas a garota havia sumido.

- “Finalmente” – Pensou Miette com um sorrisinho.

Ela já sabia, mais ou menos, da historia de Camila com Samuel.

O emo havia contado e Miette, não tinha dúvidas que a bronzeada, sentia algo por seu namorado. Seu medo era que ele também sentisse algo por Camila e ele apenas não compreendesse.

Camila encarou Miette, tentando a intimidar.

- Me diz? Qual é a graça que você vê em iludir esse fracassado. – Ela fala.

- Ele não é um fracassado, é o meu incrível namorado. – Responde a azulada, se aconchegando mais em Samuel.

Fazendo o emo corar e Camila se eriçar.

- Por favor, até parece que alguém iria gostar desse cara. – Diz Camila e Samuel cerra os dentes.

- É só para me humilhar, que você aparece não é? – Ele questiona e olha para a namorada – Vamos embora Miette.

- Vai correr de novo? Você só sabe fazer isso?! – Camila fala um pouco mais alterada.

Miette olha de um para o outro.

A aversão que Samuel sentia, estava estampada em sua cara.

- “Ou ele não percebe, que ela sente algo por ele, ou não liga mesmo” – Ponderou Miette.

Se ela tivesse que lutar pelo emo, ela lutaria, mas antes queria confirmar aquilo.

- Você, quer falar alguma coisa para o Samuel? – Miette questiona.

- Isso não é da sua conta. – Dispara Camila.

Samuel perdeu a calma ao escutar aquilo.

- Chega! – Ele grita, surpreendendo as duas – Camila, você é uma pedra no meu sapato. Desde que eu te conheço, não tenho nenhuma lembrança boa de você, tudo o que você faz é me tratar mal e debochar de mim, quem saber? Vai encher o meu saco, no...

- Samuel! – Esbraveja Miette.

O fazendo travar.

Com a respiração acelerada e tremendo de raiva, Samuel olha surpreso para Miette, que coloca a mão sobre o peito dele.

- Calma, está tudo bem, eu já entendi. – Ela diz e aos poucos o rapaz recupera a postura.

Miette olha para a garota.

Camila estava acuada e segurando lágrimas, apesar de claramente assustada, ela persistia em olhar corajosamente para ambos, ela não queria ceder.

Miette suspira e se solta do namorado.

- Última chance. – Ela diz para Camila – Quer sentar e conversar? Ou não?

Camila, quase avança em Miette, porém de alguma forma ela escuta a voz de razão e concorda.

Ainda olhando magoada para o emo.

 

Eles caminham até perto da praia.

Miette e Camila se sentam sobre um murinho, que havia na beirada da calçada e a pedido da azulada, Samuel estava um pouco mais longe.

As duas ficaram em silêncio por um tempo.

Até a azulada por fim falar.

- Eu não estou tentando enganar ele, eu gosto do Samuel e quero ficar com ele, para sempre. – Declara Miette.

- Mentira... – Balbucia Camila.

- Você está em negação. – Censura Miette - Que tal tentar ser sincera? Admita você gosta dele.

Camila arregala os olhos.

- Eu? Gostar daquele esquisito? Nunca. – Ela diz.

- Garota, eu já saquei a sua. – Fala Miette - E já vi muito disso também, é uma história até que bonita, quando não é forçada.

- Forçada? – Repete Camila.

Miette olha para as pernas estendidas, pensativa.

- Não sei, se você sempre teve interesse nele, ou começou a gostar, depois de o atormentar muito, mas sinceramente. Eu acredito que o caminho do amour, não se trilha fazendo mal ao companheiro. – Diz Miette.

- Eu nunca fiz mal ao Samuel! – Grita Camila e Miette não perde a postura.

- Ele pensa que sim. – Diz Miette simplesmente – Para ele, suas brincadeiras e provocações, só trouxeram mal a ele.

Camila sentiu o coração se partir.

- Nada contra, romances desse tipo. - Continua Miette – Eu sou de Kalos, Kalosianas tem fama de serem propensas a arroubos sentimentais sabia? E adoramos, uma boa historia de amor, porém, eu sou mais favorável a um romance doce, e acredite ou não, tem quem prefira assim.

Camila abaixa a cabeça.

- Como o Samuel? – Ela pergunta, sentindo um gosto amargo na boca.

- Quem sabe? Talvez ele prefira alguém que o trate bem. E não importa os motivos, para você pegar no pé dele, ele não gostou disso. – Responde Miette.

Agora não tendo mais dúvidas, de que o namorado tinha quase ódio da garota.

Camila ficou em silêncio.

Refletindo.

Porque ela o provocava? Porque ficou o perseguindo? Ela realmente adorava tirar sarro dele, era divertido zombar dele, para ela, talvez aquele fosse um gesto de amizade, porém para o rapaz, não era.

Camila por fim entendeu.

- Acho que, talvez eu goste dele, um pouquinho. – Ela admite.

- Bom, eu aceito o desafio então. – Diz Miette, que pisca para uma surpresa Camila – Se tomar jeito, eu te desafio a tentar roubar o Samuel de mim, porém já aviso que dele eu não irei desistir nunca.

Camila fica sem palavras e acabada por rir um pouco.

- Você é estranha, diz que ama ele e ainda sim, parece me motivar a tentar o roubar de você. – Ela fala.

- Como eu disse, adoro uma historia de amor. – Responde Miette, que volta seu olhar para o mar.

Camila acompanha o olhar da azulada e se dá por vencida ali mesmo.

Ela nunca faria o que Miette estava fazendo.

- Eu perderia com certeza... – Ela fala baixinho.

- O que? – Questiona a azulada.

- Nada. – Camila fecha os olhos e depois de tomar ar, se coloca de pé.

Ela alonga o corpo, se sentindo bem mais leve.

- Eu estou cansada. Vou para casa agora, irei voltar para Slateport. – Ela fala e olha para a azulada – A casa do Samuel é lá também, tenho certeza que os pais dele irão adorar você, as irmãs também.

- O Samuel têm irmãs? – Miette não sabia daquilo.

Camila ri ao se lembrar.

- Sim, ele tem duas irmãzinhas adoráveis, porém, elas não gostam muito de mim. – Ela fala resignada.

- Vai falar alguma coisa para o Samuel? – Miette questiona e Camila nega.

- Não tem nada para falar, apenas...

Camila fica em dúvida, seria estranho, desejar felicidade para os dois?

Após pensar um pouco, ela dá de ombros e vai embora em silêncio. Tinha coisas para refletir e também, um possível sonho para seguir, só que seria sem a companhia do emo.

Miette fica um pouco intrigada, porém satisfeita.

- “Até que foi fácil, ainda bem que ela não fez barraco” – Ponderou a azulada.

Samuel se aproximou em seguida.

Ele se sentou ao lado da namorada, que se aninhou nele e dois ficaram conversando.

 

 

Noite, Tempo Presente.

 

Em um dos quartos do hotel Palace Milotic.

Certa megera estava de roupão, colocando uma mascara na face antes de se deitar.

Ela sorriu feliz, ao relembrar da expressão de Serena ao ter sido derrotada.

- Apenas espere, eu a farei passar por uma humilhação ainda maior e quanto ao seu namorado, na próxima vez irei rebaixa-lo até ele derramar lágrimas. – Ela diz e sorria, se imaginando fazendo aquilo.

Úrsula então se vira para guardar um pente e quando encara o espelho novamente.

Vê uma gigantesca face fantasmagórica.

Em seguida.

Um grito esganiçado

Ecoou por todo o andar.

 

Do lado de fora.

O presidente da corporação Devon.

Estava tão surpreso quanto os adolescentes.

- Ash e senhorita Serena? O que estão fazendo aqui? – Perguntou Joseph Stone.

O casal estava confuso demais para responder.

E ele então notou.

- Ah, mas que grupo diversificado de Pokémons. – Joseph falou admirado e se aproximou – Dá para notar que todos são muito bem cuidados, e parecem bem poderosos também. Esse Aggron é quase tão grande quanto o do meu filho. – Ia falando Stone, enquanto os analisava.

Os Pokémons ficaram felizes com os elogios, embora ainda mantivessem cautela em relação ao homem.

Serena foi quem falou primeiro.

- Espera. Sr.Stone, o que está fazendo aqui? – Ela questionou, enquanto ele tranquilamente tirava a sujeira do terno.

- Eu acabei de fazer a mesma pergunta aos dois senhorita. – Respondeu Joseph de bom humor, a deixando envergonhada.

Ele então voltou a observar.

 – Vocês parecem estar no meio de um treinamento, isso é muito bom. Eu peço desculpas por interrompê-los mais fiquei curioso ao escutar alguns barulhos e vim olhar. – Ele se explica.

- Entendi. – Falou Ash ainda um pouco surpreso – Mas, porque estava na floresta?

Joseph riu solenemente.

- Eu estava fugindo do meu secretário e dos meus seguranças. – Ele respondeu.

Logo achando divertidas, as expressões incrédulas dos adolescentes.

Joseph por fim explica.

Que pouco tempo atrás, ele tinha acabado de sair de uma reunião e queria dar uma volta por Dewford, mas estava sob vigília por parte de seu assessor e guarda costas.

E quando uma brecha surgiu, ele aproveitou para escapar na direção da floresta e tinha acabado de dar a volta na área, para então voltar à cidade.

Após explicar isso, o casal ficou descrente.

E ele notou aquilo.  

- Talvez pareça estranho, mas mesmo um homem de negócios, gosta de se divertir. – Diz o presidente da Devon – Já tem um tempo, que eu não fujo dos meus seguranças. – Joseph continua e solta o ar dos pulmões lentamente – Ah isso é ótimo para relaxar, quase como voltar a meus tempos de juventude.

O casal acaba por se contagiar, com o bom humor do homem.

- Mas então. – Ele prossegue – É perfeito que eu os tenha encontrado agora, eu já iria entrar em contato com vocês.

O casal olha com curiosidade para o homem, que segue falando.

- Eu assisti ao vídeo do concurso, meus parabéns pela merecida vitória senhorita Serena, foi uma batalha de tirar o fôlego. – Joseph fala.

- Obrigada. – Serena responde orgulhosa.

- Além das batalhas, as apresentações também me chamaram a atenção. – Continua Joseph – Diga-me, você conhece a coordenadora e performer Miette?

Ela acena.

- Sim, ela é minha amiga. – Serena responde.

- Maravilhoso. – Exclama Stone - Isso facilita tudo, eu quero fazer um convite às duas.

- Um convite para as duas? – Questiona Ash com curiosidade.

- Sim Ash. Acontece que, agora que o campeonato se encaminha para a metade, iremos começar os preparativos para a festa de encerramento. – Responde Stone.

- Uau uma festa. – O moreno se anima e Joseph também exibia empolgação.

- Exatamente, após a grande final. Todos os treinadores que participaram do evento e claro o público também, estarão convidados para uma comemoração de encerramento, na praia ao lado dos campos de batalha. – Joseph vai falando.

- De início, eu sugeri uma temática “Aloana”, um luau de Alola, porém ficou faltando um Show de abertura magnífico e então, eu me lembrei das performances. – Ele fala e se volta para Serena.

- Importar um show ao estilo Kalosiano, também seria fantástico e por este motivo, que eu faço este convite a você senhorita Serena. Se importaria de fazer uma Performance dupla com a sua amiga?

Serena ficou estática, enquanto Ash ficou muito eufórico com a ideia e Joseph continuou.

- As performances de Kalos, são muito belas e ao ver a apresentação da Senhorita Miette no Contest, eu não tive mais dúvidas. Eu ficaria muito honrado, se as duas aceitarem fazerem essa performance, como parte do encerramento do campeonato. – Joseph disse e em seguida se curvou - Peço isso como Presidente e patrocinador do Mega desafio Dewford.

Serena não sabia o que dizer.

Era incrível demais, uma honraria sem palavras para ela.

- Ela aceita! – Ash declara.

Quase fazendo a namorada dar um pulo.

- Ash. – Ela fala envergonhada e o moreno se aproxima dela, muito animado.

- É claro que você vai aceitar não é? Eu já consigo imaginar você e a Miette fazendo um Show, tenho certeza que todos vão adorar, você vai ser fantástica Serena. – Falou Ash, a deixando mais envergonhada.

Joseph esperava uma resposta e Serena se virou para ele.

- E-eu, eu preciso falar com a Miette primeiro. Nos duas, precisamos conversar. – Ela responde.

O homem acena.

- Certamente. Eu ainda preciso pedir a ela também e se as duas aceitarem. Tem muita coisa que precisamos discutir, porém não se preocupe. A corporação Devon, irá providenciar, tudo o que precisarem para fazerem sua apresentação.

Ash segura mão da loira.

- Espera só até todos saberem, você e a Miette serão estrelas. – Ele diz e Serena acaba por sorrir.

Entretanto.

- Bayyy! - Bayleef aproveitou a distração, para avançar de encontro ao casal.

Todavia, Ash consegue puxar a namorada a tempo e os dois escapam da investida.

- Bayleef! – Ele exclama, abraçando a loira - Quase acertou a Serena.

Bayleef solta um resmungo, por ter errado.

Serena dá uma meia risada ao ver aquilo.

- Precisamos resolver isso também. – Ela diz.

Joseph olhava confuso para aquilo.

- Mas, porque esta Bayleef os atacou? – Ele questionou.

- Longa historia, mas em resumo é ciúme e agora, vamos ter que batalhar para resolver isso. – Explica Ash.

- Entendo... – Diz Joseph, que então tem uma ideia – Bem, se vão batalhar, eu poderia ser o juiz?

O casal olha espantado ele.

O presidente da corporação Devon, juiz de uma batalha?

- Por favor, não precisam reagir assim. Eu gosto muito de assistir batalhas Pokémons, ser o juiz de uma, seria algo bem divertido. – Ele fala.

Bayleef soltou uma exclamação.

Como um touro, ela raspava a pata contra o chão, pronta para outra investida.

Não seria bom, continuar a fazendo esperar.

- Nos aceitamos. – Ash fala.

 

Logo.

Os Pokémons se reuniram em um canto da clareira e no centro dela, Bayleef e Braixen se encaravam.

O casal em suas posições aguardava o anúncio de Joseph.

- Está na hora Ash, não vai ser no campeonato, mas iremos ter a nossa batalha. – Declarou Serena, com expressão desafiadora.

- E não espere moleza loirinha. – Ash responde – A Bayleef vai ir com tudo, de um jeito ou de outro.

Bayleef solta um brado confirmando aquilo e Serena ri.

- Mesmo assim, eu vou vencer você meu amor. – Ela fala e Bayleef rosna.

Joseph tossiu.

- Pois bem! A batalha entre o treinador Ash e a performer Serena vai começar, será uma luta de um contra um, sem limite de tempo, estão prontos?

Ambos acenam.

- Comecem!!!

A Pokémon planta não perde tempo e avança com um Tackle, sem esperar comandos.

- Bayleef, não ataque sem pensar. – Disse Ash, porém ela acelerou.

Serena logo viu, que a batalha poderia não ser o esperava.

- Braixen, evasiva com Lucky Chant! – Ela instruiu e a raposinha saltou para o lado, dando giros e se envolvendo com o feitiço.

Bayleef passou direito, porém não demorou em se virar e já disparar um Razor Leaf.

Aquilo fez Ash se irritar.

- Agora Flamethrower! – Falou Serena e Braixen girou, criando um escudo de chamas ao seu redor, destruindo por completo o ataque.

A planta rosnava furiosa.

- Bayleef! – Gritou Ash, atraindo a atenção dela – Pare de atacar sem pensar, vamos lutar juntos.

Ela olhou contrariada para o treinador e ao lado, os Pokémons do Ash, também tentavam a fazer parar com o ciúme e se concentrar na batalha.

Braixen olhou para Serena, e viu que a loira estava dando tempo para a oponente.

Nesse deslize.

Bayleef resolve agir sozinha novamente e libera as suas vinhas.

- Braixen evasiva. – Disse Serena, porém os chicotes colidem contra a raposa, que se encolhe de dor.

Outra chibata vem em seguida e joga a raposa para trás, que consegue cair em pé.

- “Tempo esgotado Ash” – Pensou Serena.

- Use o Will-O-Wisp! – Ela comandou e a raposa gira a varinha, enviando diversas chamas azuladas, formando anéis de encontro a Bayleef.

- Desvie delas Bayleef. – Falou Ash e planta finalmente obedeceu.

Ela recuou, tentando desviar das bolas de fogo, porém não demora em algumas a acertarem.

Fazendo a soltar uma exclamação de dor.

- Essa não... – Ash estala a língua, ao ver o corpo da parceira queimando.

- “Temos que terminar essa batalha logo” – Ele conclui – Bayleef, use o Body Slam!

- Bayyyy! – A planta corre de encontro a Braixen e salta, decidida a esmagar a raposa.

- Desvie e use Work Up! – Instruiu Serena e com um passo ágil Braixen saiu da frente.

Enquanto Bayleef caia, criando um estrondo, a raposa já era envolvida por uma aura avermelhada, aumentando seu poder de ataque e isso preocupa Ash.

- Rápido, use a Light Screen! – Ele comandou e Bayleef criou diante de si a barreira de energia.

As duas Pokémons se encararam.

- “Está se atrapalhando e atrapalhando o Ash” – Disse Braixen seriamente.

- “Quieta!” – Sibilou Bayleef, mandando os chicotes por conta própria.

- Bayleef quer parar com isso! – Bradou Ash.

- Desvie deles Braixen e use o Psyshock! – Falou Serena.

Braixen recuou, saltando de um lado para o outro e liberou os choques psíquicos, que caíram sobre a planta.

- Bayyy! – Bayleef gritou com dor e se enfureceu mais.

Uma aura de energia a envolveu e em seguida, ela disparou de encontro a Braixen, usando Strenght.

- Grass Knot! – Falou Serena.

E com um movimento da varinha, a raposa fez crescerem vinhas, que se enrolaram na pata traseira de Bayleef, a prendendo e fazendo cair de cara no chão.

Serena encarou o namorado, que tinha os punhos cerrados.

Aquilo não era a batalha que queriam, os treinos eram mais acirrados.

A planta se colocou de pé, sentindo mais dores com as queimaduras, porém ainda determinada a vencer.

E mandou novamente um Razor Leaf.

Serena nada fala, porém Braixen reage sozinha e destrói as folhas com um Flamethrower e encara a oponente em seguida.

- “Podia ao menos, escutar o seu treinador” – Diz a raposa.

- “Eu já mandei ficar quieta” – Grita Bayleef chorosa e Snivy suspira ao escutar aquilo.

O palletiano sai de onde estava e caminha em direção à planta.

Todos param ao ver aquilo.

Joseph nada fala, interresado em ver o desenrolar daquilo.

Bayleef se encolhe e olha contrariada para o treinador, que se aproxima com expressão firme e ao parar diante da planta, ele começa a fazer um carinho nela.

Deixando Bayleef confusa.

- Eu sei Bayleef, você gosta muito de mim, por isso deve estar bem triste. – Ash começa a falar – Mas, me escuta, eu também gosto muito de você e vou continuar gostando, não importa o que acontecer.

Bayleef o olha atordoada e Ash a abraça.

- Não vou deixar de gostar de você, mesmo estando namorando, ouviu bem? – Ash diz a surpreendendo.

Demora um pouco, para ela conseguir reagir e por fim.

Derrama algumas lágrimas.

Era duro aceitar, que Ash tinha uma namorada.

Desde que os primeiros Pokémons foram sendo chamados, Bayleef só escutou coisas boas sobre a kalosiana, sobre como o Ash estava feliz, como ele estava mais focado do que nunca e melhorando.

Sobre como a ligação dele com a loira era forte, e Bayleef não queria aceitar aquilo.

Porém, não dava mais para teimar.

A planta por fim se conforma.

Serena e Ash estavam juntos e ela não poderia ficar no caminho de ambos. Mas isso, não significava que ela deixaria de amar o palletiano.

Ainda que ele estivesse com outra, ela continuaria o amando, cada vez mais.

- Bayyyyyyyyy! - A planta soltou seu lamento triste e seu corpo começou a brilhar em branco azulado.

O palletiano de olhos fechados até então, se surpreendeu ao sentir o corpo ser tomado por uma aura quente.

Ele abriu os olhos e recuou alguns passos, admirado.

Vendo Bayleef mais que dobrar de tamanho.

Os ramos ao redor de seu pescoço, finalmente se abrem e a folha em sua cabeça, muda para o formado de duas antenas.

- Ganiumm! - Quando o brilho se dispersa, Meganium solta uma exclamação.

- Bayleef, você evoluiu... – Ash saca a pokédex.

- É linda... – Murmura Serena.

Snivy ficou temporariamente surpresa, porém logo sorriu.

- “Finalmente amadureceu o bastante para isso...” – Pensou a cobrinha orgulhosa.

- Isso é... – Ash já não tinha palavras para descrever, ele simplesmente voltou a abraçar a planta.

Que correspondeu muito feliz.

Porém, quando ela se curvou levemente, sentindo dor, todos perceberam.

Assim como as queimaduras ainda estavam lá.

A batalha, ainda não havia terminado.

Ash se solta de Meganium e encara a namorada.

- Ainda podemos continuar a luta?

- Estamos só esperando, vocês ficarem prontos. – Responde à loira e a raposa acena.

Braixen e Meganium se encaravam, ambas queriam resolver logo aquilo de uma vez.

Ash volta correndo para o campo e assim que chega.

Joseph anuncia.

- Agora, recomecem!

Desta vez.

É Serena quem se adianta.

- Braixen, use o Fire Blast! – Ela comanda e a raposa dispara a explosão em formato de Kanji.

- Meganium, pule com Vine Whip! – Instrui Ash e a planta libera os chicotes e os bate contra o chão, se propelindo para o alto e escapando da explosão flamejante.

- “Impressionante” – Pensa Stone.

Serena e Braixen também ficaram admiradas.

- Agora, Energy Ball! – Exclama Ash e a planta abre a boca e dispara a esfera de energia verde.

Pegas de surpresa, as oponentes não reagem a tempo e Braixen é atingida.

Meganium volta ao chão e vê a raposa ainda de pé sorrindo, agora sim era uma batalha.

- Braixen, use o Flamethrower! – Instrui Serena.

- Bloqueie com Petal Blizzard! – Comanda Ash e Meganium libera um tufão de pétalas, que colidem contra as chamas, as bloqueando por completo.

Os dois ataques se anulam e Meganium se encolhe, sentindo mais dano com as queimaduras.

Apesar da evolução, ela não resistiria muito mais e Ash nota isso.

- Use Vine Whip! – Comanda Ash e Meganium libera as vinhas.

- Evasiva Braixen. – Instrui Serena e a raposa começa a dar pulos, evitando os chicotes.

- A varinha Meganium. – Disse Ash e a planta entendeu de imediato.

- Ganiumm! – Com uma chibatada, Meganium arranca a varinha das mãos da raposa e Ash vê uma abertura.

- Isso! Use o Strenght!

Com o grito do treinador, Meganium avança como um tanque, pronta para esmagar a raposa com seu golpe.

Porém Serena sorri.

- “Agora, eu te peguei Ash” – Pensa Serena antes de dar o comando.

- Fire Blast!

Para o espanto de todos, Braixen abre a boca e libera a explosão em formato de kanji.

Que explode contra Meganium

- Não! – Exclama Ash.

As chamas tomam conta de Meganium, que ainda consegue se manter um pouco de pé.

Antes de finalmente desabar.

Joseph espera alguns segundos e por fim, dá a sentença.

- Meganium está fora de combate, à vitória vai para Braixen e Serena.

Ash corre de imediato até a companheira.

E não apenas ele.

Serena e todos os demais Pokémons se aproximam.

- Meganium. – Ash chama pela parceira, que abre os olhos lentamente e força um sorriso.

- Você me deixou orgulhoso, sua força foi incrível.  – Falou Ash e a loira se aproximou, incerta sobre dizer algo ou não.

Meganium encarou Serena e após segundos de silêncio.

- “Eu lhe peço, faça o Ash feliz” – Ela transmite.

Serena não entendia a língua dos Pokémons, mais de “mulher para mulher” ela entendeu o recado e concordou.

Snivy e Braixen aprovaram aquilo.

Aplausos contidos então são ouvidos.

O presidente da Devon se aproximava, com expressão muito satisfeita.

- Isso acabou sendo, muito melhor do que uma simples batalha, eu pude sentir a paixão da sua Meganium Ash, foi magnífico. – Ele fala e o palletiano agradece.

A gigantesca planta começa a esfregar a cabeça contra Ash, que logo faz um carinho nela.

 

Depois daquilo.

Eles recolhem seus parceiros e acabam tendo que voltar ao centro Pokémon.

Uma vez lá.

Joseph ficou meio escondido do lado de fora.

Até os adolescentes voltarem.

- E então? – Ele pergunta.

- A Meganium vai ficar bem, só que terá que descansar o centro Pokémon hoje. – Ash responde e deixa os ombros caírem um pouco – Eu deveria ficar aqui com ela.

- Podemos ficar sentados Ash, eu não ligo de dormir no banco. – Serena responde.

- Mas eu ligo, não vou deixar você passar a noite sentada. – Ele responde – Você poderia voltar para o hotel e...

- Eu não vou deixar você sozinho aqui Ash. – Serena o corta.

Joseph só podia rir da conversa de casal.

Porém seu riso morre, ao escutar os sons de pneus queimando.

- Essa não, eles me encontraram. – Ele fala e o casal percebe, carros escuros parando perto do centro Pokémon e homens de terno saindo de imediato.

O casal reconhece José, cuja expressão não era das melhores e ele logo para, perto deles.

- Por favor, vamos voltar para o escritorio, sem fugas desta vez. – Pede José.

O presidente se apruma.

- Muito bem, eu já me diverti o suficiente por hoje. – Joseph reconhece e se vira para o casal – Vocês já tem meu número, podem me ligar quando quiserem. Serena eu irei torcer por uma resposta favorável sua e da senhorita Miette. Além disso, sobre aquele outro assunto, irei esperar vocês voltarem a conversar com o professor Birch primeiro.

Após essas palavras finais, ele se despede do casal e vai embora.

Os adolescentes então decidem voltar para o hotel.

Com o palletiano decidido a acordar bem cedo no dia seguinte, para ir ver Meganium no centro Pokémon.

Chegando ao Palace Milotic.

Eles vêm, algumas pessoas saindo apressadas do hotel. E no Hall de entrada, o provável Dono, parecia discutir alguma coisa bem séria com os funcionários.

Eles não deram muita atenção a aquilo e foram para seu quarto.

Já era tarde a noite e outro dia longo, estava por vir.

 

 


Notas Finais


Obrigado por Lerem!

Acabou que, foi um extra porém a historia também avançou mais um pouco
Com mais assuntos encerrados, o foco volta para as batalhas no próximo capítulo

Também, irei divulgar a Fanfic de um amigo
Aqui está o Link
https://www.spiritfanfiction.com/historia/rocket-revolution-19740104
Eu recomendo muito que leiam


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...