História Agridoce HIATUS - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Abo, Alfa, Beta, Boyxboy, Café, Cheiros, Fingir Ser Quem Não É, Hoseok!ômega, Jimin!beta, Jin!ômega, Jungkook!alfa, Jungkook!top, Lemon, Morango, Mpreg, Namjin, Namjoon!alfa, Ômega, Problemas Psicológicos, Taehyung!bottom, Taehyung!ômega, Taekook, Traumas, Violência Doméstica, Vkook, Yaoi, Yoongi!alfa, Yoonmin, Yoonseok, Yoonseokmin
Visualizações 320
Palavras 5.161
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Slash, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Reescrevi o cap e ele ficou com 2K a mais de palavras, hehe, agora tem 5K.

AVISO SOBRE O CAPÍTULO!!!!

>ESTE CAPÍTULO CONTÉM MUITAS INFORMAÇÕES IMPORTANTES PARA O DESENROLAR DA HISTÓRIA.<

É isso, boa leitura :)

Capítulo 4 - Ele tem sérios problemas


ELE TEM SÉRIOS PROBLEMAS

 

POV – Jeon Jungkook

 

Estava no pátio da escola, conversando banalidades com os garotos, antes que o sinal de início das aulas tocasse, quando o Taehyung chegou perto de nós, com uma cara meio distraída e avoada.

– Oi Taetae! – Jimin exclamou espontâneo, assim que Taehyung chegou ao seu lado, colocando um dos braços ao redor do pescoço do amigo.

– Ai Jimin, não grita! – Taehyung reclamou com uma careta, colocando as mãos nos ouvidos e afastando-se um pouco do baixinho.

Franzi o cenho com aquele gesto. Será que o Taehyung estava com dor de ouvido? Ou de ressaca?

– O que foi Taetae? – Jin perguntou, baixo, se aproximando do Kim mais novo.

– Eu... – Ele olhou rapidamente para mim, antes de falar. Algo que achei muito estranho. – Esqueci meus aparelhos auditivos em casa. – Falou olhando para os meninos.

Fiz uma careta de confusão. Aparelhos auditivos?

– Isso está acontecendo de novo Taehyung? – O alfa de cabelos esverdeados indagou sério. – Primeiro você esquece os óculos, agora os aparelhos auditivos. O que está acontecendo com você? – Yoongi perguntou extremamente preocupado com o mais novo.

– Hyung, eu... – O ômega começou, mas foi interrompido pelo sinal que tocou. – Aaaarrrrgggghhhh!! – Gritou de dor, ao ouvir o sinal, colocando as duas mãos nas orelhar, e se curvando.

Jin colocou suas mãos sob as deles também, para abafar o som. Todos o olhavam preocupados, enquanto eu olhava aquela cena confuso e curioso. O que diabos estava acontecendo ali?

Assim que o sinal parou, Taehyung se levantou e tirou as mãos dos ouvidos. Jin o abraçou, colocando a cabeça do ômega mais novo contra o seu peito e começando a acariciar seus fios vermelhos.

– Eu vou pedir para o diretor desligar os alarmes. – Namjoon anunciou, logo entrando no prédio.

– Aqui Taetae. – Hoseok tirou um protetor de ouvidos e entregou ao outro, que sorriu para si.

– Obrigado Hobi. – Agradeceu, colocando os mesmos.

– O que está acontecendo com você Taehyung? – O Min indagou novamente, olhando para o amigo seriamente.

– Hyung, não é culpa minha. – Taehyung falou choroso, tentando convencer o mesmo.

– É de quem então Taehyung? – Perguntou impaciente, com uma voz repreensora e um pouco alta, mas contida, como se estivesse se controlando muito para não usar a voz de alfa e nem deixar sua presença ser sentida.

Taehyung se encolheu ainda mais no abraço do Jin, parecendo um gatinho assustado.

Eu estava completamente surpreso com aquela atitude dele. Nem parecia o Taehyung que eu conhecia. E eu também não fazia ideia do que estava acontecendo ali, estava mais perdido que cego em tiroteio. Mas pelo jeito parecia que algo bem sério e grave estava acontecendo, pela cara irritada e séria que o Yoongi estava fazendo.

– Yoongi, fique calmo. – Jin repreendeu o alfa, com a voz dura.

– Como posso ficar calmo Jin? Isso está acontecendo de novo! E ele nem sequer fala que porra que está acontecendo! – Disse exaltado. – O Taehyung sempre diz a mesma coisa: “Esqueci.”, “Deixei em casa”, desde que isso começou a acontecer. E eu sei que isso é apenas uma desculpa esfarrapada! – Desabafou visivelmente preocupado com o ômega mais novo.

Jin suspirou. Taehyung não olhava para ninguém.

– Jimin, Hoseok, levem o Taehyung para aula. – Jin hyung mandou, desfazendo o abraço com o Taehyung e o entregando para o Park e o Jung, que o abraçaram e o levaram para dentro do prédio. – Vamos Yoongi, vamos Jungkook, antes que nos atrasemos. – O mais velho nos chamou para entrar, logo indo em direção da escola, claramente ignorando o que o Yoongi havia dito.

Nós dois o seguimos e Yoongi foi para perto do Jin, que estava mais a frente, enquanto eu fiquei um pouco atrás, ouvindo ambos começarem a discutir novamente.

– Yoongi, você deve ser mais paciente com o Tae. Sabe como isso o afeta. – O rosado falou pacientemente para o outro.

– Eu já fui paciente por três anos, Seokjin! Está na cara que algo acontece com ele, e ele não nos fala! Eu já tô cheio das desculpas esfarrapadas do Taehyung. Somos amigos dele, ele devia nos dizer o que está acontecendo! – O alfa rebateu, nervoso.

– Pois seja mais paciente! – Jin rebateu, tentando manter a calma e tão nervoso quanto o outro.

“Meu Deus, o que está acontecendo?”, pensei enquanto entravamos na sala e nos sentávamos em nossos respectivos lugares.

– Gente, o que tá acontecendo com o Taehyung? Porque vocês estão discutindo? – Perguntei curioso e ansioso.

Jin me olhou com culpa. – Oh, desculpe Jungkook, por brigar na sua frente. – Lamentou. – Mas, não sei se você deveria saber o que está acontecendo. Não sei se o Tae iria querer que você soubesse disso, pelo menos não agora. Não me leve a mal, mas vocês mal se conhecem e não acho que ele confia em você ainda. – Jin falou com sinceridade e eu franzi ainda mais o cenho, confuso com o que estava acontecendo.

Eles estavam brigando na minha frente sobre algo que parece ser bem sério, e agora não vão me contar? Sério isso?

Yoongi riu secamente.

– Não faria diferença alguma contar para ele ou não Jin, o Jungkook saberia tanto quanto a gente. – Ele falou seco.

– Mas o Tae... – O ômega tenta, mas é bruscamente interrompido pelo alfa.

– Foda-se se o Taehyung odeia que falem dos problemas dele! A partir do momento em que o Taehyung impede a nós, os amigos dele, de ajuda-lo, ele perde o direito de opinar em algo. Nós nos preocupamos com ele e merecemos saber o que acontece. E se o Jeon, que agora é nosso amigo, também está preocupado com o Tae, ele também merece saber, pelo menos, tudo o que a gente sabe. – Yoongi falou rispidamente e Jin abaixou a cabeça, desistindo de argumentar com o outro.

E eu apenas olhava o Yoongi chocado. Nunca tinha o visto assim, tão... Nervoso. Mesmo que eu só o conhecesse a dois dias. Mas mesmo assim.

– Bem, é o seguinte Jeon: o Taehyung tem problemas. Muitos problemas. E problemas bem sérios – Falou sério, indo direto ao ponto.

– Como assim? Que tipo de problemas? – Perguntei com o cenho franzido, curioso e, estranhamente preocupado, adotando uma postura um pouco mais séria.

Eu sei que mal conhecia o Taehyung e que não ia muito com a cara do mesmo, mas eu não conseguia evitar de me preocupar. Mesmo que eu não tivesse o direito de saber o que acontecia com ele, eu queria saber, pois tenho certeza, de que se eu não souber, esse assunto vai ficar me incomodando muito e me preocupando muito também.

Talvez isso seja apenas a minha curiosidade falando alto demais, ou apenas o meu lado empático que gosta de ajudar os outros, mas eu tinha uma enorme vontade de saber o que estava acontecendo.

– Bem, para começar, nós não sabemos quase nada sobre ele. Apenas sabemos mais que a maioria. Ele não é muito de falar de si mesmo, e, apenas nos contou algumas coisas sobre si. E foi só porque ele confia na gente, e Taehyung não confia em ninguém. Como pode imaginar, ele apenas nos deixa saber aquilo que ele nos conta. E mais nada. Taehyung é uma incógnita. – O Min começou.

Neste momento o professor Han, de literatura, entrou na sala, junto do Namjoon, que se sentou ao lado de Jin.

– E o que ele contou a vocês? – Perguntei, curioso, logo mordendo minha língua. Eu deveria esperar eles contarem.

– Bem, ele nos disse que seus pais morreram quando ele era um bebê, em um acidente de carro em que o mesmo foi o único sobrevivente. – Continuou.

– E é por este motivo que ele tem anosmia, que é a perda de olfato, e fotofobia, que é a sensibilidade dos olhos à luz. – Jin explicou, dessa vez.

– Espera aí, como é que ele perdeu o olfato em um acidente de carro? – Perguntei confuso. Aquilo era sequer possível?

– Não sabemos muito bem, ele apenas nos disse que foi nesse acidente que ele perdeu o olfato, mas não sabemos como. Talvez por algum trauma ou batida. – Namjoon respondeu.

– Ah. – Assenti. Eu não havia entendido aquilo muito bem, mas havia compreendido. Talvez eu devesse perguntar isso para a minha mãe depois, ela deveria saber, já que é enfermeira.

– É, e bem, isso fez ele adquirir outros problemas. Como a falta de paladar, por exemplo, que o deixa com anemia por não ingerir nutrientes suficientes. – Yoongi continuou.

– Não sei se você já notou Jungkookie, mas o Taehyung é bem magro, mesmo tendo um físico definido. E ele nunca come no intervalo. Por isso as vezes nós temos que obriga-lo a comer, para o mesmo não passar mal, ou acabar ficando com algum problema mais sério, como anorexia. – Jin falou meio triste, me deixando surpreso.

Eu nunca havia reparado nisso. Para mim ele sempre pareceu normal. Tá que eu não sou muito de reparar em detalhes, e nem passei muito tempo com ele também para reparar, mas... Normalmente pessoas com distúrbios alimentares são bem fáceis de se identificar. Eu acho pelo menos.

– E ele também vive de óculos, por causa da fotofobia. Os olhos dele são muito sensíveis a luz, Tae diz que seus olhos ardem quando expostos a luz muito forte e que ele não consegue enxergar muito bem também. – Namjoon acrescentou.

– Nossa, coitado. – Comentei com pena.

– Pois é. Mas esses não são os únicos problemas dele. Tem também o negócio da audição dele. Bem, você deve imaginar que, quando alguém perde um dos sentidos, outros se tornam mais aguçados, e por isso a audição dele é hiper mega ultra super aguçada, chegando a ser sobre-humana. Mas nós não entendemos o porquê, e Taehyung não nos conta também. – Yoongi explicou.

– A audição dele é melhor e mais potente do que a de um alfa lúpus, sendo capaz de ouvir até duas quadras de distância. – Nam falou, me fazendo arregalar os olhos surpreso.

Caralho hein. Me lembrem de nunca falar do Taehyung pelas costas.

– É por isso que qualquer barulhinho faz os ouvidos dele doerem. Ele não está acostumado. É por isso que o Tae usa aparelhos auditivos, para anular, pelo menos um pouco, o som.

– Mas mesmo assim ele ainda escuta perfeitamente bem. Não tanto quanto sem, mas ele é capaz de ouvir tudo o que falam e que acontece na escola, por exemplo. – Yoongi acrescentou.

 – Uau. – Falei realmente impressionado.

– É, isso é incrível, nós sabemos. Mas se torna um problema gigante quando ele não se cuida direito. – Jin suspirou com pesar.

– É, e parece que ele não está se cuidando de novo. – Yoongi bufou, com uma expressão nem um pouco boa.

– Mas qual é o problema de ele esquecer uma vez? – Perguntei, realmente não entendendo.

– O problema Jungkook, é que não é apenas uma vez, ou um simples esqueci em casa. – Yoongi falou, nervoso de novo.

– Como assim? – Perguntei começando a ficar impaciente.

– Nós suspeitamos que ele tenha problemas em casa, com os tios dele. Problemas bem sérios. – Jin falou, seriamente.

– Que tipos de problemas?

– Nós achamos que os tios dele fazem a cabeça dele. – Namjoon falou.

– Como assim “fazem a cabeça dele”? – Perguntei.

– Você já deve ter notado que o Taehyung se acha um rei, só por causa do cheiro dele e que todos o desejam, né? – Yoongi perguntou.

– E como. – Revirei os olhos.

– É, e isso não é muito normal. Até mesmo para o Taehyung. – Respondeu. – A questão, é que achamos que ele tenha sofrido, tipo... Uma lavagem cerebral dos tios. – O esverdeado disse, me fazendo arquear uma sobrancelha.

Lavagem cerebral?

– O que o Yoongi quer dizer, é que o Tae não sabe os próprios limites dele. Ele age como se só servisse para prazer. Como se fosse apenas um objeto sexual, feito para alfas se satisfazerem. – Namjoon concluiu e eu arregalei os olhos, chocado com aquilo.

– Por favor, parem de falar sobre isso. Eu não quero mais lembrar dessas coisas. – Jin hyung pediu, ele parecia prestes a chorar, ouvindo aquilo. Era realmente tenso e horrível de se escutar.

– Certo, está bem, deixamos esta história para outra hora. Jungkook não precisa saber disso por enquanto. – Yoongi concordou, parecendo não querer tocar no assunto também. Parecia difícil falar aquilo.

Eu sentia que faltava algo naquela história, como se algo tivesse acontecido no passado, para eles chegarem naquela conclusão de que os tios do Tae o maltratam. Mas eu não iria insistir, não tinha o direito de pedir para que eles me contassem algo tão pessoal do Kim, sendo que nós dois nem ao menos somos amigos.

Mas sei lá... Agora eu me sinto um pouco mal por ter tratado ele daquela forma. Eu não fazia ideia que ele tinha problemas tão sérios. Eu o julguei mal. Acho que vou tentar trata-lo melhor.

– Enfim, a única coisa que você deve saber, é que provavelmente ele não esquece os óculos em casa, ou os aparelhos auditivos. Nós suspeitamos que seja os tios dele que fazem isso. E ele não quer nos contar e é isso que mais me frustra, porquê somos amigos dele. Ele devia confiar na gente. – Yoongi falou, inconformado.

– É, agora que você sabe disso, eu quero te pedir algo Kookie. – Jin falou, gentilmente.

– Claro, pode falar. – Respondi sincero.

– Tenha paciência com o Tae, e não o trate de forma diferente apenas porque ouviu tudo isso que te dissemos. Ele não gosta disso. E nem comente nada sobre o jeito que ele age, isso o deixa furioso e o faz se afastar. E principalmente, tenha bastante paciência, pois pode ser bem provável que o Taehyung tenha ouvido toda nossa conversa e que ele esteja bem irritado quando nos encontremos no intervalo. – Pediu, olhando no fundo dos meus olhos e eu engoli em seco.

– Claro, eu... Terei paciência sim. – Respondi com um sorriso amarelo, e o outro sorriu fraco.

Certo, eu acho que terei que me esforçar muito para ser paciente. Eu sou a pessoa mais impaciente e impulsiva que eu conheço. Se ele batesse boca comigo eu tenho certeza que não conseguiria ficar quieto e iria discutir com o mesmo.

– Obrigado... – Agradeceu baixinho.

Logo em seguida, alguém bateu na porta da sala e conversou alguma coisa com o professor, que eu nem sequer notei que havia trocado.

– Pessoal, é hora do intervalo. – O professor de artes falou para a turma.

Arregalei os olhos, surpreso. O tempo passou assim tão rápido? Nossa, eu fiquei tão entretido na conversa com os garotos, que nem ao menos notei as aulas passando. E nem sequer copiei matéria nenhuma, merda.

 

POV – Kim Taehyung

 

 

Depois da discussão com os hyungs, Hobi hyung e Jiminie hyung me levaram para a sala de aula.

– Você tá bem Taetae? – O beta baixinho perguntou com a voz baixinha e suave.

Sorri fracamente para o mesmo, assentindo. – Sim Chim, obrigado. Só um pouco atordoado por causa do baralho. Sabe que não sou muito acostumado com toda essa barulheira. – Respondi, tentando assegurá-lo de que estava bem.

– Não liga para o que o Yoon disse, ele só estava preocupado com você. Todos nós estamos Tae. Você sabe, não sabe? – O ômega acariciou os meus cabelos gentilmente e eu o lancei um sorriso debilitado.

– Eu sei sim. – Respondi, forçando um sorriso.

 

[...]

 

Estava no meio da aula de matemática, quando uma voz pouco familiar se sobressai sobre as outras, fazendo-me parar de prestar atenção no professor e começar a escutar quem estava falando.

Era Jungkook.

– Espera aí, como é que ele perdeu o olfato em um acidente de carro? – Jungkook perguntou confuso.

– Não sabemos muito bem, ele apenas nos disse que foi nesse acidente que ele perdeu o olfato, mas não sabemos como. Talvez por algum trauma ou batida. – Namjoon explicou.

– Ah.

– É, e bem, isso fez ele adquirir outros problemas. Como a falta de paladar, por exemplo, que o deixa com anemia por não ingerir nutrientes suficientes. – Yoongi continuou a explicação.

Espera, ele está falando da minha vida para o Jeon??

– Não sei se você já notou Jungkookie, mas o Taehyung é bem magro, mesmo tendo um físico definido. E ele nunca come no intervalo. Por isso as vezes nós temos que obriga-lo a comer, para o mesmo não passar mal, ou acabar ficando com algum problema mais sério, como anorexia. – Jin falou num tom meio triste.

Ouvir isso me fez sentir um pouco mal. Eu não fazia ideia de que a minha falta de paladar o afetasse tanto.

– E ele também vive de óculos, por causa da fotofobia. Os olhos dele são muito sensíveis a luz, Tae diz que seus olhos ardem quando expostos a luz muito forte e que ele não consegue enxergar muito bem também. – Namjoon acrescentou.

– Nossa, coitado. – Jeon comentou com pena.

Revirei os olhos. Eu não sou um coitado.

– Pois é. Mas esses não são os únicos problemas dele. Tem também o negócio da audição dele. Bem, você deve imaginar que, quando alguém perde um dos sentidos, outros se tornam mais aguçados, e por isso a audição dele é hiper mega ultra super aguçada, chegando a ser sobre-humana. Mas nós não entendemos o porquê, e Taehyung não nos conta também. – Yoongi explicou.

Claro, não é um motivo muito relevante. Não vai mudar nada na vida deles se souberem o porquê.

– A audição dele é melhor e mais potente do que a de um alfa lúpus, sendo capaz de ouvir até duas quadras de distância. – Nam falou.

– É por isso que qualquer barulhinho faz os ouvidos dele doerem. Ele não está acostumado. É por isso que o Tae usa aparelhos auditivos, para anular, pelo menos um pouco, o som.

– Mas mesmo assim ele ainda escuta perfeitamente bem. Não tanto quanto sem, mas ele é capaz de ouvir tudo o que falam e que acontece na escola, por exemplo. – Yoongi acrescentou.

 – Uau. – Pelo seu tom de voz, Jungkook estava bastante impressionado com isso.

Sorri presunçoso.

– É, isso é incrível, nós sabemos. Mas se torna um problema gigante quando ele não se cuida direito. – Jin suspirou com pesar.

Revirei os olhos. Eu me cuido bem sim!

Bufei, contrariado.

– É, e parece que ele não está se cuidando de novo. – Yoongi bufou

– Mas qual é o problema de ele esquecer uma vez? – Jungkook perguntou, sem entender.

– O problema Jungkook, é que não é apenas uma vez, ou um simples esqueci em casa. – Yoongi estava nervoso.

Suspirei. De novo esse assunto...

– Como assim? – O alfa parecia impaciente agora.

– Nós suspeitamos que ele tenha problemas em casa, com os tios dele. Problemas bem sérios. – Jin falou, seriamente.

– Que tipos de problemas? – Indagou.

– Nós achamos que os tios dele fazem a cabeça dele. – Namjoon falou.

Eles não...

– Como assim “fazem a cabeça dele”? – O moreno perguntou.

– Você já deve ter notado que o Taehyung se acha um rei, só por causa do cheiro dele e que todos o desejam, né? – Yoongi perguntou.

– E como.

Eu não me acho, eu sou.

– É, e isso não é muito normal. Até mesmo para o Taehyung. – Respondeu. – A questão, é que achamos que ele tenha sofrido, tipo... Uma lavagem cerebral dos tios. – O esverdeado disse.

Lavagem cerebral? Sério isso? Meus tios são ET’s agora? Fala sério. Eu não sou convencido porque eles me disseram para ser convencido. Eu sou assim porque a vida me fez assim ué. Eu só adoro atenção, ser elogiado, desejado... Isso é bom ué. Qual o problema nisso?

– O que o Yoongi quer dizer, é que o Tae não sabe os próprios limites dele. Ele age como se só servisse para prazer. Como se fosse apenas um objeto sexual, feito para alfas se satisfazerem. – Namjoon concluiu.

            Oque...? Eu não...

– Por favor, parem de falar sobre isso. Eu não quero mais lembrar dessas coisas. – Jin hyung pediu, ele parecia prestes a chorar, ouvindo aquilo.

Ouvir o tom choroso de Jin quebrou meu coração. Me senti subitamente mal e culpado por isso, mesmo que no fundo, não fosse minha culpa. Mas falar disso fazia lembrar daquela época. E não é uma época boa, até mesmo eu admito isso. Não quero que aquilo volte a acontecer.

– Certo, está bem, deixamos esta história para outra hora. Jungkook não precisa saber disso por enquanto. – Yoongi concordou, parecendo não querer tocar no assunto também.

Suspirei, aliviado. Jungkook não precisava saber o que aconteceu.

Bem, na verdade, acho que era desnecessário ele saber de tanta coisa assim sobre mim, até porque eu nem conheço ele, mas tudo bem, eu relevo isso, por enquanto.

– Enfim, a única coisa que você deve saber, é que provavelmente ele não esquece os óculos em casa, ou os aparelhos auditivos. Nós suspeitamos que seja os tios dele que fazem isso. E ele não quer nos contar e é isso que mais me frustra, porquê somos amigos dele. Ele devia confiar na gente. – Yoongi falou, inconformado.

Não confio neles? Ele acha que não confio neles? Eles são as pessoas que mais confio na vida! Ele realmente acha, que só porque eu não me abro o suficiente com eles, significa que não os acho confiáveis?? Eles são as pessoas que melhorem me conhecem!

Poxa, ouvir que Yoongi acha que eu não confio neles realmente me chateou.

– É, agora que você sabe disso, eu quero te pedir algo Kookie. – Jin tornou a falar, gentilmente, chamando minha atenção.

– Claro, pode falar. – Jungkook respondeu.

– Tae... Taaaeee.... Taehyung.... Taehyung!... TAEHYUNG!! – Pulo na cadeira pelo susto, ao ser chamado pelo Jimin, parando assim, de prestar atenção na conversa dos meninos.

– O que? – Pergunto o encarando e o mesmo me olha com um pouquinho de raiva.

– Para alguém que tem a melhor audição do mundo, você é ótimo em não ouvir. – O baixinho falou debochado.

Sorri amarelo ao notar que eu havia o ignorado.

– Desculpa Chimchim, é que quando eu foco em apenas um som, é como se o resto do mundo virasse um filme mudo. – Falei sem graça. O outro revirou os olhos.

– E o que você estava escutando que te deixou tão concentrado que nem ao menos me ouvia ou prestava atenção na aula? – Quis saber, curioso.

– Ah, nada não. Você não vai querer saber, é bobagem. – Desconversei, rindo nervoso e abanando a mão em descaso. Ele não precisava saber que eu estava ouvindo conversas alheias. – Mas e aí, o que você queria conversar comigo? – Mudei de assunto.

– A é, eu queria te avisar que já é o intervalo. Vamos? – O acinzentado perguntou, se levantando.

Me surpreendi por ter passado praticamente a aula inteira ouvindo a conversa dos meninos.

– Claro. – Me levantei também.

Eu e os outros dois seguimos então para fora da sala de aula, e fomos até o terraço da escola. Ao que parece, Yoongi hyung mandou uma mensagem ao Hobi hyung dizendo para passarmos o intervalo lá, já que era mais silencioso.

Assim que chegamos, notamos que os outros quatro já estavam lá. Nos sentamos e eu fiquei de frente para o Jungkook, e comecei a o encarar profundamente.

– Você está bem Tae? – Jin hyung perguntou docemente, me fazendo acordar de meus pensamentos.

Desviei o olhar do Jeon e encarei o ômega de cabelos rosas.

– Sim hyung, obrigado. – Sorri para o mesmo.

– Você está bem Jungkook? – Ouvi Namjoon perguntar ao mais novo de nós.

Assim que voltei a olha-lo, pude notar que o mesmo fazia uma careta enjoada. Quando o mesmo notou o meu olhar sobre si, me encarou de volta, olhando no fundo de meus olhos.

– Seu cheiro. Eu estou o sentindo novamente. É podre. – Falou para mim, com um pouco de dificuldade devido ao provável enjoo que o mesmo estava tendo novamente.

Ótimo, era só o que me faltava. O novato vomitar de novo por causa do meu cheiro.

– Tae, você não colocou o limão? – Yoongi perguntou, franzindo o cenho.

– Não, aquela limonada me deu alergia de pele. Não vou mais encobrir o meu cheiro com aquilo. – Respondi seco, obviamente mentindo. Eu não tinha alergia a limão. Mas aquilo era grudento e podia me atrair formigas. Yoongi era louco em pensar que eu usaria aquilo.

A por favor, eu tenho bom senso.

– Mas você não tem alergia a limão! – O esverdeado rebateu.

– Dane-se Yoongi! Eu não vou usar aquela porcaria para encobrir o meu cheiro! – Falei irritado. Aquele assunto me deixava frustrado. Meu cheiro nunca foi um problema, por que estava sendo agora? Eu não entendo!

– Mas o Jungkook passa mal com seu cheiro! Tem que usar aquilo para que ele não vomite Taehyung! Não seja egoísta! – Yoongi falou, irritado.

Egoísta?! Ele me chamou de egoísta?!

– Eu sou egoísta Yoongi? Por não querer encobrir o meu cheiro só porque uma mísera pessoa, que mal me conhece, passa mal ao senti-lo? – Ergui uma sobrancelha, bufando, totalmente irritado. – Nossa, desculpe então, por não fazer a vontade de alguém. Desculpe se um único individuo acha o meu cheiro horrível, sendo que todo o resto o acha maravilhoso. – Se eu fui dramático? Talvez, mas eu estava magoado por ele ter duvidado de que eu confio nele, e um pouco irritado por ele ter falado da minha vida, sem a minha permissão, vale ressaltar, para alguém que eu nem sequer conheço direito.

Além de eu também estar bastante frustrado com toda essa história do Jeon achar o meu cheiro podre e nem ir com a minha cara. Sério, isso é ridiculamente frustrante! E eu nem sequer posso afirmar, já que não consigo sentir o meu próprio cheiro, e ouvir duas opiniões distintas sobre ele, me deixa extremamente confuso.

E eu também não me esqueci que o Yoongi empatou a minha foda só para me jogar limonada na cara e em todo o corpo. Meus olhos ficaram ardendo, meu cabelo ficou um nojo e eu fiquei grudento.

– Qual é o seu problema? Por que está tão irritado? Ontem você estava de boas. – Yoongi perguntou, impaciente.

Cerrei os olhos, o olhando mortalmente. Ah, claro, eu estava muito sereno todo molhado de limonada. Pensei irônico, mesmo que no fundo eu tinha ficado um pouquinho feliz por poder cantar o Jeon sem fazê-lo vomitar. Qual é, eu admito, mesmo que o Jeon não tenha ido muito com a minha cara e que não goste do meu cheiro, fora isso eu não tenho nada contra ele. E ele é gato, eu pegava. Já tô cansado de pegar sempre as mesmas coisas.

Mas no momento eu estou focado na minha raiva pelo Yoongi, então iremos deixar este fato de lado.

– Não sei Yoongi, porque você não me diz qual é o meu problema? Afinal, não foi você quem saiu contando deles para o Jeon, sem a minha permissão? – Perguntei irônico. Yoongi cerrou os punhos e trincou o maxilar, provavelmente se amaldiçoando internamente e me amaldiçoando também, por ter escutado sua conversa.

– Ele é nosso amigo agora, saberia disso mais cedo ou mais tarde. E eu preferi que fosse mais cedo. Pare de fazer tempestade em copo d’água. – O esverdeado falou nervoso.

– Eu não estou fazendo tempestade em copo d’água! – Me exaltei. – E Jungkook não é meu amigo, ele nem sequer vai com na minha cara! Você não tinha o direito de se meter na minha vida Yoongi! – Falei igualmente irritado.

– Não tinha o direito?! Você é meu melhor amigo Taehyung, eu tenho todo o direito do mundo de me meter na sua vida e saber dos seus problemas para poder te ajudar! Eu me preocupo com você e você sabe perfeitamente bem disso, e mesmo assim, não me diz nada! Nunca me deixa te ajudar, parece até que não confia em mim! – Yoongi estava tão exaltado que até usava a sua voz de alfa.

Mas isso não me abalava. Pelo menos não do jeito que abalava o Hoseok, o Jin e o Jimin. Mas me abalava de um jeito diferente.

– Não Yoongi, ser meu melhor amigo não te dá o direito de contar da minha vida pessoal para alguém que eu mal conheço. E até agora, os únicos problemas que eu estou tendo são você, e o fato de o Jungkook passar mal por causa do meu cheiro. E este é um problema dele, e não meu, então eu não sou obrigado a encobrir o meu cheiro por causa dele. Ele que resolva o seu problema. – Falei irritado, porém, muito mais baixo e contido que o mais velho, cruzando os meus braços e me levantando. – E antes de me chamar de egoísta, saiba que não é tacando limão na minha cara que vai me fazer colaborar a encobrir o meu cheiro para que o Jeon não passe mal. – Praticamente cuspi as palavras na cara do alfa, que me olhava atônito, assim como todos os outros, e virei as costas para ir embora.

Eu poderia realmente ter sido dramático nessa discussão, mas não me importo, eu estava completamente chateado. A semana mal havia começado e eu já me sentia derrotado.

Porra, tava tudo tão ótimo semana passada, tava tudo tão bem. E então chega o alfa Jeon Jungkook e como um furacão e desorganiza toda a minha vida e abala todas as minhas estruturas, me fazendo duvidar de todas as minhas certezas, apenas porque passa mal com o meu cheiro e alega que o mesmo é repugnante, o que me deixa totalmente confuso.

No que eu deveria acreditar?

E também tem o Yoongi, que em tão pouco tempo parece simpatizar com o menino como se fossem amigos a anos. Tsc. Não que eu esteja com ciúmes nem nada, mas desde que o Jungkook chegou aqui, eu nunca havia discutido deste jeito com o esverdeado.

E não, eu já disse que não tenho nada contra o Jungkook. Eu só... Aish, estou confuso e frustrado.

Abro a porta do terraço, pronto para sair de lá, entretanto, antes que eu pudesse sair, sou parado por uma voz.

– Espera Taehyung, onde é que você vai? – Jimin berrou, me chamando antes que pudesse sair.

Me virei para encará-lo. – Eu vou procurar alguém que suporte o meu cheiro e que não fique espalhando os meus problemas por aí para pessoas alheias! – Lancei uma indireta bem direta em tom debochado olhando para eles que estavam completamente pasmos e fui embora, batendo a porta.

Desci as escadas e comecei a procurar pelo Minjae, ele era uma das únicas pessoas que conseguia me entender e me acalmar. Desde o que aconteceu a três anos atrás, eu desenvolvi um grande carinho e gratidão pelo mesmo; ele é como meu porto seguro.

– Minjae! – Chamei-o, assim que o vi.

O mesmo se virou para mim e abriu um sorriso lindo ao me ver. Ele estava sentado na sombra de uma arvore grande, que tinha perto da parte que ficava a porta para o terraço da escola. Fui até o mesmo e me sentei ao seu lado.

– Oi Tae. – Falou doce e calmo. Mas logo seu sorriso sumiu, ao provavelmente ver minha cara irritada. – O que foi? – Perguntou preocupado.

– Eu só estou de saco cheio dessa semana, não vejo a hora dela acabar. – Bufei, cruzando os braços e fazendo um beicinho.

– Quer me contar o que aconteceu para você ficar assim? – Jae perguntou, gentilmente, apoiando minha cabeça em seu colo e começando a me fazer cafuné.

Sinceramente, o Minjae é o Alfa mais fofo, carinhoso, calmo e gentil que eu já tive o prazer de conhecer.

Respirei fundo, eu iria contar para ele tudo o que aconteceu.


Notas Finais


Capítulo reescrito.
Acho que agora tá melhor. Pelo menos tá me agradando mais do que o primeiro.

Gente, não falem os problemas dos amigos de vocês para outras pessoas, sem a permissão deles. Isso não é legal. O Tae ficou muito chateado com os garotos, e principalmente com o Yoongi que foi quem começou, por terem contado da vida dele para o Jungkook. Mesmo sendo melhores amigos, o Yoon não tinha esse direito, mesmo que só estivesse preocupado e querendo ajudar.


Mas o que acharam das revelações? Alguma teoria ou palpite?

Beijos <33
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Link do Trailer da fanfic - https://youtu.be/jGE8If4EzSs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...