1. Spirit Fanfics >
  2. Águas Termais (KageHina) >
  3. Capítulo Único

História Águas Termais (KageHina) - Capítulo 1


Escrita por: kjuzera_writes

Notas do Autor


Capa foi um edit da Isa Weber: https://www.instagram.com/isa_weber_art/

Essa foi escrita para o prompt "Um pega o outro se masturbando".

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Águas Termais (KageHina) - Capítulo 1 - Capítulo Único

Quem tinha tido a brilhante idéia de levar um bando de adolescentes para se hospedar em um hotel com termas merecia um troféu e um castigo, simultâneamente.

Durante as manhãs e tardes do final de semana, o time de volei do colégio Karasuno jogou partidas amistosas com diversas escolas de Hokkaido (a ilha mais ao norte do Japão). No fim da tarde, os meninos voltavam para o hotel onde podiam curtir as termas antes do jantar.

Apesar de ter jogado até não sentir mais as mãos, depois de relaxar na água quente, Hinata se sentia novo em folha. Alias, era só relaxar um pouquinho no calor e vapor que já sentia as baterias recarregadas. O que era bom, mas ruim também.

O espaço de banho era coletivo, separado apenas entre homens e mulheres. Hinata tinha sido o primeiro a entrar na água depois de ter subido correndo o trajeto até o hotel e milagrosamente vencido Kageyama na corrida. Quando seus colegas chegaram, ele já estava bem acomodado num banquinho natural dentro da terma. Mal tinha percebido o quanto o local era estratégico.

Sentado ali, Hinata observou seus colegas chegarem. Alguns sozinhos e outros em duplas ou trios. Mas todos definitivamente bem mais nús que ele estava acostumado a vê-los. Cobertos apenas por uma toalha na cintura, Hinata tentou ao máximo não encarar ninguém, fingindo que estava descansando.

Primeiro foram Daichi e Suga. Hinata se sentiu um pouco mal de observá-los mas ao mesmo não podia evitar. Daichi tinha os ombros largos e pernas fortes, enquanto Suga era bem mais esguio e porque não, mais feminino. Ao pensar isso Hinata tentou afastar essa conclusão jogando água na cara, mas a água quente não surtiu efeitos.

Em seguida Asahi, Noya e Tanaka chegaram juntos. Noya e Tanaka quase correndo enquanto um timido Asahi vinha um pouco mais atrás. Os dois segundanistas, apesar da diferença de altura tinham estruturas parecidas. Ombros mais largos, definidos mas magros. Já Asahi não podia ter a idade que tinha, Hinata custava a acreditar. Já parecia um homem adulto e Hinata enfiou as maos no rosto quando se pegou observando que o Ace tinha pelos pelo peito e abaixo do umbigo.

Hinata definitivamente precisava sair daquelas termas. Era questão de instantes até alguem vir sentar do lado dele casualmente e perceber que estava tendo uma ereção. Como explicaria isso?
Tinha certeza que seria Noya ou Tanaka em alguma brincadeira estupida, iriam ver e ainda iriam gritar pra todos e seria vergonhoso, tirariam ele do time e... Kageyama chegou na terma.

Não tão largo como Daichi, sem tantos pelos como Asahi, não tão esguio quanto Suga, e definitivamente mais definido que Noya e Tanaka, Kageyama simplesmente parecia perfeito aos olhos de Hinata. E aquela foi a gota d'água para ele perceber que não havia qualquer chance dele ficar naquele banho coletivo.

- Eu... eu vou indo!!!!!

Sem medir o tom de voz direito, Hinata saiu literalmente correndo da terma enrolando-se desesperadamente na primeira toalha que achou (afinal eram todas do hotel e todas iguais).

- Algo aconteceu com Hinata... Acho que eu devia ir ver se ele esta passando mal. - Disse Suga preocupado.

- Deve ser algo estúpido. - disse Kageyama respirando alto. - Não se preocupe Suga-san, eu vou ver o que houve. Qualquer coisa eu aviso.

Kageyama saiu da terma levemente irritado. Se o imbecil do Hinata está mesmo passando mal, devia ter avisado alguém. Enrolou a toalha na cintura e voltou pra dentro do hotel. Foi primeiro ao vestiário e nem sinal do ruivo. Aproveitou para pegar seu yukata do hotel para ficar mais descente.

Passou pela frente do banheiro masculino e ouviu um barulho... estranho. Parou e quando foi testar a maçaneta a porta se abriu. De dentro um senhor idoso bem gordo saiu, secando a testa suada num paninho.

- Oh.. melhor esperar um pouco antes de entrar jovem!

Kageyama quis morrer por dentro. Malditos prédios antigos com banheiros tradicionais. Hinata definitivamente não estava no banheiro, então só restava o quarto. Kageyama subiu para o segundo andar da pousada e foi até o fim do corredor onde era o quarto que estavam designados. O hotel era todo tradicional japonês então as portas eram todas de correr e o chão dos quartos de tatame.

Ele chegou na porta do quarto e a abriu.

- Hinata, você-

Kageyama esperava encontrar Hinata no quarto, mas não deitado no futon, com o yukata do hotel todo aberto, segurando o próprio pênis. Não havia qualquer possibilidade de ele estar fazendo qualquer outra coisa a não ser se masturbando.

O ruivo deu um grito de susto e desespero, enquanto rolava pro lado e tentava fechar o yukata em pânico.

Kageyama sentiu uma vergonha profunda misturada com raiva que o deixou completamente estagnado. Levou a mão para o rosto tentando evitar de olhar mais para a cena que já tinha visto e já estava fotografada atrás de suas palpebras.

- Hinata, seu imbecil, você não pensa, não...

Shoyou nesse momento era uma bolota de contrangimento se enrolando porcamente no yukata, no futon, nos próprios braços e no que conseguice alcançar.

O levantador decidiu que melhor seria entrar e fechar logo a porta, evitando assim que mais alguem fosse exposto aquela cena.

- No que diabos você estava pensando, imbecil??? - Kageyama perguntava desacreditado - Já reparou que os quartos aqui não tem tranca? E que tem tipo, 5 pessoas que vão dormir aqui? Você é o imbecil mais imbecil dos imbecis que eu ja vi!!!

- EU ESTAVA DESESPERADO - Hinata gritou finalmente revelando o rosto completamente vermelho de vergonha com lágrimas escorrendo fácil. Tobio percebeu nesse momento que ele realmente parecia desesperado. - Eu estava numa boa na terma até todo mundo ir chegando, todo mundo NÚ COMO SE NAO FOSSE NADA e depois o banheiro estava ocupado, o vestiario é muito aberto e eu não sabia o que fazer, os quartos nao tem tranca, se eu nao resolvesse agora de noite ia ser pior, de manhã ia ser HORRÍVEL então eu PRECISAVA e agora você está aqui e eu quero me esconder pra todo sempre e começar a gostar de meninas, adeus.

Tobio apenas observou o desespero do ruivo aflorando até no final ele se esconder novamente em baixo do futon.

Tobio respirou fundo tentando conter a veia que saltava em sua testa. No fundo ele entendia o que o Hinata estava passando, mas ficava com raiva por ele simplesmente só agir sem pensar.

Se levantou e abriu um dos armarios embutidos do quarto tradicional onde encontrou exatamente o que precisava: o comprido cabo de madeira que servia para pendurar os os cabides. O retirou do armário e levou até a porta de correr o posicioninando sobre o trilho. Uma escora perfeita.

Voltou-se para Hinata que seguia em posição fetal encolhido entre as cobertas e se aproximou.

- Vamos, fica direito. - Kageyama disse já o empurrando pro lado buscando espaço no estreito futon.

- O que você está fazendo?! - Hinata estava genuinamente assustado, tentando se afastar e rolando pro tatame.

- O que você devia ter feito logo no início, oras. - Disse Kageyama constrangido e evitando contato visual.

Tobio não precisou dizer exatamente para que Hinata entendesse. Demorou alguns segundos sim, mas a mensagem chegou.

- Mas... mas e se alguem entrar?

- Eu tranquei a porta, imbecil.

O ruivo ainda ficou um pouco relutante, o constrangimento diminuindo um pouquinho.

- Mas aí vão saber que estamos aqui, e é praticamente a mesma coisa.

- Quanto mais você enrolar, mais eles vão suspeitar.

Hinata engoliu seco. Com todo aquela comoção ele tinha brochado quase que completamente. Não havia motivos para seguir. Ao pensar nisso, olhou finalmente Kageyama nos olhos. Ele estava corado, claramente envergonhado também. Mas suas pupilas estavam dilatadas e o avermelhado descia por seu pescoço e peito que Hinata podia ver devido ao yukata mal amarrado.

Kageyama Tobio estava deitado na sua frente, o esperando - não - se oferecendo para masturbá-lo. Tobio podia xingá-lo o quanto quisesse, Hinata sabia que ele não era o único a tomar decisões preciptadas.

Já sentindo o sangue voltar a descer, Hinata se arrastou de volta pro futon se aproximando de Kageyama. O clima era estranhissimo e o ruivo não sabia se o abraçava, se deitava de barriga pra cima, de lado ou-

Kageyama segurou seu rosto entre as mãos o trazendo pra perto e juntando os lábios, assumindo totalmente o controle. Hinata se deixou levar agradecendo por não ter que pensar mais. O moreno ficou de lado fornecendo o braço para que Hinata apoiasse a cabeça.

Já confortável e relaxado por simplesmente não ter que pensar em nada, Hinata se entregou. Já nem sabia o status atual do seu yukata e pouco importava. A lingua de Kageyama estava em sua boca, mas o fogo queimava principalmente em seu pênis.

Antes que pudesse se dar conta, sua perna estava entrelaçada entre as do levantador. A mão direita dele saiu de seu rosto e desceu, passando a faixa do yukata e indo diretamente para as genitais dele.

Quando sentiu seu saco ser apanhado na palma do maior precisou afastar o beijo e respirar. Podia nem estar vendo, mas sentir as tão preciosas mãos do levantador em si era simplesmente incrível.

A ereção de Hinata já estava latejando quando Tobio finalmente fechou os dedos ao redor da base. Sua mão grande e confiante fez com que Hinata praticamente parasse de respirar.

Kageyama observava o ruivo de perto, acariciando seus cabelos como podia e roçando os lábios por seu rosto e pescoço. Queria que ele relaxasse, se sentisse bem, deixasse pra lá todo aquele desespero.

Shouyou começou a ofegar assim que a mão de Kageyama começou a bombea-lo lentamente. Conforme pequenas gotas de gozo se liberavam, o moreno ia acelerando. Ele não precisava literalmente fazer nada. Kageyama manejava o corpo de Hinata com a mesma perfeição e habilidade que fazia um levantamento.

Desajeitado, quis tampar a própria boca para impedir que seus gemidos saissem. Tobio percebeu e tratou de subtituir pela própria boca, engolindo cada som como se fossem seu ar.

No estado em que estava, Hinata não ia durar mais muito. Segurou Kageyama pelos cabelos da nuca para que não se afastasse e interrompeu o beijo apenas quando não pode mais aguentar. Afundou o rosto no pescoço do moreno enquanto gozava. Alívio, finalmente.

Tobio o guiou pelo orgasmo até o menor o soltar, ofegante e cansado. O admirou enquanto ficou alguns instantes naquele estado pós orgasmo em seus braços, e sentiu o rosto esquentar.

- Kageyama... - Hinata disse ainda com os olhos meio fechados.

- hm..? - o moreno se limitou apenas em reconhecer que estava ouvindo. Queria que ele ficasse assim o tempo que quisesse, quando mais tempo melhor de preferencia.

- Obrigado. 

Shouyou disse e sem hesitar deu um beijo estalado no colega, voltando prontamente a se aninhar nele e no yukata todo desgrenhado. Tobio o abraçou de volta, se aconchegando também. Certamente sentiram a falta deles dali um pouco. Foda-se.


Notas Finais


Essa fic acabou sendo muito inspirada nessa arte linda da RC! http://twitter.com/realyforking/status/1015382307283394561 (NSFW!).

Lembrando que se você tem um pedido, me chama nas mensagens ou no twitter! http://twitter.com/k_ju


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...