História Agust Z - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Block B, EXO, GIRIBOY, K.Will, Mad Clown, UNIQ
Personagens B-Bomb, Cho Seung Yeon, D.O, GIRIBOY, J-hope, K.Will, Kim Sun Joo, Kris Wu, Lay, Li Wen Han, Lu Han, Mad Clown, P.O., Sehun, Suho, Taeil, Tao, U-Kwon, V, Wang Yibo, Xiumin, Zhou Yi Xuan, Zico
Tags Agustz-, Suga, Tao, Yoongi, Zyoongi
Visualizações 231
Palavras 752
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Lemon, Lírica, Luta, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 23 - Preso


Agust  estava transtornado. Havia sido amarrado numa cama pela vontade de Jooheon, seu amigo e também sócio de seus negócios, que naquele momento estava em ruínas. Sem entender a fúria de Yoongi, Jooheon tentou prevenir uma crise em Suga. Um possível surto que destruiria a oportunidade de recuperar o que tinham conquistado. E também, ele mesmo. Yoongi parecia descontrolado.

            Jooheon sabia que ele guardava a raiva para si e em alguns momentos, quando chegava ao extremo, liberava. Mas, toda aquela raiva que queria sair do seu ser naquele quarto não era nada mais que um choro escondido, guardado nas profundezas de seu coração.

            Com a empresa em ruínas, todas as suas boates fechadas por dias, Suga queria matar todos.

            Min Yoongi não tinha chorado. Ele não se permitia á isso. Para ele, as lágrimas eram um símbolo de fraqueza. Yoongi não era fraco.

            Era compreensível, desde que tinha pouca idade começou a sentir tanta raiva de seu pai, amigos e do mundo, agora, mais velho ele apenas conseguia sentir aquilo que havia aprendido.

            Yoongi apenas o que tinha construído com muitos anos de trabalho. Mesmo ilegalmente, seus negócios o mantinham vivo.

            Yoongi tinha construído uma muralha contra tudo e todos. E, ao revelar isso á Jooheon, naquele instante, Yoongi abriu portas para que amizade avançasse ainda mais. Frágil e preso, não somente pelas amarras, Yoongi carregava segredos que não tinha compartilhado com absolutamente ninguém.

            Jooheon não tinha entendido a metáfora. Yoongi, então, encarando o teto, preso pelas amarras, continuou:

            -É como se nós fossemos uma represa. Ela não é resistente o suficiente para aguentar tantas tempestades, furacões e até tsunamis. Por mais firme, por fora que seja por dentro rachaduras se acumulam e uma hora, numa pequena movimentação ou mudança de direção dos ventos, os muros, a proteção, a defesa daquela represa, se rompem. Então digamos que mais cedo ou mais tarde, não importa o quanto isso demore, nossas defesas vão rachar o suficiente para caírem e com uma simples chuva, ou uma simples e corriqueira mudança de clima, fazem os tão firmes e resistentes muros caírem.

 

            Jooheon talvez entendesse o amigo. Guardamos tantos sentimentos, não é mesmo? Parecemos frios e duros. Inabaláveis. Fortes. Mas não passávamos de pessoas sofredoras tentando proteger-se demais daquilo que nos abominam. É compreensível, criarmos uma barreira tão grande, quase impenetrável, talvez firme. É uma barreira de defesa. A única coisa que temos para que ninguém nos machuque. Esconder sentimentos é evitar preocupações, evadir-se de situações ultrajantes e reprimir certos medos.

Mas, como a represa. Uma hora esses sentimentos afloram-se, explodem dentro do seu ser com tal intensidade, que a única forma de sobreviver é colocá-los para fora.

A explosão de Yoongi talvez se devesse á isso. Jooheon acreditava que era isso.

            Jooheon após tantos anos ajudando Agust crescer, não o conhecia tanto quanto deveria.

            Agust era inconveniente, era um pouco ignorante.

            Nos primeiros dias, recusava-se a comer tudo que os ofereciam á ele, mas por dentro, sabia que não se aguentava de fome. Ainda amarrado por tiras de couro ao redor do corpo, Yoongi conflitava-se mentalmente todos os dias. Ele sabia muito bem que o que estava acontecendo, o porquê estava assim. Não sabia como alterar a confusão que tinha ao seu redor. Como recuperar o seu império em decadência.

            Notavelmente seus olhos estavam fundos, cansados. Jooheon o escutava atentamente enquanto ele pronunciava o que queria dizer, na escuridão da sua mente. Disse sobre o medo de perder sua mãe, da aterrorizante sensação de seu pai ainda estar vivo, também a vontade de matá-lo...       

            Mas nada se comparava á ultima revelação de Yoongi.

            Que amava ZTao. E tinha tanto medo de entregar-se quanto os outros pesadelos que tinha.

            A partir daquela fala, Jooheon observou a decadência do amigo. O choro que viria a seguir. Com espanto, como se fosse um mau sinal, Jooheon desamarrou Min Yoongi da cama e fez primeira coisa que veio a sua cabeça.

            Abraçou-o.

            -Por favor, não conte á ninguém.

            Jooheon respirou fundo.

            -Eu quero matar você por ter me prendido aqui. Juro que quero.

            -Mas não vai.
            -Não. Porque me ajudou a aliviar o estresse. No fundo, você fez bem. Porque se não fosse isso, tinha feito uma chacina em uma delegacia.
            Jooheon sorriu ligeiramente. Yoongi tinha voltado.
            -Eu... Eu preciso relaxar. Traga o Hoseok aqui.

            Jooheon encarou-o firmemente. Depois de ele revelar que amava ZTao, Jooheon imaginava que ele nunca mais precisasse dos “serviços” de JHope. Mas parecia que nada havia mudado.

            Ou Yoongi recusava-se a mudar.

            -Tá. Vou buscá-lo. 


Notas Finais


é quando a gente começa a cantar: vai dar merda, vai dar merda vai


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...